Onde vive o ser humano

Arterial for iPhone



Publicidade
Cursos Online com Certificado
Cursos Online

| Login
BSB, 01/04/13- Fundada em 1960, Brasília é até hoje um marco da arquitetura mundial devido aos traços de Oscar Niemeyer e ao planejamento de Lúcio Costa. Conhecida pelas grandes áreas verdes e setorizadas, a capital foi declarada patrimônio cultural da humanidade em 1987 pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). Atualmente, são tombados o Plano Piloto, Cruzeiro, Sudoeste/Octogonal e a Candangolândia. Com o passar dos anos, reformas se tornaram necessárias. “A cidade é um organismo vivo, que precisa de pequenas alterações, e vai mudando com o tempo”, afirma Rogério Andrade, professor de Arquitetura do Centro Universitário de Brasília (UniCEUB). Entretanto, nem sempre as mudanças seguem o plano original projetado na época da inauguração da capital. Para Andrade, o plano original é uma quimera. Afinal, nem mesmo Niemeyer seguiu à risca o estabelecido por Lúcio Costa. A Esplanada dos Ministérios foi alargada em 150 metros e a W3 Sul, projetada inicialmente para ser o final da cidade, abrigaria hortas e pomares onde hoje se localizam as quadras das 900 sul. Para José Leme Galvão Junior, superintendente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) no Distrito Federal, há constatações de que a cidade está mudando, mas questiona quanto é suficiente para se falar numa descaracterização. Ele acredita que o fundamental é promover qualidade urbana. O Plano de Preservação do Conjunto Urbanístico (PPCUB) é uma lei que tratará das novas diretrizes de uso do espaço brasiliense. O projeto espera para ser votado pela Câmara Legislativa do Distrito Federal com polêmicas. O governo defende as medidas propostas, mas muitos especialistas alegam que o PPCUB não foca na preservação do tombamento e seria, na verdade, uma alternativa para o governo explorar como preferir áreas atualmente não habitadas ou utilizadas. A tendência será uma maior densidade urbana posto que o modelo atual de prédios de até seis andares e   
BSB, 31/12/12- A Justiça suspendeu a licitação, prevista para a última sexta-feira (28/12), a fim de contratar empresa que construiria 20 mil unidades habitacionais na Vargem da Benção. A área fica entre o Recanto das Emas e a BR-060. A liminar de suspensão cita características como lençol freático aflorado, solo úmido, presença de nascentes que formam o córrego Estiva ou Vargem da Benção e outras áreas de preservação permanente (APP). O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) entrou com ação de suspensão, após pedido feito pela terceira Promotoria de Defesa do Meio Ambiente e Patrimônio Cultural (Prodema), que mostrava que as definições prévias do local e do número de moradias foram feitas sem qualquer estudo dos impactos. Não havia Licença Ambiental Prévia, segundo o MPDFT. A Companhia de Desenvolvimento Habitacional do Distrito Federal (Codhab) pretendia escolher nesta sexta a empresa que construiria, no antigo Núcleo Rural Vargem da Benção, 20 mil moradias destinadas ao programa Minha casa minha vida, do Governo Federal. A empresa escolhida elaboraria os projetos urbanístico, arquitetônico e complementar das unidades habitacionais, além dos projetos de implantação de infraestrutura e equipamentos públicos na área escolhida.   
BSB, 30/12/12- Na reunião do COPOM, realizada no mês passado, a taxa Selic foi mantida em 7,25% a.a. O ICC - índice que mensura a confiança do consumidor – apresentou, novamente, uma leve baixa. O índice de confiança da indústria fechou em leve contração, voltando a um valor semelhante ao de Setembro. Na indústria da construção civil, o Custo Unitário Básico por metro quadrado continua a crescer. No mês de Novembro, apenas o IGP-M sofreu variação negativa, de 0,03%. Os demais índices apresentaram alta. O IGP-DI, o IPCA e o INCC tiveram, respectivamente: 0,35%, 0,60% e 0,33% de variação positiva. As operações de crédito continuam em expansão com ritmo semelhante ao observado em Agosto, chegando a 51,9% do Produto Interno Bruto em Outubro. Do volume total de crédito, 11,6% corresponde ao setor habitacional que por sua vez representa 6,01% do PIB. No mês analisado, os índices da Bolsa de Valores, o IGC foi o que apresentou a maior alta, de 1,97%, seguido pelo IBRX-50, 1,32% e Ibovespa, 0,71%. O IMOB apresentou a menor alta, de 0,11%. A partir da análise dos dados correspondentes ao mês de Novembro, observa-se que Brasília segue a tendência dos meses anteriores apresentando os maiores valores para venda e locação de imóveis, com destaque para o Sudoeste em relação ao valor do metro quadrado dos apartamentos de 3 e 4 dormitórios variando em torno dos 10 mil reais. Vale ressaltar, que as casas de até 4 dormitórios no Lago Sul são encontradas por 2 milhões e meio de reais. Cabe mencionar também que os maiores valores para quitinetes, tanto para venda como locação são encontrados na Asa Sul. O aluguel de uma “kit” na região não sai por menos de 1.200 reais. Já em relação aos imóveis comerciais, os maiores valores de venda para lojas encontram-se no Setor de Indústria atingindo o patamar de 752 mil, seguido por Águas Claras em torno dos 581 mil reais. Já, as salas em Brasília possuem o maior valor do metro quadrado de R$ 10.363 . Os maiores   
BSB, 24/12/12- BSB, 24/12/12- A Secretaria de Habitação, Regularização e Desenvolvimento Urbano (Sedhab) e a Companhia de Desenvolvimento Habitacional (Codhab) convocaram nesta sexta-feira (21/12) 1252 inscritos da Relação de Inscrições por Entidade (RIE) do Programa Morar Bem. Os candidatos foram habilitados visando aquisição de unidade habitacional por meio do Projeto Samambaia, o qual prevê o repasse de 30 projeções na cidade às entidades. Este projeto pretende beneficiar cerca de 5.600 pessoas. Os candidatos devem comparecem ao Núcleo de Atendimento da Codhab para comprovação de dados e formalização de processo com vistas à habilitação e manifestação de interesse aos projetos em oferta pelo governo. A Codhab fica no Setor Comercial Sul, Quadra 06, Bloco “A” – Edifício Sede da Sedhab, das 8h às 17h, de segunda a sexta-feira. O candidato deve obedecer ao cronograma descrito na carta de convocação. Os candidatos que tenham pessoas com deficiência na família deverão comparecer ao Posto de Atendimento Avançado da CODHAB, localizado na Secretaria de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (SEJUS), na 114 Sul (Estação do Metrô), de segunda a sexta-feira, das 08 às 17 horas, seguindo o mesmo cronograma acima. nesta sexta-feira (21/12) 1252 inscritos da Relação de Inscrições por Entidade (RIE) do Programa Morar Bem. Os candidatos foram habilitados visando aquisição de unidade habitacional por meio do Projeto Samambaia, o qual prevê o repasse de 30 projeções na cidade às entidades. Este projeto pretende beneficiar cerca de 5.600 pessoas. Os candidatos devem comparecem ao Núcleo de Atendimento da Codhab para comprovação de dados e formalização de processo com vistas à habilitação e manifestação de interesse aos projetos em oferta pelo governo. A Codhab fica no Setor Comercial Sul, Quadra 06, Bloco “A” – Edifício Sede da Sedhab, das 8h às 17h, de segunda a sexta-feira. O candidato deve obedecer ao cronograma descrito na carta de convocação.   
BSB, 22/12/12- A Secretaria de Habitação, Regularização e Desenvolvimento Urbano (Sedhab) e a Companhia de Desenvolvimento Habitacional do DF (Codhab) divulgaram no Diário Oficial do DF (DODF), o Edital Nº 100/2012 com a relação de mais 122 pessoas habilitadas para o Setor H4 em Samambaia. A próxima etapa será o envio dos dados dos interessados para o agente financeiro para que possam dar prosseguimento ao processo de formalização de contrato de financiamento junto ao banco. Em 2011, o GDF lançou o programa habitacional para atendimento às famílias inseridas na Lei Distrital Nº 3.877/2006, que versa sobre a política habitacional do DF. O objetivo é oferecer a oportunidade da casa própria para quem precisa. São apartamentos e casas financiados, por meio do Programa Minha Casa, Minha Vida em condições especiais. As unidades habitacionais serão em cidades com infraestrutura completa: rua asfaltada, água encanada, luz e escritura no seu nome. Até o momento são 2.755 pessoas habilitadas pela RIE e outras 21.410 habilitadas pela Relação de Inscrições Individuais (RII) – inscreveram-se de forma individual.   
BSB, 20/12/12- Ao dividir imaginariamente o Distrito Federal em forma de cruz, é o quadrante sudoeste para onde aponta o vetor de adensamento populacional pelas próximas cinco décadas. A área concentra 80% dos moradores nas principais cidades da capital, como Plano Piloto, Ceilândia, Taguatinga, Samambaia, São Sebastião e Gama. E se depender da política habitacional do governo, crescerá ainda mais. A ordem é aproveitar a infraestrutura que já existe para atender essas regiões, além de verticalizar e ocupar os espaços vazios, brechas abertas no território em função de longo período de desordem urbanística. O panorama da cidade construída para que as pessoas possam enxergar o horizonte está mudando dia a dia na capital da República. A preservação, uma contingência do tombamento de Brasília, hoje se concentra no Plano Piloto, onde fica a Esplanada dos Ministérios, as asas Sul e Norte, o Palácio do Planalto e o Congresso Nacional.   
BSB, 19/12/12- O Conselho de Planejamento Territorial Urbano do Distrito Federal (Conplan) aprovou os projetos de regularização de onze condomínios, dentre eles dos condomínios “Vivendas Friburgo” e “Jardim América”, situados na Fazenda Paranoazinho. Com a aprovação a regularização está mais próxima da conclusão faltando apenas o decreto do governador Agnelo Queiroz. Dentre os pré-requisitos para o registro o único pendente é o licenciamento ambiental, a Fazenda Paranoazinho teve sua viabilidade ambiental atestada pelo Conselho de Meio Ambiente do Distrito Federal (Conam) em abril deste ano. Em setembro de 2012 foi emitida a Licença Ambiental Prévia (LP) para a Fazenda Paranoazinho. A última etapa do licenciamento, a Licença de Instalação (LI), já foi solicitada em maio de 2011, pela Urbanizadora Paranoazinho SA (UPSA) para todos os condomínios da Fazenda Paranoazinho. Além do “Vivendas Friburgo” e do “Jardim América”, os processos dos outros condomínios situados na área da Fazenda Paranoazinho estão na mesma situação e aguardam para serem analisados pelo Conselho. Além dos condomínios situados na área da UPSA, outros nove parcelamentos foram aprovados na mesma reunião que contou com a presença do secretário de Habitação, Regularização e Desenvolvimento Urbano (SEDHAB) do Distrito Federal, Rafael Oliveira, da secretária de Regularização dos Condomínios, Regina Maria Amaral, do gerente do Grupar, Fernando Negreiros e representantes de outras áreas do governo e da sociedade civil, membros do conselho.   
BSB, 18/12/12- Na próxima semana, os dois primeiros prédios concluídos, ambos na Quadra 110 do Setor Noroeste, com habite-se, serão entregues aos futuros moradores. Na segunda-feira, os proprietários poderão pegar as chaves do Residencial Viverde, construídos pela Villela e Carvalho, que tem 120 apartamentos, dos quais 20 estão à venda. A primeira reunião de condomínio do Via Parque Noroeste está marcada para as 19h30 da próxima quarta-feira, quando haverá a entrega oficial das unidades aos proprietários. De acordo com a construtora Via Engenharia, quase todos os 48 apartamentos de quatro quartos foram vendidos. O metro quadrado na regão pode chegar a até R$ 16 mil, segundo Sindicato da Habitação do Distrito Federal (Secovi-DF). Até o fim das obras, a Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) deverá gastar R$ 20,8 milhões no novo setor habitacional. No total, apenas em infraestrutura, os investimentos devem chegar a R$ 400 milhões, conforme previsão da Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap).   
BSB, 13/12/12- A criação de duas quadras no Lago Sul está mais próxima. O Conselho de Planejamento Territorial do Distrito Federal (Conplan) analisa, nesta quinta-feira (13/12), o projeto urbanístico da área pertencente à Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap), que será parcelada no final do bairro nobre. Se aprovadas as quadras, a estatal vai registrar os terrenos em cartório e poderá ofertá-los por meio de licitação. Dessa forma, será criada a QI e a QL 30. Juntas, terão 266 lotes. O governo também vai regularizar o condomínio Villages Alvorada, que tem cerca de 400 lotes na beira do Lago Paranoá, todos ocupados. O local se transformará na QL 32. As QI e QL 30 e a QL 32 formarão o Setor Habitacional Dom Bosco, que inclui o Parque da Ermida Dom Bosco. Durante a reunião de hoje, os integrantes do Conplan também analisarão os estudos urbanísticos de outros nove condomínios, onde vivem cerca de 15 mil pessoas. Os parcelamentos estão espalhados pelo Distrito Federal — ficam no Paranoá, em São Sebastião, no Jardim Botânico, em Sobradinho e em Planaltina —, têm situação fundiária distinta — seis estão em terras particulares, dois em área da Terracap e um em terras da União — e têm moradores com perfis socioeconômicos diferentes, com condomínios de baixa, média e alta renda.   
BSB, 12/12/12- Focada em potencializar o conhecimento e a experiência no desenvolvimento urbano de novas áreas, a Alphaville acaba de anunciar parceria com a Via Engenharia, hoje um dos principais grupos do Brasil no ramo da construção e incorporação, líder do setor no Distrito Federal. A assinatura do contrato, oficializada por Fernando Márcio Queiroz, presidente da Via Engenharia e Marcelo Willer, diretor superintendente da Alphaville, ocorreu no dia 12 de dezembro de 2012, no Welcome Center do Alphaville. As empresas foram pioneiras no planejamento de investimentos para a região da DF-140, sempre acreditando no potencial deste novo vetor de desenvolvimento. A união promete render resultados muito positivos para Brasília, já que ambas visam um projeto integrado, sustentável e de longo prazo. Além da consolidação de um novo núcleo urbano, com a geração de novos postos de trabalho, o empreendimento oferecerá diversas opções para os futuros moradores, como os espaços unifamiliares, multifamiliares, comerciais e de serviços. “O nosso projeto visa criar um novo endereço para Brasília, será um investimento de longo prazo, com um conceito inovador de urbanismo”, destaca Marcelo Willer, diretor superintendente da Alphaville. O primeiro passo dessa importante união ocorre com a incorporação, construção e comercialização dos primeiros edifícios residenciais nas áreas multifamiliares pela Via Engenharia, que tem lançamento da primeira torre em Alphaville previsto para maio de 2013. Fernando Márcio Queiroz, presidente do Grupo Via, acredita que a ação pioneira trará ainda mais segurança ao desenvolvimento urbano da região. “Nos sentimos bastante motivados a aliar nossos conhecimentos em qualidade e tecnologia ao projeto inovador que é o Alphaville em Brasília”, declara. Segundo ele, a parceria demonstra o crescimento e amadurecimento do mercado brasiliense.   
BSB, 11/12/12- Em visita à Reunião Ordinária de Diretoria do Sindicato da Construção Civil do Distrito Federal (Sinduscon-DF), Adryani Lobo, diretora de Análise e Aprovação de Projetos (Diaap), que faz parte da Coordenadoria das Cidades, órgão vinculado à Casa Civil e que tem como seu secretário-chefe Swendenberger Barbosa, respondeu aos questionamentos levantados pelos diretores presentes a respeito dos projetos que envolvem o setor da construção civil. Clovis Barbará, assessor responsável pelo Relatório de Impacto de Trânsito (RIT) na Diaap, também esteve presente. A Diaap foi criada há pouco mais de quatro meses e veio com o intuito de dar mais celeridade aos projetos que estavam parados nas administrações do DF. Para Adryani, a criação desta diretoria foi uma solução a curto prazo: “A ideia é resolver os entraves que acontecem nas administrações. Estamos trabalhando arduamente para isso. Vim até o sindicato para ter um retorno dos principais interessados nestes projetos. Por isso estou aqui”, afirmou a diretora. Segundo Adryani, existem, hoje, 204 processos tramitando; destes, 23% estão concluídos, e 45% estão em exigência. “Ou seja, 68% dos processos que estão em tramitação já foram analisados. Se nenhum deles tivesse caído em exigência, nós já teríamos mais da metade dos processos aprovados”, explicou.   
BSB, 11/12/12- Mas a diretora também advertiu que está com o efetivo reduzido - apenas 9 técnicos estão trabalhando nas análises destes projetos. Segundo ela, para 2013, a Casa Civil tem como uma de suas prioridades oferecer maior infraestrutura à Coordenadoria das Cidades e, consequentemente, à Diaap. “Dentre estas prioridades está o aumento do quadro de funcionários. O objetivo é de contratarmos arquitetos e engenheiros para compor a diretoria”, conta Adryani. Julio Peres, presidente do Sinduscon-DF, afirmou que Adryani Lobo, como representante da Diaap, vem fazendo um bom trabalho: “Já estamos vendo os resultados. Muitos projetos que estavam parados agora estão em andamento. É disso que precisamos, mais celeridade nas aprovações de projetos junto às administrações”, ressaltou. Clovis Barbará também respondeu às dúvidas dos diretores do sindicato quanto ao RIT, um dos principais gargalos envolvendo as aprovações dos projetos. Para o assessor, um dos motivos da morosidade nas análises destes relatórios é a falta de profissionais para avaliá-los: “O Detran-DF tem somente quatro engenheiros. Não se tem nem a cota mínima necessária para resolver todo o sistema de trânsito do Distrito Federal”, alertou.   
BSB, 10/12/12- A obra do trecho 1 do corredor exclusivo que ligará Gama e Santa Maria ao Plano Piloto, que está sendo construída em consórcio pela Via Engenharia, foi auditada com sucesso para a recertificação da norma SA 8000, primeira certificação internacional de responsabilidade social. Segundo o empresa responsável pela auditoria, foi destaque o grande comprometimento de todos os envolvidos pela obra. A SA 8000 é um indicador de responsabilidade social que atesta se as empresas respeitam os direitos trabalhistas de seus empregados, garantem condições de saúde e de segurança dos mesmos e não exploram o trabalho infantil. É uma norma internacional de avaliação baseada em convenções da Organização Internacional do Trabalho (OIT) e em outras convenções das Nações Unidas (ONU). Para receber o certificado SA 8000, a obra deve apresentar condições excelentes de trabalho. São verificadas situações como saúde e segurança no trabalho, liberdade de associação, ausência de discriminação, práticas disciplinares, carga horária, benefícios e as responsabilidades da gerência em manter e melhorar as condições do trabalho. Com esse certificado a Via Engenharia reforça o compromisso ético que mantem com a sociedade e com desenvolvimento social no Distrito Federal.   
BSB, 09/12/12- Brasília comemorou, na sexta-feira (7), 25 anos do título de Patrimônio Cultural da Humanidade, concedido em 7 de dezembro de 1987 pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). Para celebrar a data, o Governo do Distrito Federal vai promover a restauração de igrejas, exposições sobre a cidade e a campanha publicitária “Brasília, capital dos brasileiros, patrimônio da humanidade”, além de abrir licitação para a realização de obras. A comemoração começou na sexta-feira, às 17h, com a entrega do 5º Prêmio José Aparecido de Oliveira, que reconhece projetos e ações em conjunto ou individuais, a favor da preservação de Brasília como Patrimônio Cultural da Humanidade. Durante este mês, está prevista a realização das exposições Patrimônios Culturais da Humanidade no Brasil, Pilotis da Rodoviária do Plano Piloto e Brasília Vista do Céu. O governador Agnelo Queiroz também autorizou o início das obras de restauração das igrejas de São Sebastião, em Planaltina, e São José Operário, na Candangolândia. Além disso, estão sendo lançados os editais de licitação para restaurar a Igreja de São Geraldo, no Paranoá, e para o projeto de instalação do Jardim Burle Marx, entre a Torre de TV e a Rodoviária do Plano Piloto. As comemorações foram abertas em janeiro deste ano, quando o governador Agnelo Queiroz instituiu 2012 o Ano da Valorização de Brasília como Patrimônio Cultural da Humanidade. As ações de preservação do patrimônio se tornarão ainda mais importantes em função dos grandes eventos que a cidade receberá. Patrimônio Cultural da Humanidade – O título é destinado a monumentos, grupos de edifícios ou sítios que tenham um excepcional e universal valor histórico, estético, arqueológico, científico, etnológico ou antropológico. A honraria foi criada em 1972 pela Unesco para incentivar a preservação de bens culturais e naturais considerados significativos para a humanidade.   
BSB, 07/12/12- O Governo do Distrito Federal (GDF) lançou, nos últimos dias, três editais para empresas interessadas na construção de mais de 35 mil habitações do programa Morar Bem em cidades da capital federal: Planaltina, Recanto das Emas e Itapoã. As moradias são destinadas a famílias com faixas de renda baixa (ganhos mensais de até R$ 1,6 mil) e média (renda de até R$ 5 mil por mês). Além disso, está marcada para hoje a assinatura da contratação das primeiras obras do Morar Bem para as pessoas com menor receita. O governador Agnelo Queiroz assina, com a presidente Dilma Rousseff, o contrato com a empresa responsável pela construção de 6.240 unidades habitacionais no Paranoá Parque, na região administrativa do Paranoá. Com o edital para os novos projetos, já são mais de 65 mil unidades habitacionais lançadas pelo Morar Bem desde o ano passado. A intenção do atual governo é alcançar, ao fim de 2014, o número de 100 mil moradias contratadas. Esse foi, aliás, um dos compromissos de campanha de Agnelo Queiroz. Até agora, o programa já chegou também a Riacho Fundo 2, Gama, Samambaia, Santa Maria e Sobradinho.   
BSB, 05/12/12- O Boletim de Conjuntura Imobiliária divulgado pelo Sindicato da Habitação do Distrito Federal (SECOVI/DF), referente ao mês de outubro, detectou que a taxa de desocupação permaneceu estável com leve alta de 0,1 p.p., atingindo 5,4%. Na construção civil o Custo Unitário Básico por metro quadrado continuou a crescer. Assim como em setembro: o IGP-M, o IGP-DI e o INCC sofreram desaceleração, passando, respectivamente, de 0,97% para 0,02%, de 0,88% para 0,31% e de 0,22% para 0,21%. As operações de crédito seguiram em expansão, do volume total de crédito 11,46% corresponderam ao setor habitacional, que representa 5,9% do PIB. Em relação aos imóveis residenciais, o Boletim segue a tendência dos meses anteriores e mostra Brasília com os maiores valores por metro quadrado tanto para aluguel quanto para comercialização. Um apartamento de 4 dormitórios na cidade custa 1 milhão e 700 mil reais. A Asa Sul apresentou os maiores valores por m² para apartamentos de um dormitório de aproximadamente 11 mil reais. No Lago Norte observa-se o valor mais baixo por metro quadrado, para casas em condomínios de até 850 mil reais. Já em relação aos imóveis comerciais, Brasília detém o valor mais alto do metro quadrado de salas atingindo os R$10.417. Já em relação às lojas, o valor de venda do metro quadrado é mais elevado em Águas Claras. A análise dos imóveis em comercialização nas localidades pesquisadas pelo Boletim revela relativa estabilidade dos preços nos últimos seis meses. Em Brasília, não houve variações significativas de setembro a outubro,com destaque apenas ao leve aumento de 1,8% nas quitinetes e de 1,3% nas casas de 4 dormitórios. As salas comerciais para venda mantiveram os seus preços estáveis em relação a setembro. O preço de venda de lojas em Brasília cresceu 8,7% em Outubro. No Guará, imóveis dessa categoria apresentaram elevação de 3,4% no mês e em Águas Claras não houve variações significativas.   
BSB, 02/12/12- Readaptação é uma palavra com mais de um significado. Pode-se dizer, inclusive, que trata-se de algo forte, que remete as pessoas à ideia de superação. E foi com o intuito de readequar um evento que já é tradicional no calendário imobiliário brasiliense e brasileiro à realidade do mercado que seus idealizadores decidiram restruturar tudo. A principal mudança é o ambiente, que agora é 100% virtual: pelo menos nessa edição, não haverá o salão físico. Este evento é o Salão de Oportunidades WImóveis (SOW), um dos maiores encontros nacionais quando o assunto é reunir boas oportunidades de negócios na área imobiliária. A edição de 2012 teve sua largada no último dia 26 e até a próxima sexta-feira, 7 de dezembro, será possível acessar o site www.salaowimoveis.com.br, cadastrar-se e adquirir unidades de todos os portes e dimensões a preços de fechar negócio. Pelo sétimo ano, o salão traz a confiabilidade e a segurança que ao longo desse tempo se firmaram como marca registrada do evento. O Grupo WImóveis mobilizou os anunciantes para, em conjunto com eles, congregar os proprietários dos imóveis e proporcionar 12 dias de ofertas imperdíveis, onde todos os imóveis anunciados no site estão com preços convidativos. Depois de um minucioso estudo sobre o mercado imobiliário local, os organizadores do evento decidiram partir para uma edição totalmente virtual. “Preferimos abandonar, por hora, aquela estrutura física de tanta magnitude que utilizamos nos anos anteriores. Mas fizemos com clareza, pensando no bem-estar dos usuários. O momento do mercado é de normalização e por isso nós não quisemos simplesmente abortar a realização do salão. Readaptando, é possível obter o mesmo resultado e com muito mais conforto e rentabilidade para quem vende, compra e anuncia”, explica Marcelo Ramos, diretor comercial do WImóveis.   
BSB, 02/12/12- Para os mais conservadores, a migração das ações do evento para um ambiente completamente on-line pode soar como uma medida muito ousada. Há quem diga, até mesmo, que foi uma escolha perigosa. Nada que abale os organizadores. “Perigoso seria realizarmos a sétima edição do Salão WImóveis com um mercado imobiliário no qual se está praticando preços muito aquém do que já vimos em outros anos, em um passado recente. Grandes nomes de outros segmentos da economia já passaram por restruturações e agora foi a nossa vez. Não vejo motivo nenhum para desespero”, avalia Marcelo Ramos. O diretor comercial, inclusive, cita um leque de vantagens que ele observa com a realização virtual do evento. “Você tem a calma e a comodidade dobradas. Pode estudar os imóveis no conforto da sua casa, com o tempo que julgar necessário, ou aproveitar aqueles minutos que te sobram no almoço pra ver do trabalho mesmo. Pode dar uma olhada pelo celular, pelo tablet, pelo notebook... É muito mais comodidade, mais segurança também. Além disso, não há nenhuma preocupação com estacionamento”, enumera. O diretor de tecnologia do WImóveis, Augusto Abdalla, acredita que não é o tipo de evento ou a plataforma – física ou digital – que conferem respeito do público por um evento. “Transparência, informações sólidas e credibilidade são fatores que geram liquidez”, afirma. Ele afirma que a empresa trabalha inovando para que esse seja o resultado. E revela que a expectativa do WImóveis é de se consolidar em nível nacional.   
BSB, 02/12/12- Está cada vez mais fácil empreender usando a internet. No Brasil, ela já chegou a um terço das residências, segundo o IBGE. A internet oferece possibilidades ilimitadas de fazer negócio, além de ser um espaço que costuma receber bem as boas ideias. Antes de mais nada, é preciso estudar o mercado, como fizeram os idealizadores do WImóveis. Depois, criar uma página em que seja fácil navegar e com capacidade de processamento adequada ao número esperado de acessos. É preciso investir em marketing digital, para que o site apareça bem nas redes sociais e nas ferramentas de busca. Também é necessário ter estrutura para atender bem os clientes e capital de giro, dinheiro para imprevistos e manutenções. O ideal é monitorar sempre os resultados do investimento para corrigir os erros e criar novas estratégias. Além disso, a segurança virtual deve ser transmitida de forma clara para o cliente. “Destacamos que a segurança das transações e da navegação no ambiente do Salão de Oportunidades está 100% garantida e atestada por nossos colaboradores virtuais”, conclui Abdalla.   
BSB, 30/11/12- Com a convocação de 39.532 pessoas inscritas individualmente e mais 10.986 entre as inscritas por meio de entidades, o programa habitacional do Distrito Federal, denominado Morar Bem, avança em busca de sanar o histórico déficit habitacional que hoje se acredita estar na ordem de 150 mil famílias. Dentre os convocados, já foram habilitadas 18.613 pessoas para acessarem os benefícios do programa. O titular da Secretaria de Habitação, Regularização e Desenvolvimento Urbano (Sedhab), Geraldo Magela, comemora os resultados e afirma que são frutos de dois anos de planejamento. “Nós estamos conseguindo trazer o programa federal Minha Casa, Minha Vida para o Distrito Federal já que quando o Agnelo (governador) assumiu não havia nenhum projeto aqui no DF desse programa. Esses dois primeiros anos foram de planejamento, de licitação, porque o processo de construção de moradias é muito lento, ele é muito difícil, então agora nós começamos a construir e começamos a entregar algumas moradias”, explica. Magela acrescenta que o ano de 2013 será muito importante porque terá a a entrega de muitas moradias à população. Para o secretário, o mais importante é a mudança de paradigma da política habitacional, que antes consistia na entrega de lotes sem documentação, sem infraestrutura e sem a moradia. “O que se entregava era o lote puro. Agora nós vamos entregar apartamentos em áreas urbanizadas, com as escrituras e toda documentação. Só que financiado. Nós não vamos ficar dando, nós vamos vender a um preço bastante acessível. Mas nós vamos vender. Então é uma mudança de paradigma o que nós estamos conseguindo fazer”, observa o secretário. Magela chama a atenção para o fato de que há hoje cerca de 350 mil inscritos no programa, no entanto o que se mensura é que o déficit habitacional “real” é de cerca de 150 mil famílias. “Temos um número muito elevado de inscritos que são jovens com menos de 30 anos e que não são pessoas que demandam, de forma prioritária, por mo   
BSB, 28/11/12- Os deputados distritais aprovaram, em sessão plenária realizada nessa terça-feira (27/11), o projeto de lei que reajusta o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) para o próximo ano em 5,39%, com base na variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). O projeto, de autoria do Executivo, chegou à Câmara Legislativa em setembro último, e levou em consideração os índices do INPC acumulados entre setembro de 2011 e agosto de 2012. A votação foi unânime e ocorreu em dois turnos. Ainda na noite de ontem, em sessão extraordinária, a redação final também foi aprovada pelos parlamentares. O relator da matéria na Comissão de Economia, Orçamento e Finanças (CEOF) da Câmara, deputado Wasny de Roure (PT), ressaltou que o objetivo do governo com a proposta não foi ampliar a receita com a valorização dos imóveis, mas a partir da incorporação de novos imóveis. “Há processos de regularização em Vicente Pires e em diversas outras cidades. Esses novos imóveis serão incorporados à receita do GDF, assim como os imóveis que estão sendo construídos, especialmente em condomínios”, apontou.   
BSB, 25/11/12- Representantes do setor da construção no Distrito Federal apresentaram este mês à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) queixa contra a Companhia Energética de Brasília (CEB ). A insatisfação se deve aos constantes atrasos na ligação de energia em novos empreendimentos imobiliários em Brasília. Na ocasião, o diretor-presidente da Aneel se colocou à disposição para intermediar uma solução junto ao Governo do Distrito Federal (GDF). Para o presidente do Sinduscon-DF, Julio Cesar Peres, a morosidade da CEB está atrapalhando o setor produtivo. As dificuldades da empresa pública, segundo ele, atrasam a entrega das obras em até três meses. Na ocasião, os empresários reclamaram que o GDF desrespeita a lei ao entregar loteamentos sem água, energia elétrica e asfalto. “Demoramos 30 meses para construir um prédio. Não é aceitável que, dentro deste tempo, o governo não consiga providenciar a infraestrutura necessária”, afirma Peres. O principal entrave são os trâmites entre CEB. Terracap e Sedhab para que as ligações de energia sejam feitas. O procedimento normal estipula que a CEB envie um projeto com orçamento à Terracap, detalhando as necessidades para a ligação elétrica. A Terracap, então, repassa o valor à CEB. Quando é preciso construir uma subestação, a Sedhab também é consultada para definir a localização do equipamento urbano. Será realizada uma reunião entre a CEB e a Casa Civil do DF para, junto com a Terracap e com a Sedhab, definir uma metodologia de procedimento mais ágil.   
BSB, 24/11/12- Brasília é a capital com segundo maior aumento no valor da taxa de condomínio. O crescimento da despesa na cidade foi de 0,61%, no mês de outubro, atrás somente de Recife, que registrou 0,75%. No período de janeiro a outubro de 2012, a alta da taxa na capital federal foi de 7,66%. De acordo com o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o resultado está bem próximo ao índice nacional de 7,72%. Alguns fatores como gastos com funcionários e despesas com água e luz contribuem para o aumento da taxa de condomínio. Segundo o presidente do Sindicato dos Condomínios Residenciais e Comerciais do DF (Sindicondomínio-DF), José Geraldo Pimentel, a alta no valor do condomínio está relacionada às políticas de preços públicos, às ofertas de produtos e serviços relacionados ao condomínio, à folha de pagamento e encargos sociais dos funcionários e às despesas bancárias. O Código Civil brasileiro, em um capítulo especial que trata dos condomínios, define que o orçamento anual é o que deve nortear o comportamento das receitas e despesas, devendo o síndico segui-lo de forma responsável. Entretanto, despesas extras são comuns, principalmente em períodos de chuva ou com o inevitável desgaste da estrutura. Esses custos também devem estar previstos em orçamento, ainda que apenas uma projeção dos possíveis gastos anuais. De acordo com o Sindicondomínio-DF, uma boa dica é utilizar os anos anteriores como referência para prever quanto deve ser reservado para possíveis despesas não-programadas. Para José Geraldo Pimentel, alguns prejuízos podem ser evitados, principalmente aqueles relacionados à estrutura do prédio   
BSB, 23/11/12- O risco de desabamento de edifícios residenciais ¬construídos há mais de 40 anos nas quadras 400 do Plano Piloto e em outras regiões administrativas no Distrito Federal tem preocupado síndicos, subsíndicos e administradores de condomínios locais, nos últimos meses. Na maioria dos casos, o problema tem sido ocasionado por proprietários de imóveis que motivados, na maioria das vezes, pela questão estética no imóvel realizam reformas em suas residências sem que haja a responsabilidade técnica de um arquiteto e urbanista.O descaso recorrente tem abalado estruturas de sustentação (vigas, pilares e lajes) e fragilizado a estabilidade dos prédios. Tal preocupação fez com que o Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Distrito Federal - CAU/DF elaborasse o “Guia para Síndicos - Orientações sobre Manutenção Predial”. Trata-se de uma cartilha virtual, já disponível no site www.caudf.gov.br para download gratuito, que orienta síndicos, subsíndicos e administradores de condomínios residenciais e comerciais sobre um conjunto de procedimentos preventivos para a manutenção predial, essencial à integridade de qualquer imóvel. O objetivo é alertar sobre como evitar novas ocorrências que danifiquem estruturas prediais e/ou agravem os danos já existentes, a fim de evitar interdição, desocupação ou, nos casos mais graves, desabamentos. “O Guia é educativo e tem a intenção de orientar não apenas síndicos e funcionários do condomínio, mas também os próprios moradores sobre a obrigatoriedade de ter um arquiteto e urbanista responsável pela reforma do apartamento ou casa, independentemente do tamanho do serviço a ser feito”, acrescentou o presidente do CAU/DF, Alberto de Faria.   
BSB, 19/11/12- A hora de comprar chegou. Sob esse preceito, a sétima edição do Salão de Oportunidades WImóveis foi oficialmente lançada. O evento, já tradicional no calendário imobiliário de Brasília quando o assunto é negociação envolvendo unidades de todos os portes e finalidades, este ano vem recheado de novidades entre 26 de novembro e 7 de dezembro. A solenidade aconteceu no auditório do Conselho Regional de Corretores de Imóveis da 8ª Região (Creci-DF) e foi assistida por aproximadamente 400 pessoas, entre empresários, dirigentes de entidades ligadas ao setor e, principalmente, corretores de imóveis. As últimas seis edições do Salão WImóveis foram realizadas na modalidade presencial, na qual os interessados em adquirir imóveis comerciais, residenciais e mistos visitavam as instalações do Salão para conferir a oferta. No entanto, visando readequar-se ao mercado imobiliário do Distrito Federal – que vem passando por mudanças em seu contexto – os idealizadores do evento decidiram por realizá-lo de maneira 100% on-line. Entre os dias 6 e 25 de novembro, está aberta a temporada de credenciamento pelo site www.salaowimoveis.com.br – sem o qual não se acessa a área exclusiva do evento. Marcelo Ramos, diretor comercial da marca WImóveis, explicou o porquê da mudança e também deu as coordenadas das novas funcionalidades. “Após uma série de estudos que consumiu muito tempo por parte de nós, idealizadores, resolvemos por fazer acontecer este salão exclusivamente na modalidade virtual. Acreditamos ser uma medida prudente, pois o comprador pode analisar as unidades desejadas sem sair do conforto do seu lar e até mesmo pelo tablet ou celular, poupando tempo e dinheiro com deslocamentos. Além disso, destacamos que a segurança das transações e da navegação no ambiente do Salão de Oportunidades está 100% garantida e atestada por nossos colaboradores virtuais”, destacou Ramos. Para o diretor, o fato de o evento ser realizado na modalidade não presencial não descaracteriz   
BSB, 17/11/12- O Sindicato da Indústria da Construção Civil do Distrito Federal (Sinduscon-DF), a Associação de Empresas do Mercado Imobiliário do Distrito Federal (Ademi-DF) e a Associação Brasiliense de Construtores (Asbraco) realizam na próxima terça-feira, dia 20 de novembro, às 9h, na sede do Sinduscon-DF, uma solenidade para renovação do convênio com o Banco de Brasília (BRB). Com o aditivo, o convênio continuará oferecendo ao setor produtivo novas modalidades de financiamento e flexibilização de taxas para as empresas da Construção Civil. Produtos como Capital de Giro, Antecipação de Recebíveis, BNDES PSI e BNDES Automático terão suas taxas flexibilizadas para beneficiar os associados. Mais informações: 3234-8310 ou www.sinduscondf.org.br.   
BSB, 16/11/12- Após ser classificada como a maior e melhor construtora do Centro-Oeste pelas principais revistas especializadas e de economia do Brasil, a Via Engenharia teve seus empreendimentos Via Parque Noroeste e Via Ibiza reconhecidos pelo Programa Santander Obra Sustentável. A homenagem foi realizada no evento “Incorporando Tendências”, realizado no dia 7 de novembro, em São Paulo, na sede da instituição financeira. Dos 74 empreendimentos avaliados em todo o Brasil, apenas seis receberam a certificação, sendo dois do Grupo Via, os únicos certificados no Distrito Federal. “O resultado demonstra que as práticas sustentáveis já adotadas pelo Grupo Via atendem aos requisitos mais exigentes do mercado”, afirmou o presidente da Via, Fernando Queiroz. "Agradecemos a participação efetiva da equipe das obras homenageadas, além das áreas de Finanças e de Gestão Integrada, que acompanharam os auditores do Programa”, completou. A homenagem é um atestado da qualidade dos empreendimentos Via, que já são certificados por normas internacionais como a ISO 9001 (Qualidade), OHSAS 18001 (Segurança do trabalho) e ISO 14001 (Gestão Ambiental). Com 32 anos de mercado e atuação em diversos estados do Brasil, o Grupo Via construiu mais de 40 mil imóveis residenciais e comerciais e realizou obras importantes, como o Museu Nacional e a Ponte JK. Atualmente trabalha na construção de obras que seguem a certificação “leed” de sustentabilidade, como os empreendimentos Green Towers Brasília, o Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha, o novo Centro Administrativo do GDF e os empreendimentos residenciais do Setor Noroeste.   
BSB, 15/11/12- Apesar de viverem em área regularizada, boa parte da população do Distrito Federal não possui a escritura de terreno. Com o intuito de reverter este quadro, o Governo do Distrito Federal, por meio da Secretaria de Habitação, Regularização e Desenvolvimento Urbano (Sedhab) e da Companhia de Desenvolvimento Habitacional do DF (Codhab) lançaram, no último dia10/11, o Mutirão das Escrituras. O evento, que aconteceu na Feira Permanente de Samambaia, contou com a participação de mais de 400 pessoas e entrega de 1,8 mil escrituras. O mutirão é uma das ações previstas no programa Regularizou, é seu! e tem por objetivo mobilizar as pessoas residentes de áreas regularizadas a procurarem o cartório e darem início ao processo de aquisição de escritura. Inicialmente estão previstas ações também nas cidades de Recanto das Emas e Santa Maria. Entretanto, o Mutirão atenderá todas as cidades do DF. “Estamos fazendo um esforço concentrado para garantir o direito sagrado dessas pessoas, que agora possam morar e criar seus filhos com tranquilidade, porque têm segurança jurídica para isso”, discursou o governador Agnelo Queiroz. Para possibilitar que as famílias possam obter a escritura, a Sedhab firmou convênio com a Associação dos Notários e Registradores do DF (Anoreg-DF) para reduzir os valores das taxas cartoriais para lavrar a escritura e registro do terreno de R$ 1.214,85 para R$ 197,74. Na ocasião, o secretário Magela afirmou que por anos este processo esteve parado, mas o objetivo agora é retornar as ações de forma massiva, inclusive com atendimento nas Administrações Regionais.   
BSB, 08/11/12- Prestes a fechar o ano, os preços da Construção Civil no Distrito Federal aumentaram 0,12% no mês de outubro, em comparação a setembro. É o que aponta o Custo Unitário Básico do Distrito Federal (CUB-DF/m²), divulgado nesta segunda-feira (5/11), pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil do Distrito Federal (Sinduscon-DF). No mês em análise, o CUB-DF/m² foi de R$ 950,84. O levantamento é baseado no padrão R8-N (residência multifamiliar padrão normal - garagem, pilotis e 8 pavimentos). No mês em análise, as despesas com mão de obra chegaram a R$ 481,10 (50,60%). Referente aos materiais, o valor ficou em R$ 393,22 (41,35%); as despesas administrativas fecharam em R$ 66,83 (7,03%); e os equipamentos contabilizaram R$ 9,69 (1,02%). Em outubro, dez dos 29 insumos que participam da pesquisa apresentaram aumento em seus preços, 12 registraram redução e sete permaneceram com o preço estável. O Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) apresentou variação positiva de 0,02% e o Índice Nacional de Custo da Construção do Mercado (INCC-M) ficou em 0,24% em outubro. Nos últimos 12 meses, o CUB-DF apresentou variação acumulada de 8,17%, enquanto a variação acumulada do IGP-M foi de 7,52% e do INCC-M foi de 7,59%, no mesmo período.   
BSB, 08/11/12- O Sindicato da Habitação do Distrito Federal (SECOVI/DF), em parceria, com a empresa júnior do Departamento de Economia da Universidade de Brasília (UNB) divulga os novos dados do mercado imobiliário do mês de Setembro. Seguindo a tendência dos meses anteriores, o Guará obteve novamente a maior rentabilidade (0,49%) na categoria quitinetes seguido por Águas Claras com 0,43% de rendimento e Brasília com 0,41%. Segundo o presidente do SECOVI/DF, Carlos Hiram Bentes David, isso demonstra a valorização que o Guará vem tendo devido aos recentes lançamentos na região. A pesquisa de setembro analisou 27.173 imóveis para comercialização no Distrito Federal e constatou que Brasília, em relação aos imóveis residenciais continua a apresentar os maiores valores por metro quadrado nos apartamentos com quatro dormitórios de R$ 9.892. Em relação ao valor mediano dos imóveis, o Lago Sul se destaca com casas de 2 milhões e meio de reais. Já os imóveis comerciais para venda, a cidade de Águas Claras se desstaca com o maior valor por metro quadrado de lojas de R$10.485. No mês de setembro no quesito locação, 74,7% dos imóveis analisados foram residenciais. As maiores frações correspondem aos apartamentos de dois quartos com 19,9% e as quitinetes com 18.7%. Os imóveis comerciais representaram 25,3% da amostra. Brasília obteve o maior valor por metro quadrado para locações de "kits" na Asa Sul com um aluguel de R$1.200 enquanto no Lago Norte os mesmos imóveis podem ser alugados por R$1.000. Os maiores valores de aluguéis comerciais por metro quadrado encontram-se nas lojas de Águas Claras, Brasília e Setor de Indústria variando de R$ 2.950 à R$ 4.000. Já o aluguel de salas comerciais no Setor de Indústria e Brasília, no mês analisado, ficaram em 2 mil reais e em Ceilândia e Taguatinga no valor de 700 reais.   
BSB, 01/11/12- O Grupo Via recebeu, mais uma vez, diversas homenagens por seu desempenho empresarial. A empresa foi escolhida, novamente, como a melhor construtora e incorporadora da região Centro-Oeste e a melhor empresa do setor de Imóveis do Brasil pela revista anuário 360° – Época Negócios. Além disso, foi classificada como a maior empresa do setor da indústria e construção do Centro-Oeste pelas revistas "Melhores e Maiores" da Exame, "Valor 1000" do Valor Econômico e "As 500 Melhores da Dinheiro" da IstoÉ. “Para a Via, é uma satisfação estar na liderança do ranking de um setor tão competitivo e que reflete a nossa atuação em prol da excelência dos nossos produtos e serviços, do compromisso social e do respeito ao meio ambiente. Há um esforço conjunto de todos da empresa para satisfazer e superar as expectativas de nossos clientes”, destaca Fernando Queiroz. O reconhecimento do setor atesta o compromisso da Via com seus clientes e com o alto padrão de qualidade de seus empreendimentos. Com 32 anos de mercado e atuação em diversos estados do Brasil, o Grupo Via construiu mais de 40 mil imóveis residenciais e comerciais e realizou obras importantes, como o Museu Nacional e a Ponte JK. Atualmente trabalha na construção de obras que seguem a certificação “leed” de sustentabilidade, como os empreendimentos Green Towers Brasília, o Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha, o novo Centro Administrativo do GDF e os empreendimentos residenciais do Setor Noroeste.   
BSB, 28/10/12- Nos dias 26, 27 e 28 de outubro, a Rossi, uma das principais incorporadoras e construtoras do país, realiza uma ação inédita no Distrito Federal: o evento Outlet de Imóveis. Durante os três dias os clientes terão descontos exclusivos, de até R$ 300 mil, e condições diferenciadas para aquisição de unidades residenciais e comerciais. A Outlet Rossi de Imóveis acontecerá no ¬Shopping Conjunto Nacional, a partir das 10 horas. São 99 unidades com preços promocionais, localizadas em Brasília e também em outras cidades do Entorno. No local, as pessoas interessadas podem conferir todo o material informativo dos imóveis que serão comercializados, para que conheçam os detalhes de cada empreendimento. Além disso, uma equipe de vendas qualificada estará preparada para ajudar com simulações de financiamento, orientações e apresentação de todas as condições especiais oferecidas pela empresa.   
BSB, 26/10/12- A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara Legislativa do DF (CLDF) aprovou, na última terça-feira (23), a atualização do Imposto Sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU) de 2013. A taxa terá uma correção de 5,39%, conforme o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que mede a inflação do período. Segundo a Secretaria de Fazenda do DF, o valor estimado de arrecadação será de R$ 495 milhões e seguirá a mesma linha dos resultados de anos anteriores. Em 2011, por exemplo, o montante arrecadado foi de R$ 434 milhões; em 2010, de R$ 400 milhões. A atualização será ainda avaliada pela Comissão de Economia, Orçamento e Finanças (CEOF) da Câmara Legislativa, antes de chegar ao plenário.   
BSB, 24/10/12- Divulgado mensalmente pelo Sindicato da Habitação do Distrito Federal (Secovi/DF), o boletim da conjuntura imobiliária no DF é um material de grande importância para os investidores do mercado imobiliário. Com o objetivo de orientar os responsáveis pelo setor, o documento é um excelente instrumento para análise da conjuntura imobiliária. Produzido especialmente para atender o público em geral, os boletins são disponibilizados mensalmente através do portal do Secovi/DF. O representativo trata-se de um instrumento que aborda informações mais abrangentes sobre o mercado imobiliário, não somente de Brasília e Regiões Administrativas, mas também é possível encontrar dados de outras localidades. A ideia é fazer com que o público interessado no ramo imobiliário - venda, aluguel, compra ou qualquer outra forma de investimento- tenha informações mais detalhadas do setor. Com o boletim em mãos, o investidor poderá acompanhar o crescimento da construção civil e todos os detalhes dos imóveis disponíveis para negócio. O material pode ser consultado por investidores, estudantes, imobiliárias, corretores e interessados pela compra de um imóvel. Além de dados estatísticos atualizados, o boletim ainda permite encontrar informações em séries históricas comparativas temporais. Representando a equipe responsável pela elaboração do material, Carlos Hiram Bentes Davi, presidente do Sindicato da Habitação, explica que o boletim foi produzido com a intenção de retratar a situação da conjuntura imobiliária na região. “ O Secovi assumiu a responsabilidade de fazer esse levantamento do valor imobiliário, tanto de locação como de vendas do DF. O nosso boletim foi feito em cima de tabelas, divididos por categorias de imóveis – comercial e residencial - em diversas regiões de Brasília, já que na região existe uma diferença grande de valores de uma região para outra”.   
BSB, 19/10/12- A alta do preço dos imóveis no Brasil em setembro foi de 0,9%, segundo o Índice FipeZap, mesma cifra que no mês de maio e menor valorização desde o início da série histórica em setembro de 2010. A maior alta do país no último mês ocorreu em São Paulo (1,5%), enquanto que os preços dos imóveis desaceleraram em Salvador (-0,2%) e no Distrito Federal (-1,7%). Com isso, o Rio de Janeiro ultrapassou o Distrito Federal e se tornou o metro quadrado mais caro do país. Apenas as valorizações de São Paulo (1,5%), Rio de Janeiro (1,2%) e Recife (1,1%) devem superar a inflação de setembro, estimada em algo em torno de 0,5%, segundo o Boletim Focus. A poupança e as aplicações financeiras atreladas à Selic renderam, no mês, um pouco menos que esse percentual: 0,45% para a poupança e 0,48% para a taxa básica de juros. Os demais desempenhos não ultrapassaram nem as aplicações mais conservadoras nem a estimativa de inflação: além das quedas vistas em Salvador e Distrito Federal, Belo Horizonte teve alta de apenas 0,1%, e Fortaleza, de 0,5%. Em doze meses, o aumento acumulado nas sete cidades acompanhadas pelo Índice FipeZap caiu para 15,2%, enquanto que nos doze meses anteriores a alta havia sido de 29,7%. A valorização acumulada em 2012 foi de 10,6%. O preço médio do metro quadrado foi de 6.862 reais, sendo o maior valor encontrado no Rio de Janeiro – 8.358 reais – e o menor, em Salvador – 3.794 reais.   
BSB, 15/10/12- Se olhar para o céu de Brasília, quantos prédios você vê? Sua resposta deve ter sido muitos. São de variados tipos e tamanhos. E com o crescimento acelerado das cidades, a construção de prédios foi a solução encontrada para abrigar a população. Segundo a Secretaria de Habitação (Sedhab), são as chamadas Normas de Gabarito que definem as alturas máximas das edificações por cada região administrativa. O Superintendente de Incorporação da Brookfield, João Antônio Guerra, define três tipos de limitantes mais usados para se construir atualmente no DF, dependendo da área escolhida. “O limite máximo por gabarito vai ter uma altura total de nove a 12 metros. Tem o limite por número de pavimentos, que em Águas Claras, por exemplo, é de 28. E finalmente o limite por afastamento, que quanto mais perto da rua se construir, menor será a edificação, e vice-versa”, explica Guerra. Os limites na maioria dos casos são simultâneos, ou seja, para construir se obedece a um ou dois limites. Para tentar acabar com essas diferenças, o Governo do Distrito Federal (GDF) aprovou em agosto o Plano Diretor de Ordenamento Territorial (PDOT) que define como se dará a ocupação urbana nos próximos anos do DF. E junto com o PDOT, a Lei de Uso e Ocupação do Solo (LUOS) e o Plano de Preservação do Conjunto Urbanístico de Brasília (PPCUB) vão legislar sobre a altura das edificações. A urgência de implantar a LUOS se deu no estabelecimento de um novo modelo de planejamento e controle urbano.   
BSB, 15/10/12- Para entender melhor o que quer dizer cada um desses projetos é preciso explicar que a LUOS vai fixar a área total e a altura máxima que uma edificação pode ter em função do tamanho do lote e do tipo de uso que ele terá. “A LUOS é uma tentativa de normatizar todas essas regras e tornar mais fácil o entendimento para a construção dos prédios em cada região do DF”, explica o subsecretário de Planejamento Urbano da Sedhab, Rômulo Andrade. Já o PPCUB também vai deixar claras as regras de uso e ocupação do solo no DF, mas é voltado para o conjunto urbano tombado como o Plano Piloto, Cruzeiro, Sudoeste, Octogonal e Candangolândia. “Para essas áreas temos um cuidado especial”, conta Andrade. A LUOS e o PPCUB são complementares ao PDOT. “Apesar de tratarem de áreas diferentes, trabalham em conjunto para organizar as normas e fazer com que se possa ter uma utilização para cada lote nas regiões do DF”, completa o subsecretário. Tanto a LUOS quanto o PPCUB vão determinar as alturas máximas permitidas para cada região administrativa, que pode ser consultada no site www.luosdf.com.br, e as regras de uso e ocupação que levarão em consideração quanto se poderá construir em cada lote, para qual finalidade será construído, bem como os níveis de visibilidade e transtornos naturais.   
BSB, 11/10/12- O Governo do Distrito Federal (GDF) assinou contrato com a Jurong Consultants, empresa de Cingapura, para que seja feito o planejamento estratégico da cidade de Brasília para os próximos 50 anos. O investimento para o projeto Brasília 2060 é de 4,25 milhões de dólares. Após a produção de relatórios e estudos, o planejamento estratégico detalhado será entregue ao governo. A expectativa é de que o material fique pronto em abril de 2014. O levantamento vai criar uma espinha dorsal para integrar quatro eixos: a cidade-aeroportuária, programada para ser instalada próximo de Planaltina; o polo logístico entre Samambaia e Recanto das Emas; o centro financeiro internacional, em São Sebastião; e a ampliação do Polo JK, em Santa Maria. A ideia é planejar, em cada um desses locais, um bairro-parque, no qual as pessoas poderão morar, trabalhar, estudar e se divertir. Os empreendimentos serão semelhantes ao complexo One North Park, em Cingapura, um conjunto de quatro grandes bairros também planejados pela Jurong. O GDF também assinou uma parceria com o Governo de Cingapura para um treinamento gratuito de gestores públicos do Distrito Federal. O projeto prevê, inicialmente, que uma equipe de 20 servidores sejam enviados para a Ásia para cursos de gestão e planejamento.   
BSB, 07/10/12- Os preços da construção civil no Distrito Federal aumentaram 0,30% em setembro, em comparação a agosto. É o que aponta o Custo Unitário Básico do Distrito Federal (CUB-DF/m²), divulgado na sexta-feira pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil do Distrito Federal (Sinduscon-DF). No mês em análise, o CUB-DF/m² foi de R$ 949,71. O levantamento é baseado no padrão R8-N (residência multifamiliar padrão normal - garagem, pilotis e 8 pavimentos). Em setembro, 15 dos 29 insumos que participam da pesquisa apresentaram aumento em seus preços, oito registraram redução e seis insumos permaneceram com seu preço estável. Entre os materiais com maior representatividade na composição do CUB, que apresentaram aumento em seus preços, destacaram-se: vidro liso transparente 4 mm colocado com massa, tinta látex PVA e telha fibrocimento ondulada 6 mm 2,44 x 1,10 m. Neste mês, as despesas com mão de obra chegaram a R$ 481,10 (50,66%). Nos materiais, o valor ficou em R$ 394,80 (41,57%).   
BSB, 05/10/12- O Plano de Preservação do Conjunto Urbanístico de Brasília (PPCUB) foi aprovado nesta quinta-feira (4) pelo Conselho de Planejamento Territorial e Urbano do Distrito Federal (Conplan). Trata-se da última etapa para que o projeto de lei seja encaminhado à Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF). “Hoje foi a conclusão de um processo que marca a transparência, a participação popular e a democracia. Isso permitiu que chegássemos a um melhor projeto, com diretrizes para garantirmos o título de Patrimônio Cultural da Humanidade. A nossa expectativa é de enviarmos o projeto de lei à Câmara Legislativa em 15 dias”, disse o secretário e presidente substituto do Conplan, Geraldo Magela. Com a aprovação do PPCUB pelo Conplan, Brasília ganhará o seu Plano de Preservação do Conjunto Urbanístico — resultado do processo que começou em 2009. A elaboração do plano está entre as recomendações da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). Após decisão do Conplan, a equipe técnica da Secretaria de Estado de Habitação Regularização e Desenvolvimento Urbano (Sedhab) fará os ajustes aprovados no conselho, já que houve algumas recomendações dos conselheiros em relação à minuta apresentada Outro processo também em pauta e aprovado pelo Conplan trata do Projeto Urbanístico de Parcelamento e Normas de Uso e Ocupação do solo, referente ao Polo 7 do Projeto Orla, onde será implantado o Parque de Ciência e Tecnologia do Distrito Federal. O PPCUB será o instrumento central da política de preservação, de planejamento e de gestão do Conjunto Urbanístico de Brasília, compreendido pelas Regiões Administrativas do Plano Piloto, Cruzeiro, Candangolândia e do Sudoeste/Áreas Octogonais. A lei deixará claras as regras de uso e ocupação do solo na capital federal. Para tanto, deverá prever, regular e qualificar, por exemplo, áreas de comércio e serviços, áreas verdes, parques urbanos e habitação diversificada. Isso vale para todo o conjunto urba   
BSB, 04/10/12- O Plano de Preservação do Conjunto Urbanístico de Brasília (PPCUB) será submetido à análise do Conselho de Planejamento Territorial e Urbano do Distrito Federal (Conplan), hoje, quinta-feira (4/10). Esta é a última etapa antes do Plano ser encaminhado à Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF). Após decisão do Conplan, o projeto de lei pode passar pela equipe técnica da Secretaria de Estado de Habitação Regularização e Desenvolvimento Urbano (Sedhab) para ajustes, se necessário, para depois ser encaminhado à Câmara Legislativa do DF. A elaboração do Plano é resultado de um processo que começou em 2009 e está entre as recomendações da UNESCO.   
BSB, 03/10/12- O governador em exercício Tadeu Filipelli nomeou nesta terça-feira (2/10) Regina Maria Amaral como nova secretária de Regularização de Condomínios do DF. Ela assume o cargo no lugar de Roberto Costa, que assumiu interinamente a secretaria no lugar do deputado distrital Wellington Luiz, que se licenciou e retornou para a Câmara Legislativa. Regina era assessora pessoal do ex-deputado distrital Pedro Passos, condenado pela Justiça por parcelamento irregular do solo. A nomeação está publicada hoje no Diário Oficial do DF. Wellington, agente da Policia Civil, deixou a secretaria de Condomínios provisoriamente por causa da greve dos policiais civis. Segundo ele, atendeu a um pedido da categoria para ajudar a negociar com o governo o atendimento dos pleitos dos agentes. "Mas as coisas aconteceram diferente do planejado. Fui informado pelo meu bloco que o governador queria nomear alguém para meu lugar. Eu tinha a intenção de voltar, no meu entendimento, essa nomeação não seria necessária", afirma o deputado distrital. O bloco político de Wellington é liderado pelo deputado distrital Rôney Nemer (PMDB) e Regina Maria Amaral era assessora do deputado Agaciel Maia, também participante do grupo, que teria a indicado para a vaga de secretária de Regularização de Condomínios. Nos bastidores, circula a informação que a nomeação dela seria uma retaliação a Wellington por causa da greve dos policiais e porque ele não votou na indicação do deputado Paulo Tadeu para ocupar a vaga de conselheiro do Tribunal de Contas do Distrito Federal.   
BSB, 02/10/12- Promovido pela Leo Produções e Serviços, com apoio do Sindicondomínio-DF, acontecerá de 18 a 20 de outubro, na sede da Caesb, em Águas Claras, a 11ª edição do Encontro sobre Administração de Condomínios Residenciais e Comerciais do DF (Enacon-DF), com entrada franca. Um dos principais pontos do evento é a Feira de Serviços e Produtos de Interesse para Síndicos e Condôminos, que acontecerá simultaneamente ao evento. A feira contará com expositores dos mais variados meios, entre eles a Leroy Merlin, Elevadores Atlas Schindler; Comercial Alvorada; Bratel Telecomunicações; Alge Equipamentos de Segurança; ACS Engenharia Ambiental; Ecoplast; Interplan Segurança Eletrônica; Montaze Vidros Temperados; Naza Contabilidade; MKCosta Construções e Reformas; Flamboyant Chaveiro e Serviços e a Caetano Informática. Estarão sendo oferecidos preços promocionais aos participantes do Enacon.   
BSB, 01/10/12- Com o objetivo de melhorar a participação social no processo de formulação de políticas públicas, a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico do Distrito Federal em parceria com o Ministério da Integração e Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) realizará a I Conferência Distrital de Desenvolvimento Regionalnos dias 1,2 e 3 de outubro no Auditório Águas Claras no Centro de Convenções Ulysses Guimarães. A ideia é promover um debate que resulte em diretrizes para a reformulação da Política Nacional de Desenvolvimento Regional (PNDR). A organização do I CDDR está a cargo das Secretarias de Estado de Desenvolvimento Econômico; de Governo; de Micro, Pequenas Empresas e Economia Solidária e do Entorno. Durante o encontro serão debatidos cinco eixos temáticos: Governança, Participação Social e Diálogo Federativo; Financiamento do Desenvolvimento Regional; Desigualdades Regionais e Critérios de Elegibilidade; Vetores de Desenvolvimento Regional Sustentável e Estratégias de Desenvolvimento para a Região Geoeconômica do Distrito Federal. A CDDR é a fase preparatória da I Conferência Nacional de Desenvolvimento Regional (CNDR), organizada pelo Ministério da Integração, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Regional (SDR), em três etapas integradas e sequenciais – Conferência Distrital, Conferência Macrorregional do Centro Oeste e Conferência Nacional. A Etapa Distrital terá como resultado a elaboração de Princípios e Diretrizes para a Política Nacional de Desenvolvimento Regional (PNDR), o qual será encaminhado à Conferência Macrorregional do Centro Oeste e também à Conferência Nacional. As deliberações concretizadas na Conferência Distrital serão encaminhadas para as macrorregionais que têm como função a realização de debates e a formulação de propostas específicas para as políticas de desenvolvimento das macrorregiões brasileiras e serão convocadas e organizadas pelo Ministério da Integração Nacional.   
BSB, 30/09/12- Com a redução das taxas de juros o mercado imobiliário se tornou um dos queridinhos dos investidores. Com rentabilidade garantida e preço acessível, o Hotel das Nações vem para ser uma nova alternativa de investimento. Projetado para inovar o mercado hoteleiro de Brasília, sua proposta une conforto, sustentabilidade e tecnologia. Com previsão de entrega para dezembro de 2014, o empreendimento terá localização privilegiada no centro da cidade e a expectativa é de se tornar o novo pupilo da capital. Os preços de hospedagem em Brasília têm tido reajustes frequentes. Com isso, investir nos produtos da indústria hoteleira é uma promissora opção que alia segurança do imóvel sem os problemas da locação tradicional. As obras do Hotel das Nações serão iniciadas dentro de 15 dias e a JCGontijo é a construtora responsável pelo projeto. Serão 264 unidades autônomas com proteção contra ruídos pelo uso de carpete na circulação de hóspedes e uma sofisticada arquitetura de interiores, com painéis de madeira de reflorestamento e iluminação decorativa. Para ateder aos hóspedes, o empreendimento contará com piscina, sauna, fitness e acessibilidade, com elevador para portadores de necessidades especiais, além de quatro subsolos para garagem. Rodrigo Nogueira, sócio diretor da JCGontijo Engenharia, explica que o projeto vem para atender às necessidades da modernidade. Além disso, investir no setor hoteleiro é uma alternativa de rentabilidade maior que a locação tradicional. Rodrigo destaca que o grande diferencial de um investimento como este é a participação não só nas diárias do quarto, mas também no estacionamento rotativo (que estará aberto para o público externo), no aluguel das salas de convenções e no restaurante: “Ou seja, independentemente da unidade estar locada, ele ganha. Terá retorno de qualquer jeito”, afirma Rodrigo.   
BSB, 30/09/121- A localização privilegiada é uma das apostas do empreendimento. Próximo a shoppings centers, escolas, teatro, espaços para shows e o Estádio Nacional de Brasília, o hotel proporcionará fácil acesso aos principais pontos da cidade. “O turista terá tudo por perto sem se preocupar com táxi”, destaca Nogueira. A construção do Hotel das Nações trará benefícios para a economia da cidade. A previsão é de que a obra gere cerca de 550 empregos diretos. Após a entrega a expectativa é de que 132 oportunidades sejam abertas para funcionários. Quem quiser adquirir uma unidade do empreendimento precisará dispor, nesse primeiro momento, de 12% do valor da unidade. O restante poderá ser diluído em 84 parcelas mensais. Mas Rodrigo alerta que em um certo momento a unidade se pagará sozinha: “Serão 84 meses para quitar. Mas o empreendimento será entregue antes disso e o investidor pagará as parcelas com o retorno da unidade”, observa.   
BSB, 29/09/12- A Secretaria de Habitação, Regularização e Desenvolvimento Urbano do DF (Sedhab) realiza audiência pública neste sábado, 29 de setembro, às 9h, no Museu Nacional, para apresentar a minuta do projeto de lei complementar da Lei de Uso e Ocupação do Solo (Luos). O Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon-DF) convida todas as empresas associadas a participar da discussão, pois trata-se de um importante instrumento para organização das atividades e usos de cada localidade do DF. O Sinduscon-DF acredita que a audiência é uma excelente oportunidade para mostrar os posicionamentos e as necessidades do setor. “Nós queremos construir um projeto de lei que atenda não só a sociedade, mas, também, ao setor da Construção Civil. Por isso a importância de se estudar o conteúdo”, afirmou Peres.   
BSB, 28/09/12- O Sindicato da Habitação do Distrito Federal (Secovi-DF) divulgou nesta quarta-feira (27/09) o boletim imobiliário de agosto em Brasília. Para a análise, foram considerados os bairros Asa Sul, Asa Norte, Lago Sul, Lago Norte e Sudoeste com base em 31.153 imóveis por meio de imobiliárias que atuam no Distrito Federal. Levando em conta a oferta de habitações residenciais e de salas comerciais em todo o Distrito Federal, Brasília continua o lugar mais caro para se comercializar e alugar um imóvel. Podem-se encontrar apartamentos e salas com metro quadrado que ultrapassam R$ 10 mil. Já para o aluguel e venda de lojas, os preços mais elevados estão em Águas Claras onde o metro quadrado chega a R$ 10.418. Segundo os dados das séries históricas de Brasília, Águas Claras e Guará, pelo Boletim de Conjuntura, valores de apartamentos de dois e três quartos não sofreram mudanças significativas. Em Brasília, casas de três e quatro dormitórios não caíram de valor e tiveram pouca valorização. Já as residências de quatro quartos têm o mais valorizado metro quadrado do DF atingindo o patamar de R$ 10 mil. Seguindo a tendência dos meses anteriores, uma boa opção de investimento é de quitinetes no Guará, pois continuam tendo a maior rentabilidade do DF: 0,49%. O preço de uma quitinete no Guará é, em média, de R$ 185 mil. Em nível de comparação, Águas Claras fechou o mês com o índice de rentabilidade em 0,43% e a média de preço mais baixa para a comercialização desse tipo de imóvel, cerca de R$ 225 mil. Portanto, na prática, o preço das quitinetes em Águas Claras e Brasília, inclusive, se manteve inalterado. Entretanto, apesar da alta de quitinetes no Guará, imóveis de quatro dormitórios tiveram variação negativa de 3,6%. Em contrapartida, os de três quartos fecharam o mês de agosto com variação positiva em 2%.   
BSB, 26/09/12- O Governo do Distrito Federal, por meio da Companhia de Desenvolvimento Habitacional do DF (Codhab), publicou, na edição desta terça-feira (25) do Diário Oficial do Distrito Federal (DODF), lista de habilitados a adquirir moradia pelo programa Morar Bem. Foram 2.540 convocados individuais e de cooperativas, considerados aptos ao financiamento de seus imóveis. O próximo passo da Codhab será encaminhar às instituições financeiras a documentação apresentada pelos selecionados, para que o contrato de financiamento seja formalizado. Por fim, deverão escolher entre os bancos de Brasília (BRB), do Brasil ou Caixa Econômica Federal (Caixa), agentes financeiros do programa Morar Bem. O programa foi criado pelo Governo do Distrito Federal na atual gestão, em 2011, com o objetivo de minimizar o déficit habitacional em todo o Distrito Federal. Para garantir a lisura do processo de aquisição das unidades habitacionais, o GDF criou regras claras para a lista da Codhab, que há anos sofria com denúncias de irregularidades.   
BSB, 26/09/12- Pelo portal www.alphavillecorretor.com.br, profissionais autônomos e as equipes de vendas dos empreendimentos da marca terão acesso a informações completas sobre o portfólio de produtos Alphaville, incluindo a disponibilidade de venda, tabelas de vendas e um acervo de treinamentos para vendas e um “book do corretor”. O site, que programado para entrar no ar nessa sexta-feira (21), ainda permitirá a consulta da agenda de eventos com clientes em cada região, o download de materiais de vendas e o contato direto com o gerente de vendas da Alphaville de cada regional. “A Alphaville é uma grife do mercado imobiliário. Nossos clientes reconhecem a empresa pelos diferenciais dos nossos empreendimentos, que reúnem segurança, contato com a natureza e opção de moradia exclusiva. O atendimento em todas as etapas – do lançamento ao pós-venda – é fundamental para consolidarmos essa imagem. O corretor, profissional que faz o primeiro contato com o cliente, é um elo fundamental dessa cadeia. Por isso a Alphaville investe tanto nesses parceiros”, explica Fábio Valle, diretor Comercial e de Novos Negócios da Alphaville. Além do portal exclusivo, a agenda de treinamentos de corretores de Alphaville inclui encontros presenciais, palestras e até viagens para outros estados. Tudo para que cada corretor conheça em detalhes as características de cada produto Alphaville e transmita todos os diferenciais da marca aos clientes. “Assim como a Alphaville trabalha para atender as expectativas de um público cada vez mais exigente, nossos corretores parceiros também estão em constante evolução e aperfeiçoamento. Estamos na vanguarda do mercado”, detalha Valle. Inicialmente, o novo portal para corretores da Alphaville estará disponível para as equipes de vendas de Brasília, Pará, Amazonas, Rondônia, Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Rio Grande do Sul, Paraíba, Bahia, Rio Grande do Norte e Pernambuco. A previsão é de que até outubro o conteúdo seja disponibilizado   
BSB, 24/09/12- Foi sancionada no último dia 21, a lei que regulariza ocupação dos lotes intersticiais da região, os chamados "becos de Ceilândia". O governador do DF esteve presente para sancionar a norma. A situação dos becos está irregular desde 2008, porque a legislação que autorizou a ocupação foi considerada inconstitucional pela justiça. O projeto recebeu uma emenda, negociada com o governo e líderes dos moradores dos becos da região, que dá autonomia à Secretaria de Habitação, Regularização e Desenvolvimento Urbano (Sedhab) para regularizar os locais já ocupados. Na proposta apresentada, os 2.855 lotes ocupados serão vendidos aos atuais donos ao preço da época da doação.   
BSB, 23/09/12- O Banco de Brasília (BRB) deve fechar o ano de 2012 com cerca de R$ 350 milhões em novos contratos de crédito imobiliário, o que representa um crescimento significativo com relação aos anos anteriores. O desempenho é motivo para comemorar o destaque da carteira no mercado. O BRB oferece linhas de crédito imobiliário tanto para quem constrói, ou seja, para os empresários da construção civil realizarem seus empreendimentos, como para a compra e venda de imóveis residenciais e comerciais destinadas às pessoas físicas e às jurídicas. É por meio da modalidade Plano Empresário que o banco oferece a concessão de crédito a empresários do ramo da construção civil na edificação de unidades habitacionais e comerciais. Essa modalidade encerrou o ano de 2011 com R$ 68,5 milhões em contratações e a expectativa é de fechar 2012 com a concessão de R$ 250 milhões em novos contratos, o que vai representar um crescimento da ordem de 250% em volume de negócios com relação ao ano passado. Nas operações destinadas à compra e venda, foram contratados, no primeiro semestre de 2012, em torno de R$ 53 milhões. No 2º semestre, já foram contratados, até esta data, R$ 20 milhões, o que tende a somar, ao final de 2012, o total de R$ 100 milhões em contratações de compra e venda. Esse resultado representa um crescimento de 146% em comparação ao mesmo período de 2011. “As nossas taxas estão bastante atrativas e nós temos um excelente relacionamento com o setor produtivo. Temos um convênio com o Sinduscon (Sindicato da Indústria da Construção Civil do Distrito Federal) e essa aproximação com o setor tem carreado muitas operações para o BRB. Então, devemos realmente bater esses recordes na contratação de novas operações”, comenta o diretor de desenvolvimento e governo do BRB, José Flávio Rabelo Adriano, ao destacar a motivação da alta performance do banco.   
BSB, 23/09/12- Segundo o diretor, o BRB não faz distinção entre clientes na qualidade do atendimento e tem procurado prestigiar também seus clientes que não são servidores e se preocupado ainda com os clientes potenciais. “Nós temos atingido toda nossa clientela e devemos intensificar o nosso marketing com relação a colocar os nossos produtos acessíveis a todos, tanto aos nossos clientes como aos clientes potenciais. É dessa forma que estamos realmente aumentando a nossa participação no mercado. Com certeza o banco está dando uma relevância muito grande à essa modalidade de crédito imobiliário”, reforça José Flávio Rabelo Adriano, acrescentando que a performance da carteira é motivo de orgulho para a equipe que atua com crédito imobiliário e para o banco como um todo. Segundo a assessoria do BRB, o banco busca oferecer as melhores condições de financiamento imobiliário a seus clientes e, para isso, realiza constantemente pesquisas de mercado, de modo a equiparar taxas e condições de financiamento às praticadas pelas demais instituições financeiras. Entre as vantagens e benefícios dos produtos da carteira imobiliária estão: taxas competitivas e diferenciadas; simulação realizada pelos valores da renda, do financiamento ou da parcela desejada, no site do banco: www.brb.com.br; agilidade na contratação; processo de análise realizado integralmente por alçadas do banco localizadas em Brasília; possibilidade de utilização do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS); percentual de financiamento de até 90% em 360 meses; e parcelas decrescentes (PCM/SAC).   
BSB, 22/09/12- Em duas semanas será inaugurado o primeiro prédio do Setor Noroeste, o mais novo bairro do Distrito Federal. A expectativa da Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap) é que os apartamentos comecem a ser ocupados no início de novembro. De acordo com a Associação de Empresas do Mercado Imobiliário do Distrito Federal (Ademi-DF), 10 empreendimentos, de um total de 40 em construção, estarão prontos para a moradia até o fim o ano. Os apartamentos já possuem água encanada e iluminação, mas o que não falta no Noroeste são obras a serem concluídas. Às vésperas de os compradores de imóveis começarem a ocupar o setor, a movimentação no local ainda é de retroescavadeiras, caminhões de terra e operários da construção civil. “Queremos terminar as obras básicas de infraestrutura antes do período de chuvas. Em dezembro, só o sistema de drenagem não estará concluído”, afirma Albatênio Granja, gerente de projetos do Noroeste da Terracap. Os novos apartamentos já possuem luz elétrica e água encanada, e a iluminação pública começou a ser instalada esta semana pela Companhia Energética de Brasília (CEB). A via de acesso ao novo bairro está pronta, mas faltam pistas de ligação entre os blocos.   
BSB, 22/09/12- O Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) vai aumentar no máximo 5,38% no ano que vem. O teto do reajuste equivale ao Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) do período entre setembro de 2011 e agosto deste ano. Já o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) de 2013 terá como base a tabela da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). Com isso, a tendência é que a maioria dos automóveis tenha redução no valor do tributos. Nos dois casos, as alíquotas de 0,3% para imóveis residenciais e de 3% para carros, caminhões e motocicletas serão mantidas. O governo está finalizando o projeto de lei que regulamentará os dois impostos para o exercício de 2013, pois a proposta tem que ser enviada à Câmara Legislativa até o dia 30. Técnicos estudavam a possibilidade de promover uma adequação na pauta de valores do IPTU, que está desatualizada em relação ao mercado imobiliário. A alteração da tabela faria com que o imposto aumentasse além da inflação, mas o governador Agnelo Queiroz bateu o martelo pelo reajuste com base no INPC.   
BSB, 20/09/12- Líder em empreendimentos horizontais de alto padrão, a Alphaville é também a empresa mais conhecida nesse segmento. É o que afirma a pesquisa realizada pela Officina Sophia, consultoria especializada em gestão de conhecimento. Além de ser a mais lembrada pelo público alvo como referência em empreendimentos horizontais, a pesquisa apontou que a marca Alphaville também se tornou mais conhecida. Na edição anterior, feita no primeiro semestre de 2012, 25% dos entrevistados afirmaram conhecer a empresa. Nessa nova pesquisa, esse número passou para 54%. Um crescimento de 116% no nível de conhecimento do público. Não por acaso, os resultados apareceram logo após o lançamento, em julho deste ano, da nova campanha institucional, que apresentou ao público a evolução da marca Alphaville. Além de eliminar o “Urbanismo” de seu nome, o logotipo ganhou contemporaneidade e se apropriou da cor verde. “Segurança, contato com a natureza, qualidade de vida e inovação. A lista de atributos e diferenciais dos empreendimentos da Alphaville é extensa. Nosso objetivo com essa evolução da marca é justamente o de reforçar essas características entre o nosso público, que já considera a Alphaville como uma grife do mercado imobiliário, graças a excelência dos nossos projetos ao longo dos nossos 40 anos de história”, explica Fábio Valle, diretor de Marketing e Vendas da Alphaville. A pesquisa revelou que as percepções dessas características também evoluíram com o novo posicionamento da marca Alphaville. Na comparação entre as duas edições, houve aumento na associação da marca com qualidade de vida, inovação e expertise. Comprometimento com pessoas e com o meio ambiente e entendimento das necessidades dos clientes completaram o quadro de percepções sobre a marca que ficaram mais claras entre os consumidores.   
BSB, 19/09/12- Urbanismo e assistência social são os setores que ganharam destaque no Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) de 2013. Segundo proposta encaminhada pelo governo à Câmara Legisltiva, as duas áreas registram o maior crescimento de aplicação de recursos em comparação com este ano. Isso reforça o discurso que vem sendo adotado pelo Executivo de redução de gastos com pessoal e custeio para aumentar os investimentos. A proposta — que define as despesas para 2013 em R$ 18,9 bilhões do Tesouro local (12,3% acima de 2012) — foi enviada na semana passada aos distritais e será avaliada pelas comissões, votada em plenário e aprovada no encerramento do ano legislativo. Já previsão de recursos do Fundo Constitucional do DF (FCDF) ficou em R$ 10,69 bilhões (7,3% maior do que este ano).   
BSB, 17/09/12- Com a proposta de trazer um novo modelo de condomínio horizontal o Residencial Damha I chega à capital e dá início às vendas dos lotes. O empreendimento está localizado às margens da Rodovia DF-140 e terá 490 lotes residenciais de, 360 m², em média, em uma área total de 398 mil m², sendo que, desta, aproximadamente 188 mil m² são reservados para os lotes. Desse total, aproximadamente 20% é reservado exclusivamente para área verde e espaço para o lazer. O empreendimento conta com um investimentos de aproximadamente R$ 80 milhões. A empresa traz à Brasília o melhor conceito de urbanismo do país, com a qualidade urbanística e construtiva que a diferencia no segmento de loteamentos fechados e condomínios residenciais, baseados nos pilares integrados de moradia, bem-estar, lazer, segurança, respeito ao meio ambiente e infraestrutura altamente qualificada. A Damha Urbanizadora é uma empresa do Grupo Encalso Damha, conglomerado empresarial fundado em 1964, que atua nos seguintes segmentos: engenharia civil pesada, agronegócios, shopping center, concessão de rodovias, energia e empreendimentos imobiliários. A Damha Urbanizadora conta atualmente com 41 empreendimentos e mais de 15 mil unidades em três estados brasileiros – São Paulo, Minas Gerais e Mato Grosso do Sul e projeta terminar o ano de 2012 com mais 7 lançamentos, marcando presença em mais quatro estados. Em 2011, obteve faturamento de R$ 250 milhões e atingiu valor geral de venda (VGV) de R$ 350 milhões. Para 2012, prevê um crescimento de 72%, alcançando um VGV de R$ 600 milhões. O land bank total é de mais de 90 milhões de m2, em 96 áreas, que podem gerar mais 150 empreendimentos.   
BSB, 16/09/12- A diretoria do Sinduscon-DF recebeu no último dia 11, a visita do secretário de Obras do DF, David de Matos. O encontro teve como pauta o novo pacote de obras anunciado pelo governo. Aproximadamente 60 projetos distribuídos pelas regiões administrativas serão licitados e totalizam mais de R$ 80 milhões. O governo espera licitar cerca de R$ 20 milhões ainda este ano. O restante será executado no início de 2013. O secretário destacou as principais obras previstas para este recurso: a construção de dois viadutos em Águas Claras; duplicação das pistas do Setor de Clubes Esportivos Sul, no Trecho 3; complemento das pavimentações, asfalto e drenagens do Polo JK; reforma de quadras esportivas; e a construção de 100 novos Pontos de Encontro Comunitários (PECs). O secretário destacou, também, investimentos para a recuperação asfáltica de Brasília, já em preparação para a Copa das Confederações, em 2013. A L2, W4 e W5 são algumas das vias que receberão a reforma.   
BSB, 15/09/12- A Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedhab) vai votar, na terça-feira (18), durante a reunião do Conselho de Planejamento Territorial e Urbano do Distrito Federal (Conplan), a aprovação do Plano de Preservação do Conjunto Urbanístico de Brasília (PPCUB) e com ele a viabilidade da proposta do governo que visa permitir a construção de hotéis e outros empreendimentos na quadra 901 do Setor de Grandes Áreas Norte (SGAN). Segundo o secretário Geraldo Magela, é o Conplan que vai dar a última palavra sobre esse assunto. Ele destaca que, na avaliação da Sedhab, a negativa do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) não foi definitiva. “Na verdade nós ficamos aguardando a opinião conclusiva. Veio uma opinião que, na nossa avaliação, ainda não é conclusiva. Tem uma série de interpretações diferentes sobre a 901. Somente na terça-feira o governo vai apresentar sua proposta final”, observa. Ele ressalta a superação das divergências internas sobre o assunto no âmbito do Iphan e que a oposição ao projeto por parte do órgão teria sido superada. “Uma etapa já está vencida porque existiam pessoas dentro do próprio Iphan que defendiam que não podia construir nada naquela área. Sobre isso já está vencido, o que tem agora é uma diferença de avaliação de qual é a quantidade de metros quadrados que pode construir ali”, comenta.   
BSB, 15/09/12- Magela reforça que a existência do PPCUB possibilita as alterações necessárias. “O Iphan reconhece que o PPCUB vai alterar o que existe hoje. O que tem é uma norma na qual se permite construir a uma altura de 9 metros e meio e que se pode construir cerca de 85 mil metros quadrados. Então o Iphan reconhece que o PPCUB vai revogar essa regra, mas pode manter algo próximo disso, manter isso ou até alterar”, explica o secretário, reafirmando que a proposta final será discutida no Conplan e o que prevalecer será depois encaminhado à Câmara Legislativa. O secretário aponta que as duas grandes preocupações do governo são: a preservação do patrimônio cultural da humanidade de forma a fazer com que nenhum projeto agrida o título que Brasília tem e; segundo, é dotar o Plano Piloto de um projeto inovador e adequado para a área da 901 que é considerada de grande importância para a cidade. “O título de patrimônio da humanidade, ele não é do governo, ele é da sociedade e nós vamos zelar por isso com uma preocupação muito grande, o que vai nos levar a ter que fazer um projeto que seja um bom projeto para a cidade. Nós vamos fazer o projeto de lei e mandar para a Câmara. Quando o projeto for aprovado, nós não temos nada a opor a fazer um concurso, até internacional, a fim de que se possa ouvir especialistas do mundo inteiro sobre qual o melhor projeto urbanístico para aquela área”, esclarece.   
BSB, 15/09/12- A polêmica em torno da quadra 901 teve início há dois anos, quando se divulgou a proposta inicial da Terracap de autorizar edifícios de 65 metros de altura. Depois, a Sedhab propôs gabarito de 27 metros e o governo resolveu adotar uma proposta intermediária fixando a altura em 45 metros. Embora se destacasse a intenção de expandir o Setor Hoteleiro Norte, a proposta contemplava também a autorização de uma lista de atividades como escritórios, áreas de lazer e até alojamento. A quadra foi pensada pelo urbanista Lúcio Costa, idealizador de Brasília, como parte da escala bucólica do projeto do Plano Piloto e por isso só deveria abrigar prédios baixos e terrenos com poucos edifícios. O promotor Paulo José Leite, da Promotoria de Justiça de Defesa da Ordem Urbanística (Prourb), destaca que a Prourb entrou com uma ação na Vara do Meio Ambiente suscitando que aquela área não era edificante, ou seja, não era passível de utilização tendo em vista que lá seria uma área dedicada à escala de espaço vazio. A ação foi julgada parcialmente procedente e no julgamento ficou destacada que só poderia ser realizado algum projeto no local após a regulamentação do uso da área. Paulo Leite afirma que o MP está acompanhando de perto as discussões sobre o PPCUB e já verificou vários problemas, inclusive a falta de diálogo entre as instâncias locais de preservação do patrimônio e o Iphan.   
BSB, 15/09/12- Para o arquiteto e urbanista Frederico Flósculo, a área da SGAN 901 é importante para o futuro de Brasília como capital da república. “Brasília é a capital do país. A reserva de área e esse pedação no centro da cidade para o DF é exigido, necessário. É muito importante e a gente não pode abrir mão”, observa. Ele cita como exemplo o caso da capital dos Estados Unidos, Washington, que tem reservas de áreas imensas para as funções de poder americano. “Não é fácil o cara chegar lá em Washington e ficar fazendo loteamento, expansão imobiliária, de jeito nenhum. Qual é a prioridade da capital dos Estados Unidos? É o abrigo das funções de governo federal. Os americanos não ficam brincando de Colônia em Washington”, destaca. Para o estudioso, o DF de verdade é aquele reservado para as funções de capital da República e não se presta a função distorcida de “prefeitura de interior”. O presidente do Instituto de Arquitetos do Brasil no DF (IAB-DF), Paulo Henrique Paranhos, também não concorda com a 901 e a considera ilegal. Ele faz parte do Conplan e diz que foram apresentadas duas propostas do governo que foram rejeitadas pela instância. “Existe a lei. Quem somos nós para dizer que é possível infringir uma lei?”, observa. Segundo Paranhos, as propostas apresentadas são inviáveis e também nocivas à cidade, bem como desrespeitam e afrontam a lei do tombamento. Ele também aponta que não há um debate verdadeiro com a sociedade sobre as questões relevantes e que as audiências públicas não têm se prestado verdadeiramente para isso.   
BSB, 14/09/12- A Via Engenharia e a PaulOOctávio, em parceria com a Iesplan – Faculdades Planalto, promovem exposição de joias sustentáveis da designer Sílvia Blumberg, premiada nacional e internacionalmente pelo trabalho realizado com materiais reaproveitados de canteiros de obras da construção civil. A mostra será realizada no estande do Península Lazer e Urbanismo, em Águas Claras, nos dias 15 e 16 de setembro. Sílvia Blumberg utiliza materiais atípicos para produzir suas joias, o que torna sua arte única e exclusiva. Prata reciclada, cimento, tijolo e pirita são alguns dos materiais da construção civil que compõem as peças da artista, além de asa de besouro, coco, jeans, borracha, chifre e legumes, entre outros. “O material é que me procura”, destaca a artista. As peças em exposição estarão disponíveis para compra. Além do reconhecimento nacional e internacional, o trabalho de Sílvia também ganhou espaço na Rede Globo, fazendo parte do figurino das atrizes Eva Wilma e Suzana Pires na novela Fina Estampa. A designer também veio a Brasília para coletar material da obra do Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha. O próximo trabalho da artista incluirá peças produzidas com resíduos dos estádios que sediarão jogos da Copa do Mundo de 2014.   
BSB, 13/09/12- Entre os dias 18 e 20 de outubro, acontece a 11ª edição do Encontro sobre Administração de Condomínios Residenciais e Comerciais do DF (Enacon-DF), na sede da Caesb, em Águas Claras. O objetivo do evento – que prevê a realização de palestras, debates e exposição de produtos e serviços - é debater os principais problemas enfrentados atualmente pelos responsáveis em administrar condomínios, entre os quais síndicos, condôminos, associações de moradores, incorporadores, construtores, contadores e prestadores de serviços de modo geral. Com o apoio do Sindicondomínio-DF, o Enacon-DF contará também com uma feira de produtos e serviços de interesse desse público. Entre os temas a serem abordados estão: “Constituição do Condomínio – Aspectos Técnicos e formalidades até a entrega da edificação”; “Constituição do Condomínio – Consequências Jurídicas”; “Aspectos Administrativos e Contábeis do Condomínio”; “Formas de Administração Condominial e seus aspectos jurídicos”; Segurança Condominial”; “Aspectos da Manutenção Preventiva e Corretiva em Edificações”; “Segurança Pública”; “Soluções tecnológicas para segurança e Administração de Condomínio”; Sustentabilidade Ambiental em Condomínios”; e “Aspectos relacionados ao fornecimento de água e energia em condomínios”. A expectativa desta 11ª edição é reunir cerca de 250 pessoas em cada dia do evento. A montagem ficará por conta da ExpoTrade e as inscrições terão início dia 10 de setembro, pelo telefone: (61) 3225-4052 GRÁTIS (61) 3225-4052 . O investimento será de R$ 60 para inscrição individual (incluindo os três dias de evento e certificado); R$ 150 para Condomínios (podendo levar até quatro pessoas, entre síndico, subsíndico e dois conselheiros); e R$ 120 para condomínios filiados ao Sindicondomínio-DF.   
BSB, 12/09/12- Pela terceira vez, a construtora, sob o comando de José Celso Gontijo e Rodrigo Nogueira, se destaca no mercado imobiliário com empreendimento moderno e inovador. O Centro Clínico Advance, o mais recente empreendimento inaugurado pela JCGontijo Engenharia, será premiado em São Paulo, como um dos cases vencedores do Prêmio Master Imobiliário 2012. Pela terceira vez, a construtora tem um case contemplado por esta premiação, que este ano se destacou na categoria “Empreendimento Comercial”. O Advance foi considerado uma marca da excelência que elevou o conceito dos empreendimentos voltados a médicos, profissionais e empresas de saúde, aliando funcionalidade e modernidade. Considerado como o “Oscar” da construção civil nacional, o Prêmio Master é realizado anualmente, sendo reconhecido pelo setor como a maior homenagem que a indústria imobiliária presta aos seus empreendedores e ao alto nível de arquitetura, engenharia, construção, desenvolvimento urbano, incorporação, administração, vendas e marketing, dentre outros segmentos. A cerimônia de entrega do Prêmio Master acontece hoje à noite, em São Paulo, no Clube Atlético Monte Líbano.   
BSB, 11/09/12- Vai ao ar nesta terça-feira (11), a nova plataforma digital da Alphaville, urbanizadora líder no segmento de empreendimentos planejados e de alto padrão. A partir dessa data, quem acessar o www.alphaville.com.br poderá conferir um site totalmente renovado. “Além do novo layout – em linha com a nossa marca, que passou por uma evolução neste ano – focamos nossos esforços em proporcionar uma navegação mais intuitiva, com destaque para a apresentação dos nossos produtos imobiliários. É a continuidade da nossa estratégia de renovação da nossa identidade”, explica Camila Yu, gerente de Marketing Estratégico da Alphaville. Um dos diferenciais na apresentação dos empreendimentos será facilmente percebido: agora, ao invés de apenas fotos e textos, será possível visualizar vídeos com detalhes sobre alguns dos projetos, além de uma produção especial que resgata todo o histórico da marca Alphaville no Brasil. O novo site poderá ser acessado também por uma versão exclusiva para smartphones. “O objetivo do novo site está em linha com o nosso planejamento estratégico. Queremos, cada vez mais, ampliar o relacionamento e a experiência do nosso público com a marca Alphaville, que já é referência no mercado”, destaca Gabriela Procópio, gerente nacional de Marketing da Alphaville.   
BSB, 10/09/12- A explosão da construção civil vivida nos últimos anos pelo Distrito Federal entra em fase de entrega dos empreendimentos aos proprietários. Prédios novos são concluídos e os donos recebem o bem comprado ainda na planta. Na mesma velocidade com que as edificações são entregues, as reclamações no Procon-DF crescem. Somente este ano, 635 queixas foram registradas, 50,8% a mais que no mesmo período de 2011. De 2010 para 2011, elas quintuplicaram. Atrasos, cobranças indevidas e defeitos decorrentes da qualidade da obra são os principais problemas enfrentados pelos consumidores. Para evitar dor de cabeça, os especialistas recomendam que o cliente fique atento às cláusulas contratais e faça uma pesquisa sobre os procedimentos da construtora e da incorporadora em relação à entrega e ao serviço de atendimento. “A consulta preventiva sempre é a melhor solução. Procure o síndico ou moradores de prédios construídos pela empresa da qual você tem interesse em adquirir um imóvel na planta, pergunte como se dá o pós-obra, se surgiram problemas e como eles foram resolvidos”, orienta Geraldo Tardin, presidente do Instituto Brasileiro de Estudo e Defesa das Relações de Consumo (Ibedec).   
BSB, 09/09/12- Incentivar e oferecer oportunidades às pequenas empresas do setor da construção civil do Distrito Federal. Com esse objetivo foi apresentado o Projeto Construir Empreendedores a terça-feira (4), no auditório do Sinduscon-DF. A iniciativa tem o apoio do Sebrae e é realizada pelo Comitê de Incentivo às Pequenas Empresas (Cipe) do Sinduscon-DF. Para o presidente do Sinduscon-DF, Julio Cesar Peres, o encontro viabilizou oportunidades de negócios para o pequeno empresário. “A grande maioria do setor é composta por pequenas e médias empresas. O Sinduscon-DF busca incentivá-las, para que participem mais de ações como esta”, ressalta Peres. A inserção competitiva e o plano de capacitação para pequenas empresas foram alguns dos temas abordados no encontro. O presidente do Cipe, Antonio Ribeiro Borges, acredita que a iniciativa foi bem recebida pelo público.   
BSB, 08/09/12- A Lopes Royal, sócia da Lopes - maior empresa de intermediação e consultoria de lançamentos imobiliários do Brasil - foi agraciada com o Prêmio Master Imobiliário 2012, um dos mais importantes do setor. A empresa foi vencedora com o case “Anuário do Mercado Imobiliário Brasileiro 2011”, um estudo inédito que agrega informações e análises sobre o mercado de lançamentos imobiliários no país. “O Prêmio Master é o maior reconhecimento do mercado e nos proporciona uma visibilidade nacional. Para a elaboração do Anuário, a Lopes Royal enviou informações do DF, divididas por região. Foi um estudo único e muito elogiado pelos incorporadores”, diz o diretor-executivo da imobiliária, Marco Antônio Demartini. Ele ressaltou que os cases vencedores concorrem ao Prix d’Excellence, prêmio internacional que inclui mais de 60 países. Além dessa premiação, a Lopes Royal teve participação no Prêmio Master Imobiliário concedido ao “Advance” na categoria Empreendimento, das empresas ECAP, JC Gontigo e Victória. A imobiliária foi responsável pela comercialização do empreendimento. Essa não é a primeira vez que a Lopes Royal recebe o prêmio. A empresa foi agraciada em 2002, com o case Rede Imobiliária de Brasília. “Isso projeta Brasília no cenário nacional. Mostra que temos força para ganhar o Prix d’Excellence”, comemora Demartini. Neste ano, a premiação será realizada dia 12 de setembro em São Paulo.   
BSB, 07/09/12- A irregularidade fundiária das terras do Distrito Federal está dando lucro para alguns proprietários da área comercial. Muitos aproveitam para vender e alugar salas nos loteamentos ilegais, em regiões em processo de regularização, onde construções estão proibidas. Há edifícios que chegam a ter centenas de apartamentos. Para o Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT), a preocupação é acentuada caso não haja o veto de artigos do projeto de Lei Complementar 17/2011, que atualiza o Plano Diretor de Ordenamento Territorial (PDOT), considerados inconstitucionais pelos promotores. Entre os mais polêmicos está o artigo 269, em que fica autorizada a expedição de documentos para garantir a legalidade de edificações e o funcionamento das atividades econômicas nas áreas em que estejam em processo de regularização. Na avaliação da promotora de Justiça de Defesa do Meio Ambiente, Marta Eliana de Oliveira, o texto favorece os interesses particulares de quem lucra com as ocupações irregulares. “É no mínimo estranho este artigo. Por isso, lutamos para vetá-lo. Estamos fazendo uma análise na redação, afinal, ele está muito amplo”, considera. O artigo, segundo a promotoria, pode incentivar a ação da irregularidade do solo. “A ocupação desordenada no DF está virando regra e não mais uma exceção, é uma verdadeira farra nos terrenos”. Esta é a opinião do professor de urbanismo e planejamento urbano da Universidade de Brasília (UnB), Benny Schvarsberg. “Já está tão comum que as pessoas compram e vendem sem medo. Quantas quitinetes irregulares têm espalhadas por toda parte? Até mesmo na área tombada, como nas asas Sul e Norte. Há certo relaxamento”, observa.   
BSB, 06/09/12- O Sindicato da Habitação do Distrito Federal divulgou o Boletim de Conjuntura Imobiliária do mês de julho. O estudo mostrou que a taxa Selic apresentou nova redução de 0,5 ponto percentual. A inflação, registrada pelo IPCA, teve aceleração de 0,43%, após alguns meses em desaceleração e o Índice de Confiança do Consumidor recuou 1,5% no mês analisado. No Distrito Federal, houve um leve aumento na Utilização da Capacidade Instalada e uma variação positiva de 5,72% no Faturamento Real da Indústria. No mês de referência, apenas o IPC sofreu desaceleração, passando de 0,23% em junho para 0,13% em julho. O IGP-M, IGP-DI, IPCA obtiveram as 44 maiores acelerações, com 1,34%, 1,52%, 0,43%, respectivamente, enquanto o INCC fechou em aceleração mais tímida em 0,85%. A Base Monetária seguiu em elevação, atingindo o maior patamar dos últimos seis meses ao somar R$ 197,48 bilhões. Já, as operações de crédito apresentaram uma expansão moderada chegando a 50,6% do Produto Interno Bruto, do volume total de crédito 10,86% se referiram ao setor habitacional representando 5,5% do Produto Interno Bruto. Os índices da Bolsa de Valores apresentaram aumento em julho. O mais significativo foi no IMOB, de 3,28%. Os investimentos conservadores também registraram altas, 0,50% e 0,67% na Poupança e CDB, respectivamente. O Guará obteve a maior rentabilidade do período, pelo segundo mês consecutivo, registrando o percentual de 0,45% para quitinetes seguido por Águas Claras com 0,43%. O estudo mostrou que Brasília continua com os preços mais elevados de imóveis residenciais da região com o valor do metro quadrado atingindo R$ 9.916. Em relação aos imóveis comerciais, a Asa Sul apresentou as maiores medianas de aluguel para salas e lojas variando de R$ 1.200 a R$ 8.750, respectivamente.   
BSB, 31/08/12- Após quatro dias de encontros, entre os dias 27 e 30 de agosto, envolvendo cerca de três mil e quinhentos profissionais, o I Congresso Internacional do Mercado Imobiliário e IV Encontro Brasileiro de Corretores de Imóveis, atingiram marcas surpreendentes que reafirmam a força do mercado imobiliário nacional “Mais do que a sensação do dever cumprido, nós do Sistema COFECI-CRECI estamos felizes por termos tido a chance de proporcionar aos colegas corretores de imóveis do Brasil e do mundo um painel extenso, plural e extremamente revelador de como anda o nosso segmento neste momento crucial da economia global. Cumprimos a nossa missão como agentes do mercado e encerramos, com chave de ouro, as comemorações do Cinquentenário de Regulamentação da Profissão de Corretores de Imóveis no Brasil. Mas, com certeza, a maior conquista obtida foi podermos reafirmar a força e a união da nossa categoria”, comemorou João Teodoro da Silva, presidente do Conselho Federal de Corretores de Imóveis, anfitrião e organizador dos eventos. Os números relativos aos eventos dão razão à satisfação do presidente do COFECI. Ao todo, 3.468 congressistas devidamente inscritos circularam pelos 5 mil metros quadrados disponibilizados para os participantes. Foram proferidas 125 horas de palestras e, em alguns momentos, chegaram a ocorrer 12 palestras simultâneas.   
31/08/12- As redes sociais também mostraram sua força na divulgação imediata do que acontecia nas dependências do Centro de Convenções Ulysses Guimarães. O Facebook, por exemplo, atingiu diretamente 13.648 pessoas (números do próprio site de relacionamento). Ao todo, 66.827 pessoas foram alcançadas por informações geradas pelos participantes das redes sociais. A programação dos eventos ofereceu palestras, debates e workshops abrindo espaço para exposição de vários temas de suma importância para o setor tais como, consórcios, financiamentos, captação de recursos, fundo de investimentos, administração, direito e legislação, loteamento e comunidade planejadas, sustentabilidade, encontro de corretores de imóveis, além de fóruns exclusivos para jovens e mulheres ligadas ao segmento.   
BSB, 31/-8/12- O Congresso Internacional do Mercado Imobiliário atraiu para Brasília delegações da Comunidade Imobiliária dos Países de Língua Portuguesa, da Europa, América do Sul, América Latina e América do Norte. O presidente da NAR (sigla em inglês para Associação Nacional dos Corretores de Imóveis – EUA), Moe Veissi destacou a importância que o mercado imobiliário brasileiro alcançou em escala global. “Minha fé no crescimento e na estabilidade do mercado imobiliário brasileiro é tão grande que, pessoalmente, venho investindo por aqui e obtendo excelentes resultados, superiores inclusive, aos apresentados pelo mercado americano. Por isso, sempre que consultado recomendo investimentos em terras brasileiras”. O presidente da NAR aproveitou a realização do I CIMI para anunciar uma parceria com o COFECI para o lançamento, dentro de 90 dias, do IMIB –Índice do Mercado Imobiliário Brasileiro- que vai juntar, pela primeira vez, os principais dados do mercado imobiliário nacional, em uma única ferramenta de consulta e pesquisa. Para João Teodoro da Silva, o lançamento deste índice será um marco para o mercado nacional. “Com o IMIB, será possível, pela primeira vez termos uma visão global do nosso segmento, oferecendo informações confiáveis e atualizadas. Com isso nos equipararemos aos principais mercados do mundo ao oferecermos aos investidores, agentes públicos e para a sociedade em geral, segurança e transparência”, finalizou.   
BSB, 06/01/12- Os imóveis no Distrito Federal apresentaram uma valorização menor em 2011 do que nos anos anteriores. No entanto, isso não impediu que a capital federal tivesse o metro quadrado mais caro do País. De acordo com o Índice FipeZap, elaborado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) em parceria com a Zap Imóveis, no último ano o preço dos imóveis subiu 14% no DF, enquanto a média nacional foi bem maior: 26,3%. Dentre as sete capitais pesquisadas pela Fipe no período, a valorização em Brasília só não foi menor do que a de Salvador (6,8%). Em dezembro, além de ter o pior desempenho, Brasília foi a única região do País a trabalhar com variação negativa, de -0,2%. Ainda assim, em 2011, o valor do metro quadrado na capital federal foi cotado em R$ 7.719, à frente do Rio de Janeiro (R$ 7.421) e de São Paulo (R$ 6.066). Com isso, de dezembro de 2010 a dezembro de 2011, o valor do imóvel de um quarto teve variação positiva de 10,8%; o de dois quartos subiu 17%; o de três quartos valorizou-se em 11,9% e o de quatro dormitórios teve um avanço de valores de 19%, em média. Para o economista Eduardo Zylberstajn, coordenador da pesquisa, quando se trata de mercado imobiliário, o ideal é ter horizontes mais longos. "Em 2009 e 2010 houve um comportamento de expressiva alta no preço dos imóveis em Brasília. Em algum momento, os preços tinham que se acalmar, porque chegaram perto do limite do que as pessoas podem pagar. O que chama atenção agora não é a desaceleração do índice frente ao cenário nacional, mas sim a velocidade com que ela ocorreu no Distrito Federal", explica.   
BSB, 06/-1/12- A Secretaria de Habitação, Regularização e Desenvolvimento Urbano (Sedhab) fomenta os empresários da construção civil e entidades a construírem habitação de interesse social com maiores isenções de taxas. O primeiro passo foi dado com a publicação da Lei nº 4.718, de 27 de dezembro de 2011, no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF), desta quarta-feira (28/12), que isenta os empreendimentos habitacionais de interesse social, voltados para a política habitacional do DF, do pagamento da Outorga Onerosa do Direito de Construir - ODIR e da Outorga Onerosa de Alteração de Uso - ONALT. Além de fomentar a construção de habitações de interesse social, o que poderá reduzir o valor da unidade para o beneficiário, outro impacto positivo é a reafirmação da política habitacional do governo de otimizar toda a infraestrutura existente na cidade com o aumento do potencial construtivo. Neste caso, teria que ser paga a ODIR. Já ONALT é cobrada, por exemplo, para áreas onde era previsto somente uso comercial e agora poderá ser uso misto: comércio e residências. A lei é válida para empreendimentos habitacionais de interesse social promovidos pelo Poder Público no âmbito da Política Habitacional do Distrito Federal que sejam objeto de concessão de direito real de uso resolúvel ou de doação por parte do Distrito Federal a terceiros. E que atendam ao Programa Minha Casa Minha Vida do governo federal.   
BSB, 03/01/12- Os investidores, futuros hóspedes e usuários do Jade Hotel Home Office, no Setor Park Sul, estão próximos de usufruir dos benefícios do complexo comercial e hoteleiro. O empreendimento caminha a todo vapor e o cronograma da obra segue com a tradicional pontualidade da Construtora Villela e Carvalho. As obras começaram em setembro de 2010 e a previsão é concluir até julho de 2013. A estrutura está completa e o empreendimento passa pela fase do acabamento. Os detalhes arquitetônicos do Studio Zuba e da Estrela Arquitetura. O Jade Hotel Home Office é um hotel-residência com flats, bangalôs de alto padrão, salas comerciais e lojas. A diretora de empreendimentos da Villela e Carvalho, Ludmila Pires Fernandes, conta que vários fatores atraíram a empresa a investir no Park Sul, tendo em vista a localização privilegiada. “Estar praticamente no Plano Piloto com a comodidade das opções de lazer e gastronomia nas proximidades; e ainda estar perto do aeroporto, da estação do metrô-DF, shoppings e hipermercados também fazem do empreendimento um excelente local para se hospedar e trabalhar”. A qualidade de serviços será chancelada pela marca internacional Clarion, por meio da aliança firmada com Atlantica Hotels, a maior administradora multimarcas de capital privado da América do Sul e que estreia no DF em parceria com a Villela e Carvalho. O condomínio terá sete bangalôs e três torres, sendo duas de flats e uma de salas e lojas. São 284 unidades de flats, com quarto e sala conjugados, 84 salas comerciais e 36 lojas. Um lindo espelho d’água e uma praça de alimentação, inspirada na Plaza Mayor de Madrid. Os flats são divididos em três categorias: apartamento comum, cobertura e ainda os bangalôs triplex e térreos. O complexo oferece a praticidade de serviços das lojas e salas comerciais, somada ao conforto e lazer de um resort . Serão dois acessos: um que liga a entrada às torres dos flats passa por uma alameda com fonte e porte cochere no lobby, para emb   
BSB,29/11/11- Os dados do mês de outubro do Boletim de Conjuntura Imobiliária divulgados pelo Sindicato da Habitação do Distrito Federal (SECOVI-DF) demonstram que a economia brasileira continua em crescimento, podemos citar: as elevações do Indice de Confiança do Consumidor (ICC), do faturamento real da indústria e a estabilidade da taxa de desocupação fixada em 6%. A base monetária, seguindo o observado em setembro, apresentou variação positiva de 2,5%. O saldo das operações de crédito obteve uma nova ampliação seguindo uma variação de 33,1% no ano e de 47,3% no acumulado de 12 meses. Esse crescimento, causado pelo aumento da demanda, fez com que o volume do crédito habitacional passasse a representar 4,6% do PIB, ante 3,5% em setembro de 2010.   
BSB,29/11/11- No mês de outubro, a variação dos quatro investimentos em capital foi positiva. O Ibovespa fechou em 11,49%, o Índice Brasil 50 apresentou aumento de 9,66%, o Índice de Ações com Governança Corporativa Diferenciada (IGC) registrou expansão de 8,33% e o Índice Imobiliário (IMOB) fechou em 12,59%, apresentando a maior alteração neste mês. A análise de ofertas para imóveis residenciais à venda no Distrito Federal continuou apresentando Brasília como detentora dos maiores valores. A Asa Sul obteve a liderança: um apartamento de 4 dormitórios no bairro custa aproximadamente 2 milhões de reais. O Cruzeiro apresentou também grande valorização. Foi o segundo maior em valores absolutos com destaque para casas de 3 dormitórios que foram orçadas em 780 mil reais. No que se refere aos imóveis comerciais, Águas Claras e Brasília apresentaram os maiores preços por metro quadrado em salas e lojas comerciais, variando entre 6 e 10 mil reais. As lojas em Águas Claras tiveram uma valorização de 4,1% em outubro no preço mediano de venda. Já as salas comercias no Setor de Indústria valorizaram aproximadamente 12%, estimadas em 426 mil reais. Ressaltamos que o preço médio do aluguel de casas com 2 ou mais quartos em Brasília subiu cerca de 5% em relação ao mês de setembro. Confira a íntegra da pesquisa no site: www.secovidf.com.br   
BSB, 20/11/11- Comprometida com o meio ambiente, a construtora e incorporadora Via Engenharia adota estratégias criativas para lidar com os materiais restantes de suas obras. No Distrito Federal, de acordo com o Instituto Brasília Ambiental (Ibram), a construção civil é responsável por cerca de 70% das toneladas de lixo acumuladas em aterro, fato que preocupa toda população. Diante disso, a Via criou formas para reciclar seus resíduos e também ajudar pessoas carentes e, até mesmo, contribuir para a vida acadêmica de futuros arquitetos. Desde o seu surgimento, a Via Engenharia prima por critérios rigorosos de sustentabilidade e inovação. O Green Towers Brasília, empreendimento em fase de construção no Setor de Autarquias Norte, possui certificações de sustentabilidade como ISO 9001, OHSAS 18001, SA 8000 e já atende a todas as exigências do padrão Leed, conhecido como selo verde. De todo o resíduo acumulado no canteiro dessa obra, 80% foi encaminhado para reciclagem, o que corresponde a mais de 1.000m³. Os restos de metais foram vendidos para empresas de sucata e os resíduos de classe A (restos de concreto, argamassa e tijolo) retornam para as obras após serem transformados em areia lavada.   
BSB, 20/11/11- Materiais como madeira, plástico e papelão são doados a cooperativas de catadores, que revendem o material ou reaproveitam na construção de casas populares. Dentre as instituições ajudadas, está a Sonho de Liberdade, que trabalha com a reabilitação de ex-presidiários. “A Via é uma empresa preocupada com o meio ambiente e com a melhoria da qualidade de vida das famílias carentes do DF e, ao longo do tempo, tem feito a sua parte e investido em ações sociais para ajudar essa parcela da população”, comenta o presidente da Via, Fernando Queiroz. A Via também pensou em uma maneira de contribuir para a formação de universitários do DF. Materiais como saco de cimento, madeira, papelão e metal foram doados aos alunos da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) da Universidade de Brasília (UnB) para montagem de exposição sustentável. As atitudes ambientalmente corretas e a preocupação com os recursos humanos garantiram à Via prêmio na área de responsabilidade social. A empresa conquistou o quarto lugar nacional no ranking da As Melhores da Dinheiro, revista especializada no setor.   
BSB, 6/11/11- O Custo Unitário Básico por metro quadrado (CUB/m²) no Distrito Federal, referente a outubro de 2011, apresentou variação positiva de 0,89% em relação ao mês anterior. Com esse resultado, o custo do metro quadrado de construção no DF passou para R$ 879,05 em outubro. Dos 29 insumos pesquisados, dois apresentaram redução em seus preços, 22 registraram aumento e os demais permaneceram estáveis. Entre os materiais com maior representatividade na composição do CUB, que apresentaram redução em seus preços, destacam-se a locação de betoneira 320 L e a bancada de pia de mármore branco 2,00 x 0,60 x 0,02 m. O custo com a mão de obra ficou em R$ 411,72, o que representa 46,84% da composição. O desembolso com material (44,79%) ficou em R$ 393,71. Há no cálculo do CUB, ainda, os gastos com equipamentos e com as despesas administrativas. O Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) apresentou variação positiva de 0,53% em outubro de 2011.   
BSB, 15/10/11- Em coletiva de imprensa no útlimo dia 11, foi anunciada a 6ª edição do Salão Wimóveis, que ocorrerá de 19 a 23 de outubro, no ExpoBrasília . O salão oferecerá a oportunidade de adquirir um imóvel para moradia ou como investimento no DF, onde o setor mais cresce no país. Nesta edição serão ofertados mais de 10 mil imóveis prontos, de terceiros, novos e na planta. As unidades vão de mansões no Lago Sul a apartamentos de dois quartos nas regiões do DF. A novidade para este ano é a oferta de imóveis em Miami (EUA). Marcelo Ramos, diretor comercial do grupo WImóveis, disse que o objetivo do evento é fazer com que o comprador encontre no salão facilidade para comprar seu imóvel. Ele conta que a expectativa é de que em 2011 o evento obtenha os mesmo resultados positivos de 2010: “Em 2010 fomos o salão com maior saldo de vendas e o 2º do Brasil em visitação. Para este ano serão mais de 100 empresas e com uma estimativa de 26 mil pessoas”.   
BSB, 23/9/11- Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil do Distrito Federal (ADVB-DF) entregou a três empresas de Brasília o quarto prêmio Top de Marketing e Vendas, que valoriza estratégias e ferramentas de sucesso. As vencedoras foram a JCGontijo Engenharia, a Cynus Imóveis e o SabinVacinas. O prêmio de 2011 foi lançado no dia 28 de fevereiro e contou com a participação de mais de 50 empresas, só neste ano. Newton Garcia, presidente da ADVB, explica que a ideia é consagrar empresas que se destacaram em seus segmentos por meio da utilização de estratégias e ferramentas de marketing e vendas para a divulgação de seus produtos e serviços. A premiação acontece na capital federal desde 2008, quando a associação chegou a cidade. De lá para cá, mais de 10 empresas já foram premiadas, como o Park Shopping, Brasília Shopping, Shop- ping ID, Grupo Comunidade de Comunicação, JCGontijo Engenharia, Cygnus Imóveis, Rede Record, entre outros. A função da ADVB é desenvolver treinamentos e capacitações de marketing e vendas e ampliar o network (campo de relacionamento) das empresas com o objetivo de promover maior integração entre o setor empresarial do país. O prêmio vem para consolidar o mercado empreendedor em Brasília.   
BSB, 2/9/11- O vice-presidente do Secovi-DF, Ovídio Maia, comemora o fato de, historicamente, o Distrito Federal vir seguindo uma valorização nos últimos 10 anos de 18% a 22% ao ano, salvo picos em áreas que houve mudança de vocação, como por exemplo, áreas industriais, como a cidade satélite do Gama (130.000 habitantes), distante 33 km do centro de Brasília, que teve um pico de até 300 % a partir de 2007, época do início do “boom” imobiliário no Brasil. Par Maia, felizmente, o mercado de imóveis usados ou de terceiros no Distrito Federal é maduro e consistente, sem sobressaltos. “Temos uma economia lastreada no funcionalismo público, cerca de 60% do dinheiro que circula no estado, e isso faz toda a diferença”, ressalva. Ainda segundo o dirigente, “o programa Minha Casa, Minha Vida (MCMV) vem aos poucos sendo aplicado no Distrito Federal, podemos citar, por exemplo, o Bairro Mangueiral que está sendo viabilizado através de uma Parceria Público-Privada (PPP). Infelizmente, ainda contamos com o acúmulo e a lentidão na aprovação de alguns projetos que acabam atrasam os diversos lançamentos na cidade, alguns atrasos chegam à até 12 meses”. Para o vice-presidente do Secovi-DF, apesar de o estado não estar totalmente preparado para todo este crescimento, que é natural, o mercado imobiliário só tem a comemorar: “o Distrito Federal, realmente, está voando em céu de brigadeiro”.   
BSB, 18/9/11- O sonho de morar, trabalhar e fazer compras em um só local se tornará realidade. São apartamentos, salas comerciais e ainda um shopping com muitas lojas. O projeto imobiliário DF Century Plaza, realizado pelas Incorporadoras Brookfield e Mirante, com vendas pela MGarzon, traz como proposta principal aliar as necessidades dos clientes em uma única unidade. Motivos que fizeram da Mirante Incorporações ganhadora do Prêmio Master Imobiliário 2011 na categoria “Profissional- Comercialização”, pelo inovador empreendimento. A cerimônia de entrega da premiação vai ser dia 21 de setembro, em São Paulo. Um dos diretores da Mirante, Glauco Santana, conta que o prêmio é resultado de um trabalho em equipe e que demandou esforços de todos os envolvidos para a criação do projeto.   
BSB, 2/9/11- O Boletim de Conjuntura Imobiliária lançadO pelo Sindicato da Habitação do Distrito Federal, referente ao mês de julho, aponta uma tendência de estabilidade no mercado da capital. Os imóveis de 2 e 3 dormitórios em Águas Claras seguem em alta, sem grandes destaques. O valor por metro quadrado de quitinetes se manteve constante em relação ao mês de junho fixado em 5 mil reais. No Guará, os preços por metro quadrado seguem sem variações. Os apartamentos e quitinetes na cidade mantiveram praticamente o mesmo valor de venda por metro quadrado. Esse panorama começou a ser traçado em abril, conforme comprovam as séries históricas apresentadas no boletim. Em Brasília, os preços se dividem entre apartamentos e quitinetes, que apresentaram pouca variação, e casas de 3 e 4 dormitórios, que demonstraram uma pequena valorização nos preços de comercialização por metro quadrado variando em torno dos 3.900 reais. A estabilidade é comprovada também no mercado de locação, em Águas Claras os preços de aluguel por metro quadrado seguiram as variações do mês de junho. Para apartamentos de 2 e 3 dormitórios, os valores mantiveram-se constantes. Já para quitinetes, o valor subiu uma unidade por metro quadrado, exatamente como no mês anterior, fechando julho com um aluguel mediano de 750 reais. Já no Guará o setor de locação se mantém dinâmico, o único preço por metro quadrado que não variou foi o de apartamentos de 2 dormitórios. As quitinetes apresentaram queda nos valores de locação por metro quadrado, enquanto que as casas de 3 dormitórios tiveram o maior aumento de preços na cidade. Os valores de locação em Brasília mantiveram-se praticamente constantes, com destaque para a pequena queda de preços de locação para quitinetes e apartamentos de 2 dormitórios, 950 e 2 mil reais, respectivamente. Com relação aos preços medianos por metro quadrado de lojas à venda no DF: Águas Claras, cidade com os maiores números, apresentou pequena valorização. No Gua   
BSB, 18/8//11- No próximo sábado, dia 20 de agosto, a Via Engenharia realiza evento para lançar seu mais novo empreendimento em Águas Claras: o Via Azaleas. Composto por três torres residenciais em condomínio fechado e um mall exclusivo, o empreendimento é uma realização da principal incorporadora do Centro-Oeste em parceria com a Associação de Poupança e Empréstimo da Fundação Habitacional do Exército (Poupex). A empresa receberá os interessados em conhecer o empreendimento com um churrasco, a partir das 10 horas, em sua recém-inaugurada central de vendas na cidade (ver endereço no serviço). Os participantes também terão a oportunidade de visitar a réplica de um dos apartamentos do residencial, com 117 m2, decorado por May Moura. A localização do empreendimento é considerada a mais privilegiada de Águas Claras, exatamente no centro da cidade – no ponto mais próximo à Estação Central do Metrô e servido por duas das principais avenidas: a Araucárias e a Pau Brasil. O Via Azaleas está situado próximo aos principais pontos da cidade, como o Parque Águas Claras, o Shopping Águas Claras, além de supermercados, escolas e faculdades, e ainda dispõe de seu próprio mall, composto por 35 lojas, harmonicamente integradas ao projeto residencial, proporcionando aos moradores total privacidade, uma vez que as entradas comerciais e residenciais são totalmente independentes, por rua exclusiva. Essa independência também pode ser conferida na grande oferta de vagas cobertas para os clientes da área comercial, que dispõem de acesso privilegiado. O empreendimento dispõe de apartamentos com dois quartos, de 75 a 94m2, e de três quartos, com até 118 m2, todos com varanda gourmet integrada à sala e cozinha, melhor ventilação e iluminação natural e espaços exclusivos para condensadora de ar condicionado. Nas opções maiores, todos os quartos são servidos por suíte, com destaque para o espaço para closet na suíte master. Além disso, nos andares mais altos, o Via Azaleas oferece opções de   
BSB, 15/8/11- Na segunda-feira (8), uma das maiores empresas da construção civil de Brasília, a MGarzon Eugenio Inteligência Imobiliária, teve 60% de seu capital vendidos à carioca Brasil Brokers, maior grupo de vendas imobiliárias da América Latina. A transação envolveu o pagamento de um sinal de aproximadamente R$ 12,5 milhões e a divisão do valor restante em três parcelas anuais variáveis. O caráter de variação das parcelas baseia-se em uma estrutura de earn-out, modalidade correspondente ao pagamento de parte do preço de aquisição de uma empresa, sendo também vinculada à compensação aos sócios vendedores pelos lucros futuros. Para concretizar o investimento, que deve movimentar cerca de R$ 35,7 milhões, o departamento de inteligência competitiva da Brasil Brokers baseou-se em indicadores que mostram movimentações no mercado imobiliário do DF de R$ 5,7 bilhões entre janeiro e julho de 2011. Durante todo o ano de 2010, o mesmo mercado teve a marca de R$ 11,7 bilhões em transações envolvendo imóveis novos e usados. Fabrício Garzon, diretor da MGarzon Eugenio Inteligência Imobiliária, comemora o momento vivido pela empresa que fundou em 1998. “Sempre buscamos os melhores parceiros e as oportunidades mais concretas. Em 2007, a MGarzon associou-se à Eugenio e a parceria continua forte e líder na região Centro-Oeste. Com a Brasil Brokers, tenho certeza de que caminhamos para a liderança no DF. Em 2010 faturamos o prêmio Master Imobiliário e estamos confiantes e trabalhando para repetir o feito este ano”, prevê. Julio Piña, vice-presidente da Brasil Brokers, acredita que a escolha foi acertada. “O mercado do DF é o segundo do país. Brasília é estratégica no cenário imobiliário nacional, o que nos faz ter um olhar especial sobre a cidade. A aquisição amplia a nossa presença na região”, afirma.   
BSB, 8/8/11- A região administrativa de Águas Claras, detentora do maior canteiro de obras da América Latina, atrai cada vez mais investidores. Atualmente, cerca de 1,6 mil empresas ocupam a cidade. Há cinco anos, esse número era 80% menor, segundo a Associação Comercial Empresarial e Industrial de Águas Claras (Aciac). Até o fim de 2013, a entidade acredita que o comércio crescerá mais 25%. Porém, mesmo com o incremento constante das opções de consumo, muitos moradores ainda concentram as compras em outras cidades, principalmente Taguatinga. Por isso, a Aciac, a Administração Regional e o Serviço Brasileiro de Apoio à Micro e Pequena Empresa do DF (Sebrae-DF) lançaram ontem a campanha “Amo Águas Claras. Vivo aqui, compro aqui!” Com essa ideia, a intenção é incentivar os 135 mil moradores a gastarem na cidade e, assim, extinguir a ideia de que Águas Claras é um local para o qual as pessoas vão apenas na hora de dormir. “Queremos mostrar aos moradores que a região tem vida própria e pode atender toda a população. A proposta da campanha é dar apoio aos empreendedores e conscientizar a população a gastar dentro da região”, afirma o presidente da Aciac, Valdeci Machado Elias. Segundo Machado, empresas de diversos ramos estão instaladas na região central de Águas Claras e nos bairros Arniqueiras e Areal. Comércios na Área de Desenvolvimento Econômico (ADE) e em uma parte do Pistão Sul, em Taguatinga, também pertencem à região administrativa e entram na contagem. A associação comercial não tem dados que informem o valor movimentado mensalmente e a quantidade exata de estabelecimentos com finalidade comercial. “Vamos fazer um censo empresarial para quantificar os comércios e o volume de dinheiro movimentado, além de orientar os empresários, que poderão contar com pontos de apoio do Sebrae-DF instalados na cidade”, conta o presidente.   
BSB, 8/8/11- Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílios (Pdad), que começou a ser realizada pela Companhia de Planejamento do DF (Codeplan), aponta que a renda familiar média em Águas Claras é de R$ 6.823 mensais. O acumulado neste ano pela população pode chegar a R$ 4 bilhões. Até o fim de 2011, o montante pode fazer com que a região ocupe o 5º lugar no ranking das regiões com maiores rendas por domicílio no DF. Deve perder apenas para as asas Sul e Norte, os lagos Sul e Norte e o Sudoeste. Para o diretor de Gestão de Informações da Codeplan, Júlio Miragaya, grande parte da renda dos moradores é voltada para o consumo. “Contingente populacional elevado e renda elevada significam alto potencial para movimentar o comércio local”, explica Miragaya. Mas o economista alerta: uma ascensão em Águas Claras pode enfraquecer o mercado de outras regiões. “Boa parte do consumo é feito em Taguatinga e no Plano Piloto. Caso percam força, essas regiões podem oferecer preços menores ou até mesmo se instalarem em Águas Claras”, acredita o economista. A empresária Melisa Rodrigues Valadão de Oliveira, 35 anos, arriscou tudo o que tinha para montar um negócio no Águas Claras Shopping. Especializada em depilação, a Depyl Action foi inaugurada em fevereiro de 2010. Atualmente, atende cerca de 2,5 mil pessoas por mês e emprega 15 funcionários. Para a empresária, Águas Claras deixou de ser cidade-dormitório há muito tempo. “Hoje, as pessoas têm tudo o que precisam aqui. Todas as minhas conquistas devo a essa cidade. Acho que não teria o mesmo sucesso em outro lugar”, ressalta Melisa Rodrigues. A ideia de abrir uma empresa surgiu com a vontade de ficar perto dos dois filhos. Para ela, o comércio em Águas Claras está crescendo cada dia mais. “Essa minha primeira loja está me ajudando a crescer. No mês que vem, vou inaugurar uma franquia na Asa Norte”, comemora a empresária.   
BSB, 20/711- O relatório de impacto no trânsito (RIT) tem sido motivo de reflexão e ansiedade por parte das construtoras e incorporadoras. Saiba agora quais são as dificuldades que essas empresas têm enfrentado e quais as regiões com empreendimentos à espera de liberação, seja por causa do RIT, do estudo de impacto de vizinhança (EIV) ou pela falta de pessoal capacitado nas administrações. Adalberto Valadão, presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-DF), diz que um fator pontual e técnico é o RIT (criado para avaliar as consequências das construções no trânsito, como o aumento de veículos no DF). “Outro ponto que impede o deslanche das construções é a falta de pessoal nas administrações. Isso prejudica e torna o processo moroso. O que demora é a análise do projeto dentro da administração e sua respectiva aprovação”, diz. Na semana passada, o presidente do Sinduscon, Júlio César Peres, afirmou que defende a exigência do RIT, mas acha necessário priorizar as cidades onde as empresas de incorporação atuam com mais intensidade, como Águas Claras, Gama, Noroeste e Samambaia. O crescimento imobiliário e econômico em todo o Brasil, impulsionado principalmente pelo setor da construção civil, grande gerador de empregos, tem despertado muitas preocupações sobre o desenvolvimento ordenado das cidades e do trânsito, especialmente no Distrito Federal. Diante dos acontecimentos, as empresas privadas do setor manifestam-se favoráveis ao cumprimento da lei, mas pedem agilidade nas decisões. “O fato é que nossa cidade parou. O setor da construção, que depende da aprovação de projetos, parou. E a ausência de obras começa a afetar o cenário do emprego no DF”, alerta Valadão.   
BSB, 19/711 - Preocupada em oferecer aos seus clientes as melhores oportunidades de imóveis em Brasília, a Emplavi anuncia a sua participação na Super Quadra Sudoeste (SQSW 500). Localizada a 240 metros do Eixo Monumental, entre o Instituto Nacional de Metereologia (INMET) e a área do futuro Parque Sucupiras, a última quadra do setor traz um novo conceito em moradia para o Distrito Federal. De acordo com o gerente comercial da empresa, Wilson Charles, a nova quadra irá revolucionar o mercado local. “Os empreendimentos da Emplavi na Super Quadra serão uma excelente oportunidade para quem deseja morar ou investir no Sudoeste. O padrão dos empreendimentos está acima de qualquer lançamento que já existiu”, ressalta. Por norma obrigatória dos gabaritos de construção, todos os empreendimentos a serem construídos no local terão, no mínimo, quatro quartos. Como os demais projetos da empresa, a Emplavi deve desenvolver na região empreendimentos com acabamento diferenciado e completa estrutura de lazer e bem-estar para os futuros moradores. A SQSW 500 foi projetada de acordo com o Memorial Descritivo MDE URB 091/09, aprovado pelos órgãos governamentais de Controle Urbanístico, Ambiental e de Tombamento do Governo do Distrito Federal (GDF). Depois das análises técnicas, o projeto teve sua constituição autorizada pelo decreto nº 32.144, de 30 de agosto de 2010, e sua Licença de Instalação publicada em 31 de dezembro de 2010, no Diário Oficial do DF. O projeto de distribuição dos edifícios e de sua acomodação à topografia sujeitou-se rigorosamente às diretrizes e princípios de acessibilidade universal. Estão previstas 22 projeções de edifícios com seis pavimentos.   
BSB, 14/7/11- O GDF reabriu as inscrições para os programas habitacionais gerenciados pela Companhia de Desenvolvimento Habitacional (Codhab). O cadastro havia sido suspenso no início do ano por suspeitas de irregularidades. Os interessados em receber uma casa própria terão até 12 de agosto para se cadastrar ou atualizar os dados. O novo processo será feito apenas pela internet e terá validade de um ano. As famílias que aguardam receber um lote pelo programa de moradia do GDF devem ficar atentas às mudanças, como por exemplo, o fato de o Novo Cadastro da Habitação priorizar os moradores mais antigos. Pelas novas regras, para ter direito a um lote, alguns critérios devem ser obedecidos; como ser morador do DF há pelo menos cinco anos, ter renda familiar de até 12 salários mínimos, nunca ter sido dono de imóvel no DF e ter no mínimo 18 anos.   
BSB, 28/6/11- Com exceção do Condomínio Vivendas Lago Azul, no Grande Colorado, as áreas habitadas no Distrito Federal pertencentes à União estão com seus processos de regularização estacionados. Moradores de regiões de Sobradinho, Itapoã, Riacho Fundo II, Lago Oeste e Vicente Pires afirmam que buscam a regularização há vários anos, mas encontram dificuldades devido à morosidade na transferência da área. No processo, a União representa o proprietário das terras, responsável pelo início da regularização, e acabe a ela, também, o levantamento da situação fundiária. Os projetos urbanísticos e ambientais são de responsabilidade da instituição que representa os moradores.   
BSB, 14/6/11- Com a participação de conferencistas internacionais e palestrantes brasileiros, a terceira edição do Enbraci (Encontro Brasileiro de Corretores de Imóveis) aconteceu de 8 a 10 de junho, em Brasília. Organizado pelo Sistema Cofeci-Creci (Conselho Federal e Conselhos Regionais de Corretores de Imóveis), o evento terá como tema central "Cenários, oportunidades e perspectivas do Mercado Imobiliário Brasileiro". De acordo com o idealizador do evento, João Teodoro da Silva, presidente do Sistema Cofeci-Creci, o objetivo principal do 3º Enbraci é proporcionar a todos os profissionais do setor imobiliário a oportunidade de obter informações qualificadas sobre as tendências e perspectiva do setor. "Esta é a terceira edição do Enbraci. Queremos promover esse evento anualmente e transformá-lo no grande foro de discussões e capacitação do corretor de imóveis. Estaremos debatendo temas atuais e de muita relevância para os negócios imobiliários. Escolhemos a capital do país para realizar o encontro para mostrar aos poderes constituídos a força da nossa categoria", explica Teodoro. Em paralelo ao Enbraci, o Cofeci realizou também a primeira edição do Leadership, encontro que pretende motivar o espírito de liderança entre os profissionais e empresários do setor e fomentar parcerias. Com esse novo formato, os participantes poderão fazer mais contatos, gerar negócios e apresentar seus diferenciais ao mercado. O 3º Enbraci aconteceu no centro de convenções do hotel Royal Tuilp Brasília Alvorada, na Capital do país.   
BSB, 2/6/11- Quatro personalidades que se destacaram em atividades de apoio à indústria da construção foram homenageadas, no último dia 31/5, pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil do Distrito Federal (Sinduscon-DF). Receberam a Medalha do Mérito da Construção, Luiz Pitiman, secretário de Infraestrutura e Obras do Distrito Federal; Fernando Queiroz, diretor-presidente da Via Engenharia; Juvenal Amaral, ex-presidente da entidade e diretor-superintendente da Polígono Engenharia; e Pelerson Penido, diretor-presidente do Grupo Serveng-Civilsan. O governador do DF, Agnelo Queiroz, recebeu o título de Grão Mérito. Logo após a homenagem na sede do sindicato, houve a posse administrativa da nova diretoria da entidade, gestão 2011/ 2013. Elson Ribeiro e Póvoa, que ficou à frente da entida de por quatro anos, transmitiu o cargo para Júlio Cesar Peres, que assume a presidência do Sinduscon-DF pelos próximos dois anos. O Mérito da Construção Civil, instituído pelo Sinduscon-DF, é concedido a personalidades que se destacam em atividades de apoio à indústria da construção ou, ainda, que exerçam – ou tenha exercido – papel relevante no desenvolvimento econômico e social do DF. Já o Grão Mérito da Construção Civil foi instituído, pelo Sinduscon-DF, em novembro de 2005. A homenagem é concedida à personalidade que tenha prestado notórios serviços ao setor, contribuído de maneira significativa para a inserção da construção no cenário nacional e internacional, ou ainda evidenciado marcante atuação no setor social.   
BSB, 30/5/11- Brasília tem atraído cada vez mais investimentos em imóveis comerciais e corporativos. Na mesma medida, a procura de empresas e profissionais liberais por esse tipo de empreendimento está crescendo. Apesar de jovem, a capital do país carrega grandes responsabilidades por sediar estatais e corporações de importância nacional. Tal fator, somado à forte atuação política e econômica no Planalto, enche os olhos de uma demanda crescente por representatividade em Brasília. A procura também é reflexo do bom momento vivido pelo país, na visão de Carlos Hiram Bentes, presidente do Sindicato da Habitação do Distrito Federal (Secovi-DF). “O Brasil é a bola da vez. Estamos com muito crédito e investimentos internos e externos, por exemplo. As expectativas para a economia são boas e o segmento de imóveis comerciais vem junto. Haverá investimento e crescimento nesse mercado”, prevê. As localidades mais procuradas são as próximas ao centro de Brasília, com destaque para o Setor de Indústrias Gráficas (SIG) pelo fácil acesso ao Eixo Monumental e outras vias importantes da cidade, além de valiosas áreas para construção. “O SIG está bombando, pois hoje é um setor essencialmente comercial, com grandes empresas instaladas”, afirma Paulo Baeta, diretor da Paulo Baeta Empreendimentos Imobiliários. A valorização contínua desses empreendimentos é outro potencial dos imóveis comerciais e corporativos. “Estudos mostram valorização de 500% ao ano nos últimos dez anos, uma média de 55% ao ano. Há dois anos os preços do metro quadrado no SIG giravam em torno de R$ 5 mil. Hoje é algo em torno de R$ 11 mil”, calcula Leonel Alves, diretor comercial da Lopes Royal. A rentabilidade em locações, por sua vez, segue o caminho da valorização de forma mais lenta, porém eficaz. “Para aluguel, o preço do metro quadrado está na faixa de R$ 80 mil a R$ 110 mil. E a taxa de vacância de salas comerciais é de menos de 3%”, diz Leonel. A tendência, segundo Carlos Hiram, aponta para a rea   
BSB, 23/5/11- O 7º Feirão da Casa Própria em Brasília voltou a apresentar quebra de recordes. Quase 42 mil pessoas passaram pelo Centro de Convenções Ulysses Guimarães, onde foram ofertados 15 mil imóveis, entre novos, usados e na planta, em sua grande maioria direcionados para o segmento econômico, através do programa Minha Casa, Minha Vida. No total foram negociados mais de R$ 827 milhões, entre contratos assinados e encaminhados, quantia que corresponde a 3.696 contratos nos três dias de evento. O Superintende Regional da Caixa no DF, Elicio Lima, disse que o Feirão ofereceu imóveis avaliados entre R$ 60 mil a R$ 6 milhões. Mas a maioria dos imóveis estava abaixo de R$ 170 mil, com ênfase no programa habitacional do governo.   
BSB, 27/4/11- Ao comemorar 51 anos, a capital federal vai além das duas asas de avião que compõem o projeto inicial do urbanista Lúcio Costa. Se, no papel, a cidade tem como foco o Plano Piloto, na prática, regiões administrativas como Taguatinga, Ceilândia e o Núcleo Bandeirante registram economia forte, população numerosa e contribuem para o retrato de Brasília. Para o diretor de Gestão de Informações da Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan), Júlio Miragaya, o planejamento da capital deveria passar a ser feito com base em uma espécie de região metropolitana – como ocorre em São Paulo e Belo Horizonte. Além das demais regiões administrativas do Distrito Federal, ele acredita que até mesmo o Entorno, formado por cidades goianas, seja incluído no planejamento da capital. Dados da Codeplan indicam que Brasília, enquanto Plano Piloto, registra 300 mil habitantes. Já o Distrito Federal totaliza 2,6 milhões de moradores. Acrescentada a população de cidades como Santo Antônio do Descoberto (GO) e Luziânia (GO), integradas de forma direta à capital, o total de habitantes passaria para Segundo ele, todas as regiões administrativas juntas oferecem menos de um terço dos postos de trabalho disponíveis em todo o Distrito Federal. No Riacho Fundo, por exemplo, apenas 26% dos habitantes trabalham onde moram. Para o professor de geografia da Universidade de Brasília Aldo Paviani, Brasília não seria o que é hoje sem o desenvolvimento das regiões administrativas. “Elas são um complemento importante para todo o mister de capital da República e de metrópole do Centro-Oeste.” No entanto, ele destaca que apesar de algumas cidades, como Taguatinga e o Núcleo Bandeirante, terem uma economia mais desenvolvida e independente, há outras que só se mantém por causa do Plano Piloto. "Essas cidades retêm pouca população ativa em suas próprias atividades e daí a dependência enorme em relação ao Plano Piloto, que detém entre 60% e 70% das oportunidades de trabalho d   
BSB, 19/4/11- A constante valorização dos imóveis em Brasília está forçando a migração de parte das famílias de classe média que pretendem ter casa própria do Plano Piloto para outras regiões do Distrito Federal, como Cruzeiro, Águas Claras e Guará. Está cada vez mais difícil encontrar imóveis de pelo menos dois quartos nas asas Sul e Norte ou no Sudoeste com preço de até R$ 500 mil. Esse é o teto que permite utilizar o saldo do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) como entrada ou mesmo financiar a compra com taxas de juros mais atrativas pelo Sistema Financeiro da Habitação (SFH), em torno de 9,5% a 10,5% ao ano mais a TR (Taxa Referencial de Juros). Para imóveis acima de R$ 500 mil, as taxas são a partir de 11% ao ano, mais TR. Em Goiânia, com os mesmos R$ 500 mil é possível comprar apartamento de quatro quartos de alto padrão em bairro nobre ou de três quartos em Belo Horizonte e em outras capitais das regiões Sudeste e Sul. O valor do metro quadrado dos apartamentos das Asas Sul e Norte e do Sudoeste concorrem com os das áreas mais valorizadas do Brasil, que estão no Rio de Janeiro — Leblon, Ipanema e Lagoa. “Apartamentos de dois quartos, com elevador e garagem, por menos de R$ 500 mil estão raríssimos no Plano Piloto”, afirma Marcelo Ferola, diretor da Ferola Empreendimentos Imobiliários. No Sudoeste, estão extintos. Segundo ele, as pessoas estão tendo que buscar imóvel até essa faixa de preço nas quadras 400 das asas Norte e Sul, no Cruzeiro, em Águas Claras e no Guará. “O teto de R$ 500 mil está restringindo parcela significativa da comercialização de imóveis. Quem compra imóvel acima de R$ 500 mil acaba penalizado também com taxa de juros mais alta”, avalia o presidente do Sindicato da Habitação do Distrito Federal (Secovi/DF), Carlos Hiram Bentes David, que defende regras específicas para Brasília. O resultado é o aumento da demanda por imóvel nas regiões mais próximas ao Plano Piloto, afirma. Segundo ele, os alvos preferenciais têm sid   
BSB, 15/4/11- O curso de engenharia civil está entre os de maior dinamismo e conhecimentos práticos na área de exatas. Os futuros engenheiros adquirem conhecimentos de física, química, informática, mecânica, hidráulica, geotecnia, materiais de construção civil, topografia, entre outras matérias. Pelas características das disciplinas e perfil dos alunos, as faculdades tentam promover parcerias com construtoras para promover visitas técnicas em seus canteiros. A Via Engenharia, em parceria com a Universidade Católica de Brasília, proporcionou a primeira visita técnica de 135 alunos de engenharia civil da instituição. Os estudantes, em início de curso, visitaram as obras do Via Positano e Via Cote D’Azur, no Setor Noroeste, um dos maiores canteiros de obras do DF. A construtora é uma das muitas que integram esse grupo de empreendimentos. Ou seja, o lugar ideal para se “respirar a profissão”. A professora do curso, Mariana Mendes, disse que os alunos fazem parte da disciplina de introdução à engenharia. “A visita técnica é importante para o contato dos alunos com o ambiente que enfrentarão em um mercado de trabalho. Quando os jovens ingressam no curso de engenharia civil, querem sentir o cheiro das obras. A Via proporciona esse ambiente de forma segura e profissional, acompanhada de engenheiros capacitados com instruções esclarecedoras”, afirmou. Os universitários estudaram o processo de fundação do edifício Via Positano. No Via Cote D’Azur, foram trabalhados os processos de alvenaria e construção da estrutura. A visita se concentrou nos detalhes técnicos das obras e ressaltou também a importância da segurança na construção civil. José de Arimateia, engenheiro da Via, acompanhou o encontro e falou da importância da profissionalização aos presentes.   
BSB, 1/4/11- A JCGontijo Engenharia premiou, oito funcionários que apresentaram as melhores ideias sustentáveis para a Campanha Atitude Verde. Durante o evento, os colaboradores da empresa ganharam desde viagem com direito a acompanhante para a Costa do Sauípe (BA) a televisores de LCD. O objetivo é desenvolver no local de trabalho uma cultura voltada para as preocupações ambientais. O projeto começou em novembro de 2010 e contemplou ideias voltadas para o uso racional de água, da energia, de insumos e matérias-primas. A maior preocupação da construtora é reduzir a geração de resíduos, o desperdício de materiais e minimizar o impacto sobre o meio ambiente. Preocupada com as próximas gerações, a JCGontijo acredita que a campanha será um incentivo para que todos os colaboradores tenham um compromisso maior com a natureza. Boa parte da degradação ambiental vem da construção civil. Sensíveis à necessidade de reverter esse quadro de agressões à natureza, algumas construtoras têm aderido a projetos sustentáveis em seus canteiros de obras. A JCGontijo, por exemplo, foi além da construção sustentável e colocou o tema na agenda de todos os seus funcionários. “Essa iniciativa deu chance para todos os colaboradores divulgarem as ideias sustentáveis. Diretores e operarários de campo trouxeram para a empresa 78 projetos voltados para a sustentabilidade”, informa Rodrigo Nogueira, sócio-diretor da empresa. No primeiro ano de campanha, os colaboradores apresentaram à empresa 78 ideias diversas. Dessas, apenas oito foram escolhidas. Entretanto, a JCGontijo pretende manter a Atitude Verde nos próximos anos. “Queremos valorizar as ideias dos colaboradores e motivar toda a empresa a dar continuidade na campanha”, ressalta Rodrigo Nogueira.   
BSB, 25/2/11- Há 23 anos representando as empresas de Compra e Venda, Administração e Intermediação de Imóveis do Distrito Federal - o SECOVI/DF - inaugurou esta semana sua nova sede no Setor de Diversões Sul, Bloco "A", Nº 44 - Centro Comercial Boulevard salas 422 e 424. O SECOVI/DF foi constituído para fins de estudo, coordenação e proteção legal da categoria econômica e do comércio imobiliário. Começou pequeno com a ajuda daqueles que lutam em prol da categoria, sem se preocupar com nenhum tipo de remuneração, e com o passar dos anos com o crescimento do mercado imobiliário na capital se tornou referência nacional. O presidente do Sindicato, Carlos Hiram Bentes David, credita a todos que doaram seu tempo à evolução do SECOVI. “A união e o empenho nos elevaram a esse patamar. Nossa classe está cada vez mais respeitada e a nova sede é apenas uma pequena conquista de muitas que virão para a categoria”, afirmou Hiram. Além da diretoria do Sindicato estiveram presentes na inauguração, o presidente da Federação do Comércio de Bens e Serviços e Turismo do Distrito Federal (FECOMÉRCIO/DF), Adelmir Santana e o presidente do Conselho Regional dos Corretores de Imóveis da 8ª. Região (CRECI/DF), Hermes Alcântara. A nova sede fica no mesmo prédio do CRECI e do Sindicato dos Gestores e Técnicos Corretores de Imóveis - SINDIGECI. A idéia é centralizar toda a categoria do mercado imobiliário em um único lugar. Segundo o presidente do CRECI/DF, Hermes Alcântara, essa aproximação tende a oxigenar ainda mais as instituições em prol do desenvolvimento do mercado. Para o presidente da FECOMÉRCIO/DF, Adelmir Santana, é de fundamental importância que as associações de classe se unam para que o setor se torne cada vez mais fortalecido. “O mercado de Brasília já se encontra em franca expansão e com o fortalecimento das instituições só tende a crescer”, concluiu.   
21//3/11- Um dos pontos mais polêmicos do Plano Diretor de Ordenamento Territorial (PDOT), o Catetinho, foi discutido com a população do Distrito Federal, no sábado, 19 de março, das 9h às 12h, no Auditório 1 do Museu Nacional da República. “O atual governo está consciente das suas responsabilidades. É com o espírito de consertar o que está errado que estamos debatendo o assunto. A primeira decisão que adotamos foi abrir um diálogo amplo, sem preconceitos e sem dogmas. A posição final será adotada somente após aprofundado debate, quando todas as partes poderão opinar”, declarou o secretário de Habitação Geraldo Magela. O Setor Habitacional Catetinho está presente nos planos de ordenamento territorial do DF desde 1976, quando foi lançado o PEOT – Plano Estrutural de Ordenamento do Território do DF, depois reafirmada nos planos subseqüentes, que sempre apontaram aquela região como preferencial para a expansão urbana. A área possui potencialidades para o desenvolvimento de atividades urbanas (habitação, comércio e serviços), considerando as limitações físico-ambientais. O Plano Diretor está em processo de atualização em função da Ação Direta de Inconstitucionalidade em alguns artigos da lei. Dos 1668 dispositivos do PDOT, a inconstitucionalidade recaiu sobre 60 itens, a maioria por vício de iniciativa: emendas parlamentares que versavam sobre o uso e ocupação do solo. O objetivo da atualização do PDOT é preencher os vazios da lei decorrentes da Ação Direta de Inconstitucionalidade em alguns artigos da lei. Para enviar sua contribuição, basta acessar o site da secretaria, até o dia 4 de abril, no link Atualização PDOT. Nele, além do formulário para registros de sugestões, podem ser conferidas a Lei Complementar nº803/2009 com ADIN e explicações técnicas.   
BSB, 10/311- A Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap) realizou, no último dia 27/2, a primeira licitação de lotes deste ano. Foram oferecidos 23 terrenos residenciais e comerciais, localizados em 12 cidades do Distrito Federal, com destaque para 22 lotes no Jardim Botânico 3, 50 em Samambaia, 17 na Ceilândia e 4 no Guará. O Jardim Botânico 3, localizado nas proximidades do Lago Sul, foi lançado em outubro de 2008 com 695 terrenos residenciais e comerciais. Até dezembro de 2010 foram vendidos quase 500 lotes residenciais. A procura pelos terrenos do novo bairro tem sido grande. No ano passado, em 12 licitações foram apresentadas cerca de 1.300 propostas para os lotes do Jardim Botânico 3. A tendência é o crescimento da procura em função das obras de infraestrutura do bairro. Em Samambaia, os preços dos 50 lotes ofertados variam de R$ 53,3 mil (terreno com 50 metros quadrados na QN 521) a R$ 778,8 mil (lote comercial de 1.690 metros quadrados na Área de Desenvolvimento Econômico). Já na Ceilândia, os preços dos terrenos oscilam de R$ 35,9 mil (25 metros quadrados, na CNR QD 01) a R$ 240 mil (1.050 metros quadrados, no Setor Industrial). Os lotes do Guará também são um atrativo para a primeira licitação do ano. O edital de janeiro trás ofertas no Guará - Setor Complementar de Indústria e Abastecimento (SCIA) -, com potencial para abrigar indústrias de confecção de roupas, vime, colchoaria, móveis, veículos, transporte, turismo, entre outras opções. Nesta região, um lote com mais de 5.000 metros quadrados é ofertado por R$ 5,1 milhões, e outro lote com 200 metros quadrados é ofertado por R$ 325,6 mil. Foram colocados à venda também dois lotes no Pólo de Modas.   
BSB, 2/3/11- O Portal WImóveis lançou o Guia WImóveis, novo produto do site que oferece às empresas, clientes e interessados em reformas e construções um guia de produtos e serviços para manutenções, reparos e construções de imóveis. O Guia hospedado no WImoveis.com possui uma gama de itens, desde produtos em ofertas dos home centers aos profissionais, como pintores autônomos, arquitetos, decoradores, lojas de móveis, além de construtoras e imobiliárias. A ferramenta pode ser consultada gratuitamente através do site. Para localizar os produtos e serviços, basta utilizar o buscador de palavras-chaves ou consultar por meio da lista alfabética. Marcelo Ramos, diretor comercial do Portal WImóveis, afirma que o produto é uma maneira de manter e fidelizar ainda mais os clientes do site. “Para quem procura um imóvel, o portal hoje é referência na hora da compra ou do aluguel. Quem adquire uma residência já não visita o site com tanta frequência. Então, para dar continuidade aos serviços prestados pelo portal, resolvemos criar o guia que oferece serviços e produtos para os compradores ou locatários”, diz o diretor. O presidente do portal, Augusto Abdala, ressalta que uma grande pesquisa foi feita para o trabalho de montagem do guia. A nova ferramenta já estava como teste na web há dois anos, antes do seu lançamento oficial. “Resolvemos fazer uma pesquisa dos melhores profissionais para a criação desse produto. Procuramos atender às necessidades dos nossos clientes. Por exemplo, quando um aluga um imóvel, no mínimo irá precisar pintar a casa, ou na hora em que entra ou na hora em que sai, e vai necessitar de um profissional. Damos um suporte para os nossos clientes, oferecendo desde o pintor autônomo até mesmo ofertas de produtos nos home centers”, enfatiza Abdala. No guia on-line o visitante pode encontrar diversas informações sobre as empresas e serviços. Durante a busca é possível ao internauta localizar o endereço, telefone e e-mail das empresas e profissionai   
BSB, 24/2/11- De 23 a 24 de fevereiro, Brasília sediará o 3º Encontro de Integração Nacional Lopes. O evento terá apresentações dos principais cases de sucesso do Grupo LPS Brasil e será uma oportunidade para o compartilhamento de metas e perspectivas da empresa para 2011. A escolha de Brasília como sede para o encontro do maior grupo imobiliário do Brasil tem motivo: em 2009 o mercado imobiliário do DF ultrapassou o do Rio de Janeiro e, em 2010, se consolidou como o segundo do país em vendas. Além disso, a Lopes Royal, braço brasiliense da LPS, tem se destacado nacionalmente em volume de vendas. Em 2010 a Lopes Royal contabilizou 23 empreendimentos lançados e mais de 6.200 unidades comercializadas em todo o DF.   
BSB, 18/2/11- O novo programa habitacional do governo vai oferecer financiamentos para a compra da casa própria a famílias com renda de até 12 salários-mínimos ao mês (R$ 6.540 com o novo valor, de R$ 545, em vigor a partir de 1º de março). Segundo o governador Agnelo Queiroz, o foco do programa será a população mais carente, com ganhos mensais de zero a três mínimos. No entanto, com a ampliação da margem de cobertura dos financiamentos, o governo buscará atender também a classe média, que cresce não apenas no DF, mas em todo Brasil. Com o novo programa, o GDF espera zerar o déficit habitacional nos próximos quatro anos. Em números absolutos, a expectativa do Palácio do Buriti é promover a venda financiada de 100 mil unidades habitacionais neste período, entre casas e apartamentos. “Nós vamos oferecer moradias para quem ganha até 12 salários-mínimos, mas teremos um foco especial no segmento da população que ganha até três mínimos. Em todos os projetos que nós lançaremos haverá um foco muito especial nesta parcela da população. Dentro do programa Minha Casa Minha Vida, que prevê que todas as unidades habitacionais sejam financiadas, com subsídios, não será diferente. Certamente esse segmento terá prioridade”, afirmou o secretário de Desenvolvimento Urbano e Habitação, Geraldo Magela. O GDF pretende dividir o novo programa em quatro faixas de renda: 1) de zero a três mínimos; 2) de quatro a seis mínimos; 3) de sete a dez mínimos; 4) de 11 a 12 mínimos. Originalmente, o programa Minha Casa Minha Vida, do Governo Federal, não contempla famílias com rendimento superior a dez mínimos. Por isso, o GDF pretende usar recursos próprios para oferecer financiamentos para as famílias com melhores condições de vida.   
BSB, 14/2/11- A cidade de Luziânia-GO começa a mostrar sua importância no mercado imobiliário do Centro-Oeste. A demonstração mais recente aconteceu na sexta-feira (11), quando foi oficializada a parceria entre a Suporte Incorporações e o Banco do Brasil para a construção do Luziânia Shopping e do Residencial Itália, no valor de R$ 24 milhões. Para se ter uma idéia do que representa esse volume, a operação irá dobrar o montante de crédito já concedido a todas as empresas do município. Entre os presentes no evento, estavam o superintendente do Banco do Brasil, Luciano Nóbrega Queiroz, o gerente geral da agência de Luziânia, Ronaldo Vieira Vargas, e o empresário Vantuil Guimarães Júnior e sua esposa, Luíza Leite Guimarães, da Suporte Incorporações, entre outras autoridades e representantes do Banco do Brasil e da imprensa regional. Aguardada com ansiedade pela comunidade local, a inauguração do Luziânia Shopping está prevista para abril de 2012. O Residencial Itália será entregue em outubro de 2012. A torre Gênova tem suas unidades 100% vendidas e na Torre Veneza restam poucas unidades. O empreendimento, que conta com excelente localização, já toma forma, apresentando um projeto arquitetônico moderno e versátil, e respeitando os mais altos padrões de qualidade, o que representa um marco na história de Luziânia.   
BSB, 3/2/11- O Governo do Distrito Federal suspendeu no final da tarde desta quarta-feira (2) o evento de entrega de 1.200 escrituras que aconteceria no próximo sábado (5), em Samambaia. O GDF informou que uma nova lista dos contemplados e as datas serão divulgadas em breve. Por meio da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Sedhab) e da Companhia de Desenvolvimento Habitacional do DF (Codhab), o governo informou que o evento de entrega de escrituras foi suspenso por problemas técnicos. A lista dos contemplanos será alterada e liberada pelo governo junto com a nova agenda de entrega das escrituras de Samambaia. Ainda de acordo com o GDF, o novo cronograma para entrega aos proprietários dos imóveis da escritura em todas as Regiões Administrativas será divulgado pela Sedhab mas ainda não há previsão de quando serão realizadas. A regularização dos imóveis faz parte da política habitacional destinada à população de baixa renda. A Sedhab e a Codhab farão uma campanha, em parceria com as Administrações Regionais, para que todos os documentos sejam entregues. Os beneficiados receberão uma carta-convite para o evento de distribuição das escrituras. Outros 40 mil documentos escriturais de habitações também serão entregues de acordo com cronograma estabelecido. Desses, 20 mil já estão em fase de escrituração aos donatários, enquanto a outra metade depende de regularização ou de complementação de documentos junto aos respectivos cartórios.   
BSB, 24/1/11- Nesta terça-feira (25), faz um ano que a Lei do Inquilinato entrou em vigor. Com a criação das novas regras, alimentou-se a expectativa de um maior aquecimento no mercado de aluguéis de imóveis. Mas um levantamento feito pelo Conselho Federal de Corretores de Imóveis (Cofeci), em várias regiões metropolitanas do país, demonstra que a lei ficou aquém das expectativas em seu primeiro ano em vigor. As novas normas eram aguardadas com otimismo pelo mercado, pois havia a expectativa de aumento nas ofertas para locação e, consequentemente, a queda no valor dos aluguéis. “A lei não conseguiu atender a todas as expectativas do mercado imobiliário. Esperávamos ter uma enxurrada de imóveis que se encontravam fechados (um total de quatro milhões). A estimativa era de atender pelo menos três milhões. E isso não aconteceu. Entraram para locação, após a lei, apenas 500 mil novos imóveis”, lamenta João Teodoro da Silva, presidente do Sistema Cofeci-Creci. Teodoro acredita que o aumento no número de financiamentos imobiliários foi o principal motivo para que o número de locações não aumentasse. Conseqüência: não houve aumento na oferta para locações nem redução nos preços cobrados nos aluguéis. O despejo sumário, considerado uma das principais vantagens, beneficiava os proprietários que ganharam da Justiça um respaldo diante da inadimplência de inquilinos cujos contratos não estabeleciam qualquer garantia. A ação permite que, por meio de liminar judicial, o locatário que não paga as contas em dia e não tem fiador ou seguro seja retirado do imóvel em um prazo de 15 dias. Até a nova lei, uma ação de despejo superava três anos de tramitação, com o locador sem receber pelo aluguel nem pelas demais obrigações do inquilino, como condomínio, água, luz e IPTU.   
BSB, 24/1/11- Apesar de ainda não ter atingido todas as metas, representantes do mercado acreditam que, como toda lei nova, ela necessita de um tempo para o mercado e seus componentes se adequarem às novas regras. Não pode se negar que o preceito trouxe uma segurança jurídica para o mercado imobiliário de locação de imóveis e para a relação proprietário x inquilino. Segundo o levantamento de avaliação da Lei do Inquilinato, mesmo que o Judiciário ainda não tenha se adaptado, o texto assegura uma retomada mais rápida do imóvel pelo proprietário. No Distrito Federal, por exemplo, de acordo com o Creci-DF, a nova legislação fomentou acordos extrajudiciais que aceleraram os desfechos das ações. “Percebemos uma grande mudança aqui no DF. Há uma maior receptividade nas imobiliárias à atualização da Lei do Inquilinato. O número de investidores de diversas áreas também está crescendo. Estão enxergando o mercado imobiliário como uma opção rentável de investimento justamente pela segurança que a lei oferece”, ressalta Hermes Alcântara, presidente do Creci-DF. De acordo com Alcântara a Lei do Inquilinato de 8.245/91, que vigorava anteriormente, levou de três a quatro anos para ser implementada. “Com as atualizações feitas na legislação, é natural que leve tempo para adaptação tanto dos locadores e inquilinos quanto para o Judiciário. Agora, os processos correm mais facilmente. Há menos processos judiciais de despejo pelo fato de o próprio devedor procurar o locador ou imobiliária para quitar seus débitos”, afirma Alcântara.   
BSB, 15/1- O mercado imobiliário do Distrito Federal está em plena expansão. A cada ano, o setor avança a passos largos superando outras capitais em faturamento e em número de unidades vendidas. Quem comemora essa boa fase é a CAENGE S.A. – Construção, Administração e Engenharia. A construtora fechou 2010 com saldo positivo. No ano passado, a CAENGE faturou aproximadamente R$ 110 milhões. Segundo o diretor financeiro da construtora, Arnóbio Durães, 15% desse valor é referente à incorporação. “Além disso, 20% desse montante foi devido ao lançamento da primeira etapa do Acquavilla, primeiro empreendimento horizontal que lançamos em 2010 para obedecer aos mais rigorosos critérios de sustentabilidade”, explica. O Acquavilla está localizado a 30 minutos do centro de Brasília, acesso pela DF-040, em uma área de 340 hectares ou, aproximadamente, 3,6 milhões de metros quadrados. Na primeira etapa de lançamento, foram oferecidos 470 lotes, a partir de 600m. A região tem vários atrativos como matas nativas, cascatas, lagos e água termal, além de uma área verde de preservação de 1.000.000 de metros quadrados. Entre os fatores que contribuíram para a CAENGE fechar 2010 com um faturamento positivo apontados por Arnóbio estão a estabilidade econômica do DF e o alto poder aquisitivo da população. “Em média, a renda das famílias aqui é maior em decorrência do funcionalismo público e isso fomentou o mercado imobiliário”, afirma o diretor financeiro da CAENGE. A expectativa para 2011 também é positiva. “Nossas projeções para este ano é um crescimento de 12% aproximadamente, devido às novas obras de incorporação e novas etapas do Acquavilla”, prevê Arnóbio.   
Os imóveis comerciais constituem, hoje, um dos melhores investimentos. Contratos mais longos e retornos lucrativos no aluguel são as principais vantagens para os investidores. Em Brasília a demanda para esse tipo de produto é crescente e os empreendimentos lançados dentro desse perfil são sucesso garantido. “Nós, do mercado, temos percebido que, de dois anos para cá, a demanda por produto comercial é muito grande. Brasília só tem 50 anos, ainda é uma cidade nova, e o interesse das empresas de fora em vir para a capital federal é crescente. Para os investidores há a certeza de um aluguel garantido, rentável, com bons clientes, e a certeza de que sempre terá o imóvel ocupado”, diz Leonel Alves, diretor comercial da Lopes Royal Empreendimentos Imobiliários. As empresas precisam de espaços comerciais e os que existem, por serem localizados em construções antigas, não atendem às necessidades de quem quer instalar seus negócios e carece de um ambiente que ofereça segurança e infraestrutura tecnológica. O crescimento da economia do Distrito Federal é um dos pontos ressaltados para a demanda de áreas comerciais. “As empresas vêm para a cidade, que é o centro do poder, e têm dificuldade para conseguir grandes espaços. Em consequência, aqueles (empreendimentos) que são lançados são sempre um sucesso, pois a demanda é grande, a carência por áreas comerciais cresce e os espaços faltam”, relata Pedro Fernandes, diretor da Beiramar Imóveis. O diretor da Beiramar acredita que os espaços para os imóveis comerciais crescerem é o mesmo dos residenciais e o que ocorre é uma fuga das empresas em direção às cidades-satélites, onde há bons terrenos. Uma das alternativas das construtoras para essas regiões têm sido os investimentos em mall, que são empreendimentos residenciais com galerias e espaços comerciais para atender aos moradores Os edifícios corporativos de alto-padrão, também considerados comerciais, apresentaram neste trimestre uma alta de 4,5% no valor médio de   
BSB, 13/12 -Acontece em Brasília, a partir e hoje, 13/, e vai até amanhã, dia14 , o Fórum do Mercado Imobiliário do Distrito Federal. O Evento é uma parceria do Conselho Regional de Corretores de Imóveis da 8ª Região (CRECI-DF) com o Sindicato da Habitação no Distrito Federal (SECOVI/DF). O objetivo do Fórum é debater as perspectivas do mercado imobiliário, tendo como pano de fundo a realização da Copa do Mundo de 2014, que promete ser o grande foco de investimentos não só no segmento de imóveis, mas também em toda a infraestrutura de Brasília. ‘‘A escolha de Brasília como uma das cidades-sedes da Copa do Mundo de 2014 descortina uma série de benefícios tanto a curto, como a médio e longo prazo para o desenvolvimento da nossa cidade’’, afirma Hermes Alcântara - presidente do CRECI/DF. Segundo o presidente do SECOVI/DF, Carlos Hiram Bentes David, melhorias no setor aeroportuário, hoteleiro, viário e turístico irão proporcionar além da valorização do patrimônio imobiliário da cidade, a geração de mais emprego e renda para os brasilienses. O Fórum é de fundamental importância para que os agentes envolvidos neste processo altamente complexo, entre eles os corretores de imóveis, comecem a tomar contato com as reais dimensões de um evento, como a Copa do Mundo. Para o presidente do CRECI-DF, o Fórum vai proporcionar o estabelecimento de novas redes de relacionamento, a criação de novas plataformas de atuação, bem como a formação de alianças estratégicas que possibilitarão um posicionamento mais proficiente em relação ao evento. A Copa do Mundo de 2014 tem tudo para ser um divisor de águas no desenvolvimento social e econômico do Distrito Federal. Os interessados em participar do Fórum deverão entrar em contato com o CRECI/DF através do telefone (61) 3321-1010 para efetuar a inscrição. O evento será gratuito!!! Participe!!!   
BSB, 2/12-O Salão Wimóveis, ao longo de suas cinco edições, se tornou um referencial de como anda o mercado imobiliário do Distrito Federal, ao proporcionar que todas as pontas do segmento se encontrem em um evento que modificou e criou novos paradigmas. Neste ano, por exemplo, as inovações tecnológicas trazidas à baila nesta versão do Salão, criaram um novo patamar de mensuração dos negócios realizados durante o evento, bem como uma radiografia precisa do interesse e dos anseios dos consumidores de imóveis. Ao contrário dos anos anteriores, o 5º Salão Wimóveis privilegiou a contagem dos visitantes, acompanhantes e investidores que, realmente, vieram em busca de prospecção e realização de negócios. Ficaram de fora da base estatística do evento os corretores de imóveis, expositores e prestadores de serviços que sugeriam uma margem de público inflada e não comprometida com os reais interesses do Salão, que é a transação de unidades habitacionais e comerciais. Assim, esta edição trouxe uma amostragem muito mais efetiva do público que realmente veio em busca de um bom negócio. Para se ter uma idéia, até o sábado, dia 27, quarto dia do Salão, passaram pelos leitores óticos do evento cerca de 25 mil visitantes. Além disso, uma pesquisa realizada pelo Portal WImóveis, com base em mais de 2,7 mil cadastros computados antes da realização do Salão, conseguiu traçar um panorama bastante esclarecedor das preferências do consumidor de imóveis do Distrito Federal que acorreu ao Salão em busca de realizar o sonho da casa própria. Para Marcelo Ramos, diretor Comercial do Portal WImóveis e um dos organizadores do Salão, os dados coletados antes, durante e após o evento, permitirão balizar com mais segurança e eficiência as transações imobiliárias realizadas dentro do DF. "Temos a absoluta certeza que esta nova fase do Salão, em tornar transparente para o mercado e consumidores os resultados obtidos pelo evento, conjuntamente com dados de entidades de classe e, t   
BSB, 2/12- Ao fim dos cinco dias de evento, e de posse de 87% dos questionários respondidos pelas empresas participantes, foram comercializadas 494 unidades, perfazendo um total de R$ 164 milhões em valores de venda. Até dezembro de 2010, período conhecido como pós-salão, estes números devem ser acrescidos de mais 903 unidades perfazendo um total de mais R$ 283,4 milhões. Assim, juntando o resultado das vendas realizadas durante o evento, com as vendas projetadas até o final do ano, teremos um total de 1.397 unidades vendidas e um Volume Geral de Vendas (VGV) de R$ 447,5 milhões. "As metas do 5° Salão Wimóveis foram totalmente superadas", afirma Marcelo Ramos. Para ele, tanto os consumidores quanto as empresas participantes saíram muito satisfeitas com o desempenho do Salão. No geral, as empresas tiveram um desempenho muito bom durante os cinco dias de Salão. Todavia, algumas em especial se destacaram em função da boa aceitação do público em relação aos produtos oferecidos. A OAS/Faenge estreou nos salões Wimóveis com 1300 Visitas, 150 unidades vendidas, representando um valor de R$ 30 milhões em vendas, nos cinco dias do evento. A previsão até Dez/10 é de fechamento de mais 160 unidades e R$ 35 milhões em vendas, totalizando R$ 65 milhões entre vendidos e previsão de fechamento. Outra estreante, a Coelho da Fonseca, recebeu 1300 visitas, 63 unidades vendidas e R$ 38 milhões em vendas, nos cinco dias do evento. A Lopes Royal, maior imobiliária do DF, recebeu 4800 visitas, 55 unidades vendidas, representando um valor de R$ 25 milhões em vendas, nos cinco dias do evento. A previsão até Dez/10 é de fechar mais 325 unidades e R$ 100 milhões em vendas, totalizando R$125 milhões entre vendidos e previsão de fechamento. A MGarzon/Eugênio recebeu 600 visitas e teve 90 unidades comercializadas, totalizando R$ 22,5 milhões em vendas nos cinco dias. A previsão até Dez/10 é de fechar mais 40 unidades e R$ 10,2 milhões, totalizando R$32,7 milhões entre ve   
BSB, 2/12- O cadastro, bem como as pesquisas realizadas pelo Grupo Wimóveis, tanto durante a preparação do Salão, quanto em sua avaliação final, vão permitir que o mercado disponha de maiores e melhores informações sobre o consumidor de imóveis no DF. Por esta amostragem oriunda do cadastro prévio, podemos constatar que 55% dos consumidores de imóveis são homens e 45% mulheres. Neste universo 50% têm entre 25 e 35 anos; 25% entre 36 e 45 anos; e 12% possuem entre 46 e 55 anos. Este público diversificado, ainda segundo os dados obtidos pelo cadastro, demonstrou um traço em comum, a grande vontade de adquirir o seu imóvel no menor espaço de tempo. Cerca de 23% dos que preencheram o cadastro informaram que pretendem adquirir um imóvel no prazo de três meses. Outros 21%, afirmaram que preferem adquirir o bem em torno de seis meses, 6% em torno de nove meses e 18% programaram sua compra para o prazo de um ano. Mas, o que mais chamou a atenção foi que 29% declararam a intenção de compra de forma imediata. Uma vez definida a opção pela compra, o cadastro também identificou as principais preferências relacionadas a situação do imóvel, bem como sua localização. Segundo os dados coletados, 60% dos consumidores pesquisados fez a opção preferencial pela aquisição de um imóvel pronto, contra 29% que opta pela aquisição de um imóvel na planta. Estas informações demonstram, de forma cabal, uma sensação que há muito é constatada pelos agentes do mercado, ou seja, de que a velocidade de venda e disposição para o ato de investir dos consumidores vem cada vez mais se tornando realidade. Outro fator que chama bastante atenção é a, ainda, maciça preferência (67%) por imóveis localizados no Plano Piloto, a despeito da escassa oferta de unidades disponíveis, situação que pode ser minorada com a efetiva implantação do Setor Noroeste, última área disponível na região. O segundo alvo dos compradores, com 12% de preferência, é Águas Claras, que ostentando o posto de maior   
BSB, 2/12- Uma das maiores curiosidades do mercado referente ao que os consumidores desejam pagar por um imóvel também é esclarecida pela pesquisa da Wimóveis. Pelos dados coletados, 23% dos consumidores desejam pagar entre R$ 160 mil e R$ 220 mil por um imóvel novo. Já 21% dos consumidores consultados pretendem desembolsar entre R$ 220 mil e R$ 360 mil; 13% optam por um imóvel entre R$ 360 mil e R$ 500 mil; e uma estreita faixa de 9% de consumidores vai investir em imóveis na faixa compreendida entre R$ 500 mil e R$ 1 milhão. Já nas faixas atendidas pelo programa "Minha Casa, Minha Vida", dentro do ambiente do Salão, a procura se torna mais modesta. Dentre as respostas obtidas via cadastro, 2,5% afirmaram procurar um imóvel de até R$ 60 mil. Já 13%, afirmaram buscar imóveis entre R$ 60 mil e R$ 120 mil, teto de financiamento do programa. E todo este público ávido por consumir imóveis, demonstrou preferência pelo financiamento direto com os bancos, opção apontada como preferencial por 57% dos entrevistados. Já 18% declararam optar pelo financiamento direto com a construtora do empreendimento. Finalmente, o cadastro também reafirmou a notória preferência dos consumidores candangos pelo investimento em apartamentos. Este tipo de unidade é o preferido por 74% dos consumidores. As casas respondem pela preferência de 16% dos investidores. Outros 10% optam pelos investimentos em terrenos, lotes e projeções.   
BSB, 2/12- Outra óbvia constatação é o confronto, da grande maioria do público, entre o desejo dos consumidores de morarem no Plano Piloto, Brasília, e a sua incompatível condição real de compra para esta região. Daí o grande sucesso de vendas dos imóveis localizados nas demais regiões administrativas do DF, como Águas Claras, Guará e Taguatinga, que atendem às condições financeiras dos consumidores e à tipologia do imóvel desejado. Nestes locais, os imóveis saem das tradicionais superquadras para os condomínios fechados com infraestrutura de verdadeiros clubes-resorts, trazendo segurança e qualidade de vida antes inimagináveis no DF.   
BSB, 23/11- A 5ª edição do Salão WImóveis será realizada entre os dias 24 e 28 de novembro, na Ala Sul do Centro de Convenções Ulysses Guimarães. A abertura será às 18h do dia 24, com encerramento às 22h. Nos demais dias, o funcionamento será das 10h às 22h. Após a abertura oficial do Salão, o economista Carlos Sardenberg, analista econômico do Jornal da Globo e da Rádio CBN, proferirá uma Palestra Magna cujo tema abordará "As perspectivas econômicas para o Brasil". Nesta edição, deste que é considerado o maior salão imobiliário do Centro-Oeste e o 2º maior do Brasil (atrás apenas do Salão Imobiliário de São Paulo), estarão presentes mais de 100 empresas, entre construtoras, incorporadoras e imobiliárias que vão disponibilizar cerca de 10 mil imóveis, no DF e Entorno, entre lançamentos, imóveis novos e de terceiros que, com certeza, vão agradar a todos os tipos de gostos e bolsos. Como já é tradicional em todas as edições, os clientes do Salão, logo na entrada do Centro de Convenções, terão à sua disposição o Cyber WImóveis, espaço com dezenas de terminais de computadores, ligados à web, onde poderão pesquisar e facilitar a busca do imóvel desejado de forma eficaz, concentrando todos os imóveis ofertados no Salão e fornecendo informações necessárias para otimizar as negociações dos consumidores. O Salão contará ainda com outras facilidades para seus frequentadores como manobristas, brinquedoteca, praça de alimentação e palestras, tudo pensado em um ambiente harmônico e finamente preparado com o objetivo de oferecer o máximo de comodidade, a fim de que os consumidores disponham do tempo necessário para encontrar o imóvel desejado.   
BSB, 23/11- A despeito da fórmula vencedora, a organização do evento não deixa de preparar, a cada edição, novos atrativos para agregar aos excelentes serviços prestados pelo Salão ao mercado imobiliário e aos consumidores de imóveis. A ordem é não deitar sobre os louros conquistados. Neste ano, uma das novidades é a necessidade de cadastramento para ingresso no Salão (que continua gratuito). O cadastramento pode ser realizado antecipadamente no site www.salaowimoveis.com.br, ou no Cyber WImóveis, no hall de entrada do Centro de Convenções. "O cadastramento vai permitir que a organização, e o próprio mercado do DF, tenham uma radiografia dos anseios, necessidades e disponibilidade dos consumidores candangos. Através dele poderemos imprimir uma radiografia atualizada do mercado, bem como aprimorarmos nossa oferta de produtos e serviços para as edições vindouras", explica Marcelo Ramos. Ainda segundo o diretor Comercial da WImóveis, todos àqueles que procederem ao cadastramento terão direito a uma assinatura de seis meses -grátis- da Revista WImóveis, e os mil primeiros clientes com cadastro completo e que votarem no estande mais bonito e no melhor corretor ganharão uma caneca térmica de alumínio com tampa. Outra novidade interessante diz respeito à ampliação dos serviços cartoriais dentro do evento, oferecidos pela Associação dos Notários e Registradores (Anoreg-DF), que possibilitará a emissão da Matrícula dos Imóveis (similar a Certidão de ônus de Imóveis), através da internet, pelo Cartório do 1º Ofício: Asa Sul, Sudoeste e Lago Sul. Os interessados também poderão obter certidões pessoais através do Cartório de Distribuição Rui Barbosa e, finalmente, poderão realizar o Registro de Compra de Imóvel dentro do próprio evento. Realmente, uma facilidade sem tamanho.   
BSB, 23/11- E, como o 5º Salão ganhou mais um dia de realização, a comunicação, que já era bastante efetiva e elogiada por todos, neste ano ganhou o reforço de luxo das Redes Sociais. Com o objetivo de não só fornecer, mas também trocar informações, além de construir um ponto de encontro onde consumidores, profissionais, empresas e entidades possam conversar sem limitações de tempo e espaço, foi lançada a Rede WImoveis - www.redewimoveis.com.br - que, na plataforma Ning, reúne twitter, facebook blog de notícias, fórum de perguntas e respostas, chat e grupos de discussão. Além de ajudar consumidores na tomada de decisões relacionadas a compra e aluguel de imóveis, a rede também é aberta a outras discussões, como arquitetura, construção e reforma, decoração e jardinagem, regularização, segurança e sustentabilidade. Com certeza esta nova ferramenta vai facilitar, e muito, a disseminação das ações realizadas antes, durante e após o Salão. Para melhor destrinchar e explicar para o mercado o alcance e importância das redes sociais dentro do mercado imobiliário, a organização do evento preparou uma palestra com Roberto Aloureiro, da Tecnisa, que recebeu o Prêmio Máster Imobiliário 2010, pelo seu trabalho com as redes sociais. Realmente, um craque no assunto. Dentro do 5º Salão, os consumidores e agentes do mercado poderão conhecer de perto o WView, serviço pioneiro em Brasília, que utiliza a tecnologia semelhante ao do Google View, de mapeamento de 360º (tridimensional) das unidades decoradas nos estandes, já que o Google está fazendo as ruas, bairros e logradouros, e que permite a visualização virtual da localização dos empreendimentos imobiliários. "Esta nova ferramenta, afirma Ramos, vai encurtar a distância entre o cliente e os imóveis desejados, uma vez que elimina deslocamentos desnecessários. Em conjunto com o vídeo e fotos do interior do imóvel, o interessado pode, através do computador, ter uma visão bastante realista do bem a ser adquirido".   
BSB, 9/11- A construtora Faenge lançou na quinta-feira (28) o Le Office, empreendimento com 116 salas comerciais localizado no Centro de Atividades (CA) 11 do Lago Norte. As salas têm 24,8 m2, mas há também unidades duplex de 49,5 m2. Para os que gostam de mais espaço há também salas com pé direito duplo medindo 37,6 m2 e pé direito duplo com terraço de 68 m2. “Este é o primeiro centro empresarial com serviços e facilities do Lago Norte”, conta o diretor-presidente da Faenge, Leonardo Ávila. Além de garagem privativa, o Le Office contará com serviços de limpeza e arrumação, reservas e locação de salas, manobristas, office-boys, locação de móveis para escritórios, entre outros, como farmácia, sapataria e floricultura. “O Le Office está sendo comercializado pelas imobiliárias Beiramar, MGarzon e Coelho da Fonseca. A expectativa é de que seja vendido hoje algo em torno de 80% do empreendimento”, espera Leonardo. Fabrício Garzon, diretor-presidente da MGarzon, enfatiza que o primeiro centro empresarial do Lago Norte chega com um grande diferencial: os serviços. “Hoje em dia você ter um serviço de entrega rápida, de mandar uma correspondência ou de limpeza e poder contar com o próprio empreendimento, caso precise, é muito útil”, exemplifica. E completa: “Se o empresário disser que não tem uma secretária, ele pode usar uma do condomínio”. Fabrício entende que empreendimentos comerciais são mais raros e trazem uma rentabilidade maior, pois a taxa de ocupação e a procura são mais frequentes e o inquilino permanece por mais tempo.   
BSB, 4/11- Pela oitava vez consecutiva, o presidente da Via Engenharia, Fernando Márcio Queiroz, foi escolhido pelo Fórum dos Líderes Empresariais, entidade que reúne cerca de 1,3 mil empresários do Brasil, o líder empresarial mais importante do Distrito Federal, incluídos todos os segmentos da economia. A escolha foi feita por 18 mil leitores da Revista Líderes, veículo oficial do Fórum. O empresário receberá o prêmio no dia 29 de novembro de 2010, em cerimônia no Golden Hall do complexo WTC - Sheraton Hotel, em São Paulo. “Fico honrado em ver o reconhecimento por meu trabalho em prol do setor da construção civil e, em especial, do Grupo Via. Procuramos sempre nos diferenciar no mercado, atuando com foco em tecnologia, qualidade, responsabilidade socioambiental e transparência na relação com clientes, fornecedores e colaboradores”, afirma Queiroz. “Divido esse prêmio com toda a equipe Via, pelo desafio diário de oferecermos os melhores produtos e serviços para os nossos clientes”, acrescenta. O Fórum de Líderes Empresariais foi fundado em 1977 e possui no conselho empresários como Antônio Ermírio de Moraes, Abílio Diniz, Jorge Gerdau, José Mindlin e Luiz Fernando Furlan, entre outros. Hoje, é uma ONG composta por empresários de todos os estados da Federação, com o objetivo de discutir questões estruturais, econômicas e sociais importantes para o desenvolvimento do Brasil e oferecer soluções práticas para seu equacionamento. Os líderes são eleitos por meio de um pleito democrático e sem pré-candidaturas, o que confere legitimidade e autenticidade à escolha.   
BSB, 7/10- Em uma área repleta de recursos naturais e com um projeto desenhado, do início ao fim, para atender aos mais rigorosos padrões de sustentabilidade, a Caenge S.A – Construção, Administração e Engenharia se prepara para lançar um empreendimento de alto padrão que tem tudo para agradar os consumidores mais exigentes. Tudo isso há apenas 35 quilômetros de Brasília, na DF-040. O Acquavilla, nome dado ao mais novo investimento da empresa, ficará localizado em uma área de 340 hectares ou, aproximadamente, 3,6 milhões de metros quadrados. Na primeira etapa de lançamento, serão oferecidos 470 lotes, cada um com 600 metros quadrados. Entre os principais atrativos da região estão matas nativas, cascatas, lagos e água termal, além de uma área verde de preservação de 1.000.000 de metros quadrados. Os moradores ainda terão à disposição um clube de convivência comum, uma ampla área de lazer e toda a infraestrutura para garantir o conforto necessário a todos os condôminos. A ideia, em uma etapa futura, é ainda construir um hidro SPA de águas termais. A região apresenta um manancial rico. A temperatura da água chega aos 30 graus. E o objetivo da empresa é aproveitar toda essa riqueza natural. De acordo com Fábio Aurélio, diretor de Empreendimentos da Caenge, a decisão de investir em condomínios surgiu da necessidade de oferecer ao mercado um produto estruturado, de conceito estabelecido e em uma área já regularizada. Arnóbio Araújo, diretor financeiro da Caenge, afirma que o VGV (Valor Geral Vendido) previsto para esta etapa de lançamento é de R$ 150 milhões. E a empresa espera outros R$ 150 milhões para a segunda etapa de lançamento no próximo ano. Com as novas perspectivas de negócio, em 2010, a expectativa é de que a construtora tenha um faturamento de R$ 110 milhões até o fim do ano. No local onde será instalado o Acquavilla, há ainda vegetação nativa, que será preservada. De acordo com Marco Gonçalves, diretor da Caenge Ambiental, a empresa prior   
BSB, 1/10- O Sindicato da Habitação no Distrito Federal (SECOVI/DF) lançou o 2º Boletim de Conjuntura Imobiliária. O objetivo do estudo é auxiliar tanto estudantes, como imobiliárias, corretores, pesquisadores e investidores interessados na compra, venda ou aluguel de imóveis. Os dados da pesquisa são relativos ao mês de julho do corrente ano, onde foi constatada uma alta na rentabilidade de todos os índices de preços. A variação mais expressiva foi do índice Imobiliário de 8,30%. Nesse mês os índices Ibovespa e IBRX-50 variaram menos de 1,00% e a Poupança e o CDB variaram 0,56% e 0,85%, respectivamente. Os índices de rentabilidade imobiliária ficaram entre 0,30% e 0,44%, merecendo destaque para os apartamentos de 2 dormitórios em Águas Claras considerado o mais rentável e o apartamento de 3 dormitórios em Brasília o menos rentável. Vale ressaltar, que esse índice mede a rentabilidade média de um tipo de imóvel em certo bairro. O presidente do SECOVI/DF, Carlos Hiram Bentes David, alerta para a comparação entre os investimentos imobiliários e os financeiros. “Para investir em imóveis é necessária uma aplicação inicial maior do que para realizar um investimento financeiro. É preciso lembrar que os investimentos imobiliários são investimentos de longo prazo e apesar dos imóveis oferecerem retornos com aluguéis menores do que os retornos de aplicações financeiras são considerados um investimento mais seguro. Além disso, precisamos levar em conta a valorização do imóvel que resulta futuramente em uma maior rentabilidade”, conclui. Os imóveis residenciais representaram 81% da amostra do mês de julho. Comparando o preço médio do metro quadrado dos apartamentos de 3 dormitórios, o Sudoeste continuou sendo o bairro mais valorizado, seguido pela Asa Norte, e finalmente Asa Sul. Em relação aos aluguéis, os valores médios mais elevados para apartamentos de 2 e 3 quartos encontram-se em Brasília, com um preço em torno de R$ 1.576,00 e R$ 2.512,00, respectiva   
BSB, 21/9- O anúncio da premiação aconteceu na quarta-feira (15), em São Paulo. O Living Superquadra Park Sul, da JCGontijo Engenharia foi um dos 16 vencedores do Prêmio Master Imobiliário 2010. Contemplado na categoria "Empresarial" - Marketing, o case da JCGontijo foi apontado como um marco para o setor, introduzindo nas construções habitacionais brasileiras planejamento mercadológico e inovadora estratégia de comunicação promocional. Considerado o "oscar" da construção civil nacional, o Prêmio Master é promovido pela Fiabci/Brasil e Secovi-SP, sendo realizado anualmente, é a maior homenagem aos empreendedores imobiliários do país, por apontar a excelência e arrojo dos projetos em termos de arquitetura, engenharia, construção, desenvolvimento urbano, incorporação, administração, vendas e marketing, dentre outros segmentos. Para Paulo Germanos, ex-presidente e membro do conselho consultivo do Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Residenciais e Comerciais de São Paulo (Secovi-SP), o Living é um exemplo de dinamismo e profissionalismo do setor. Ele lembrou que além das vendas em ritmo acelerado, o empreendimento comprovou o sucesso do uso de novas técnicas de vendas. "O caso de Brasília é emblemático. Um sucesso de marketing que demonstra o auto grau de profissionalismo no setor". A cerimônia de entrega do Prêmio Master, em sua 16ª edição acontece na noite de 22 de setembro, em São Paulo, no Clube Atlético Monte Líbano. Inspirada no tema "Os diamantes são eternos".   
BSB, 7/0- A Caixa Econômica Federal investiu, no primeiro semestre deste ano, R$ 30,58 bilhões no contrato de 412.971 unidades habitacionais em regime especial do Programa Minha Casa, Minha Vida (PMCMV) no Distrito Federal e região do Entorno. Criado em 2009 com o objetivo de reduzir o déficit habitacional da população de baixa renda nas áreas urbanas, o programa ganha números impressionantes. No primeiro semestre de 2009 foram contratadas 103.377 unidades habitacionais. Já no mesmo período a instituição assinou 542.961 financiamentos. Isso mostra um aumento de 439.584 unidades. Marta Garske, diretora do Departamento de Produção Habitacional do Ministério das Cidades, avalia que o Programa Minha Casa Minha Vida “foi bem recebido e aprovado pelas pessoas”. Em relação à curva ascendente, ela justifica: “Esse grande aumento se deve ao fato de que, no primeiro semestre de 2009, o programa somente deslanchou a partir de maio. Depois, com a agilidade da Caixa Econômica e com as pessoas tomando conhecimento (dos benefícios do PMCMV), o programa só tem tendência a crescer e logo atingiremos nossa meta de construir um milhão de moradias”, entusiasma-se. Do total de contratos de imóveis feitos pela Caixa Econômica de janeiro a junho deste ano, 64% envolvem famílias com renda na faixa de zero a três salários mínimos. A grande maioria deles é de contratos feitos por pessoas jurídicas, ou seja, parcerias que o governo federal faz com os governos municipais, estaduais, cooperativas, associações e construtoras. As propostas contratadas para pessoas que recebem de três a seis salários mínimos foram de 219.379.   
BSB, 30/8- O imóvel mais caro da licitação que a Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap) realizou na quinta-feira (26) é um lote de 2,5 mil metros quadrados no Centro de Atividades do Lago Norte. Avaliado em R$ 15 milhões, o terreno é um dos últimos espaços vazios no bairro. Na última terça-feira, a área pública amanheceu cercada por piquetes e por seguranças, que vigiavam o lote. Policiais militares e fiscais do governo foram chamados para retirar a invasão. Mas ontem de manhã as cercas estavam novamente no local e uma nova operação teve de ser realizada para esvaziar o terreno. O episódio é mais um capítulo da disputa em torno do lote K da Quadra CA 5. A ocupação irregular às vésperas de uma licitação pode ser uma forma de burlar a concorrência pública e garantir o direito de preferência no momento da compra. Durante a licitação, o ocupante irregular alega ter a posse do terreno para ter direito também a cobrir o lance mais alto da licitação.   
BSB, 27,8- Hoje, 27 de agosto comemora-se o Dia Nacional dos Corretores de Imóveis. A esse profissional, cada dia mais indispensável, os parabéns do Blog. Dentro das comenmorações da data, no dia 28 de agosto, a partir das 20 horas, na ASBAC, o CRECI do Distrito Federal, juntamente com o Sindigeci-DF, Secovi-DF e as principais empresas do mercado imobiliária da capital, procederá a entrega do Prêmio Colibri, considerado o “Oscar do Corretor de Imóveis”. “A festa de entrega do Prêmio Colibri prestigiará profissionais de destaque em diversas categorias, e acontecerá em meio a muita pompa e circunstância, dignas da importância do profissional que é o responsável por realizar o sonho da casa própria de milhões de famílias brasilienses ao longo dos 50 anos da capital”, enfatizou Hermes Alcântara, presidente do CRECI-DF. Ainda segundo Alcântara, a festa contará com um coquetel de abertura cokm música ao vivo. Em seguida ocorrerá a entrega do prêmio. Logo após será servido um delicioso jantar completo (entrada, prato principal e sobremesa), com direito a água, sucos, refrigerantes, cerveja e vinho. E, para encerrar em alto astral, um grande baile dançante até as 3 horas da madrugada. “Como podem ver, é uma festa pra ninguém botar defeito e a altura dos grandes profissionais que serão distinguidos com a entrega do prêmio, e por extensão a todos os corretores de imóveis do DF e do Brasil”, comemorou Alcântara. Maiores informações sobre a festa de premiação poderão ser obtidas pelos telefones (61) 3321-0815 / 9934-9967 / 9123-2474. Ligue já e participe.   
BSB, 24/8- A compra de imóveis no Distrito Federal é excelente opção de investimento, se o rendimento for comparado com o de aplicações de renda fixa, como a poupança, por exemplo. Mas economistas alertam que é preciso ter cautela na hora de decidir a opção de investimento, porque a valorização imobiliária pode variar bastante de um lugar para o outro e ao longo do tempo. O presidente do Sindicato da Habitação (Secovi), Carlos Hiram Bentes David, explicou que a rentabilidade do investimento em imóveis não pode ser avaliada apenas pelo retorno oferecido pelo aluguel. É preciso considerar, também, a valorização imobiliária, que registrou em média 15% no DF, nos últimos anos. "O rendimento mensal de quem comprou um imóvel pode ser até 0,5% pelo aluguel, mais a própria valorização do imóvel, que é superior a 1% ao mês no DF. Asa Norte e Asa Sul, por exemplo, valorizaram o dobro nos últimos anos", comenta, sobre a pouca oferta e a muita procura por imóveis nessas áreas. Seguindo o raciocínio do especialista, é possível dizer que a rentabilidade desse tipo de investimento no DF é de, pelo menos, 1,5% ao mês. Segundo dados retirados do Boletim de Conjuntura Imobiliária, elaborado pela Econsult e Secovi-DF, o rendimento da poupança em junho foi de 0,55%, mais a taxa referencial, que rende cerca de 1% ao ano. No mesmo período, o rendimento das aplicações em Certificado de Depósito Bancário (CDB), título emitido por bancos, em que se comprometem a pagar juros, num prazo definido, foi de 0,75%. Já o Ibovespa – indicador do desempenho médio das cotações do mercado de ações brasileiro – teve rendimentos de 1,30% em junho.   
BSB, 20/8- O Sindicato da Habitação no Distrito Federal ( SECOVI/DF), lançou, no dia 18, o primeiro Boletim de Conjuntura Imobiliária na capital federal. A iniciativa inédita em Brasília foi produzida pelo SECOVI/DF, em parceria com o departamento de Economia da UNB, por meio da empresa júnior E-consult. Segundo o presidente do Sindicato, Carlos Hiram Bentes David, a pesquisa vem atender a crescente demanda do mercado imobiliário brasiliense ainda carente de dados estatísticos. O boletim terá periodicidade mensal e trará levantamentos sobre o valor venal e locatício de imóveis no Distrito Federal. A pesquisa realizada pelos técnicos da E-consult faz também uma análise do mercado imobiliário em relação à indicadores econômicos.   
BSB, 9/6- Brasília sedia nos próximos dias 11 e 12 de agosto no Centro de Convenções Brasil 21, o evento “Corretor Show”. O encontro inédito na capital federal tem como objetivo o desenvolvimento pessoal e profissional do Corretor de Imóveis. O Congresso apresentará palestras sobre identificação de oportunidades, técnicas de vendas, administração, redes sociais como ferramenta de negócios, planos de comunicação, cuidado com a aparência e vocabulário, cursos de idiomas entre outros temas pertinentes à categoria. E o mais importante: as palestras serão gratuitas e contará com a exposição das principais empresas do mercado imobiliário que apresentarão informações sobre marketing pessoal, fidelização de clientes, financiamento imobiliário, educação financeira e mídias sociais. O evento é uma realização da Trade Network Participações Ltda com apoio do Sindicato da Habitação no Distrito Federal (SECOVI/DF), do Conselho Regional dos Corretores de Imóveis da 8ª Região (CRECI/DF), da Associação dos Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário (ADEMI/DF), do Sindicato dos Gestores e Técnicos Corretores de Imóveis (SINDIGECI/DF), da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip) e da Rede Brasil de Imóveis.   
BSB, 6/8- O Governo do Distrito Federal (GDF) irá editar novas regras para evitar que apartamentos de um quarto se proliferem no Setor Noroeste. A medida tem o objetivo de impedir que a crescente demanda por essas unidades no mercado imobiliário acabe afetando o projeto urbanístico, uma vez que poderá influir no número de habitantes que irá povoar a região, inicialmente estimado em 40 mil pessoas. A questão foi levantada em matéria publicada na edição de ontem do Jornal de Brasília, quando especialistas apontaram a possibilidade de a densidade populacional triplicar, em função do crescimento da oferta e comercialização de unidades residenciais de apenas um quarto. A venda de apartamentos de um quarto em áreas residenciais – denunciada pela reportagem do JBr – surpreendeu, inclusive, ao Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), que desconhecia novas Normas de Edificação, Uso e Gabarito (NGB) do bairro, editadas no ano passado, substituindo as que foram acordadas com o órgão. Por isso, a 4ª Promotoria de Defesa da Ordem Urbanística (Prourb), decidiu enviar um ofício à Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente (Seduma) e solicitar as NGBs atualizadas do Setor Noroeste. São duas: a 19/2009, que trata das unidades residenciais, e a 20/2009, que trata de imóveis comerciais. Além disso, será demandado à pasta que especifique a existência ou não de limitador para o número de unidades habitacionais por projeção.   
BSB, 6/8- A valorização dos imóveis no DF chega a 35% nos últimos anos. O preço dos aluguéis tem acompanhado essa situação e também tem subido, mas em velocidade menor do que a registrada no preço de venda das unidades. O curioso é que as regiões consideradas periféricas apresentaram aumento no preço do aluguel próximo a 20% ao ano, ligeiramente maior do que o registrado no Plano Piloto, em que houve reajuste entre 15% e 18% nos últimos 12 meses. Os motivos do aumento maior do aluguel em regiões mais afastadas do centro da capital federal apontados por especialistas vão desde a melhoria dos empreendimentos, motivada pelos incentivos do Programa Minha Casa Minha Vida, ao aumento da procura por imóveis nessas áreas, estimulado pelos preços altos do centro. Se por um lado, a notícia de que o preço do aluguel está subindo de forma considerável pode assustar o inquilino, por outro, o dono do imóvel (investidor) também tem motivos para se preocupar porque o reajuste do aluguel, no momento, não acompanha o preço de mercado do imóvel que ele adquiriu. Para o presidente do Sindicato da Habitação (Secovi-DF), Carlos Hiram Bentes David, o importante é que as partes tenham em mente o preço de mercado na hora de negociar. "O ideal é que se tenha uma locação duradoura e pacífica", afirma. Ele comenta que, caso o dono do imóvel perceba que recebe remuneração menor do que deveria, vai querer trocar de inquilino. E da mesma forma, o inquilino quando nota que paga aluguel caro demais, troca de apartamento.   
SB, 21/7- O excelente desempenho da Via Engenharia em 2009 acaba de render novamente à construtora um local de destaque entre as melhores e maiores empresas do país, segundo avaliação da principal revista de economia e negócios do Brasil, a Exame. A Via Engenharia aparece, novamente, entre as principais empresas do país no ranking das 1000 Melhores e Maiores da Revista Exame, edição de julho de 2010. A construtora foi classificada como a maior empresa em vendas do setor "Indústria da Construção" no Centro-Oeste e evoluiu três posições no ranking de todos os setores, com o 30º lugar, incluindo empresas públicas e estatais. 'Fico satisfeito em ver novamente o nosso trabalho reconhecido no ranking da edição Melhores e Maiores da revista Exame. É um estímulo para atuarmos cada vez mais com foco em tecnologia, qualidade, responsabilidade socioambiental e transparência na relação com clientes, fornecedores e colaboradores', afirma o presidente da Via Engenharia, Fernando Queiroz. “Nosso ótimo posicionamento reflete o desafio diário de oferecermos os melhores produtos e serviços para os nossos clientes', acrescenta. Com cerca de quatro mil colaboradores, a empresa obteve, em 2009, uma receita de obras e vendas de imóveis de R$ 890 milhões e um back-log de contratos e estoque de imóveis de R$ 3,8 bilhões. Em 2010, a expectativa é alcançar R$ 1,5 bilhões de receita e um back-log de R$ 4,9 bilhões.   
BSB, 18/7- Apartamentos de um quarto têm uma grande procura no DF?e as construtoras criam diferenciais para atender melhor a um público formado por solteiros, recém-casados, separados e investidores. Com uma média de 30 m2, esse tipo de empreendimento tem chamado atenção de investidores, solteiros e recém-casados que buscam unidades pequenas, as quais, muitas vezes, oferecem serviços como lojas e restaurantes. O maior custo para construir e a alta demanda fazem com que o preço seja um pouco maior, comparado às de dois e três quartos. Para quem procura a unidade para morar, a vantagem são os atrativos. No quesito serviço, as construtoras buscam oferecer os básicos, como sala de reuniões, fitness, piscina e área de lazer, e o paper use, no qual se paga na medida das necessidades, caso das lojas de conveniência. Este produto, na maioria das vezes, é para solteiros. A maioria é de jovens com menos de 30 anos ou na faixa de 40 a 50, formado por pessoas que acabaram de sair de um relacionamento e vão morar sozinhas. Este último perfil, geralmente, já tem certo poder de renda. São profissionais ativos, o que obriga as construtoras a oferecer facilidades diversas para esse público. Apesar do preço um pouco acima da média, a alta valorização do empreendimento e a grande procura proporcionam um bom retorno para quem quer investir. O investidor busca esse empreendimento porque sabe que tem facilidade de locar o imóvel. E mais que isso: ele vai ter um retorno maior do que se tivesse comprado uma unidade de quatro quartos, por exemplo. Investidores também procuram grandes atrativos para conseguir alugar o imóvel com mais facilidade. Outro atrativo das unidades de um quarto é que elas podem variar de preço, de forma que os investidores podem optar pelo tamanho e localização, de acordo com o dinheiro disponível para investir. Esses empreendimentos têm quarto, cozinha, sala e banheiro, sendo a cozinha sempre tipo americana.   
BSB, 17/4- Na última segunda-feira (12), o GDF liberou recursos para finalizar as obras em andamento. Durante esta semana, o governo destinou um montante de aproximadamente R$ 16 milhões. Por meio do comitê coordenado pela vice-governadora, Ivelise Longhi, esses recursos serão destinados a obras como a urbanização da área externa da Torre de TV, que recebeu cerca de R$ 1,791 milhão, e que deve ser finalizada ainda neste mês e obras de saneamento e infraestrutura em diversas outras regiões do DF e entorno. Foram liberados também R$ 8 milhões para a conclusão das obras de infraestrutura da Estância Planaltina e do bairro Mestre D’Armas. Mais R$ 6,100 milhões serão destinados a construções habitacionais em Planaltina e outras pequenas obras.   
BSB, 7/7- O setor da construção civil, apesar do impacto sofrido pela crise financeira internacional, avançou 18,1% no primeiro trimestre, em relação ao mesmo período de 2009 e 3,0% , na comparação com o trimestre anterior. O setor teve destaque ainda na geração de emprego e renda. Os dados são do Estudo Setorial da Construção Civil do Distrito Federal, divulgado pelo Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese), em maio de 2010. O mercado local da construção civil espera alcançar resultado maior que a média nacional, estimada pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), de 8,8%. O otimismo se deve às expectativas em relação as obras do Programa MINHA CASA, MINHA VIDA, Copa do Mundo de 2014 e do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). No DF, o bom momento também se reflete na geração de postos de trabalho e estima-se que o setor deve gerar 5.865 novos empregos no ano. O comércio varejista também registrou variação positiva de 21,0% no volume de vendas para materiais de construção no DF, em março, sobre o mesmo período do ano passado. No trimestre, a variação foi de 18,9% em relação ao primeiro trimestre de 2009. O aquecimento do setor também pode ser verificado pelo cálculo mensal do CUB (Custo Unitário Básico), realizado pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil do DF (SINDUSCON-DF), que no mês de abril registrou variação positiva de 1,10% . O índice considera a evolução dos preços de 25 materiais de construção, salários de três categorias de mão-de-obra (pedreiro, servente e engenheiro civil) e um equipamento (aluguel de betoneira). O custo do metro quadrado no Distrito Federal passou para R$ 786,99.   
BSB, 5/7- As vendas do primeiro empreendimento em Brasília com a marca AlphaVille foram sucesso total. Praticamente 80% dos 498 lotes foram vendidos. No local, mais de 1,2 mil pessoas passaram tanto para visitar e conhecer, quanto para negociar e comprar. No Condomínio Reserva By Santa Mônica não foi diferente: dos 720 lotes residenciais, 500 foram vendidos. Diversas famílias estiveram no local – pessoas de Brasília e de outras cidades. Tanto compradores, quanto investidores. Para Fábio Valle, diretor comercial do AlphaVille, o projeto atendeu às expectativas e o diferencial é a questão da área verde. "Mais de 50% é área verde, e ainda existe um clube com 157 mil metros quadrados. Os lotes têm uma topografia maravilhosa. Esta primeira fase será entregue em 24 meses, com toda a infraestrutura pronta", diz. O lugar foi escolhido por ser uma área rica em verde e próximo do Plano Piloto, cerca de 20 minutos de carro. Além disso, o residencial é livre de entraves judiciais e totalmente regular. Estão previstos na área, além de casas e do clube, centros comerciais e ainda o AlphaMall, uma espécie de shopping center com restaurantes, entretenimento e lojas. "Temos também áreas para duas instituições de ensino e uma universidade. Como laboratório, clínica médica e uma rede de postos de gasolina", ressalta Valle.   
BSB 19/6- A Brookfield começa a comercializar o primeiro empreendimento mixed use da região de Águas Claras, que contará com três torres residenciais e duas torres de salas comerciais. Para o lançamento do DF Century Plaza, a empresa elaborou uma estratégia inovadora, muito além da usual apresentação de maquetes e apartamentos decorados. Com a presença de Rubens Oseki, superintendente comercial da Brookifeld, e Fernando Maia, diretor executivo da unidade Centro-Oeste, a incorporadora inaugurou o DF Experience, circuito sensorial que combina tecnologias inovadoras para apresentar o empreendimento através de uma reflexão sobre a história e o futuro do Distrito Federal. Instalado num terreno de, aproximadamente, 64 mil m², o DF Century Plaza dispõe de cinco torres, três residenciais e duas comerciais, integradas por um shopping e diversas outras áreas de serviço. O empreendimento contará também com mais de 15 itens de lazer, entrada independente para clientes do shopping e acesso particular para moradores.“Com o Century Plaza, a Brookfield aposta no conceito de shopping integrado a moradia e apresenta um novo modelo de empreendimento à região, fazendo um convite à reflexão sobre o futuro”, afirma Rubens Oseki. Situado próximo ao metrô, universidades e supermercados, o empreendimento ainda oferece vários tipos de serviços pay-per-use. A aposta num empreendimento de mixed use em Águas Claras surge num momento de mudança no que se refere às características urbanas da cidade. Iniciativas como essa indicam que os moradores de Águas Claras dependerão cada vez menos de serviços oferecidos no Plano Piloto.   
BSB, 14/6- Foi empossada no último dia 8, a nova diretoria do Sindicato da Habitação do Distrito Federal (Secovi/DF). Os novos diretores receberam os cargos na presença da vice-governadora do Distrito Federal, Ivelise Longhi, e de diversas autoridades do setor da construção civil e do mercado imobiliário. Miguel Setembrino, que exerceu a presidência da entidade de 2007 a 2010, repassou o cargo para Hiram Carlos Bentes, que comandará a instituição no próximo quadriênio (2010-2014). Bentes já exercia as funções inerantes ao cargo deste o inicio do ano. Hiram Bentes, ao discursar, ressaltou a importância da instituição e da união dos integrantes da diretoria, que segue praticamente a mesma do mandato anterior. “Somos uma diretoria coesa e unida com os mesmos interesses: de fortalecer os associados. Estamos há dois mandatos trabalhando juntos e motivados para o próximo quadriênio. E com o mercado imobiliário de Brasília em constante crescimento, chegando ao segundo maior do país, com um valor geral de vendas (VGV) de mais de R$ 4 bilhões vendidos em lançamentos. Isso é muito importante e diversos fatores contribuíram para isso, como a facilidade de crédito, programas habitacionais do governo que transformaram o sonho da casa própria em demanda efetiva. Estamos cientes da nossa participação nesse mercado com ética e segurança”, declarou o novo presidente do Secovi/DF.   
BSB, 8/6- A Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap) conseguiu mais um bom resultado na última licitação. A empresa recebeu 256 propostas de compra de lotes e vendeu 77 terrenos ao preço global de R$ 22,8 milhões. Lotes no Jardim Botânico 3 e em Samambaia responderam por 77% do total das vendas, somando R$ 17,6 milhões. A maior surpresa ficou por conta de um lote no Jardim Botânico 3 de 1,5 mil m2, ofertado por R$ 542 mil e arrematado por R$ 803,8 mil. As licitações deste ano já somam R$ 115,4 milhões em lotes vendidos, um crescimento de R$ 5 milhões em relação ao mesmo período de 2009. A próxima licitação da Terracap acontece no dia 24 de junho. A maior procura na licitação de maio foi por lotes no Polo de Modas no Guará. Foram apresentadas 32 propostas para apenas cinco lotes, uma média de seis pessoas disputando cada terreno. Mas as melhores vendas foram obtidas no Jardim Botânico 3 e em Samambaia.   
BSB, 1/6- Segmento da economia que mais cresce atualmente no Distrito Federal, a construção civil induziu um aumento de 18,9% na comercialização de material no primeiro trimestre deste ano em relação a igual período de 2009. O faturamento do setor varejista cresceu 23% no mesmo intervalo de tempo. Na comparação mensal, houve alta de 21% no total de vendas em março de 2010 frente ao mesmo mês de 2009, e de 24,8% no faturamento. Os dados são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e foram compilados pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), que divulgou um diagnóstico sobre a construção civil no DF. O perfil divulgado pelo Dieese mostra que o Distrito Federal fica acima da média nacional em dados relativos ao desempenho das vendas da construção. Entre 2008 e 2009, houve um aumento de 8,9% no consumo de cimento(1) no DF, de 910 mil para 991.264 toneladas. As informações são do Sindicato Nacional da Indústria do Cimento (Snic). A entidade registrou ainda que, em um período de dez anos — entre 1999 e 2009 — a quantidade de cimento vendida em Brasília e região cresceu 42,8%, superando, mais uma vez, o crescimento verificado no Brasil, que ficou em 28,53%. Somente em janeiro deste ano, o volume de cimento vendido no DF, de 80.219 toneladas, superou em 20% o negociado em igual mês do ano passado. O presidente do Sindicato do Comércio Varejista dos Materiais de Construção no DF (Sindmac-DF), Cecin Sarkis, informa que pesquisa realizada pela entidade com 35 empresas afiliadas apontou alta de 13,68% nos materiais de construção em abril deste ano em relação ao mesmo mês de 2009. Frente a março último, entretanto, houve queda no desempenho, de 8,34%, segundo o levantamento. “O mercado está muito aquecido e o setor tem receios quanto à duração disso”, declarou Sarkis. De acordo com Elson Ribeiro e Póvoa, presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil no DF (Sinduscon-DF), também existe temor por parte   
BSB, 26/5- Os setores da construção civil e o imobiliário no Brasil e em especial em Brasília, vive um boom sem precedentes. Os presságios para os setores para 2010 não poderiam ser melhores. Neste contexto o Distrito Federal ocupa lugar de destaque no cenário nacional, ocupando o segundo lugar no ranking, mostrando sua pujança através de números animadores. Júlio César Peres, primeiro vice-presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon- DF), acredita que o crescimento do setor no DF ultrapasse 15% neste ano. Isso com base nos bons resultados que o setor vem apresentando em todas as regiões da Federação. Adalberto Valadão, presidente da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário do Distrito Federal (Ademi-DF), é ainda mais otimista e acredita que o crescimento passará os 20% devido ao aquecimento de anos anteriores e aos lançamentos em diversas regiões. O Plano Piloto, região nobre com o metro quadrado mais valorizado da capital, é cobiçado pela qualidade de vida e a comodidade de estar próximo a tudo, comércio, serviços, lazer, diversão e transporte, entre outros. Tantos atrativos e poucos terrenos para construir gera uma demanda reprimida no setor residencial e comercial, que em contrapartida, tem liquidez e valorização em um curto espaço de tempo. As empresas investem em projetos que trazem conforto, segurança, opções de lazer e paisagismo. O argumento que os apartamentos do Plano Piloto são maiores, mas não têm área de lazer ou quando possuem são pequenas e ultrapassadas.   
BSB, 26/5- Prova disso são os empreendimentos lançados no Setor de Múltiplas Atividades Sul (SMAS), ou Setor Park Sul como é chamado. A nova região surgiu como um oásis em meio a falta de terrenos para construção no Plano Piloto. Além da localização privilegiada, entre a Asa Sul e Setor Sudoeste, a região permite a construção de grandes projeçõs, dentro do conceito de condomínio residencial fechado, com amplas áreas de lazer. Tais como o Living - Superquadra Sul, da JCGontijo em parceria com a Votorantim, o Ilhas Maurício Residence & Resort da construtora Vilella e Carvalho e Real Engenharia e o ParkSul Prime Residence, da Base e a Emarki. O setor é considerado a evolução das superquadras criadas por Lúcio Costa. Em meio a orla do Lago Paranoá surgem luxuosos empreendimentos exuberantes, com amplas áreas de lazer e alguns contam até com serviços. Entre as projeções na orla do lago estão: Ilhas do Lago, da PaulOOctavio Investimentos Imobiliários e o Lake View Resort da Direcional Engenharia, entre outros. Aos que não abrem mão da segurança de um condomínio fechado e nem da comodidade de morar em uma casa num local privilegiado e cercado pela natureza a Domínio Engenharia e a Emibra trazem o Maxximo Garden. Localizado no Setor Habitacional Jardim Botânico, o empreendimento é um condomínio clube de alto-padrão regularizado, que num espaço de 500 mil m2, dividido em 344 terrenos de 450 m2 a 1.400 m2, que conta com uma ampla área de lazer com variadas opções de recreação para todas as idades.   
BSB, 25/5- Terminou no último domingo (23) a sexta edição do Feirão Caixa da Casa Própria nas cidades de Brasília, Campinas, Florianópolis, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro e Uberlândia. Com exceção do Rio de Janeiro, o volume de negócios gerados movimentou de R$ 248 milhões a R$ 735 milhões. A maior quantia (R$ 735 milhões) foi verificada na cidade de Brasília, que recebeu mais de 52 mil pessoas no evento. O valor movimentado apresentou alta de 36% em relação ao registrado em 2009, de R$ 539 milhões. Já a cidade mineira de Uberlândia foi a que registrou a menor movimentação, de R$ 248,8 milhões, gerados pelas negociação de 2.459 casas e apartamentos. No município, 16.098 pessoas visitaram o Feirão. A segunda maior movimentação, em termos de valores, se deu na cidade de Porto Alegre: R$ 716,5 milhões. No feirão, a visita de mais de 26 mil pessoas fez com que 9.123 unidades fossem negociadas, sendo que os valores dos imóveis mais procurados ficaram entre R$ 50 mil e R$ 100 mil. Na cidade, o valor médio dos financiamentos encaminhados foi de R$ 78,5 mil. A quantia é cerca de 17% maior ao financiamento médio obtido em Recife. Na capital pernambucana, 48.601 pessoas visitaram o evento, que fechou mais de 6,5 mil negócios, num valor total de R$ 525,5 milhões. Por fim, nas cidades de Campinas, em São Paulo, e Florianópolis (SC), o valor movimentado nesta edição do Feirão Caixa da Casa Própria foi, respectivamente, de R$ 447 milhões e de R$ 358 milhões. No primeiro caso, durante os três dias do Feirão, foi registrada a visita de 18.951 pessoas. Já no segundo,19.961 pessoas compareceram ao evento, o que gerou 3.478 negócios. Quanto à cidade do Rio de Janeiro, entre os dias 20 e 23 deste mês, mais de R$ 901 milhões foram movimentados durante todo o Feirão, que contabilizou a geração de 9.233 negócios.   
BSB, 22/5- Começou ontem, (21) e vai até domingo (23), em Brasília/DF, o 6º Feirão Caixa da Casa Própria, que promete aumentar em cerca de R$ 600 milhões o investimento do banco no setor imobiliário no DF e Entorno. O evento acontece no Módulo A do Pavilhão da Expobrasília, no Parque da Cidade. Somente nos quatro primeiros meses do ano a Caixa Econômica Federal aplicou R$ 1,1 bilhão no setor na região, o que representa um incremento de 164% sobre o montante do mesmo período de 2009 (R$ 416 milhões). Em quantidade de imóveis o aumento chega a 227% (4.721 unidades habitacionais no ano passado ante 15.480 em 2010). Somente o programa Minha Casa Minha Vida foi responsável por R$ 514 milhões em investimentos com 8.120 unidades financiadas.Construtoras, imobiliárias e incorporadoras oferecerão este ano mais de 18 mil imóveis aos brasilienses no Feirão, com financiamento de até 100%, garantido pela CAIXA. Somente pelo programa Minha Casa Minha Vida serão disponibilizados 13 mil imóveis, cerca de 72% do total disponível. Em 2009 mais de 37 mil pessoas visitaram o Feirão em Brasília, onde foram assinados e iniciados aproximadamente 5.200 negócios – equivalente a mais de R$ 539 milhões. A expectativa este ano é de que o evento receba mais de 40 mil pessoas com volume de negócios atingindo R$ 600 milhões. Em todo o país, no primeiro quadrimestre de 2010, mais de R$ 21,2 bilhões foram destinados à habitação, atendendo mais de 347 mil famílias com financiamentos. Com os negócios previstos nos feirões, no total de mais de R$ 3,5 bilhões, a previsão é de que este ano o banco supere a marca de R$ 55 bilhões, podendo chegar a R$ 60 bilhões em investimento no setor habitacional   
BSB, 22/5- A Cygnus Imóveis instalará uma filial em Águas Claras. Como as pesquisas comprovam um crescimento no mercado imobiliário da construção na região, a empresa decidiu montar uma filial com a mesma estrutura administrativa existente na sede, no Plano Piloto. Os corretores de plantão, o call center e as negociações e fechamentos de contratos estarão disponíveis no novo endereço. O objetivo é oferecer conforto e tranquilidade aos clientes. Ainda não há uma data definida, mas em breve, a filial funcionará para oferecer uma comodidade maior. Isso é mais um reflexo da excelência que a Cygnus Imóveis oferece aos seus clientes.   
BSB, 15/5- As obras no Parque Tecnológico Capital Digital, ou Cidade Digital, como se tornou mais conhecido, estão em andamento. A construção entre a Granja do Torto e o Parque Nacional deveria estar pronta há cerca de dois anos, mas o Supremo Tribunal Federal questionou, em uma Ação Direta de Inconstitucionalidade, a divisão do terreno em quadras. Além disso, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) alegava que a iniciativa envolvia uma área ambiental. Entretanto, o projeto foi refeito para que pudesse ser licitado e nesse início do ano a Terracap, dona do terreno, transferiu para o Banco do Brasil a propriedade da área pretendida pelo consórcio BB/Caixa Econômica. Nessa área o consórcio providenciará a construção de um data-center no parque. No último dia 30 ocorreu o lançamento oficial do empreendimento. A infraestrutura interna, como o arruamento, a instalação de água, luz e rede telefônica, está sendo concluída. A partir do mês de junho, o Banco do Brasil e a Caixa Econômica, primeiros vencedores da licitação, começam a primeira construção no parque. O GDF acredita que a confirmação do data-center do BB e da CEF é “um indutor para atrair outras   
BSB, 12/5- Depois da decisão da Justiça que revogou 60 dispositivos do Plano Diretor de Ordenamento Territorial (Pdot), a Câmara Legislativa vai analisar uma proposta que prevê a suspensão de todo o documento. O Projeto de Lei Complementar nº 146/2001, apresentado em dezembro passado pela bancada do PT, está na Comissão de Assuntos Fundiários da Casa e a expectativa é que o parecer fique pronto em 30 dias. Mas o relator do processo, deputado Paulo Roriz (DEM), já adiantou que é contra a derrubada da íntegra do Pdot. O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) foi a primeira instituição a questionar o plano com o argumento de que o projeto teria sido desvirtuado com emendas parlamentares. O assunto só entrou na pauta do Conselho Especial do Tribunal de Justiça em abril último, mas o relator do processo, desembargador Otávio Augusto Barbosa, considerou inconstitucionais apenas 60 dispositivos, entre artigos, parágrafos e incisos da lei. Agora, o tema volta a ser discutido, dessa vez na Câmara Legislativa. A bancada do PT apresentou o projeto para tentar derrubar o Plano Diretor uma semana depois da deflagração da Operação Caixa de Pandora, que derrubou o GDF. Antes de emitir o parecer, o distrital Paulo Roriz pretende marcar audiência com promotores do Ministério Público e com o presidente do Tribunal de Justiça do DF, Otávio Augusto — que o foi relator da Adin contra o Pdot. A Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente (Seduma) defende a manutenção do Pdot. “O julgamento da Adin foi positivo — foram preservados os conceitos fundamentais e as diretrizes de planejamento e gestão do território contidos no Projeto de Lei nº 46/2007”, diz a nota elaborada pela Seduma.   
BSB, 10/5- Criado em meados da década de 80 como parte integrante do projeto Brasília Revisitada, do urbanista Lúcio Costa, hoje o bairro conta com uma infraestrutura completa, com escolas, hospitais, clínicas e um comércio que abrange todas as necessidades de uma comunidade. O bairro possui ainda uma gastronomia que atrai visitantes de todas as partes do Distrito Federal e um shopping que oferece diversificado leque de lazer e entretenimento. Para os investidores, o bairro ainda é um dos primeiros da lista quando o quesito é investir ou morar bem. O Sudoeste ainda é um dos bairros mais procurados para investimento no Distrito Federal. Mesmo com o lançamento de novos bairros com infraestrutura moderna, que prometem conforto e preocupação ambiental, o Sudoeste ainda possui um dos metros quadrados mais caros do DF, que gira em torno de R$ 7 mil a R$ 8 mil, dependendo da projeção. O bairro é privilegiado em localização, fator que, segundo Virgínia Cussi, administradora regional, traz vários benefícios para os moradores. “Estamos trabalhando bastante na melhoria da estrutura urbana. Foram feitos mais de 20 mil metros de calçadas nos últimos três anos, além da construção de quadras poliesportivas, implantação de postos de segurança, rampas de acessibilidade, manutenção constante dos espaços públicos da cidade e praças”, diz.   
BSB, 3/5- Muita demanda e pouca oferta. Assim é caracterizado o mercado de imóveis corporativos em Brasília. A capital da República carece deste tipo de produto. A falta de terrenos propícios para a construção dos empreendimentos é um dos principais motivos para a pequena oferta. Algumas construtoras e incorporadoras estão lançando produtos com esse perfil para atender à demanda crescente que necessita dos empreendimentos. Luiz Cesar Barreto, diretor da Consult Imóveis Imobiliária e Incorporadora, há 22 anos atuando no mercado imobiliário e há seis anos na incorporação de empreendimentos, concorda que em Brasília faltam espaços para a construção dos empreendimentos corporativos. “A falta de terrenos é um dos fatores para a escassez de ofertas e os prédios novos que foram lançados recentemente estão todos praticamente comercializados”, reitera Barreto. “Com o crescimento do mercado nos últimos cinco anos, tivemos uma valorização grande dos empreendimentos comerciais, tanto no valor de venda quanto no do aluguel. Em termos de rentabilidade, enquanto o residencial gera de 0,3% a 0,5%, o corporativo está em torno de 1%, mas a rentabilidade vai depender mesmo do empreendimento”, relata Barreto. O diretor da Consult enfatizou ainda que, apesar de os imóveis comerciais serem os preferidos dos investidores, por conta da rentabilidade, não há muitas linhas de crédito direcionadas para o produto, o que pode dificultar as vendas. Segundo dados da Associação de Dirigentes do Mercado Imobiliário do DF (Ademi), até o final de 2009 havia em estoque, disponíveis para venda, pouco mais de seis mil unidades comerciais, entre salas e lojas em todo o DF. Com o sufocamento do Plano Piloto, assim como ocorreu com os empreendimentos residenciais, a tendência dos corporativos é a descentralização dos produtos para as cidades mais próximas à região central como forma de atender à demanda existente.   
BSB, 1/5- Duas investigações em curso no Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) apuram a conduta de cooperativas habitacionais e construtoras que podem estar agindo de má-fé ao vender o sonho da casa própria, cobrar em dinheiro e não entregar a moradia. Iniciados em março deste ano, os inquéritos civis públicos apuram denúncias de que uma área de 330 mil m² no Riacho Fundo II — identificada como a quarta etapa — teria mais compradores do que espaço físico. Promotores de Justiça também investigam suposto tráfico de influência que pode ter beneficiado a construtora Costa Novaes Empreendimentos Ltda. A empresa pertence a um dos principais aliados políticos do distrital Batista das Cooperativas (PRP). Em apenas um edital em que saiu vitoriosa em 2010, a empreiteira terá a chance de movimentar R$ 40 milhões. O terreno que está no alvo do Ministério Público foi doado pela Secretaria do Patrimônio da União (SPU) e tem capacidade para abrigar até 5.138 famílias. Mas há um conjunto de 207 cooperativas, cada uma com centenas, às vezes milhares de pessoas inscritas, que pagam taxas de manutenção e até mesmo o valor integral das casas na expectativa de morar nesse espaço cedido pelo governo federal. O inquérito do MP contém os relatos de pessoas que se sentiram enganadas pelas cooperativas porque pagaram valores entre R$ 3 mil e R$ 15 mil em 2006, mas ainda moram de aluguel. As entidades ligadas às habitações, assim como as construtoras envolvidas no processo fecham negócios com base na expectativa de que terrenos do governo sejam liberados para a construção. Como existe uma negociação para que a área seja de fato autorizada, as pessoas confiam nas informações — supostamente privilegiadas — dos dirigentes de cooperativas e se arriscam em um negócio que nem sempre tem um desfecho esperado pelas famílias. É o que ocorre no caso do espaço entre as quadras 18 a 34 de Riacho Fundo II. O lugar foi doado pela União ao GDF em 2006. Mas, desde então, nenhuma casa f   
BSB, 29/4- Em 2009, o número de profissionais aumentou 21,7%, contra um crescimento nacional de 11,5%. Hoje, são 8,5 mil em todo o DF. A previsão é de que a atividade se mantenha em alta pelos próximos 20 anos Sem salário fixo nem a estabilidade tão prezada em terra de servidor público, a profissão de corretor de imóveis se transformou em uma das mais promissoras na capital federal. Em nenhum outro lugar do país, ganha-se tanto dinheiro vendendo casas e apartamentos como em Brasília. Advogados, engenheiros, economistas e até profissionais de saúde têm migrado para a corretagem. No ano passado, o contingente desses profissionais saltou 21,7% no Distrito Federal, segundo levantamento do Conselho Federal dos Corretores de Imóveis (Cofeci). O crescimento nacional foi de 11,5%. O boom imobiliário da última década provocou uma mudança no perfil do corretor. Antes encarada como atividade de fim de carreira ou apenas uma oportunidade para verba extra, a corretagem virou profissão cobiçada por jovens recém-formados, cada vez mais dispostos a investir no ramo. O mercado superaquecido passou a exigir profissionais especializados e em constante formação. Atentas a uma demanda crescente, escolas de negócios começam a oferecer cursos de gestão imobiliária.   
BSB, 28/4- Há cerca de 8,5 mil corretores em atuação no DF. E todo mês o Conselho Regional de Corretores de Imóveis (Creci) credencia cerca de 200 profissionais. Em tese, 5% do valor do imóvel vendido fica com o corretor. Mas geralmente esse percentual é repartido na imobiliária à qual ele está associado, se for o caso. Por mês, um corretor ganha no Brasil, em média, de R$ 2 a R$ 3 mil. No DF, a média sobe para R$ 5 mil. Em meses de pico de vendas, alguns chegam a faturar R$ 30 mil ou mais. Como todo autônomo, no entanto, o corretor não tem dinheiro certo no fim do mês. Aqueles que trabalham para imobiliárias ganham, no máximo, uma ajuda de custo para gastos com combustível, telefone e alimentação. De resto, é ele quem faz o próprio salário. No DF, os preços dos imóveis atraem corretores de outros estados. Em um lugar onde o metro quadrado pode custar R$ 12 mil, aumenta-se a chance de ganhar uma bolada em uma única venda. O Noroeste e os investimentos em cidades do DF e do Entorno crescem a expectativa por ganhos elevados e a curto prazo. O presidente do Creci, Hermes Alcântara, nega modismo ou deslumbramento em torno da profissão. "Isso é real. Só tem um jeito de o mercado desaquecer: se revogarem a lei da oferta e da procura", diz. "Pelo menos nos próximos 20 anos, o corretor será a profissão do momento, ainda mais em Brasília", completa o presidente do Cofeci, João Teodoro da Silva.   
BSB, 28/4- Para não ter de pagar honorários a corretores e imobiliárias, há quem decida vender imóveis por conta própria. Na avaliação do presidente do Creci, Hermes Alcântara, muita gente não confia no trabalho do corretor. "Os picaretas mancham a nossa imagem", afirma. Somente nos três primeiros meses deste ano, o conselho identificou 69 pessoas que exerciam a profissão ilegalmente. Sete funcionários são responsáveis pela fiscalização em todo o DF. Quem atua como corretor sem ter o curso específico nem a carteira do Creci comete uma contravenção penal e, por isso, pode pegar de 15 dias a três meses de prisão, além de ser obrigado a pagar multa. Mas, geralmente, quando levado à delegacia, o acusado assina um termo circunstanciado e é liberado. "O primeiro erro parte do comprador, que não procura saber se aquele corretor é ou não credenciado", comenta Alcântara.   
BSB, 23/4- A construção do Noroeste está sendo questionada na justiça. Na semana passada, a Promotoria de Defesa da Ordem Urbanística (Prourb), do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), ajuizou ação cautelar na Justiça, pedindo a paralisação imediata das obras de infraestrutura no local. A ação também pede que não sejam expedidos alvarás para as construções previstas no setor. De acordo com a promotoria, uma área do Noroeste está localizada em local diferente do previsto no projeto de Lucio Costa, invadindo área tombada. Há quatro anos, organizações não governamentais ligadas ao meio ambiente ingressaram ao Ministério Público com denúncias de possíveis irregularidades ligadas às obras no local. A urbanização da área estaria, inclusive, afetando o Parque Ecológico Burle Marx. No lugar da vegetação nativa do cerrado, foram construídos lagos para a contenção das águas das chuvas. Mas, especula-se que a enxurrada que inundou a garagem de um prédio na 911 Norte, no começo do mês, já seria uma consequência do desmatamento no Parque Burle Marx. Esta não é a primeira dificuldade que o governo enfrenta para erguer o Noroeste. Em novembro do ano passado, as obras no local foram paralisadas depois que uma ação civil do Ministério Público impediu qualquer empreendimento dentro da área de 12 hectares reivindicada pela comunidade indígena Bananal/Santuário dos Pajés.   
BSB, 19/4- A Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap) coloca à venda 180 lotes residenciais e comerciais em diversas cidades do Distrito Federal na licitação que acontece no próximo dia 29. Os destaques são para 33 terrenos no Jardim Botânico 3, 63 em Samambaia e 51 na Ceilândia. Qualquer lote pode ser parcelado em até 240 meses. Para participar, o interessado deve depositar caução em qualquer agência do Banco de Brasília (BRB) até as 16 horas da quarta-feira (28). A licitação começa às 9h, no auditório da Terracap, atrás do Palácio do Buriti. Jardim Botânico 3 é a região campeã em vendas. Já foram vendidos 450 dos 665 terrenos existentes no bairro. A concorrência por lote nessa região é a mais alta já registrada na estatal, onde cada terreno é disputado por cerca de seis interessados. Samambaia e Ceilândia, regiões servidas por linhas do metrô e universidades, estão recebendo novos empreendimentos imobiliários e, junto com Taguatinga, formam o maior pólo econômico e populacional do DF, atraindo um grande número de investidores potenciais. Ceilândia é outra opção de investimento, uma cidade com toda infraestrutura, equipamentos públicos como hospital, escolas, e terrenos comerciais e residenciais disponíveis para construir. Os preços dos 51 lotes colocados à venda variam de R$ 44,1 mil (210 metros quadrados no Setor Industrial) a R$ 467,7 mil (591 metros quadrados na QNQ). Para quem prefere investir em outras regiões, a Terracap colocou à venda mais 33 lotes em outras dez cidades do Distrito Federal.   
BSB, 18/4- A Câmara Legislativa aprovou, esta semana, o projeto de Lei Complementar nº 151/2010, que prorroga o prazo para adequação dos comércios da Asa Sul, ao disposto na Lei Complementar nº 766/2008. Os comerciantes têm, agora, até o dia 30 de abril de 2011 para enquadrar os "puxadinhos" à padronização legal. Aprovada em junho de 2008 pela Câmara Legislativa do DF, depois de muita articulação entre empresários e membros do governo e de entidades de defesa do patrimônio, a lei dos puxadinhos admite, por meio de concessão de uso, a ocupação da área pública adjacente às lojas do comércio local da Asa Sul sendo obrigatória a padronização dos blocos. A parte de trás da maioria dos estabelecimentos, por exemplo, pode avançar até 6 metros em direção à quadra residencial, mas as calçadas da frente têm de permitir a livre circulação dos pedestres.   
BSB, 16/4- O que se espera do DF para os próximos 50 anos? Que tipo de reflexão pode-se fazer acerca do futuro para que a cidade cresça de forma sustentável? Este é o mote da campanha Pense DF, promovida pela Brookfield Incorporações. O objetivo é mobilizar as pessoas a discutir ideias e propostas sobre como a região pode crescer ainda mais e se tornar referência no país em diversos setores. Para Rubens Oseki, superintendente comercial da Brookfield Incorporações para Goiás e Distrito Federal, mais do que imaginar o dia de amanhã, é possível construir o futuro de Brasília a partir de hoje, com a participação de todos os moradores da cidade. Para participar desse debate, basta acessar o site www.pensedf.com. No portal é possível postar vídeos e debater diversos temas, como Urbanismo, Trânsito, Saúde, Poluição, Trânsito, Segurança, Moradia e Administração Política. Basta se cadastrar e registrar o comentário. No site, também será possível participar de um concurso cultural. Para participar, basta acessar o site www.pensedf.com, fazer o cadastro e responder a pergunta: O que você espera do Distrito Federal daqui a 50 anos? Os autores das cinco frases mais votadas pelos internautas ganharão prêmios. Quem conquistar a primeira colocação, ganha um Macbook Pro. Do segundo ao quinto colocado, o prêmio é um IPhone 3GS. Os interessados em participar podem cadastrar a sua frase até 22 de abril. A votação vai de 23/4 até 23/5.   
BSB, 9/4. O promotor de justiça Roberto Carlos Silva, Assessor de Controle de Constitucionalidade da PGJ/MPDFT, se diz confiante de que a justiça irá impugnar a revisão do PDOT aprovada na Câmara Legislativa. Isso porque a lei tem um “vício de origem”, ou seja, um erro que a invalida por completo: o substitutivo aprovado é tão diferente do projeto original apresentado pelo governador que pode ser considerado um novo projeto, de autoria do Legislativo. E somente o Executivo pode apresentar uma proposta de Plano Diretor. O promotor ainda cita diversos problemas de desrespeito à Lei Orgânica como fatores para o TJDFT invalidar o Plano, e considera isso uma oportunidade de debater e rever os critérios a serem adotados no PDOT. Sobre os possíveis prejuízos à sociedade do DF, o promotor comenta: “como vai voltar a valer a lei anterior, eu pergunto: prejuízo para a população? Mais ou menos, pois já há um regramento sobre área que é urbana, área que é rural, etc. Mas se a lei for revogada, o Distrito Federal terá uma oportunidade de rever alguns critérios que foram adotados. Algumas localidades que poderão ser habitadas, algumas que poderão ser área de preservação ambiental, áreas de mananciais, tudo isso é importante. Até porque nós discutimos tudo isso durante o processo de elaboração da lei. Brasília tem um problema sério de água. E uma das áreas onde há um reservatório significativo é o Catetinho, e está sendo transformada em área de expansão urbana. Isso pode agravar ainda mais essa situação da água do DF.   
BSB, 9/4- Tomou posse, no último dia 7, em solenidade realizada no Hotel Nacional de Brasília, a nova diretoria da Federação Nacional dos Corretores de Imóveis (Fenaci). O evento foi prestigiado por políticos, presidentes de sindicatos de corretores de imóveis de todo o Brasil, dirigentes sindicais de várias entidades representativas dos profissionais liberais, além de colegas corretores de imóveis. Presidida pelo corretor de imóveis gaúcho, Carlos Alberto de Azevedo, a diretoria empossada tem como meta maior a continuidade das ações que envolvem, principalmente, as questões de valorização e qualificação do profissional corretor de imóveis. "Estamos empenhados, verdadeiramente, em criar uma plataforma sólida para que a categoria possa alçar voos ainda maiores. A nossa meta é que os corretores de imóveis em todos os quadrantes do Brasil tenham o seu trabalho merecidamente reconhecido tanto em nível local, quanto nacional e internacionalmente. Para isso a Fenaci, em parceria com os sindicatos, Brasil afora, e entidades nacionais e internacionais, vem implementando uma política proativa de parcerias e convênios buscando obsessivamente uma maior e melhor qualificação dos profissionais", destacou Azevedo. O presidente da Fenaci lembrou que um dos destaques da agenda da Federação neste ano, será a realização do XXIII Conaci (Congresso Nacional de Corretores de Imóveis), que acontecerá entre os dias 8 e 11 de setembro, em Florianópolis (SC). "Nesta edição do Conaci, que é o maior e mais aguardado encontro da categoria, além de temas de alto interesse em âmbito nacional para os corretores de imóveis, teremos, pela primeira vez a realização de intensas pautas internacionais, com a participação de colegas corretores de imóveis e dirigentes de associações da Europa e Estados Unidos. Portanto, é uma oportunidade impar para que o profissional brasileiro possa não só conhecer mais sobre o mercado internacional, como também estabelecer contatos para   
BSB, 3/4- O prazo para a regularização dos puxadinhos da Asa Sul acaba nesta segunda-feira, mas a Administração de Brasília só recebeu os projetos de legalização de 80 dos 220 blocos comerciais da região. A expectativa é de que o último dia para entrega da documentação seja bastante movimentado. A maioria dos comerciantes corre para apresentar os estudos de legalização antes do fim do prazo, já que a Agência de Fiscalização do Distrito Federal promete multar e até mesmo demolir as construções irregulares em área pública. Apesar de a Agefis já ter um cronograma de operações pronto, pelo menos 280 lojistas estão livres das sanções. Na última quarta-feira, a Associação Comercial do Distrito Federal conseguiu uma liminar que impede notificações e derrubadas dos puxadinhos de seus associados. O comércio da Asa Sul tem 220 blocos e cerca de 2,4 mil lojas. Pela legislação, os projetos de regularização devem ser apresentados por edifício comercial, e não separadamente por cada lojista. Assim, é preciso que haja um consenso entre todos os empresários de cada bloco no momento da apresentação dos estudos à Administração de Brasília.   
BSB, 3/4- Essa é uma das principais reclamações dos empresários. Eles alegam que a obrigatoriedade de apresentação de projetos coletivos seria inconstitucional e argumentam que é complicado buscar um acordo com os vizinhos. Na ação, a Associação Comercial também alegou que o prazo de um ano previsto pela Lei 766/08 seria insuficiente para elaboração dos projetos e execução das obras de regularização. O desembargador Romeu Gonzaga Neiva, que concedeu a liminar aos lojistas filiados à Associação Comercial, argumentou que há um risco de “dano irreparável com o imediato cumprimento da ordem de demolição”. O magistrado afirmou, entretanto, que a suspensão das ações de fiscalização será mantida apenas até a análise do mérito da demanda apresentada na ação. A liminar concedida pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal vale apenas para os 280 lojistas associados à entidade. Os outros 2.120 comerciantes estão sujeitos às sanções previstas na lei, caso não apresentem o projeto de regularização dos puxadinhos até segunda-feira. O TJDF ainda vai julgar o mérito do processo e a Procuradoria do Distrito Federal também deve recorrer da decisão   
BSB, 31/3- Desde ontem, 30 de março, já está aberto ao público o Iguatemi Brasília. O novo shopping traz a marca da Iguatemi Empresa de Shoppings Centers (IESC), reconhecida como uma empresa full service (planeja, constrói e administra). “O shopping vai surpreender os brasilienses, reunindo em um só lugar: moda, lazer, serviços, gastronomia, passeio e entretenimento”, afirma o presidente do Grupo Iguatemi, Carlos Jereissati Filho. “É uma honra para o Iguatemi chegar à capital federal no momento em que se comemora o aniversário de 50 anos”, ressalta Carlos Filho. Ele conta sobre uma antiga paixão por Brasília e afirma que a família sempre teve o desejo de trazer um empreendimento de grande porte, compatível com a importância da cidade e com o elevado nível de exigência do consumidor brasiliense. Um dos diferencias do Iguatemi Brasília será a gestão do Shopping, a cargo da Iguatemi Empresa de Shopping Centers, responsável por manter uma equipe de excelência reconhecida e atualizada aos principais conceitos internacionais. O Grupo Iguatemi e as Organizações PaulOOctavio investiram mais de R$ 180 milhões na construção do Shopping, com geração de mais de mil empregos durante a obra e 1.500 mil empregos diretos, a partir do pleno funcionamento do Shopping. A expectativa é ter um faturamento já no primeiro ano de R$ 250 milhões e um fluxo médio de circulação diária de 30 a 35 mil pessoas. “Estamos preparados para atender a este público, com três mil vagas de estacionamento, sendo 1.800 cobertas, o que significam pelo menos 8.500 vagas rotativas”, explica o presidente do Grupo Iguatemi.   
BSB, 29/3- A Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap), na licitação realizada na quinta-feira (25), vendeu 111 dos 200 lotes ofertados, arrecadando o total de R$ 35,6 milhões. As vendas foram impulsionadas pelos terrenos do Setor Habitacional Jardim Botânico 3, onde a Terracap vendeu 56 dos 58 lotes licitados, que renderam R$ 17 milhões. A próxima licitação da Terracap será no dia 28 de abril, quando serão colocados à venda novos lotes no Jardim Botânico 3 e em outras cidades do DF. Mais de 400 pessoas lotaram o auditório da Terracap, a maioria interessada em lotes no Jardim Botânico 3. Das 434 propostas de compra apresentadas, 317 foram direcionadas aos lotes no novo bairro. A grande procura aumentou a valorização dos terrenos. Em outubro de 2008, quando o bairro foi lançado, lotes de 800 metros quadrados foram arrematados pelo preço médio de R$ 170 mil. Lotes do mesmo tamanho foram vendidos pelo preço médio de R$ 290 mil. No Jardim Botânico 3, o lote mais barato (800 metros quadrados) saiu por R$ 212 mil e o mais caro (1.182 metros quadrados), por R$ 378 mil. O presidente da Terracap, Dalmo Alexandre Costa, atribui o sucesso da nova licitação à alta qualidade do empreendimento. “O Jardim Botânico 3 fica na região do Lago Sul, está a 15 minutos do Plano Piloto, já tem asfalto, água, energia elétrica e esgoto”, enumerou. “Tudo isso contribui para aumentar a procura. Quem quer comprar, oferece o que pode, daí a valorização constante dos lotes a cada licitação”, explicou Dalmo.   
BSB, 24/3- O mercado imobiliário do Distrito Federal está cada vez mais valorizado. Ao lado do Rio de Janeiro, o DF fica atrás apenas de São Paulo em volume de vendas e faturamento. Em 2009, a valorização foi ainda mais forte e espera-se uma alta ainda maior para 2010, haja vista que os financiamentos estão em alta e que existe um grande número de interessados em adquirir imóveis, uma vez que os financiamentos estão cabendo no orçamento da população. “Brasília é um mercado atípico, onde a demanda é maior que a oferta” afirma Marcelo Ramos, Diretor Comercial da Wimoveis. Segundo ele, investir em Imóveis na em Brasília é sucesso na certa. Uma prova disto são os números e os resultados do Portal WImoveis.com, que sempre impressionaram os seus visitantes, anunciantes e colaboradores. Mensalmente apresenta uma oferta com mais de 30.000 imóveis para venda e aluguel e no mês de fevereiro de 2010 registrou mais de 530.0000 visitas na sua 1a pagina. Todos estes imóveis foram visualizados mais de 4 milhões de vezes. Este número é 25% maior que o mesmo período de 2009. Demonstrando que os brasilienses continuam ávidos em busca da realização do sonho da casa própria e investem neste sólido e lucrativo mercado.   
BSB, 23/3- Segundo dados coletados, 73% dos imóveis visualizados foram para compra ou venda, e 27% para locação. Acpmpanhe a seguir, os cinco tipos de imóveis mais visualizados de cada uma destas operações: Compra e Venda: Apartamento de 3 quartos em Águas Claras (Norte E Sul) - (7,52%) ; apartamento de 2 quartos em Águas Claras (Norte E Sul) - (5,63%); apartamento de 3 quartos em Brasília, Asa Norte - (4,01%); apartamento de 3 quartos em Brasília, Asa Sul - (2,97%); casa de 4 quartos em Brasília, Lago Sul - (2,16%). Já no caso das locações, os números são os seguintes: Quitinete em Brasília, Asa Norte - (4,86%); apartamento de 2 quartos em Brasília, Asa Norte, - (4,73%); apartamento de 1 quarto m Brasília, Asa Norte, - (3,7%); apartamento de 3 quartos em Brasília, Asa Norte,- (3,59%); apartamento de 2 quartos em Brasília, Sudoeste,- (3,48%).   
BSB, 24/3- De acordo com estes números podemos afirmar que quando o assunto é compra e venda de imóveis, o tipo de imóvel mais procurado pelos visitantes do WImoveis.com é apartamento. Águas Claras foi a região mais procurada e a Asa Norte também se destaca junto a Asa Sul. Não podemos deixar de citar a surpreendente colocação da região do Lago Sul em 5o Lugar, já que os imóveis nesta área nobre tem o preço médio registrado no Portal de R$1.800.000,00 . Em relação à locação a região da Asa Norte ocupa 4 das 5 posições dos imóveis mais visualizados e os imóveis de menor área útil são os mais procurados, sendo liderado pelas kitinetes e seguidos pelos apartamentos de 2, 1 e 3 quartos. A Wimoveis.com é o portal mais completo no ramo imobiliário de Brasília, e atualmente é considerado o 2º maior portal exclusivo de imóveis do Brasil em páginas acessadas e o 1° em acesso per capita.   
BSB, 23/3- Representantes do setor produtivo do Distrito Federal não querem ouvir falar na possibilidade de intervenção no governo local. Empresários fazem previsões desastrosas para a economia, caso um interventor assuma o comando da capital do país. Acreditam que contratos e licitações do GDF seriam imediatamente suspensos, o que resultaria na extinção de cerca de 250 mil empregos diretos e indiretos. As demissões afetariam principalmente os segmentos da construção civil e de informática. Para o setor produtivo, a interferência externa na cidade não teria condições de reestuturar os poderes locais abalados com a crise política . "O que está ruim ficaria ainda pior", diz Danielle Moreira, presidente da Associação Comercial do DF (ACDF). O estouro da Operação Caixa Pandora - em 27 de novembro - foi suficiente para atingir a economia da capital. Danielle, da ACDF, conta que pelo menos duas multinacionais - dos ramos farmacêutico e alimentício - desistiram de instalar indústrias no DF, embora as negociações estivessem avançadas. "Temos vários investidores estrangeiros de olho em Brasília. A intervenção mancharia ainda mais nossa imagem lá fora", comenta. "Até a Copa (em 2014) deixaríamos de sediar. Não haveria tempo hábil para as obras", acredita. O presidente da Federação das Indústrias do DF (Fibra), Antônio Rocha, lembra que o governo local é o cliente mais importante do setor. Com a intervenção, prevê ele, contratos seriam suspensos, o que afetaria o caixa das empresas, a ponto de quebrar as menos estruturadas. "A economia iria parar. Fico preocupado com os empregos que seriam perdidos. Até o interventor tomar conhecimento da situação, ele paralisaria as obras, por exemplo, e forçaria as demissões", discorre.   
BSB, 16/3- A Via Engenharia está lançando seu quarto empreendimento residencial no Setor Noroeste. Localizado na quadra 311, o Via Positano terá 48 apartamentos vazados de quatro quartos, com quatro suítes (apartamentos de canto) ou duas suítes e duas semi-suítes (apartamentos de meio), além de coberturas duplex individual com área privativa de até 350 metros quadrados. O residencial segue o padrão de excelência em conforto, tecnologia e sustentabilidade consagrados pela principal construtora do Centro-Oeste. A área de lazer é um dos principais destaques do empreendimento. Na cobertura coletiva, os moradores terão acesso à piscina adulto integrada à sauna, piscina infantil, fitness, espaço gourmet com home cinema integrado, terraço gourmet com churrasqueira e exclusivo espaço kids. No térreo, será construído um salão de festas para a comodidade dos moradores. Todos os ambientes serão entregues totalmente equipados e decorados. A tecnologia também merece atenção especial. O Via Positano terá um sistema que centraliza e distribui, de forma inteligente, rede de dados para telefonia, internet e intranet nas salas e quartos sociais; infraestrutura pronta para medição de água e gás para conveniência dos moradores; aquecimento de água a gás com uso de energia solar complementar; paredes internas com tecnologia drywall certificada que possibilitam flexibilidade, resistência e melhor conforto térmico e acústico; instalações hidráulicas com sistema em shafts visitáveis e vaso sanitário com dois estágios. Em termos de segurança, o empreendimento terá Infraestrutura para instalação de câmeras de segurança pelo proprietário nas salas, quartos sociais, cozinha e área de serviço do apartamento; alarme de segurança na porta social e de serviço com acionamento por controle remoto; botão antipânico instalado na suíte máster, para avisar a portaria em caso de emergência; e sensores de incêndio e de vazamento de gás instalado na cozinha.   
BSB, 15/3- O Custo Unitário Básico por metro quadrado (CUB/m²) no Distrito Federal, referente a fevereiro de 2010, teve alta de 0,35% em relação a janeiro deste ano. Com esse resultado, o custo do metro quadrado no DF ficou um pouco mais caro, passando para R$ 774,98. Dos 29 insumos pesquisados, onze apresentaram redução em seus preços, 13 apresentaram aumento e os demais permaneceram estáveis. Entre os materiais com maior representatividade na composição do CUB que apresentaram redução no custo, estão a bancada de pia de mármore branco 2,00 X 0,60 X 0,02 m, a esquadria de correr tamanho 2,00 x 1,40 m e o aço CA-50 Ø 10 mm. Nos 12 meses fechados em fevereiro, o CUB-DF apresentou variação acumulada de 3,34% enquanto a do IGP-M foi de 0,24% . O CUB/m² é calculado e divulgado mensalmente pelo Sinduscon-DF, que acompanha a evolução dos preços de 25 materiais de construção, salários de três categorias de mão de obra (pedreiro, servente e engenheiro) e um equipamento (aluguel de betoneira).   
BSB, 13/3- Mais uma etapa do novo bairro planejado do Distrito Federal foi lançada. As unidades da terceira quadra do Setor Total Ville já podem ser adquiridas pelos moradores e interessados em viver neste novo conceito de moradia. As primeiras quadras foram um sucesso de vendas, segundo a equipe da Direcional, empresa responsável pelo projeto. A expectativa é de comercializar 250 unidades só no primeiro dia. Ao todo serão 12 quadras, totalizando cinco mil unidades em uma mistura de casas e apartamentos. O gerente regional da Direcional, Paulo Assis, conta que já foram comercializadas 800 casas e apartamentos das duas quadras lançadas. Por estar vinculado ao programa do governo federal, Minha Casa, Minha Vida, as condições de pagamento são as melhores e acessíveis a todos. “As formas que o cliente terá para pagar a unidade são as mais viáveis. As unidades custam R$ 94 mil e as prestações que o morador pagará por mês são de R$ 250,00. O imóvel também pode ser 100% financiado pela Caixa. Fizemos consultas e uma análise do mercado para saber as formas de pagamentos e os valores que seriam acessíveis ao perfil dos nossos compradores. A pessoa vai morar em uma megaestrutura pagando um preço baixo”, ressalta o gerente. O Total Ville foi concebido nos moldes dos condomínios de luxo que encontramos em outros estados, como, por exemplo, o Alphaville, em São Paulo. “Desenvolvemos o setor com os mesmos conceitos e diferenciais que encontramos em bairros da classe alta. A única diferença é que adaptamos os serviços e os preços para a classe baixa”.   
BSB, 5/3- No dia 07 de março, a Via Engenharia comemora 30 anos de atividade. Para comemorar a data, a empresa promove, de 08 a 12 de março, a Semana de Segurança do Trabalho, que incluirá 20 canteiros de obras da Via no Distrito Federal e em oito estados (Paraíba, Pernambuco, Roraima, Pará, Goiás, Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro). O objetivo da campanha é conscientizar os cerca de quatro mil colaboradores da empresa sobre a necessidade de cuidados para evitar acidentes e garantir a segurança de todos. A abertura oficial da semana de segurança será na segunda-feira, 08 de março, a partir das 9 horas, no canteiro de obras da nova sede do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Além da presidência e diretoria da empresa, estarão presentes representantes de diversas instituições e órgãos públicos que apoiam a iniciativa, como Fundacentro, Sindicato dos Trabalhadores, Sinduscon-DF, CNTI, Senai e Secretaria do Trabalho, entre outros. Durante a Semana de Segurança, serão distribuídas cartilhas com normas de conduta para um trabalho mais seguro e exibidos vídeos educativos sobre o tema. Também será apresentada uma peça de teatro sobre a segurança nos canteiros de obra, interpretada pelo grupo do Serviço Social do Distrito Federal (Seconci-DF). Em 30 anos de atuação no mercado de construção pesada e de construção e incorporação imobiliária no Distrito Federal e em vários outros estados do Brasil, a Via Engenharia realizou obras importantes, como a Ponte JK e o Museu Nacional, em Brasília, o Expominas e o recém-inaugurado Centro Administrativo de Minas Gerais, em Belo Horizonte, a Estação Ciência, Cultura e Artes, em João Pessoa (PB), além de milhares de quilômetros de rodovias pelo país. Na área imobiliária, a empresa já entregou, rigorosamente no prazo, mais de 30 mil imóveis residenciais e comerciais em Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo.   
BSB, 3/3- Previsto para ser lançado em março, o centro de eventos Unique Palace chega a Brasília trazendo modernidade e conforto em sua arquitetura. A casa é ideal para receber eventos de pequeno, médio e grande porte, desde encontros empresariais a shows abertos ao público em geral. Traços retos, pintura branca e amplitude são as principais características do Unique Palace. O arquiteto responsável pela obra foi o renomado Ataliba Teixeira. Depois do projeto arquitetônico finalizado, a obra do centro de eventos levou 16 meses para ser concluída. A execução contou com cerca de 40 empresas da construção civil, obedecendo a um ritmo acelerado, integrado e bastante produtivo. Segundo os proprietários Kássio Vieira da Costa , Caroline Borges, Rangel Borges e Rossano Araújo, a ideia foi desenvolver um espaço com ambientes variados, indicados para diversos tipos de evento. Foi com esse objetivo que o arquiteto, juntamente com os proprietários, optou por um projeto que incluísse uma divisória acústica de última geração no salão principal, o qual possui 1.388 m² de área, sem contar com a recepção. A ideia foi separar o ambiente em dois espaços, um com capacidade para 400 pessoas e o outro, com capacidade para 600 convidados. As seis salas corporativas também têm divisórias que possibilitam criar espaços entre 50 m² e 150 m². Ampla cozinha industrial, acabamento de som e luz, subestação elétrica, gerador de energia, ar-condicionado central, suíte para noivos, sala vip, dois jardins e duas entradas independentes completam a infraestrutura do prédio. A área externa possui amplo estacionamento e uma área verde, que também comporta eventos.   
BSB, 27/2- Na primeira licitação do ano, realizada nesta quinta-feira (25), a Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap) vendeu 61 lotes, faturando o montante de R$ 16 milhões. O resultado da licitação foi quase o mesmo de fevereiro do ano passado, quando a empresa vendeu 50 lotes por R$ 15,9 milhões. Segundo o presidente da empresa, Dalmo Alexandre Costa, o volume de vendas só não foi maior porque a companhia teve de retirar da licitação, por motivos administrativos, 38 dos 150 lotes ofertados. “Com a retirada desses lotes, a oferta caiu e, consequentemente, o volume de vendas também”, explicou. As vendas foram impulsionadas por lotes no Jardim Botânico 3, que receberam 184 das 330 propostas de compra apresentadas. Ou seja, 54,76% dos lances foram para os lotes do novo bairro, média de nove propostas para cada terreno vendido. Dos 21 terrenos ofertados no Jardim Botânico 3, apenas um não foi arrematado. O presidente da Terracap atribuiu a grande procura à localização do novo bairro e, principalmente, à conclusão das obras de infraestrutura, que também vêm influenciando nos preços. Em outubro de 2008, terrenos de 800m2 começaram a ser vendidos por R$ 164 mil. Na quinta-feira (25) foram vendidos ao preço médio de R$ 287 mil. No novo bairro, o lote mais barato, com cerca de 800m2, estava ofertado por R$ 224 mil e foi arrematado por R$ 261,3 mil. O maior preço alcançado foi por um lote de 892m2, ofertado por R$ 222,6 mil e vendido por R$ 345 mil. Os preços dos terrenos tiveram, em média, valorização de 30%. No total, os lotes do Jardim Botânico 3 renderam à Terracap R$ 5,7 milhões. Os lotes de Samambaia também foram bastante disputados. A Terracap arrecadou R$ 4,2 milhões com a venda de 23 lotes na satélite. A surpresa maior, porém, ficou por conta de Águas Claras, onde, proporcionalmente, a Terracap vendeu menos e faturou mais: R$ 3,2 milhões com a venda de apenas três terrenos.   
BSB, 24/2- A Emplavi lança o residencial Jardins Bela Vista no primeiro bairro ecológico do país. Localizado na quadra 108 do Setor Noroeste, o empreendimento é formado por 96 unidades, com apartamentos de dois quartos e coberturas privativas e coletivas. Entre alguns benefícios oferecidos pelo condomínio aos moradores estão oito elevadores de última geração, além de áreas comuns entregues equipadas e mobiliadas, como salão de festas, churrasqueiras coletivas e brinquedoteca com sistema de monitoramento CFTV. O Jardins Bela Vista possui espaço gourmet, espaço fitness com vista externa e ar-condicionado, sauna integrada à piscina com passagem de mergulho e piscinas infantil e adulto aquecidas. Outras características implantadas no residencial têm o objetivo de garantir a segurança dos moradores, como sensor de vazamento de gás na cozinha, portões de garagem com acionamento eletromecânico por controle remoto, sistema de combate a incêndio, acesso às entradas sociais e de serviço com acionamento eletrônico e central de portaria dotada de controle de segurança para as entradas social e de serviço. As unidades do residencial já estão sendo comercializadas pela Emplavi. Os interessados em obter mais detalhes sobre o empreendimento devem entrar em contato com a construtora pelo telefone (61) 3345-9400 ou buscar informações nos estandes de venda.   
BSB, 22/2- Residencial Dolce Vittá está sendo um sucesso: 80% das unidades estão vendidas. É um lançamento da Silco, Soltec, Milenium e BCI Construtoras. Não perca o melhor de dois e três quartos no Guará. O empreendimento conta com área de lazer completa, piscina, espaço fitness, quadra poliesportiva, pista de skate, churrasqueira com forno de pizza, salão de festas adulto e infantil, salão de jogos, lan house e sala de estudos. Morar no Dolce Vittá é ter tranquilidade e conforto, próximo à estação do metrô, supermercados e bancos. Este sonho pode ser mais fácil de realizar do que você pensa. Com sinal apenas de R$ 23.000,00 e parcelas que cabem no seu bolso! Agende uma visita no decorado. Ligue: 8487-3562 Cj9664.   
BSB, 21/2- O Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Residenciais e Comerciais do DF elegeu no último dia 11 sua nova diretoria, composta pelo Conselho Fiscal e pelos delegados-representantes junto à Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Distrito Federal – Fecomércio/DF. Compareceram à eleição mais de 2/3 dos associados e a nova diretoria foi aclamada. Os novos membros do Secovi/DF eleitos pela categoria são: Carlos Hiram Bentes David (presidente); Ovídio Maia Filho (vice-presidente); Robson Cunha Moll (1º vice-presidente administrativo); Esmeraldo Dall´oca (2º vice-presidente administrativo); Romeu Gonçalves de Carvalho (1º vice-presidente financeiro); Alberto Fernandes de Sousa (2º vice-presidente financeiro); Gilvan João da Silva (vice-presidente de comunicação e marketing); Luís César de Castro Barreto (vice-presidente comercial).   
BSB, 19/2- A Emplavi lança um novo residencial, localizado na quadra 108, no Setor Noroeste. Intitulado Jardins Bela Vista, o condomínio representa o segundo investimento da construtora no primeiro bairro ecológico do país. O empreendimento, formado por 96 unidades, com apartamentos de dois quartos e coberturas privativas e coletiva, possui localização privilegiada, tendo em vista a proximidade do Parque Burle Marx. Entre alguns benefícios oferecidos no condomínio estão oito elevadores de última geração, além de áreas comuns entregues pela Emplavi equipadas e mobiliadas. Entre elas, salão de festas, churrasqueiras coletivas e brinquedoteca com sistema de monitoramento CFTV. O Jardins Bela Vista ainda possui espaço gourmet, espaço fitness com vista externa e ar-condicionado, sauna integrada à piscina com passagem de mergulho e piscinas infantil e adulto aquecidas. Segundo o presidente da Emplavi, Gil Pereira, a possibilidade de morar num condomínio, com ruas largas, ciclovias e amplos espaços arborizados, representa um excelente investimento para aqueles que buscam viver com qualidade, em conformidade com as necessidades do meio ambiente.   
BSB, 12/2- Com 15 empreendimentos em construção em várias cidades do Distrito Federal, a Brookfield Incorporações deu início às obras de mais um imóvel. Trata-se do Show de Morar Ceilândia, o Allegro, que se tornou um dos grandes sucessos de venda da incorporadora em 2009. O Allegro trará à região um novo conceito de morar bem, com conforto, diversão e segurança. Será um empreendimento sem igual?, garante Rubens Oseki, superintendente comercial da Brookfield Incorporações no DF e em Goiás. Em ritmo acelerado, já começaram as fundações do imóvel. A primeira torre do Allegro será entregue em agosto de 2011 e a incorporadora prevê que o empreendimento esteja finalizado em abril de 2013. As obras começaram no final de dezembro. De acordo com Marcelo Borba, diretor executivo de construção da Unidade de Negócio do Centro-Oeste da Brookfield Incorporações, no momento, estão sendo construídas as fundações dos blocos A e B. Borba afirma que a estratégia de investir em empreendimentos como o Allegro, localizado em Ceilândia, atende a uma demanda latente que existe nas cidades-satélites do Distrito Federal.   
BSB, 11/2- A Emplavi lança residencial localizado na quadra 108, do Setor Noroeste. Intitulado Jardins Bela Vista, o condomínio representa o segundo investimento da construtora no primeiro bairro ecológico do país. O empreendimento, formado por 96 unidades, com apartamentos de dois quartos e coberturas privativas e coletiva, possui localização privilegiada, tendo em vista a proximidade do Parque Burle Marx. Segundo o presidente da Emplavi, Gil Pereira, a possibilidade de morar num condomínio, com ruas largas, ciclovias e amplos espaços arborizados, representa um excelente investimento para aqueles que buscam viver com qualidade, em conformidade com as necessidades do meio ambiente. O condomínio apresenta aspectos que o diferencia dos demais, principalmente em espaços criados para proporcionar a modernidade ecológica. Por exemplo, o sistema de aquecimento solar para água, com aproveitamento da área de telhado, aquecedor complementar instalado em conjunto com o sistema de aquecimento solar, medição individual de água, gás e energia, além de sistema de descarga do sanitário, com dois níveis de acionamento. As unidades do residencial já estão sendo comercializadas pela Emplavi. Os interessados em obter mais detalhes sobre o empreendimento devem entrar em contato com a construtora pelo telefone (61) 3345-9400 ou buscar informações nos estandes de venda.   
BSB, 10/2- Ajudar a prever, avaliar e remediar impactos ambientais são atribuições do profissional de Engenharia Ambiental. O novo curso de graduação da Universidade de Brasília abriu 40 vagas para jovens que querem ingressar em uma das carreiras do futuro. “À medida em que cresce a urbanização e o clima muda, as questões ambientais vão ocupar o centro dos debates da sociedade”, explica a diretora do curso, professora Cristina Brandão. A UnB criou o novo curso a partir da busca dos estudantes pela área Ambiental, e baseado nos temas dos trabalhos de conclusão de curso e pela procura nos programas de pós-graduação. “A princípio, a Engenharia Ambiental nasceu da Engenharia Sanitária, que veio da Engenharia Civil, mas a Engenharia Ambiental é mais ampla, agrega mais áreas”, explica Cristina. O profissional de Engenharia Ambiental poderia atuar, por exemplo, em localidades atingidas por enchentes. Seus conhecimentos técnicos o capacitarão para achar saídas para retardar o processo de alagamento de um bairro. Em São Paulo, se os engenheiros estivessem estabelecido a impermeabilização do solo com pavimentos capazes de permitir a infiltração da água na terra, as enchentes não trariam tanto prejuízo. “O profissional poderá remediar esse problema com o conhecimento tecnológico obtido aqui na UnB”, afirma Cristina. Os Engenheiros Ambientais formados pela UnB poderão trabalhar em agências reguladoras, na administração pública (municipal, estadual e federal), na iniciativa privada, ONGs e prestando consultoria. Por estar no Distrito Federal, a coordenadora acredita que um dos compromissos da Universidade de Brasília é formar quadros para atuarem na administração pública.   
BSB, 7/2- O mercado imobiliário do Distrito Federal ultrapassou o do Rio de Janeiro e, em 2009, se consolidou como o segundo do país em faturamento e em número de unidades vendidas. Os lançamentos movimentaram R$ 11,7 milhões por dia, um total de R$ 4,3 bilhões no ano. Cerca de 14 mil unidades ganharam o mercado brasiliense. Os números foram divulgados pelo Conselho de Corretores de Imóveis do DF (Creci-DF), com base em levantamento feito entre 10 grandes empresas do setor. Na capital carioca, o faturamento das empresas com a venda de cerca de 13 mil unidades parou em R$ 3,9 bilhões, segundo estimativa da Ademi-RJ. São Paulo lidera o ranking, com uma previsão de 34 mil unidades comercializadas em 2009. O faturamento não foi divulgado, mas o volume do mercado na maior cidade brasileira tende a ser quatro vezes maior do que o do DF. Salvador e Belo Horizonte se revezam no quarto e quinto lugares. Ao longo do ano passado, o novo cenário era esperado porque Brasília quase não sentiu os efeitos da crise econômica mundial. No Rio, o mercado recuou 20% no primeiro semestre de 2009, em relação ao mesmo período de 2008. Construtoras cancelaram projetos e voltaram atrás na decisão de comprar terrenos, o que afastou investidores. No DF, as empresas mais cautelosas chegaram a adiar lançamentos, mas não desistiram deles. “Eu queria estar em Brasília, principalmente em momentos de crise, quando, mesmo assim, as pessoas não deixam de investir”, comenta Paulo Fabbriani, conselheiro da Ademi do Rio de Janeiro e vice-presidente da incorporadora Carvalho Hosken.   
BSB, 4/2- Um clima de otimismo invadiu o Distrito Federal. A previsão do mercado para o ano de 2010 são as melhores. De acordo com pesquisa feita pela Fundação Getulio Vargas (FGV), o setor da construção civil deverá crescer 8,8%. Mas as empresas que atuam no DF apostam em um crescimento acima da média nacional. Algumas delas acreditam em um índice acima dos 10%. O desenvolvimento de cidades como Ceilândia, Samambaia e Gama deverá contribuir significativamente para esse aumento. A aposta é do diretor da empresa Apex Engenharia, Eduardo Aroeira, que prevê um crescimento maior para essas regiões por causa das facilidades de crédito e financiamento para as classes C e D. "O crescimento das regiões afastadas do centro é uma tendência nacional devido ao inchaço habitacional. Não há mais espaços vazios para se construir nos grandes centros urbanos, como é o caso de Brasília. O que vai acontecer daqui em diante é a valorização dessas cidades que já possuem uma infraestrutura melhor de transporte. Dessa maneira, aliada ao programa Minha Casa, Minha Vida que traz subsídios e taxas de juros competitivas, houve uma ampliação da quantidade de clientes capacitados para adquirir um imóvel". A chegada do metrô e o investimento do governo nas áreas de infraestrutura e segurança nessas regiões tem atraído empresas não só de Brasília, mas de outros estados, que apostam no mercado com o metro quadrado mais valorizado do País. Caso da construtora e incorporadora Rossi, que estreou na capital em 2009 com sucesso nas vendas de três grandes empreendimentos, todos eles localizados em cidades como Taguatinga e Gama.   
BSB, 3/2- Ceilândia vai receber mais um imóvel para quem não dispensa luxo e conforto. Lançado pela construtora e incorporadora Borges Landeiro e com as vendas sob a responsabilidade do Grupo Lopes Royal, Borges Landeiro Garden chega para oferecer qualidade de vida a seus moradores. São 1.296 unidades autônomas de apartamentos residenciais. A parte comum do residencial chama a atenção de quem também procura lazer. Mais informações e vendas na Lopes Royal pelo telefone (61) 3326-6666.   
BSB, 2/2- Para quem deseja qualidade de vida e tranquilidade, o Residencial Yes é sinônimo de bem-estar. Lançado pela Paulo Baeta Empreendimentos Imobiliários e Construtora Villela e Carvalho, o residencial está localizado no ponto mais alto de Águas Claras, com excelente vista, melhor ventilação e iluminação ambiente. O empreendimento é composto por apenas duas torres, com dois elevadores sociais e um de serviço em uma área de quase oito mil m2. Informações e vendas na Paulo Baeta (61 3322-5555).   
BSB, 1/2- A Via Engenharia conta com mais uma central de vendas, localizada no Casa Park Shopping, referência em decoração e design no DF. O estande funcionará até fevereiro, das 10h às 22h. A previsão da Via é de que sejam comercializadas nesse período 15 unidades, totalizando cerca de R$ 12 milhões em vendas. “Quem visitar o estande poderá conferir os residenciais mais completos da região, com diferenciais inovadores em termos de lazer, de acabamento, de tecnologia e de segurança. Com destaque para os residenciais Via Blanc e Via Verano, localizados no Guará, e Via Parque Noroeste, Via Côte D’ Azur, Via Ibiza e Via Positano, no Setor Noroeste”, destaca o presidente da Via Engenharia, Fernando Queiroz.   
BSB, 20/1- A Via Engenharia entregou, na quinta-feira (14), o residencial Via Boulevard, localizado no Guará II. Criado como opção perfeita aos que buscam sair do aluguel e adquirir o primeiro imóvel, o residencial foi um enorme sucesso de vendas, com todas as 308 unidades vendidas em apenas seis meses. O empreendimento obteve a carta “habite-se” com dois meses de antecedência, o que demonstra a qualidade da marca Via e o total êxito do imóvel. Localizado em um condomínio fechado de 4 mil metros quadrados, o Via Boulevard tem três torres residenciais com unidades de um e dois quartos com até 56m2 de área. Um dos principais diferenciais do empreendimento é a área de lazer, equipada, decorada e com paisagismo implantado. O residencial conta com piscinas adulto e infantil aquecidas, quadra de esportes, salões de festa, sauna úmida, churrasqueiras e academia equipada, entre outros. A Via Engenharia irá ampliar a atuação no Guará com mais dois novos residenciais: Via Blanc e Via Verano. O Via Blanc terá duas torres com 84 apartamentos de três quartos com área de 113 m² e o Via Verano terá 264 apartamentos de dois e três quartos com metragens de 64 e 81 m², respectivamente.   
BSB, 19/1- A realização de um antigo desejo dos servidores e membros de cooperativas está começando a tomar forma. O edital da Cidade do Servidor foi divulgado nesta segunda-feira (18/1). Nas QE's 46 até a 58, no Guara II, serão destinados 1.274 lotes aos funcionários públicos. Parte destes terrenos serão repassados pela Terracap do Programa de Interesse Social para as associações e cooperativas credenciadas na Companhia de Desenvolvimento Habitacional do Distrito Federal (Codhab), segundo ordens do governador José Roberto Arruda. Ao total, 406 terrenos estão inclusos neste repasse. A venda dos lotes começará no dia 28 de janeiro, no Ginásio Nilson Nelson. Os lances serão aceitos das 9h até as 11h. A estimativa é de que cerca de 20 mil servidores com condições de concorrer neste leilão. O preço médio é de R$ 120 mil, mas varia conforme o tamanho do lote.   
BSB, 15/1- A Via Interbairros, que ligará o Setor Policial Sul a Samambaia, passando pelo Guará, Águas Claras e Taguatinga, servirá de alternativa aos motoristas que enfrentam engarrafamentos diários na parte sul do Distrito Federal. Atualmente, as opções de deslocamento entre essa região e o Plano Piloto são a Estrada Parque Núcleo Bandeirante (EPNB) e a Estrada Parque Taguatinga (EPTG), que já estão saturadas. A nova pista será construída paralelamente entre as duas vias e custará cerca de R$ 500 milhões. Parte da obra será paga com financiamento do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), e a outra, com a venda de terrenos às margens da via. Cerca de 800 mil pessoas serão beneficiadas. O primeiro trecho, que liga o Guará ao fim da Asa Sul, deve ficar pronto até dezembro próximo. A continuação do Guará até Samambaia está prevista para 2011. A licitação da obra completa será aberta no próximo mês e os primeiros trabalhos em torno da pista serão realizados em abril. Enquanto isso, o governo espera a licença do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), já que a via passa por uma área ocupada hoje por cerrado. Cinco setores habitacionais ocuparão as margens da via: dois no Guará e três em Águas Claras. Este primeiro trecho, de 6km, será pago com os recursos da venda dos terrenos. Os outros 16 km, por onde passa a rede elétrica de Furnas, ficarão a cargo do governo local. A nova via de 22km ligará Samambaia, na altura da estação do metrô, até o Setor Policial Sul, na altura do cemitério Campo da Esperança. Ao longo do caminho, passará entre o Guará 1 e 2 e seguirá até Águas Claras e Taguatinga. Com três faixas em cada sentido, a via comportará cerca de 60 mil carros de uma só vez e ajudará a desafogar o trânsito das outras duas pistas paralelas.   
BSB, 11/1- Um dos mais ambiciosos e arrojados projetos em estudo pelo Governo do Distrito Federal é a Cidade Aeroportuária. Um vasto complexo industrial voltado para a exportação, um centro logístico multimodal e um aeroporto com foco em cargas e vôos internacionais, a Cidade Aeroportuária, quando estiver concluída, produzirá grandes transformações na economia não só do Distrito Federal mas de todo o Centro-Oeste. Somente as obras de infraestrutura e construção dos prédios exigirão investimentos iniciais de pelo menos R$ 20 bilhões de reais. A construção da Cidade Aeroportuária permitirá aos empresários do DF exportar componentes de alto valor agregado como medicamentos, peças automotivas e aeroespaciais, componentes eletro-eletrônicos, além de flores e frutas dos estados vizinhos. O DF passará a contar também com indústrias de transformação de commodities de todo o Centro-Oeste que serão exportadas ao exterior com maior valor agregado, gerando melhores empregos e novas fontes de receitas para o Distrito Federal. Para tanto, serão construídas obras de um centro Logístico Multimodal, interligando vias de escoamento aérea, rodoviária e ferroviária. A área provável do novo aeroporto e complexo industrial agregado, situado nas proximidades de Planaltina, já foi sobrevoada pelo próprio presidente Lula em companhia do governador José Roberto Arruda. A Cidade Aeroportuária permitirá também a criação de um novo pólo de varejo, o de vendas diretas por internet, telefone ou catálogo, mediante pacotes individuais de 30 gramas a 30 kilos, que hoje representa apenas 0,4% do PIB nacional, enquanto na Europa e EUA 25 e 30%, respectivamente. A Cidade Aeroportuária abrigará um complexo com vertentes como produtos de alto valor agregado, de embalagem de produtos perecíveis, indústrias de transformação de commodities em produtos de maior valor agregado e, por fim, de serviços de pós-venda para reparos de produtos eletrônicos.   
BSB, 5/1- Brasília teve muito o que comemorar em 2009, ano que foi considerado um dos períodos mais aquecidos da história em volumes de compra e venda de imóveis. Especialistas creditam este momento de grandes negociações na venda de imóveis aos acessos mais fáceis às linhas de crédito, redução da taxa de juros, ao crescimento da economia e às diversas possibilidades de compra oferecidas ao comprador. A crise econômica que castigava o mercado financeiro não impediu os consumidores de perceberem que investir em imóveis continuava sendo uma ótima oportunidade para a aquisição da casa própria ou mesmo uma chance rara de auferir bons rendimentos. A prova disso foram os ótimos resultados registrados com os mais variados lançamentos, muitos até antecipados, devido à grande procura por imóveis por parte daqueles que sonham em poder adquirir um imóvel. Outro fator positivo foi o surgimento de novos terrenos para investimento em Brasília, fato que proporcionou forte aquecimento no mercado imobiliário na capital. Além da abertura de licitação no Setor Noroeste, da facilidade de obtenção de financiamentos e da queda dos juros (Selic), outra contribuição para o setor foi o lançamento, pelo governo federal, do programa Minha Casa, Minha Vida. O estímulo para a população econômica adquirir seu próprio imóvel estimulou as vendas no setor imobiliário. O único senão apontado pelos especialistas, foi que com o aquecimento do mercado imobiliário e a forte procura por imóveis, o setor apresentou carência de mão-de-obra especializada.   
BSB, 29/12- Depois das denúncias de desmatamento ilegal do Parque Burle Marx durante as obras de infraestrutura do Setor Noroeste, representantes do Instituto Brasília Ambiental (Ibram) e da Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap) se reuniram ontem para discutir o problema. A construção das lagoas de contenção de águas pluviais está embargada e a empresa responsável foi multada em R$ 250 mil. O plano de manejo do parque, aprovado ano passado, proíbe o desmatamento do cerrado intocado da região para a realização de benfeitorias. Mas a licença ambiental, liberada em 2006 pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama), prevê a construção dessas bacias de contenção. Caberá agora ao governo decidir qual documento deve prevalecer. Somente depois disso, as obras serão liberadas. A tendência é que a retomada das obras do sistema de águas pluviais seja autorizada. A paralisação aconteceu na semana passada, depois que organizações não governamentais denunciaram a derrubada de centenas de árvores de cerrado nativo. De acordo com a denúncia, a retirada da vegetação e a construção de lagoas de contenção de águas da chuva não estão previstas no plano de manejo. Com base nessa informação, o Ibram embargou a obra e aplicou a multa máxima prevista em lei. Mas, logo depois da paralisação da construção, a empresa apresentou ao governo a licença de instalação emitida pelo Ibama e também o plano de uso e ocupação do Parque Burle Marx. Ambos autorizam as contestadas obras de infraestrutura. A execução do sistema está sendo feita pela construtora Basevi, sob a coordenação da Novacap.   
BSB, 23/12- Foi lançado no último dia 12 o Residencial Maestri, da construtora Antares Engenharia em parceria com a Cygnus Imobiliária e Incorporadora. O Residencial Maestri será formado por dois blocos, um com 19 andares e outro com 24 andares, contendo 168 unidades residenciais. Entre os principais diferenciais do empreendimento estão os apartamentos de 100 m2 e o fato de todos já serem entregues com piso em porcelanato. A entrega está prevista para fevereiro de 2012. Os apartamentos são de três quartos, mais um, sendo dois por andar. “Chamamos de mais um, porque ele não pode ser classificado como um quarto pela sua dimensão. Os apartamentos 100 m2, com banheiro social, suíte, cozinha, área de serviço, sala com varanda, além de todos os apartamentos terem porcelanato 60x60cm”, detalha o diretor de incorporação da Maestri, Marcelo Carvalho. O residencial tem 17 itens de lazer. “O Guará é um setor pujante no que diz respeito a lançamentos de empreendimentos residenciais, e nos últimos três anos isso vem sendo constatado, além do que existia certa demanda reprimida no Guará de apartamentos com mais de 80 m2, as famílias crescem, por isso os nossos apartamentos são maiores. Outro diferencial é que na região a maioria dos empreendimentos são de 300 e 400 apartamentos, o Maestri tem só 168 unidades, então o morador tem o conforto de morar em um apartamento grande e a comodidade de residirem em um condomínio pequeno”, ressalta Carvalho. O diretor comercial da Antares Engenharia, Ricardo Morhy, reforça a qualidade do empreendimento. “Os principais diferenciais são o tamanho da planta e a exclusividade, além das áreas de lazer serem entregues decoradas sem repasse de preços para os clientes”, afirma Morhy. O diretor ressaltou que 75% das unidades já foram vendidas.   
BSB, 22/12- A Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap) fechou o ano com bons resultados nas vendas de lotes. Na última licitação de 2009, realizada na manhã da quinta-feira (17), a empresa faturou R$ 219,2 milhões com a venda de 79 dos 140 terrenos ofertados. As projeções do Noroeste puxaram as vendas. Foram comercializadas todas as dez projeções ofertadas no novo bairro, que renderam R$ 199 milhões. Com as vendas dessa licitação, a Terracap encerra o ano contabilizando 956 lotes vendidos, com faturamento recorde de R$ 1 bilhão 714 milhões. O presidente da Terracap, Antônio Gomes, ao comemorar o resultado, atribuiu o sucesso das vendas “à qualidade e à variedade dos lotes ofertados tanto no Noroeste quanto nas outras cidades do Distrito Federal”.   
BSB, 19/12- Apesar da redução do IPI, os fabricantes e varejistas de materiais de construção reclamam de retração nos negócios. Em Brasília, a justificativa é que apesar dos bons negócios neste ano, a base de comparação, 2008, é muito elevada, segundo o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Materiais de Construção, Cecin Sarkis. A indústria alega uma queda de 10% nos negócios em 2009 em função de um primeiro trimestre ruim. Segundo o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat), Melvyn Fox, "a redução do IPI ajudou muito o setor, mas apesar de ter começado em abril, só começou a surtir efeito a partir de julho, então não foi suficiente para cobrir a queda que tivemos". O setor apresentou ao ministro da Fazenda, Guido Mantega, uma proposta para que a redução do IPI, com validade até 30 de junho de 2010, seja estendida por prazo indeterminado.   
BSB, 17/12- A Brookfield Incorporações lança Riviera dei Fiori, empreendimento residencial localizado em frente ao Parque de Águas Claras, parque ecológico que consta entre os pontos mais belos da cidade. Com uma área de mais de 28 mil m², o Residencial Riviera dei Fiori promete ser bastante procurado. “Além de toda diversão que o condomínio oferece, os moradores têm o Parque de Águas Claras como uma extensão de sua área de lazer”, afirma Rubens Oseki, Gerente Comercial da incorporadora. O empreendimento conta com seis blocos de apartamentos, contabilizando um total de 266 unidades, sendo 260 apartamentos comuns e 6 coberturas. Os interessados poderão optar por apartamentos entre 139 m² e 360 m². “Oferecemos várias opções para que os clientes possam escolher o imóvel mais adaptado às suas necessidades”, garante Oseki. Há duas semanas, os corretores parceiros da Brookfield Incorporações iniciaram o processo de prospecção de clientes para, nesta quinta-feira, 17, assinarem os contratos no evento de lançamento do imóvel. O evento acontecerá no Espaço Brookfield, em Águas Claras, a partir das 20 horas. Com uma história de 20 anos, Águas Claras se destaca entre as cidades do Distrito Federal mais procuradas para se morar. Qualidade de vida, conforto e lazer são algumas das razões para a alta demanda. A Região Administrativa conta com duas estações do metrô, escolas, comércio variado e o parque ecológico Parque de Águas Claras.   
BSB, 15/12- Os deputados distritais aprovaram em primeiro e segundo turnos o projeto que mantém para 2010 os valores do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) e a Taxa de Limpeza Pública (TLP) cobradas este ano. A Secretaria de Fazenda vai elaborar o calendário de pagamento. Há uma tendência de que a cobrança fique para o segundo semestre, por causa dos ajustes decorrentes do programa Nota Legal. Os contribuintes que pagarem à vista terão 5% de desconto.   
BSB, 3/12- Os residenciais Via Blanc e Via Verano – dois condomínios fechados localizados no Guará II – são as novas apostas da Via Engenharia em uma das cidades mais tradicionais do Distrito Federal. Os empreendimentos beneficiarão os moradores do bairro que sofrem com a carência de moradias. O Via Blanc traz uma inovação na fachada, criando uma sensação de movimento entre os andares, e terá duas torres com 84 apartamentos de três quartos, com área de 113 m². O Via Verano terá 264 apartamentos de dois e três quartos, com metragens de 64 e 81 m², respectivamente. “Os novos residenciais no Guará chegam com o já conhecido padrão de excelência em conforto, tecnologia e segurança da Via Engenharia”, afirma o presidente da Via Engenharia, Fernando Queiroz. “Estamos muito satisfeitos em ampliar nossa atuação no Guará, que é uma cidade consolidada e muito bem localizada, com acessos rápidos ao Plano Piloto, Sudoeste, Setor de Indústrias e Águas Claras”, destaca Queiroz. Os dois empreendimentos têm ampla área de lazer, que oferecerá muita tranquilidade e conforto a toda família. O Via Blanc terá playground, churrasqueiras, lounge gourmet, salão de festas adulto e infantil, piscinas adulto e Infantil, piscina com raia de 25 m, sauna, fitness, cinema, quadra poliesportiva, sala de jogos, lan house e garagens cobertas privativas. O Via Verano terá piscina com raia de 25m, piscina infantil, quadra poliesportiva, sauna, fitness, churrasqueiras, fornos de pizza, espaço gourmet, dois salões de festas com terraço gourmet integrado, playground, lan house e espaço cinema. Além desses dois empreendimentos, a Via tem outro residencial no Guará, o Via Boulevard, que está em fase final de construção. Lançado em julho de 2007, o empreendimento, que teve todas as 308 unidades vendidas em apenas seis meses, tem entrega prevista para o início do ano.   
BSB, 30/11- O residencial Via Privilège foi o grande vencedor do prêmio Destaque Ademi - Master Imobiliário 2009, na categoria Prédio Residencial de Grande Porte. O prêmio, oferecido pela Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi/RJ), é considerado o “Oscar” do mercado imobiliário e tem por objetivo reconhecer e estimular a excelência profissional no setor de construção civil, escolhendo os principais projetos, empresas e profissionais do Brasil. A Via receberá o prêmio no dia 07 de dezembro, no Hotel Intercontinental, no Rio de Janeiro. “Para a Via Engenharia, é uma honra receber este prêmio. Tudo isso é fruto de um intenso trabalho e de muita dedicação a frente deste grandioso residencial que é o Via Privilège”, afirma o presidente da Via Engenharia, Fernando Queiroz. “O residencial tem a mais completa planta, uma ótima localização e possui os diferenciais de qualidade em acabamento, excelência em conforto, tecnologia e sustentabilidade que todos esperam em um projeto com a marca Via”, destaca. O Via Privilège, que será entregue em dezembro, está localizado na Barra da Tijuca, uma das mais nobres e charmosas localizações do Rio de Janeiro. O residencial está cravado na Península, um bairro ecológico com 780 mil metros quadrados de trilhas, jardins, bosques, parques e áreas de contemplação ao ar livre. O futuro morador do residencial poderá encolher entre unidades de quatro suítes, com área a partir de 233 m², e unidades de duas suítes e duas suítes canadenses, a partir de 197 m². No Via Privilège, basta sair do apartamento para ter acesso a diversas opções de lazer, totalmente equipadas e decoradas. O empreendimento possui fitness totalmente equipado, piscinas com raia e deck molhado, spa com saunas e piscina aquecida, cineclube, lan house, sala para ensaio de bandas, salão de jogos e brinquedoteca, entre outros.   
BSB, 27/11- A pedido do Ministério Público Federal, o juiz Hamilton de Sá Dantas, da 21a Vara Federal, concedeu liminar ao MPF no Distrito Federal, na qual determina que a Companhia Imobiliária do DF, a Terracap, maior imobiliária oficial do Brasil, suspenda qualquer obra no Setor Noroeste que está em fase de implantação e venda de lotes. com esta decisão, a Terracap terá que interromper a venda dos terrenos mais caros da cidade. A razão da expedição da liminar foi garantir a permanência da Comunidade Índigena do Bananal que reivindica que a terra por eles ocupadas contém elementos de tradicionalidade na ocupação as áreas em litígio. Para os índios, a área em questão faz parte de suas tradições culturais e é uma área que tem relação com seus ancestrais, por isso swe configura em um síto de preservação etnográfica.   
BSB,27/11- Já a Terracap, apoiada na Licença Prévis Ambiental 20/2006, concedida pelo Ibama, afirma que a mesma previa que a empresa obtivesse da Fundação Nacional do Índio (Funai) um posicionamento definitivo sobre a situalão das famílias indígenas que ocupam a ára. Mas, como a referida licença nunca foi objeto de definição, a licença de instalação torou-se nula, segundo o MPF-DF. Assim, foi pedida a cassação da licença e a imposição ao Instituto Brasília Ambiental (Ibram) para que notifique à Terracap e seja imp0sta a pasrilizaçã0 de qualquer obra que venha reduzir, alterar ou impactar, trasnferir ou restringir o modo de ocupação e a área reivindicada pela comunidade indígena. E agora, cara-pálida? Como vai ficar a jóia da coroa do mercado imobilário do DF?   
BSB, 25/11- No sábado, 21, a Brookfield Incorporações lançou o apreciado conceito Show de Morar no Gama. Durante dois dias, o estande de vendas da incorporadora recebeu quatro mil pessoas, que aproveitaram a oportunidade para adquirir um imóvel com preço e dimensões adequadas ao mercado consumidor da Região Administrativa. Com área de lazer completa nos 9 mil m² de área, os dois condomínios que formam o empreendimento, Idealle e Encanto, obtiveram grande número de vendas. Em apenas 12 horas, as 330 unidades do Idealle, que variam entre 60 m² e 84 m², foram totalmente vendidas. Já o Encanto, com apartamentos de 107 m² a 134 m², teve 85% dos apartamentos comercializados. Depois do sucesso de vendas, que superou as expectativas da incorporadora, a meta é finalizar os 15% restantes do Encanto ainda esta semana. ”A meta é que, até domingo, o empreendimento também esteja todo vendido”, afirma Rubens Oseki, gerente de comercial da Brookfield Incorporações. Para Rubens, a idéia do Show de Morar é acompanhar o crescimento das Regiões Administrativas com empreendimentos exclusivos, preços e condições de financiamento acessíveis e localização privilegiada. Além das facilidades de pagamento que atraíram clientes de todo o DF, aqueles que fecharam negócio nos dias do evento levaram uma TV 42”, geladeira, fogão quatro bocas, home theater, máquina de lavar, microondas, aspirador de pó, batedeira, liquidificador, grill, aparelho de som, aparelho de DVD e laptop.   
BSB, 23/11- Os empreendimentos que mais venderam durante os três dias de salão foram o Neo, apartamentos de 1 e 2 Quartos, no Noroeste , lançados pela MarkImob e Espaço Y Engenharia e que teve 80% dos imóveis comercializados, durante o evento; Tagua Ville, apartamentos de 1 e 2 Quartos, em Taguatinga, lançado pela Cia Imoveis e Conbral Engenharia; Piazza Vita , Apartamentos de 1 quarto, na Asa Norte, lançado pela Lopes&Royal e IOPA; e Via Ibiza, Cote D'Azur , apartamentos de 03 e 04 quartos no Noroeste, lançado pela Via Engenharia. Essa turma, bem como os demais participantes do evento, sentiram a força e o prestígio que o salão WImóveis vem amealhando a cada edição. Parabéns pelos bons negócios.   
BSB, 16/11- O diretor-presidente da Lopes Royal Empreendimentos Imobiliários, Wildemir Demartini, vai receber no dia 28 de novembro, em São Paulo, o prêmio de Líder Empresarial do Distrito Federal de 2009, concedido pelo Fórum de Líderes Empresariais. O título, um dos mais importantes oferecidos entre o empresariado nacional, reconhece o longo trabalho de Demartini frente a uma das maiores empresas de Brasília e aponta o executivo como uma das principais lideranças do setor imobiliário no Brasil. O empresário vai receber o prêmio das mãos de Ozires Silva, presidente do Fórum de Líderes. A cerimônia será realizada no Golden Hall do complexo WTC – Sheraton Hotel, em São Paulo. Esta é a segunda vez que Demartini é agraciado pelo Fórum (a primeira vez foi em 2001). “É um reconhecimento importante ao longo trabalho que estamos realizando no setor de construção imobiliária de Brasília”, conta.   
BSB, 14/11- As Organizações PaulOOctavio lançam nova marca para atuar num novo nicho habitacional da construção civil, com foco nas classes em ascendência econômica – Morada Brasília. A nova empresa estreia no 4° Salão WImóveis, que ocorre no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, nos próximos dias 13 a 15 de novembro. Segundo o diretor da PaulOOctavio, Marcelo Carvalho, a proposta é oferecer imóveis que atendam o programa federal Minha casa, minha Vida, mantendo a garantia, a confiabilidade e o excelente padrão construtivo característicos do grupo empresarial que está no mercado há 34 anos. “Lançaremos empreendimentos em várias regiões do DF, sempre com a preocupação de oferecer aos clientes atendimento diferenciado e produtos de qualidade”, reforça Carvalho. De acordo com o superintendente da Morada Brasília, Jovail Vilela, a marca já nasce com a experiência e a credibilidade das Organizações PaulOOctavio. Os produtos serão construídos com recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e possibilidade de financiamento pela Caixa Econômica Federal (Caixa). “Ofereceremos produtos de qualidade, em excelentes localizações com custo de obra compatível com o segmento”, explica Vilela. Segundo ele, os imóveis contemplados terão valor de até R$ 130 mil, com financiamento de até 100% para o mutuário final, com juros que variam de 5% a 8,16% ao ano mais TR, dependendo na renda familiar. “Qualquer pessoa que queira adquirir um imóvel no Distrito Federal e recebe de 1 a 10 salários mínimos encontrará excelentes opções de compra na Morada Brasília”, recomenda Vilela. A participação da empresa no 4º Salão WImóveis tem foco no lançamento institucional da marca e no cadastramento de interessados em futuros empreendimentos. A previsão de lançamento dos primeiros produtos é no início de 2010. Interessados podem comparecer ao estande da Morada Brasília no 4º Salão W Imóveis ou acessar o site www.moradabrasilia.com.br.   
BSB, 13/11- A Via Engenharia é um dos destaques do 4º Salão WImóveis, que será realizado de 13 a 15 de novembro no Centro de Convenções Ulysses Guimarães. A principal construtora do Centro-Oeste terá um estande no evento, no qual apresentará seus empreendimentos no mercado imobiliário do Distrito Federal, com imóveis prontos e em construção em diferentes localidades, com destaque para o Setor Noroeste, Águas Claras e Guará. Quem visitar o estande da Via terá à disposição imóveis para clientes com os mais variados perfis e com condições de pagamento personalizadas. “Queremos mostrar o valor agregado de um imóvel Via em termos de tecnologia, qualidade de vida e segurança, para que o comprador saiba que está investindo no que há de melhor no mercado”, destaca o presidente da Via, Fernando Márcio Queiroz. A expectativa da empresa é vender R$ 15 milhões em imóveis durante o evento. Dentre os imóveis em exposição, destacam-se o Via Parque Noroeste, o Via Cote D’Azur e o Via Ibiza, os três no recém-lançado Setor Noroeste. Os residenciais terão diferenciais inovadores norteados em três eixos: segurança, acabamento e tecnologia e um acabamento refinado, com piso em porcelanato de grandes formatos nas áreas sociais e do tipo parquet nas áreas íntimas. As varandas já serão entregues integradas ao living, louças e metais de linha superior trarão modernidade ao apartamento. Em termos de tecnologia, o apartamento já vem com sistema de distribuição de rede de dados para telefonia, internet e intranet nas salas e quartos, além de infraestrutura pronta para instalação de ar-condicionado em lájeas técnicas exclusivas. Réplica decorada de um apartamento de quatro quartos do Via Parque Noroeste está aberta para visitação na Casa Cor 2009.   
BSB, 8/11-Setor residencial com um dos metros quadrados mais caros da capital do país, o Noroeste tem alavancado os preços dos imóveis em todo o Distrito Federal. Os primeiros lançamentos no setor ecológico tiveram efeito difusor sobre o mercado da capital, que passa a ocupar este ano o segundo lugar no ranking de cidades onde mais se vende imóveis — só perderá para São Paulo. A demanda crescente deve fazer com que os preços dobrem nos próximos cinco anos, segundo estimativas dos empresários do setor. Até dois anos atrás, o metro quadrado a R$ 8 mil era considerado inaceitável pelos consumidores. Os primeiros apartamentos do Noroeste foram vendidos com valores que variam de R$ 8 mil a R$ 10 mil o metro quadrado. No fim de semana passado, a Lopes Royal comercializou quase 100 flats à margem do Lago Paranoá a R$ 12 mil o metro quadrado. Em Águas Claras, o valor dos imóveis quase dobrou desde 2007. Os últimos lançamentos feitos na cidade passam de R$ 4 mil o m². Em Samambaia e no Gama, os valores superam R$ 2,5 mil. E a tendência é que os reajustes continuem. Portanto, os brasilienses devem se preparar. Pela previsão dos empresários do setor, se o índice de crescimento seguir o mesmo ritmo registrado desde o início da década, de 20% de valorização ao ano, em pouco tempo, o DF atingirá os valores verificados em São Paulo e no Rio de Janeiro. Ou seja, em apenas cinco anos, o brasiliense terá que conviver com preços que chegam a R$ 20 mil o metro quadrado. “Os preços aqui não chegaram no ápice. Há espaço para crescerem mais”, avisa Marco Antônio Demartini, diretor da Lopes Royal. A expectativa é de que o volume geral de vendas de imóveis no DF atinja, em 2009, R$ 3,1 bilhões, contra R$ 2,1 bilhões registrados no ano passado. Em 2008, o Rio de Janeiro vendeu o equivalente a R$ 2,5 bilhões, mas, este ano, a capital fluminense não deve ter crescimento sobre o ano anterior. São Paulo aparece em primeiro lugar, com vendas no valor total de R$ 7,2 bilhões.   
BSB, 3/10- Localizado em Águas Claras, o residencial Oscar Freire foi construído pela Markimob Engenharia, com projeto arquitetônico de Giovanini Letiteri. São 90 apartamentos com três quartos e seis coberturas. Além da excelente localização e proximidade com a Estação do Metrô Arniqueiras, o Oscar Freire tem toda a infraestrutura de comércio, supermercados, padaria, lavanderia, drogaria, entre outros. No estacionamento são garantidas aos moradores duas vagas por apartamento e três para coberturas. A segurança funciona 24 horas, com central de portaria inteligente, e sistema de iluminação com sensor de presença. O residencial conta com elegante hall de entrada, fachada 100% revestida com pastilha esmaltada, detalhes em pele de vidro reflexivo verde e detalhes em granito. São seis apartamentos por andar. O gás e a água têm medições individuais. Todos os apartamentos possuem três banheiros, sala de estar e jantar, varanda, paisagismo implantado, banheiro social, cozinha, área de serviço e piscina nas coberturas. Área de lazer e relax com diversos atrativos: piscina com deck e solarium, sauna com ducha, sala de repouso com banheiros, fitness, salão de festas com copa e playground. O empreendimento será entregue em outubro de 2011. A Markimob Marketing Imobiliário também é responsável pelas vendas.   
BSB, 2/11- A Construtora Tenda lançou o Residencial Le Grand Orleans Tower na quadra 302, lotes 9/10, conjunto 12, em Samambaia. Apartamentos de dois e três quartos, opção de cobertura duplex, 100% de vagas de garagem, playground, duas piscinas, quadra poliesportiva, churrasqueira, área verde, pilotis fechado livre, praça interna. Para a sua proteção, o residencial tem portaria 24 horas, além de estar em um condomínio fechado. Não só a boa localização, segurança e estruturação impressionam, mas os preços especiais de lançamento também garantem um negócio de sucesso. Vendas a partir de R$ 135.000,00. O Le Grand Orleans Tower tem estilo neoclássico e promete conquistar muita gente. Por isso, quem estiver interessado nesse empreendimento, pode ligar para (61) 3701-6100, ou ir a um dos pontos de vendas da Tenda. Em Brasília, o endereço é SCS quadra 03, bloco A, Ed. José barros, loja térreo. Em Taguatinga, a Tenda fica na C 06, lote 03, lojas 1 e 2, Ed. Novitá.   
BSB, 31/10- Nos últimos três anos, a Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap) destinou a empresas beneficiadas pelo Programa de Apoio ao empreendimento Produtivo (Pró-DF) 538 lotes, sendo 128 na Ceilândia, 115 no Guará, 105 em Samambaia, 48 em Santa Maria, 46 em Taguatinga e 96 em outras sete cidades do Distrito Federal. Em contrapartida, essas empresas estão investindo R$ 225,7 milhões, gerando 8.328 empregos diretos e ainda vão abrir, nos próximos anos, mais 4.788 vagas. Os números foram apresentados nesta sexta-feira (30) pelo vice-governador Paulo Octávio, secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo (Sedet), e pelo presidente da Terracap, Antônio Gomes, durante solenidade de entrega de novos lotes. Dessa vez, foram contempladas mais oito empresas, que assumiram o compromisso de investir R$ 7,9 milhões e gerar 117 empregos imediatos, além de mais 114 postos de trabalho nos próximos anos. Essas empresas atuam nos ramos de materiais de construção civil, confecções, indústria alimentícia, comércio varejista e atacadista, e vão funcionar nas Áreas de Desenvolvimento Econômico (ADEs) de Santa Maria, Águas Claras e Riacho Fundo. Segundo dados da Sedet e da Terracap, o maior volume de investimentos e de empregos gerados por empresas contempladas pelo Pró-DF está no Guará. Desde janeiro de 2007, essas empresas investiram R$ 86 milhões, geraram 5.316 empregos e vão abrir mais 1.583 vagas. Em segundo lugar em volume de investimentos vem Santa Maria, onde já foram investidos R$ 42,5 milhões.   
BSB, 28/10- Professores e servidores da Universidade de Brasília (Unb) terão, a partir de agora, um programa de financiamento habitacional exclusivo na Caixa Econômica Federal (CEF). A UnB vai aderir ao protocolo de financiamento para servidores públicos, formado entre o Ministério do Planejamento Orçamento e Gestão e a Caixa. O acordo será assinado em cerimônia no Auditório da Reitoria nesta quarta-feira (28) às 15h30, pelo reitor José Geraldo de Sousa Junior e a presidenta da CEF, Maria Fernanda Ramos Coelho. A partir do convênio, os docentes, os servidores (ativos ou inativos) e os pensionistas da instituição poderão financiar imóveis novos, usados, na planta ou em construção. Além de taxas e planos favoráveis, o desconto das prestações será feito em folha de pagamento para facilitar o processo. Os imóveis poderão ser pagos em até 30 anos. O acordo também concederá benefícios aos servidores em outros serviços do banco. O reitor também pretende discutir com os representantes da Caixa a possibilidade de criação de cooperativas de financiamento. “O acordo é importante porque, com a ampliação da universidade e contratação de novos professores, a demanda por moradia direta na UnB aumenta e não há como atender a todos”, destaca. Caixa e a UnB vão assinar outra parceria durante o encontro. O banco vai financiar a construção do Bloco A do Centro de Vivência, que custará R$ 1,7 milhão. A área do prédio será de 1.982 m². Em contrapartida, a UnB vai ceder à Caixa uma área de 800 m² para a instalação da nova sede da agência do banco na instituição, que ficará no térreo do futuro prédio do Centro, por um período de 25 anos, sem pagamento de aluguel.   
BSB, 24/10- O Residencial Alírio Neto é o mais novo lançamento da PaulOOctavio Empreendimentos Imobiliários. Localizado no coração do Guará, em endereço privilegiado e belíssima fachada, o edifício integra o conceito de clube residência, com vários itens diferenciados de lazer para toda a família. São 96 unidades de dois e três quartos, com área privativa que varia de 67,75 m2 a 86,80 m2. O empreendimento agrega importantes itens de segurança, como portaria com circuito interno de TV, câmeras na entrada da garagem e no térreo, portões com acionamento eletrônico e iluminação de emergência na escada e nos halls dos elevadores. Os equipamentos de lazer são variados, com duas piscinas, playground, brinquedoteca, espaço gourmet, academia, churrasqueiras, sauna úmida com vestiários, sala para relax, quadra de esportes e salão de múltiplo uso. Como de costume, a PaulOOctavio utiliza itens ecologicamente responsáveis em seus empreendimentos, como caixa acoplada com descarga dupla, armazenamento de água de chuva, programa Entulho Limpo no canteiro de obras, uso de madeira certificada em esquadrias e paisagismo com espécies típicas do cerrado. “Além da ótima localização, o empreendimento agrega conforto, lazer e segurança para toda família”, afirma Pedro Ávila, diretor de vendas da PaulOOctavio. Os interessados podem visitar o estande de vendas da PaulOOctavio no local.   
BSB, 22/10- Em eleição realizada ontem, dia 20, nas dependências do Ginásio Nilson Nelson, em Brasília, com a presença de cerca de 5 mil corretores de imóveis, a Chapa 2, encabeçada por Hermes de Alcântara, atual presidente do Sindigeci, obteve mais de 60% dos votos válidos (2/3 do total de eleitores) e foi eleita em uma disputa que, segundo os vencedores, já deveria ter sido decidida no último dia 16/7, quando a eleição foi anulada pela constatação de inúmeras irregularidades. Segundo Hermes de Alcântara, o novo presidente eleito do Creci-DF, e que toma posse em 1º de janeiro de 2010, a hora não é de comemorações, mas sim de arregaçar as mangas e preparar a transição em busca das soluções para os problemas que afligem a categoria no DF. "Vamos negociar a transição com a atual diretoria , para que possamos tomar pé da real situação administrativa do órgão fiscalizador , a fim de que possamos nos preparar para tomarmos as medidas que julgarmos adequadas", anunciou Alcântara. Ainda segundo o presidente eleito, este período de transição é de fundamental importância para a implantação dos programas de campanha. "Queremos dinamizar, ampliar e melhor capacitar o departamento de fiscalição do Creci. A fiscalização é bastante eficiente, o que vamos fazer é dotá-la de melhores e maiores recursos., para que ela possa atuar cada vez mais em defesa dos consumidores de imóveis e dos bons profissionais", afirmou. Dentre as promessas de campanha, a diretoria eleita vai dar especial atenção ao resgate da credibilidade e da imagem do corretor de imóveis, através de campanhas instituicioinais multimídias, sempre voltadas para destacar a importância do corretor de imóveis nas transações imobiliárias e o alto padrão de eficiência e profissionalismo da categoria no DF.   
BSB, 16/10- A Via Engenharia, empresa líder do setor de construção e incorporação imobiliária do Distrito Federal, promoverá, na Casa Cor 2009, um coquetel para o lançamento dos três primeiros residenciais da empresa no Setor Noroeste – Via Parque Noroeste, Via Cote D’ Azur e Via Ibiza. O evento será realizado no dia 19 de outubro (segunda-feira), às 19h30, e contará com a presença do presidente da Via Engenhara, Fernando Queiroz, e da diretoria executiva e dos consultores da empresa. “O evento será um ótimo lugar para lançar nossas primeiras projeções no Setor Noroeste. Os novos residenciais chegam com um novo padrão de excelência em conforto, tecnologia e sustentabilidade, à altura do projeto urbanístico do Setor Noroeste. Gostaríamos de mostrar no evento um pouco do que estamos preparando para o bairro”, destaca o presidente da Via Engenharia, Fernando Queiroz. Na Casa Cor 2009, está exposta uma réplica de um apartamento de quatro quartos do Via Parque Noroeste, decorada pela designer May Moura. O imóvel estará aberto para visitação durante o coquetel e condições especiais serão oferecidas durante o evento. O Via Parque Noroeste, Via Cote D’ Azur e Via Ibiza são as novas apostas da empresa no Setor Noroeste e seguirão a proposta ecológica do Setor Noroeste e terão, a exemplo dos mais recentes lançamentos da Via, sistemas para aquecimento de água com previsão de energia solar complementar e ampla iluminação natural nos ambientes. Os residenciais terão diferenciais inovadores norteados em três eixos: segurança, acabamento e tecnologia. Em termos de segurança, por exemplo, o morador poderá instalar câmeras onde achar conveniente em seu apartamento. Sensores de incêndio e de vazamento de gás levarão total segurança e comodidade à cozinha.   
BSB, 9/10- As secretarias de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente realizam nesta sexta-feira (09) o encontro "Gestão Urbana: as regiões administrativas e a aprovação de projetos". A ideia é promover um nivelamento com técnicos das RAs para uma melhor dinamização dos trabalhos diários, além de integrar as ações entre Seduma e regiões. A apresentação do novo Programa de Controle Urbano, procedimentos de aprovação de projetos, cronograma de reuniões, transparência e acompanhamento na execução dos projetos são alguns dos temas que serão propostos. O programa foi desenvolvido pela equipe da Subsecretaria de Controle Urbano (Sucon) da Seduma. O encontro será realizado no Auditório da Terracap, a partir das 14h. A abertura do evento será feita pelo governador José Roberto Arruda e seguirá com as palestras dos secretários de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente, Cassio Taniguchi e José Humberto Pires, de Governo. Técnicos da Seduma e Coordenadoria das Cidades também farão parte da mesa de debates. Um dos pontos importantes do evento é a apresentação de um formulário que deverá ser preenchido por todos os técnicos das RAs, nas aprovações dos projetos. Segundo Taniguchi, os dados deverão ser alimentados em uma planilha e estarão em rede com outras informações. “Os dados farão comunicação direta com o Sistema de Urbanismo (Siturb), Zoneamento Econômico Ecológico e outros. Isto garantirá a melhor atuação por parte dos técnicos”, explicou ele. O secretário acrescentou que a intenção é evitar erros, sistematizar problemas e soluções e agir preventivamente.   
BSB, 7/10- A Royal Empreendimentos Imobiliários lança seu mais novo empreendimento, o Executive Office Tower, uma obra vertical com destinação comercial, composta por 23 pavimentos, sendo três subsolos destinados a estacionamento, um térreo que dá acesso ao prédio e ao comércio, composto por 18 módulos comerciais com casas de máquinas, mesa de polia de elevadores, cobertura e caixa d’água, e um heliporto. O empreendimento conta com 326 vagas privativas de garagens, 29 lojas, 388 salas em ótima localização, no centro de Brasília, próximo à Esplanada dos Ministérios, shoppings e aos mais importantes centros de negócios da capital. Além disso, tem elevador panorâmico circuito fechado de TV em pontos estratégicos, com vista para áreas nobres. A questão da comodidade foi prioritária para a construtora. Foram feitas rampa de acesso para portadores de necessidades especiais e banheiros. O prédio também possui áreas do condomínio compostas de copa, sala de administração, depósitos, banheiros. A Royal Empreendimentos é a responsável pelas vendas das unidades.   
BSB, 5/10- A Villela e Carvalho, a Area Realty, a R2 e a Markimob lançam o Pátio Capital. Trata-se de um empreendimento empresarial e comercial completo com lojas, espaço para clínicas e consultórios ligados à saúde, duas torres comerciais com 224 salas, além de 500 vagas de garagem no subsolo, sendo 250 delas compostas em um estacionamento rotativo. A arquiteta e decoradora Márcia Bizzi é a responsável pela decoração das salas para os visitantes. E o arquiteto Giovanini Lettieri lidera a equipe do projeto de perfeita distribuição e integração promovida entre as três principais atividades do complexo comercial e empresarial. A Mark Building Facility Management será a responsável pela administração do condomínio. Os responsáveis pela comercialização do Pátio Capital são a Markimob Lançamentos e a Paulo Baeta Empreendimentos Imobiliários. Os interessados podem ligar nos telefones 3403-3000 ou 3363-8224.   
BSB, 1/10- Na próxima quinta-feira (8/10) será divulgada a análise do Manual Verde que integra o Plano de Gestão Ambiental de Implantação (PGAI) do Setor Habitacional Noroeste. A avaliação orientará as ações voltadas para a construção sustentável no Distrito Federal. Entre os tópicos de observação, estão o projeto, a gestão e o gerenciamento da obra. A divulgação ocorrerá a partir das 19h, no auditório Arino Oton de Lima, no Sinduscon-DF. A entrada é franca e as vaga limitadas. As inscrições pode ser feitas pelo site www.sinduscondf.org.br   
BSB, 1/10- Boa notícia para os brasilienses. Nesta quarta-feira (30), o governador José Roberto Arruda anunciou que os impostos sobre Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU), Veículos Automotores (IPVA) e Limpeza Pública (TLP) não serão reajustados no ano que vem. Os valores cobrados serão os mesmos de 2009. A decisão foi tomada como resposta à crise econômica e vai desafogar os bolsos dos brasilienses em 2010. A expectativa é de que com isso haja maior movimentação no comércio. O dinheiro que deverá circular no comércio poderá gerar a cobrança de outros impostos, como do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS). “A crise econômica acabou afetando a vida das pessoas. Por conta disso, percebemos uma circunstância econômica maior. Ou seja, não adianta pensar em arrecadar mais sabendo que o consumidor está com menos dinheiro no bolso. Com essa medida iremos permitir que mais dinheiro circule na economia e gere mais empregos”, explicou Arruda. Inicialmente, a correção do IPTU e do IPVA deveria acompanhar a variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que fechou em 4,44% na época em que o governo decidiu refazer o cálculo dos impostos para o próximo ano. Segundo o secretário de Fazenda, Valdivino Oliveira, com a decisão o GDF deixará de arrecadar de R$ 22 milhões a R$ 24 milhões com IPTU, o que significaria cerca de 0,2%. “Podemos abrir mão desse acréscimo desde que o governo continue parcimonioso nas suas despesas”, destacou Arruda.   
BSB, 30/9- O Distrito Federal é a unidade da Federação com o maior percentual de domicílios alugados em relação aos outros estados do país. Levantamento realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revela que de um total de 746 mil imóveis residenciais, 211 mil estavam nas mãos de inquilinos, e não dos proprietários, em 2008 — o que corresponde a 28,25% do montante. O número, proporcionalmente, supera a média nacional, que chegou a 16,56%, ou 9,5 milhões de imóveis. A justificativa para esse resultado é o grande vai e vem de pessoas a Brasília, a reunião de moradores de várias cidades em busca de emprego, e apartamentos que são vendidos com o metro quadrado de até R$ 12 mil. Atrás do Distrito Federal, aparecem Goiás, com 21,43% dos domicílios locados no ano passado, e São Paulo, com 20,02% (veja quadro). Em relação à quantidade de imóveis próprios, o brasiliense fica em último lugar no ranking nacional. São 460 mil residências próprias, o que corresponde à 61,62% do total. O Amapá detém o primeiro lugar, com 85,62% de domicílios próprios em todo o estado, o que corresponde a 141 mil. Em segundo lugar, está o Acre, com 157 mil unidades, o que representa 83,88% dos domicílios da região. Para o presidente da Comissão de Valores Imobiliários do DF, Frederico Attié, a grande procura por aluguel em Brasília se dá devido à grande transitoriedade da cidade. Ou seja, pessoas chegam à capital de vários outros estados do país em busca de trabalho temporário, como assessorias ou ainda cargos públicos que costumam durar apenas o mandato do representante. “Brasília tem muita demanda para obra ainda”, apostou Frederico. “O aluguel é pontualmente caro porque Brasília se torna, a cada dia, a capital da América Latina. Sedes de empresas, o centro político e todo gasto público está aqui. As pessoas têm condições de pagar”, explicou.   
BSB, 25/9- Quem ganha entre R$ 1.860 e R$ 5.580 por mês e faz parte do cadastro da Companhia de Desenvolvimento Habitacional do Distrito Federal (Codhab) tem agora a grande chance de ter acesso à casa própria. O órgão se prepara para lançar nos próximos dias edital convocando 5 mil inscritos a participar do Habitar Bem. O projeto é um dos programas habitacionais do governo local, desenvolvido em parceria com empresas privadas e a Caixa Econômica Federal, e está voltado para atender pessoas com renda mensal de 4 a 12 salários mínimos, que ainda não têm a própria moradia. Os candidatos não receberão lotes, mas terão a oportunidade de pagar prestações com valores abaixo dos de mercado para adquirir apartamentos de dois ou três quartos em Sobradinho e no Gama. As unidades habitacionais devem ser construídas até o ano que vem. A nova fase do programa habitacional do GDF irá contemplar a classe média cadastrada na Codhab — equivalente a 30% do total de inscritos — com apartamentos de alto padrão, afirma o secretário de Habitação, Paulo Roriz. Paulo Roriz explica que, no primeiro momento, o governo se concentrou em distribuir lotes para pessoas que moravam em áreas de risco, como as invasões da Fercal, do Varjão e de Samambaia. Depois, a população atendida foi aquela com renda mensal de até 3 salários mínimos. Nesta semana, por exemplo, foi concedida a licença de instalação para o início das obras de infraestrutura da 4ª etapa do Riacho Fundo II. E, na próxima fase, o governo pretende contemplar os servidores públicos. “O programa não é só para eles, mas os funcionários públicos representam a maioria dos inscritos com renda de até 12 salários mínimos”, destaca o presidente da Codhab, José Luiz Naves.   
BSB, 21/9- Pelo oitavo ano consecutivo, a Via Engenharia participa da Casa Cor, principal evento de arquitetura e decoração do país, que será realizado, em Brasília, de 26 de setembro a 04 de novembro. A construtora apresentará uma unidade decorada do Via Parque Noroeste, primeiro empreendimento da Via Engenharia no mais novo bairro da cidade. Além da unidade decorada pela designer May Moura, a empresa também terá o Lounge Via, decorado pelas arquitetas Ângela Borsoi e Sônia Lacombe, que ficará integrado à galeria do Burle Marx. O residencial Via Parque Noroeste terá 48 unidades de quatro quartos de 151 m² ou 171 m² e coberturas privativas com até 399 m². O edifício ficará próximo ao Parque Burle Marx, o que acrescentará mais qualidade de vida aos futuros moradores. O empreendimento terá diferenciais inovadores norteados em três eixos: segurança, acabamento e tecnologia. Em termos de segurança, os apartamentos terão estrutura para o morador instalar câmeras onde achar conveniente. Sensores de incêndio e de vazamento de gás levarão total segurança e comodidade à cozinha. O imóvel terá um acabamento refinado, com piso em porcelanato do tipo parquet. As louças e metais de linha superior darão imponência ao apartamento. O sistema All-connect, que centraliza e distribui de forma inteligente rede de dados para telefonia, internet e intranet nas salas e quartos, será um dos conceitos utilizados em termos de tecnologia.   
BSB, 21/9- Os moradores terão à disposição um área de lazer sofisticada, com piscina aquecida com raia de 12 m, sauna, fitness, churrasqueiras no terraço, dois salões de festas no pilotis, quadra de esporte e um inovador espaço gourmet com home theater integrado. O Via Parque Noroeste fica em uma ótima localização, próximo a faculdades, hipermercados e shoppings como o Extra, o Carrefour e o Boulevard Shopping. O empreendimento segue a proposta ecológica do Setor Noroeste e terá, a exemplo dos mais recentes lançamentos da Via, sistemas para aquecimento de água com previsão de energia solar complementar e ampla iluminação natural nos ambientes, entre outros diferenciais. Este ano, a Casa Cor será no Clube do Servidor, no Setor de Clube Esportivo Norte (Trecho Norte SCEN - Lotes 1A e 1B), e estará aberta de terça a domingo, das 12h às 22h.   
BSB, 16/9- A JGM Imóveis, empresa do Grupo Brasil Brokers, lança o residencial Campo Di Fiori em Águas Claras. O belo empreendimento está localizado na QS 5, rua 310, lote 2. Tranquilidade e segurança são características do residencial. O Campo Di Fiori conta com dois e três quartos com suíte, garagem, elevadores, escadas e terraços. Além dessas vantagens, possui área de lazer com salão de jogos e de festas, espaço gourmet, toaletes, deck, ducha interna e externa, lounge, hall social, playgraund, espaço fitness, spa e sauna. Os apartamentos podem ser financiados pela Caixa. A Construtora Concretiza assume as construções e a JGM Imóveis as vendas. Mais informações pelos telefones 8112-7553/8107-0031, com Lene, ou 8107-0041, com Dorival.   
BSB, 15/9- More com conforto no Sudoeste, o melhor bairro de Brasília. O Residencial Ouro Preto, localizado na quadra 306, uma das melhores do Sudoeste, está pronto para morar. Possui apartamentos de três e quatro quartos e coberturas duplex individuais com quatro quartos, sendo duas suítes, duas vagas de garagem, churrasqueiras e hidromassagem. O seu acabamento é de primeira linha, com pilotis em granito e todas as unidades com armários nos quartos, cozinha e banheiros com box em blindex. O edifício também conta com cobertura de uso coletivo, salão de festas, churrasqueira gourmet e sauna, além do CFTV 24 horas, para a segurança e tranquilidade dos moradores. A obra tem a qualidade da Stylos Engenharia. A comercialização dos imóveis está sob a gestão da equipe de vendas da construtora e conta com a parceria das imobiliárias Lopes Royal e Rede Brasília de Imóveis. Mais informações: 3234-2799.   
BSB, 14/9- Prédio comercial com projeto moderno, de linhas arrojadas e nobre acabamento. Salas entregues com cabeamento lógico e de voz instalado. O prédio conta com algumas lojas planejadas para atender às necessidades dos profissionais que ocuparão o prédio, bem como amplo estacionamento rotativo. O Edifício Barão do Rio Branco foi construído pela Porto BSB Engenharia. Em termos arquitetônicos, há dois grandiosos halls de entrada, com mais de 12 metros de altura, iluminados naturalmente por meio de peles de vidro. A fachada combina com o vidro azulado refletivo e com as colunas em granito. Excelente localização, ao lado do Parque da Cidade, em frente ao TJDF, próximo ao Eixo Monumental. E o que é melhor: ao lado do Sudoeste. Há, porém, restrições aos tipos de empresas que podem se instalar no SIG. Há disponibilidade de apenas 11 salas no 1º e 3° andares com 37,50 m2. Entrega prevista para dezembro deste ano. As vendas são diretamente com a construtora. Telefones: 2195-8308 ou 8439-4108.   
BSB, 13/9- Depois do sucesso de vendas do Biarritz e do Saint Morritz, a João Fortes Engenharia consolida a sua presença em Brasília com o lançamento de um empreendimento inédito na cidade. O Le Quartier Hotel & Bureau é um complexo que reúne um centro empresarial com mais de 300 salas comerciais e 150 quartos de hotel. Com uma localização estratégica próxima ao Eixo Monumental e ao Conjunto Nacional, tecnologia e segurança, o Le Quartier Hotel & Bureau chega para suprir uma demanda local por hotéis e também para imprimir um conceito já visto em outros grandes centros urbanos: o do hotel e bureau que funcionam de forma totalmente integrada. O grande diferencial do empreendimento é que tanto os usuários do centro empresarial, como os hóspedes do hotel poderão - através do sistema pay-per-use – usufruir todos os serviços e facilidades disponíveis no complexo, tais como, business center, salas de reunião, centro de convenções, entre outros, assim como, toda a área de lazer do hotel. O complexo está localizado em um terreno de mais de 20 mil m² e dispõe de uma série de serviços, como central de fax e impressão, mensageiro e organização de eventos. O prédio comercial terá 15 pavimentos com 375 salas. O último andar do prédio será composto por 19 salas diferenciadas com mezanino e uma sala duplex. O comprador receberá a sala comercial com piso cerâmico e infraestrutura para sistema de ar condicionado central, instalação de TV a cabo e internet, além de central de PABX e previsão para hidrômetro individual. As salas têm metragens de 27 m² a 170 m² e há a possibilidade de junção de salas. Já o hotel contará com 150 apartamentos, divididos em 16 andares e área de lazer com piscina, espaço para repouso com duchas, sauna a vapor, fitness e restaurante. No total, o empreendimento terá um estacionamento com 497 vagas. O VGV é de R$ 140 milhões.   
BSB, 10/9- Localizado na quadra 306, uma das melhores do Sudoeste, o Residencial Ouro Preto, da Supera Engenharia, possui apartamentos de três e quatro quartos e coberturas duplex individuais com quatro quartos, sendo duas suítes e duas vagas de garagem. O edifício terá coberturas coletivas, salão de festas, churrasqueira gourmet, hidromassagem e sauna, além de circuito de TV 24 horas para garantir a segurança e a tranquilidade dos moradores. A obra tem qualidade da Stylos Engenharia. A comercialização dos imóveis está sob gestão da equipe de vendas da construtora em parceria com as imobiliárias Lopes Royal e Rede Brasília de Imóveis. Mais informações no telefone: 3234-2799.   
BSB, 9/9- A JGM Imóveis, empresa do Grupo Brasil Brokers, lança o mais novo empreendimento residencial em Águas Claras, Campo Di Fiori. Localizado na QS 5, rua 310, lote 2, o edifício prima pela beleza. Tranquilidade e segurança são outras características do residencial. O empreendimento conta com dois e três quartos com suíte, garagem, elevadores, escadas e terraços. Além dessas vantagens, possui área de lazer com salão de jogos e de festas, espaço gourmet, toaletes, deck, ducha interna e externa, lounge, hall social, playgraund, espaço fitness, sap e sauna. Os apartamentos do Campo Di Fiori podem ser financiados pela Caixa. A Construtora Concretiza assume as construções e a JGM Imóveis, as vendas. Mais informações pelos telefones 8112-7553/8107-0031, com Lene, ou 8107-0041, com Dorival.   
BSB, 5/9- A espera pelo primeiro lançamento no Setor Noroeste era tão grande que em apenas três dias o novo residencial, Reserva Noroeste, estava com 95% das unidades vendidas. Com tantos interessados, a quantidade de apartamentos não foi suficiente para atender a todas as pessoas inscritas na fila de espera. Elas terão de aguardar os próximos residenciais que, segundo os empresários do mercado imobiliário, serão apresentados brevemente. Um deles está previsto para o final de setembro. A localização e a planta do residencial foram alguns dos pontos positivos que ajudaram a alavancar as vendas das unidades. O bairro por si só já é um atrativo, pois é o primeiro ecologicamente correto na cidade. E a construtora escolheu uma das melhores localidades da região para construir. Quando o setor estiver pronto, o morador vai estar perto de tudo, informam fontes da construtora. Por ser um empreendimento voltado para a classe média alta, todo requinte e modernidade agregam valor e o tornam um excelente investimento. As unidades estavam sendo vendidas por algo em torno de R$ 1 milhão, sendo R$ 8.100 o m2 do imóvel. Os empresários sabiam que o empreendimento ia conquistar o público e que todas as unidades seriam vendidas, mas não imaginavam que isso aconteceria tão rapidamente. A Brasal, construtora responsável pelo inovador projeto, está preparando novas projeções no setor. Segundo o diretor, Dilton Junqueira, em outubro a empresa lançará um novo empreendimento. “Será um residencial no mesmo padrão do Reserva Noroeste. Nosso objetivo é trazer empreendimentos diferenciados, com destaque principalmente no espaço de lazer. Esse novo conceito de moradia contribuiu para o sucesso de vendas”, explica.   
BSB, 3/9- O governador José Roberto Arruda anunciou a publicação de edital de convocação para que os produtores façam a opção de compra ou concessão do direito real de uso das propriedades, seguindo a lei federal que permite ao GDF vender ou ceder as áreas rurais diretamente aos produtores que ocupam o terreno há pelo menos cinco anos. A lei foi sancionada no último dia 28 pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva e vai permitir aos produtores a aquisição da posse das terras, requisito necessário para a obtenção de crédito. No DF, as áreas pertencem à Terracap, que será a responsável pelo processo de regularização. O primeiro passo será dado na próxima semana, quando a empresa publicará o edital de convocação dos produtores, que deverão apresentar em 30 dias a documentação de que estão nas terras há pelo menos cinco anos. Cerca de 20 mil produtores estão nesta situação, mas a expectativa é de que até o fim do ano os primeiros contratos de compra ou concessão sejam assinados. “Todos sabem que este é o maior sonho do produtor rural do DF. Estou muito feliz com esse momento”, disse o governador, em reunião com produtores. “Esse é mais um passo para a legalização e preservação da cidade”, acrescentou. A legalização é resultado de emenda parlamentar de autoria do deputado federal Rodrigo Rollemberg, que permitiu a venda ou concessão real de uso de terras rurais no DF diretamente a seus ocupantes. Pela lei, o preço cobrado pelos lotes será de R$ 4,7 mil o hectare, valor mínimo fixado pela planilha de preços do Incra para a terra nua. O valor total poderá ser parcelado pela Terracap. “A melhor coisa que podemos fazer pelo DF é preservar sua área rural”, afirmou Rollemberg. “Quem ganha com isso é a cidade, afinal, nós tratamos da água, do ar e do alimento”, disse o presidente do Conselho de Desenvolvimento Rural de Ceilândia, Cláudio Pires.   
BSB,1/9- A Secretaria de Habitação (Sehab) vai facilitar o processo de habilitação a um lote. Graças a um acordo fechado com a Associação dos Notários e Registradores do Distrito Federal (Anoreg/DF), um verdadeiro pool de cartórios será criado para atender exclusivamente os beneficiários da Companhia de Desenvolvimento Habitacional (Codhab-DF). A idéia é reunir todos os nove cartórios de registros de imóveis em um só lugar, para auxiliar o candidato inscrito na companhia não só com a obtenção de certidões, mas também com a regularização de imóveis – a conhecida escritura definitiva. A decisão foi tomada após inúmeros relatos de candidatos ao Programa Habitacional do Governo do Distrito Federal sobre a dificuldade em reunir a documentação necessária para se habilitarem ao lote. Uma das cinco mil pessoas convocadas no último edital da Codhab, a dona de casa Rosângela Farias dos Santos é um exemplo. Para se habilitar e comprovar que teria direito ao lote, dona Rosângela se deparou com um problema: além de reunir toda a papelada, ela teve que percorrer os nove cartórios de registro de imóveis no Distrito Federal para conseguir as certidões negativas. “Tive dificuldades nos cartórios. Solicitei os documentos há 10 dias e ainda não ficaram prontos. E só agora me informaram que eu deveria ter ligado antes de ir buscar”, reclama. As certidões negativas são exigência para atender um dos requisitos da lei. “Para receber o lote, os candidatos não podem ter outro imóvel em seu nome, por isso são necessárias as certidões negativas”, afirma João Carlos Medeiros, diretor Imobiliário da Codhab. Com o posto avançado, o candidato não mais precisará percorrer todo o DF em busca da documentação. Segundo o secretário de Habitação, Paulo Roriz, além de facilitar a vida dos candidatos a moradia, o acordo vai impulsionar a regularização de imóveis no DF.   
BSB, 30/8- Cinco anos após o início da cobrança do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) nos condomínios do Distrito Federal, a briga contra o pagamento do tributo ainda não chegou ao fim. E, por enquanto, o placar está favorável aos loteamentos. O Superior Tribunal de Justiça (STJ) manteve decisão do Tribunal de Justiça do DF e Territórios (TJDFT) e julgou ilegal a emissão de carnês do imposto em nome do condomínio Vivendas Alvorada II, no Setor Habitacional da Contagem, em Sobradinho. A sentença é a esperança de pelo menos 11 mil pessoas que questionam a cobrança se livrarem da dívida. O Vivendas Alvorada II ajuizou ação contra a Secretaria de Fazenda em 2006 porque o governo emitiu 171 boletos do IPTU em nome do condomínio em vez de enviar a cobrança individualmente para os moradores. O condomínio ganhou liminar que, mais tarde, foi confirmada em primeira e segunda instâncias no TJDFT. O processo seguiu para o STJ depois que o governo recorreu. Mas a Segunda Turma do tribunal, por unanimidade, não reconheceu o recurso com a alegação de que não cabe ao STJ interpretar leis locais, como a cobrança do IPTU. Os ministros reiteraram que as decisões das justiças estaduais e distrital são soberanas e, assim, entenderam que o condomínio não é responsável pelo pagamento do tributo no lugar dos moradores. Segundo especialistas, a decisão sinaliza que os outros parcelamentos que brigam contra o IPTU nos tribunais também terão vitória. Pelo menos 10 ações foram ajuizadas no DF desde 2005 (veja quadro), quando o governo começou a cobrar o imposto dos condôminos.   
BSB, 28/8- O Lago Sul completa 49 anos no próximo domingo com bons motivos para comemorar. A região nasceu para abrigar engenheiros à época da construção de Brasília. Hoje, possui o maior Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do Distrito Federal. O metro quadrado dos terrenos de casas e escritórios do local é o mais caro da capital do país, de acordo com a Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente. Os habitantes têm um dos principais cartões-postais de Brasília, o Lago Paranoá, perto de casa, o que aumenta ainda mais a qualidade de vida.   
BSB,27/8- O dia 27 de agosto é merecidamente reconhecido como a data magna do mercado imobiliário. Nesta data é comemorado o Dia Nacional do Corretor de Imóveis, homenageando o profissional mais importante do nosso segmento, cuja atuação é indispensável para fazer girar toda a cadeia produtiva da indústria imobiliária. Nós da Fenaci (Federação Nacional dos Corretores de Imóveis), muito mais que os justos e merecidos parabéns, queremos ressaltar a sabida importância da categoria na construção do sonho nacional, representado na viabilização que o corretor de imóveis propicia ao intermediar o acesso à moradia digna para milhões de brasileiros. É um feito repleto de significados especiais e que nos enchem de orgulho. Se hoje, o mercado imobiliário brasileiro apresenta números superlativos e uma atuação extremamente profissional - comparado aos principais mercados internacionais - não tenham dúvida: há por trás desses bons resultados a atuação de um corretor de imóveis cada vez mais qualificado. E a busca desta qualificação permanente, tem sido uma meta obstinada da Fenaci, que para equiparar o corretor de imóveis brasileiro com os melhores do mundo e capacitá-lo a trabalhar em qualquer país, firmou convênios com algumas das principais entidades internacionais, como a NAR e ICREA. A Fenaci está, sempre esteve, e estará, à disposição dos profissionais que queiram progredir. É nossa meta primeira promover o crescimento contínuo da categoria. Por isso, quando você, corretor de imóveis, ouvir um parabéns pra você, não se surpreenda. Você merece isso e muito mais. Afinal, a categoria é você quem faz. E a Fenaci estará sempre presente em sua vida profissional. Parabéns pra você!   
BSB, 26/8- A Paulo Octávio Investimentos Imobiliários e a Via Engenharia uniram a força das duas principais marcas de construção e incorporação imobiliária do Distrito Federal para lançar o maior empreendimento residencial do Centro-Oeste: Península Lazer e Urbanismo. Trata-se de um complexo composto por 17 torres residenciais, que somam 1.951 unidades de três e quatro quartos. O terreno onde o condomínio vertical será erguido está localizado em um terreno-península entre Águas Claras e Taguatinga, às margens da futura Linha Verde, e tem cerca de 65 mil m². A área final construída atingirá os 467 mil m². Devido à sua magnitude, o complexo será realizado em cinco fases, sendo a primeira delas entregue em agosto de 2012 (30 meses). A construção do Península movimenta investimentos de R$ 1,2 bilhão. “É um empreendimento grandioso, cuja média de geração de postos de trabalho é de 1.250 por dia”, declara o diretor da PaulOOctavio, Marcelo Carvalho. “Estamos unindo competências para realizar esse verdadeiro bairro residencial com o mais alto padrão de qualidade e tecnologia existentes. Esse projeto é um presente antecipado pelo cinqüentenário de Brasília”, afirma Fernando Queiroz, presidente da Via Engenharia. Junto a ambos, entra a força da Fundação Habitacional do Exército (Poupex) como agente financeiro. Segundo seu presidente, general Clóvis Jacy Burmann, “trata-se de um empreendimento com potencial qualificado para atrair novos clientes, permitindo a ampliação da participação da Poupex no mercado imobiliário”, diz.   
BSB, 26/8- Com projeto paisagístico do renomado Benedito Abudd, o Península contará com apartamentos espaçosos, que vão de 103 a 203 m² (sendo que na primeira fase as unidades vão até 180m²). A primeira etapa do lançamento prevê a construção dos blocos A, B, C e D – que recebem nomes de ilhas, respectivamente, Vitória, Itaparica, Abrolhos e Ilhabela. A arquitetura do projeto é assinada pelo conceituado escritório Gomes Figueiredo Arquitetura. Além da localização privilegiada, próxima de shoppings, escolas, faculdades e supermercados, uma área de comércio local também será construída com 39 lojas que oferecerão diversos serviços e comodidades para os futuros moradores. Uma grande praça central comportará áreas de lazer comuns e privativas às torres. Vagas de garagem cobertas para moradores e descobertas para visitantes trarão ainda mais praticidade ao acesso bastante facilitado do Península.   
BSB, 24/8- Alugar um imóvel está cada vez mais difícil. Em todo o Brasil, consumidores enfrentam uma via-crúcis para conseguir um teto para morar, tamanha a exigência e burocracia das imobiliárias. Como se não bastasse, muitas empresas estão cobrando dos futuros inquilinos taxas que violam tanto a Lei do Inquilinato, quanto o Código de Defesa do Consumidor (CDC). Essa prática é enquadrada como crime pela Lei do Inquilinato, que estabelece como contravenção penal, com pena de até seis meses de prisão e multa cobrar qualquer quantia ou valor além do aluguel e encargos permitidos. Em Brasilia, onde a demanda é muito aquecida devido ao grande contingente de aprovados em concursos públicos que vem para a capital federal, o problema é ainda maior. O Correio entrou em contato com empresas e constatou a cobrança de três taxas que fogem às regras.   
BSB, 24/8- A primeira é a de reserva do imóvel. Quando o cliente quer alugar um apartamento ou casa que acaba de visitar, para ter garantia de que a imobiliária não vai mostrar o imóvel ou alugá-lo para outra pessoa antes que o consumidor traga a documentação no prazo previsto, tem de pagar 10% do valor do aluguel. Se o contrato for fechado, o interessado recebe o valor pago na forma de crédito do primeiro aluguel devido. Se a pessoa desistir ou se o cadastro não for aprovado, porém, não terá direito a receber nada de volta. A segunda é a taxa de análise cadastral, ou seja, para provar que o locatário e seus fiadores não têm nenhuma pendência na Justiça ou em cadastros de inadimplentes. Há duas formas de pagamento: direto para a imobiliária ou para empresas terceirizadas. No empréstimo de chaves para a visitação do imóvel, aparece a terceira irregularidade. O interessado tem duas horas para devolver as chaves. Caso ultrapassse esse limite de tempo, são cobrados 10% do valor do salário mínimo.   
BSB, 24/8- Para especialistas em direito do consumidor, não há dúvida. As imobiliáras que agem dessa forma estão infringindo a lei. "É um absurdo. É uma prática abusiva", alerta Maria Inês Dolci, coordenadora institucional da Associação Brasileira de Defesa do Consumidor (ProTeste). Quanto à cobrança da taxa de cadastro, a Lei do Inquilinato, em vigor desde 1991, deixa claro que é obrigação do locador pagar as "despesas necessárias à aferição da idoneidade do pretendente ou de seu fiador". Por sua vez, o CDC considera prática abusiva exigir do consumidor "vantagem excessiva". E é isso que as imobiliárias estão fazendo, segundo Maria Inês, o que é passível de multa de até R$ 3 milhões. "É um repasse indevido. A imobiliária quer tudo garantido, mas ela tem de assumir o risco do negócio."   
BSB, 21/8- O Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF) autorizou o lançamento do edital de licitação de terras rurais. Por unanimidade, os conselheiros deram aval ao prosseguimento da concorrência pública para concessão do direito real de uso desses imóveis. Com a decisão, a Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap) vai lançar o edital na semana que vem. A abertura das propostas será em 30 de setembro. O objetivo do governo é licitar pelo menos 500 propriedades rurais todos os meses. O DF tem 19,2 mil imóveis fora das zonas urbanas. Quase a totalidade delas está na ilegalidade. Isso porque os contratos de arrendamento dos terrenos, assinados na época da inauguração de Brasília, estão vencidos e os produtores rurais não conseguem obter financiamento bancário por causa da falta de documentação. O Governo do Distrito Federal (GDF) tentou legalizar a situação dos produtores, mas o Ministério Público do Distrito Federal (MPDF) vetou a assinatura dos novos contratos sem a realização prévia de licitação. Os promotores também proibiram a transmissão intervivos. Nos últimos anos, o governo discutiu o assunto com os produtores rurais, promotores e conselheiros do TCDF para fechar as regras dos contratos. O debate foi marcado por dezenas de impasses, já que o MPDF exigia a fixação de regras rígidas e capazes de assegurar a proteção do patrimônio público. Os produtores reivindicavam preços justos e condições mais atrativas para os contratos a serem assinados. O presidente da Terracap, Antônio Gomes, destaca que esta é a primeira vez que o governo regulariza terras rurais. “Finalmente, não há mais nenhum empecilho para a licitação. Para nós, da Terracap, será um grande desafio, mas vamos trabalhar em esquema de mutirão para elaborar todos os contratos e lançar um edital de licitação de terras rurais por mês, com a inclusão de pelo menos 500 propriedades em cada um”, afirma Gomes.   
BSB, 20/8- O Lago Sul vai ganhar mais duas quadras: a QI e a QL 30. As áreas, atualmente desocupadas, pertencem à Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap) e o governo tem planos de colocar os terrenos à venda em breve. O lançamento das novas quadras do bairro nobre, porém, depende da derrubada das construções em Área de Preservação Permanente (APP) do condomínio Villages Alvorada, um loteamento de luxo às margens do Lago Paranoá. Quando regularizado, o parcelamento vai se transformar na QL 32 do Lago Sul. O novo empreendimento está atrelado à legalização do condomínio porque todos fazem parte do Setor Habitacional Dom Bosco. O Plano Diretor de Ordenamento Territorial (Pdot) prevê a regularização fundiária por setores. Por isso, o governo elaborou o projeto urbanístico de toda a região, em vez de fazer análises específicas para o condomínio e para as novas quadras. Isso foi pensado também porque a integração do Villages Alvorada com as novas QL 30 e QI 30 é inevitável por conta da proximidade entre os dois empreendimentos. A primeira quadra terá lotes às margens do lago mas, de acordo com a legislação ambiental, as chamadas pontas de picolé não poderão ter edificações a menos de 30m da beira do espelho d`água. O Grupo de Análise de Parcelamentos (Grupar) do governo local avaliou e aprovou os estudos urbanísticos do setor habitacional. A assinatura do decreto que aprovará os novos loteamentos só depende da finalização dos estudos ambientais, que estão em andamento no Instituto Brasília Ambiental (Ibram). O presidente do órgão, Gustavo Souto Maior, garante que a Licença de Instalação ficará pronta até sexta-feira. “Nós já emitimos uma licença para o setor em janeiro deste ano. Agora, estamos refazendo o documento porque o anterior perdeu a validade”, conta Souto Maior.   
BSB, 18/8- A Base Investimentos e Incorporações e a Emarki Construção e Incorporação lançam o ParkSul Prime Residence. Luxuoso condomínio fechado com apartamentos de dois, três e quatro suítes e a mais completa e sofisticada área de lazer já construída na cidade. O empreendimento tem o padrão de cinco estrelas, muito mais que um resort. São 50 itens de lazer que foram finamente detalhados pela arquiteta Deborah Pinheiro. Na área de lazer destaca-se o grande complexo aquático. As vendas são de responsabilidade da Base Planejamento e Emarki Imóveis. E ao lado do Casa Park encontra-se o estande de vendas com três unidades decoradas. Mais informações pelo telefone 3361-7777.   
BSB, 15/8- Condomínio fechado com guarita, próximo ao centro comercial de Samambaia. Localizado na QS 411, conjunto F, perto da futura estação do metrô de Samambaia. O Residencial Splendore oferece apartamentos de dois quartos com preparação para a individualização de hidrômetros. O empreendimento faz parte do programa Minha Casa, Minha Vida, o preço é acessível e até 100% financiados pela Caixa Econômica. A Apex é responsável pela construção e pelas vendas do empreendimento. Os interessados podem visitar as unidades decoradas na loja de Samambaia, QS 406, conjunto C, lote 4. Mais informações pelo telefone 3905-3090.   
BSB, 12/8- O Governo do Distrito Federal está colocando à venda 28 casas e apartamentos funcionais que estavam ocupados por servidores do GDF. Os imóveis, avaliados em R$ 10,9 milhões, serão vendidos em licitação da Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap) no próximo dia 3 de setembro. Os preços variam de R$ 79,3 mil e R$ 1,5 milhão. Os apartamentos do GDF estão distribuidos nas quadras 104, 203, 215 e 315 da asa sul, e um na Asa Norte, avaliado em R$ 245 mil. Além disso, o governo coloca à venda seis casas em Brazlândia, três no Lago Sul, uma no Gama e uma em Sobradinho. Qualquer pessoa pode participar da compra, desde que deposite até o dia 2 de setembro, no Banco de Brasília (BRB), o valor de caução de 5% sobre o valor do imóvel escolhido. Contudo, quem mora atualmente nesses imóveis tem prioridade na compra, mas para ganhar deve apresentar o maior preço. Caso a maior oferta seja dada por outro licitante, o morador tem cinco dias úteis a partir da licitação para cobrir a proposta, caso contrário perde o direto de preferência. Os interessados em participar da licitação podem conhecer o imóvel. Para isso, deve ir pessoalmente à Gerência de Gestão Patrimonial da Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag) e solicitar agendamento de visita. Mais informações na Secretaria de Planejamento e Gestão: 3966-6260   
BSB, 10/8- A reabertura do cadastro habitacional do governo causou uma corrida aos postos de atendimento. Nos primeiros sete dias, a Companhia de Desenvolvimento Habitacional do DF registrou 52.426 inscritos — mais da metade do número atual de incluídos na lista. A Secretaria de Habitação informa que nem todas essas pessoas farão parte do cadastro. Os documentos apresentados ainda serão avaliados pelos técnicos da pasta. Quem atender aos pré-requisitos poderá esperar na fila para ser beneficiado pela política habitacional do governo. Uma revisão entre os inscritos deve eliminar pelo menos 35% das pessoas que procuraram a Codhab nos últimos dias. “Sabemos que muita gente leva todos os integrantes da família para fazer o cadastro. Mas apenas um representante de cada domicílio pode ficar na lista. Vamos cruzar os dados e os CPFs fornecidos para saber quem efetivamente pode fazer parte do cadastro único”, explica o presidente da Codhab, José Luiz Naves.   
BSB, 8/8- Primeiro bairro ecológico de Brasília, o Setor Noroeste ganhou um manual verde para as futuras edificações, o qual traz regras a serem cumpridas por empreiteiros, arquitetos, engenheiros e projetistas na construção de prédios e implantação da infraestrutura do novo bairro. O manual é composto por um conjunto de recomendações ambientais e de sustentabilidade. O manual foi lançado no dia 1º de julho, durante o seminário Setor Noroeste, Construção Civil e Sustentabilidade, no auditório do Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura do DF (Crea-DF). O documento contém 10 capítulos. Três deles são do Plano de Gestão Ambiental e Implantação do Noroeste (PGAI) e tratam de temas como Manual Ambiental de Construção, Licença de Instalação e Manual de Sustentabilidade. No primeiro capítulo o manual aborda a contração de pessoal e a recuperação de áreas degradadas. O segundo capítulo trata da íntegra da Licença de Instalação nº 008/2008, que autoriza a construção dos prédios e da infraestrutura e estabelece diversas normas para a implantação no Noroeste.   
BSB, 8/8- O novo bairro ficará entre os parques Nacional de Brasília e Burle Marx, no final da Asa Norte. O Setor Noroeste terá ideia de conjunto ecológico e as primeiras ocupações estão previstas para o ano que vem. As obras já começaram. O setor deverá abrigar 40 mil habitantes, no máximo. O projeto de construção tem características “verdes” peculiares, como o aproveitamento de água da chuva no período da seca, a iluminação natural e a energia solar ou a gás natural. Outra característica do projeto está na coleta seletiva de lixo, via sucção. Esse sistema promete deixar as ruas sem caminhões, lixeiras e contêineres. As ciclovias, calçadas e estacionamento serão construídos com material permeável para facilitar a absorção da água. Projetos ambientais para o bairro que serão aplicados em outros setores de Brasília são os “prédios verdes”, principais apostas das construtoras brasilienses. Os projetos ecologicamente corretos prometem melhorar a qualidade de vida tanto dos moradores quanto do meio ambiente. As construções deverão utilizar materiais recicláveis e recursos que preservem o ambiente natural, reduzindo assim a emissão de poluentes, a degradação do solo e o desperdício de água.   
BSB, 5/8- Descubra o empreendimento que vai proporcionar mais qualidade de vida e harmonia para você e para a sua família. Em agosto será lançado o Harmonie Residencial, da construtora Soltec Engenharia, um ambiente ecologicamente correto que trará apartamentos de canto de quatro quartos vazados, com 10 opções de plantas e 108m2 de beleza em equilíbrio com a natureza. Planejado para preservar o meio ambiente, o Residencial Harmonie oferece apartamentos com varanda gourmet, ampla iluminação natural e ventilação cruzada, além de coberturas top houses com 180m2. O empreendimento está localizado na Rua 31 Norte, em frente ao parque ecológico de Águas Claras, com muitas opções de lazer. O Harmonie proporciona a satisfação de estar em sintonia com a natureza e de saber que as crianças estarão curtindo com segurança os melhores momentos da infância. É o lugar que você sempre sonhou para relaxar com mais conforto e tranquilidade. No que depender do Harmonie, seu futuro fica garantido. A Lopes Royal está responsável pela comercialização desse imóvel sensacional. A previsão de entrega é para 30 de setembro de 2010.   
BSB, 3/8- A instalação de hidrômetros individuais nos prédios residenciais do Distrito Federal não é mais obrigatória. A lei que torna facultativo o uso do sistema de medição do consumo de água por apartamento foi publicada na última quinta-feira no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF). Cada condomínio, no entanto, terá que decidir, em assembleia com os moradores, se irá ou não adotar a hidrometração individual. Caso a maioria vote por não instalar o sistema, o condomínio será responsável por comunicar a decisão à Agência Reguladora de Águas e Saneamento do Distrito Federal (Adasa) até 19 de janeiro de 2015. Se o prazo não for cumprido, o condomínio provavelmente sofrerá penalidades que ainda serão definidas pela agência. A Lei nº 4.383/09, de autoria do Poder Executivo, sancionada há dois dias pelo governador José Roberto Arruda, dá liberdade ao condomínio de decidir se vai instalar ou não o sistema individual de medição de consumo de água. A norma altera a Lei nº 3.557/05, que obrigava os prédios construídos antes de 2005 a instalar hidrômetros individuais nos apartamentos até o ano que vem. Até então, apenas os condomínios que comprovassem inviabilidade técnica ou financeira estavam isentos de atender a exigência. Para o diretor de assuntos sindicais do Sindicato dos Condomínios Residenciais e Comerciais do DF (Sindicondomínio), Délzio João de Oliveira Júnior, a nova lei foi uma vitória conquistada depois de alguns anos de batalha. “Nós não queríamos que os condomínios fossem obrigados pelo governo a fazer a individualização. Quem vai saber se é melhor ou pior aderir ao sistema são os próprios moradores. Em alguns casos, era preciso derrubar 40% do prédio para instalar os hidrômetros, o que tornava a obra inviável financeiramente”, afirma ele.   
BSB, 31/7- A Via Engenharia inicia, já no segundo semestre deste ano, as obras de mais dois residenciais no Guará II. Os projetos foram aprovados pela administração regional e começarão a ser construídos ainda este ano. Um residencial será construído em um terreno de 3 mil metros quadrados e terá duas torres com 84 apartamentos de três quartos no total. O outro ficará em um terreno de 6 mil metros quadrados e terá três torres e 264 apartamentos de dois e três quartos. Os dois empreendimentos terão ampla área de lazer no pilotis. Os projetos irão ampliar a atuação da Via no Guará. A empresa está na fase final de construção do Via Boulevard, empreendimento lançado na cidade em julho de 2007, que tem entrega prevista para fevereiro de 2010. O residencial teve todas as 308 unidades vendidas em apenas seis meses. “Os novos empreendimentos beneficiarão os moradores do bairro. Esperamos o mesmo sucesso de vendas que tivemos com o Via Boulevard”, afirma o presidente da Via Engenharia, Fernando Queiroz. “Estamos muito satisfeitos em ampliar nossa atuação no Guará, que é uma cidade consolidada e muito bem localizada, com acessos rápidos ao Plano Piloto, Sudoeste, Setor de Indústrias e Águas Claras”, destaca Queiroz. Os interessados já podem se cadastrar pelo site www.grupovia.com.br/guara.   
BSB, 27/7- A Invest Imóveis lança um condomínio com localização privilegiada e infraestrutura incomparável em Águas Claras, na esquina do Pistão Sul, vizinho à Católica. O residencial Costa Azul é um empreendimento moderno e prático. São várias opções de lazer: piscina, SPA, solarium, sauna, jardim japonês, churrasqueiras, playground, office center, espaço gourmet, salão de festas, brinquedoteca e academia. O empreendimento terá 3.049 m2 de terreno. Serão construídos dois blocos, com entrega prevista para novembro de 2012, o primeiro, e junho de 2012, o segundo. Cada bloco terá 52 unidades, sendo seis apartamentos por andar, dois elevadores por prédio, sete pavimentos de apartamentos. A incorporação e a construção foi feita pela JANOT, o projeto pela Accioly e Catelli Arquitetos Associados. Agende visita à unidade decorada da INVEST-DF pelo telefone (61) 3435-0708 ou www.investdf.com.br   
BSB, 27/7- Quem se preocupa com qualidade de vida ficará satisfeito com o empreendimento da Apex Engenharia. O Residencial Villa Borghese é um lugar para se criar raízes. Segundo a construtora, ele é verdadeiramente ecológico, além de ser o único no Distrito Federal. Coleta seletiva de lixo, lâmpadas econômicas, sensores de presença nas áreas comuns do empreendimento, motores eficientes (redução do consumo de energia), coleta de óleo de cozinha para reciclagem, condomínio cercado por árvores, reaproveitamento de água pluvial para a área comum do condomínio, aquecimento solar na área de lazer e 30% do terreno utilizados apenas como área verde são os diferenciais do Villa Borghese. A comercialização do empreendimento será divulgada em breve. Visite a unidade decorada da Apex para conhecer a maquete e obter mais informações.   
BSB, 25/7- Já se foi o tempo em que Samambaia e Ceilândia eram ignoradas e discriminadas pelos investidores. Hoje, só não investe nessas duas cidades quem desconhece o potencial econômico delas ou não sabe que elas se transformaram nas novas joias do mercado imobiliário do DF. Acreditando nisso, a Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap) está ampliando a ofertas de lotes naquelas duas cidades. Na licitação que a empresa realizará na quinta-feira (30), dos 220 imóveis ofertados, 139 lotes residenciais e comerciais estão naquelas regiões administrativas, sendo 72 terrenos na Ceilândia e 67 em Samambaia. Na Ceilândia, os preços dos lotes variam de R$ 43,7 mil (50 metros quadrados no Setor Industrial) a R$ 337 mil (441 metros quadrados na QNO Quadra 20). Já em Samambaia, os preços dos terrenos oscilam entre R$ 42,6 mil (50 metros quadrados na QS 517) e R$ 916 mil (2,8 mil metros quadrados na QS 621 – Área Especial 1). Segundo o presidente da Terracap, Antônio Gomes, os terrenos nessas cidades estão sendo bastante disputados por empresas e famílias, gerando boa receita para a empresa. “Somente no primeiro semestre deste ano, faturamos R$ 46,6 milhões com a venda de 124 terrenos em Samambaia. Com esse resultado, no ranking da Terracap a cidade passou para o segundo lugar em lotes vendidos e em terceiro lugar em arrecadação”, revelou Gomes.   
BSB, 25/7- Para participar da licitação da Terracap, o interessado deve retirar o edital de julho em qualquer agência do BRB, onde também deve ser depositada a caução sobre o lote escolhido até as 16 horas de quarta-feira-feira (29). A caução é de 5% sobre o preço do lote. O valor do terreno pode ser parcelado em até 240 meses. Para os servidores da administração direta e indireta do GDF, o lote residencial sai mais barato. Por determinação do governador José Roberto Arruda, para os servidores a taxa de juros caiu de 12% para 6% ao ano. Com a redução, o servidor vai economizar bastante na compra de lotes. Por exemplo: com taxa de juros de 12% ao ano, a prestação de um lote ofertado por R$ 174,7 mil, com entrada de 5% e o restante financiando em 240 meses, seria de R$ 1.827, 44. Com juros de 6% ao ano, cai para R$ 1.188,97, conforme cálculos da Terracap.   
BSB, 23/7- Os moradores do Sudoeste terão amanhã (24) a oportunidade de se manifestar em relação aos planos de expansão do setor. A audiência pública convocada pelo Instituto Brasília Ambiental (Ibram) ocorre às 9h na Igreja Presbiteriana. Durante a reunião, será apresentado e discutido o Relatório de Impacto de Vizinhança das quadras SQSW 500 e 501, que expõem a situação técnica e ambiental do projeto de expansão. Se a apresentação satisfizer os moradores do Sudoeste, o Ibram pode expedir uma licença prévia atestando que o projeto é viável do ponto de vista ambiental. Contrariado pela forma como o processo foi conduzido, um grupo de moradores se mobilizou para tentar impedir a expansão imobiliária, que, segundo eles, deve piorar a qualidade de vida não apenas dos moradores do Sudoeste, mas de todo o Plano Piloto. A Associação Parque Ecológico das Sucupiras foi criada para defender os interesses da área verde que virou parque de uso múltiplo há quatro anos, mas se engajou na oposição às novas quadras do Sudoeste. A comunidade teve pouco mais de um mês para se mobilizar desde que o Ibram informou o agendamento da audiência pública para amanhã. Durante esse período, a associação organizou três reuniões, convocadas por meio de e-mails e faixas espalhadas pelo Sudoeste, mas poucas pessoas, além das cinco que se mobilizaram pela causa, compareceram.   
BSB, 23/7- Os primeiros desenhos das novas quadras do Sudoeste mostram que elas terão, juntas, 22 prédios residenciais nos moldes do Plano Piloto (com limite de seis andares) e seis blocos comerciais. A expansão ocupa um terreno de 140 mil metros quadrados que pertencia à Marinha, mas foi permutado com a construtora Antares em 2007. A área fica entre o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) e o Parque das Sucupiras, praticamente às margens do Eixo Monumental. As duas quadras serão interligadas e está reservada uma área institucional entre elas, que deve ser ocupada por uma escola. Todos os prédios terão garagem no subsolo. As saídas das duas quadras darão acesso à pista que passa pelo Sudoeste Econômico. O projeto mostra ainda que os blocos comerciais terão quatro andares e ficarão no fundo das quadras, virados para a rua em frente ao Setor de Oficinas. O comércio local ocupará uma área de 9 mil metros quadrados e as lojas serão mais espaçosas que as do Plano Piloto. O empreendimento será cercado de verde, com quadras bem arborizadas — apenas 15% do terreno deve ser ocupado por edificações, de acordo com o projeto.   
BSB, 21/7- O excelente desempenho da Via Engenharia em 2008 acaba de render novamente a construtora um local de destaque entre as melhores e maiores empresas do país, segundo avaliação da principal revista de economia e negócios do Brasil, a Exame. A Via Engenharia aparece, novamente, entre as principais empresas do país no ranking das 1000 Melhores e Maiores da Revista Exame, edição de julho de 2009. A construtora foi classificada como a maior empresa, em vendas, do setor “Indústria da Construção” da região Centro-Oeste e evoluiu 4 posições no ranking de todos os setores com o 33º lugar, incluindo empresas públicas e estatais. Com cerca de quatro mil colaboradores, a empresa obteve em 2008 uma receita de obras e vendas de imóveis de R$ 569 milhões e um back-log de contratos e estoque de imóveis de R$ 1,53 bilhão. Este ano, a expectativa é alcançar R$ 880 milhões de receita e um back-log de R$ 2,43 bilhões, um crescimento de 55% e 59%, respectivamente.   
BSB, 20/7- Na melhor localização de Águas Claras, entre a estação central do metrô e o Parque Central, a Brasal Incorporações disponibiliza a venda do residencial Vitali, um dos maiores sucessos de vendas de Brasília em 2008 devido à imponência do projeto arquitetônico e às várias opções de lazer, comodidade e segurança. O Vitali conta com o diferencial de piscina adulto e infantil, piscina de raia coberta e aquecida, fitness, squash, sauna, quadra de vôlei de praia, minicampo de futebol, home cinema, espaço gourmet, salão de jogos, playground, espaço leitura, lan house e muito mais. São 40 unidades, com apartamentos de dois quartos com suíte e varanda gourmet, todos com pelo menos uma vaga de garagem, e metragem privativa variando entre 49 e 65m2, e apartamentos duplex com varanda gourmet, duas suítes e lavabo com 89m2 e vaga de garagem dupla. Construção e vendas com Brasal Incorporações pelo telefone: 3234-5678.   
BSB, 20/7- O Residencial Easy é o novo empreendimento da Caenge S.A, Construção Administração e Engenharia. Um residencial de lofts, duplex e coberturas na Rua das Pitangueiras, em Águas Claras. Em uma área de 2.762,51 m2, são duas torres com uma localização privilegiada e completa área de lazer, com piscina adulto e infantil, deck solarium, espaço gourmet, churrasqueira, brinquedoteca, quadra poliesportiva, home cinema, espaço para internet, espaço para salão de festas, gazebo para leitura, SPA c/hidromassagem e espaço para massagem, sauna equipada, entre outros. A 150m da estação do metrô, o Residencial Easy reúne, em um mesmo empreendimento, segurança, requinte e comodidade. Vendas com Paulo Baeta Empreendimentos Imobiliários Ltda. pelo telefone 3322-5555.   
BSB, 18/7- A Secretaria de Habitação (Sehab) entregou neste sábado (18), 250 lotes em Planaltina a candidatos do Cadastro Único da Habitação. A prioridade da entrega foi para famílias que morem há mais de 30 no Distrito Federal. O evento, que acontecerá às 10 horas na Avenida Independência (na estrutura montada entre o Bairro de Fátima e o Setor Norte), terá a presença do governador José Roberto Arruda, do vice-governador Paulo Octávio e do secretário de Habitação, Paulo Roriz. Serão entregues também 390 Termos de Concessão de Uso (TCU) a professores (153), policiais militares (191) e bombeiros (40) que foram convocados no início do ano. Além de não possuir casa própria, os beneficiados devem trabalhar e morar na região. “Essa é uma preocupação para contemplar as famílias nas cidades onde elas já residem. Assim, as rotinas não vão sofrer grandes alterações”, afirmou o secretário Paulo Roriz. Os endereços serão definidos por meio de sorteio. A partir de agora, os contemplados ficarão responsáveis pela construção de suas casas e o governo vai se responsabilizar pelos investimentos em urbanização e implantação de redes de energia, água e esgoto. Além de Planaltina, outras cidades como Samambaia e Brazlândia também tiveram áreas disponibilizadas para o Programa Habitacional do GDF.   
BSB, 16/7- O surgimento de novas áreas residenciais no Distrito Federal tem motivado os moradores da capital federal a escolher imóveis fora do Plano Piloto. O rápido crescimento da Região Administrativa de Águas Claras e novas áreas de moradia em Taguatinga, Ceilândia, entre outras cidades-satélites demonstram essa mudança. A Brookfield Incorporações aposta nesses setores com empreendimentos diversificados que atendem a todo tipo de público, desde as pessoas que querem um apartamento mais luxuoso até aquelas que buscam praticidade e um custo benefício melhor. Tanto atrativo se deve, sobretudo, aos projetos modernos e às melhorias que têm sido promovidas para melhorar o acesso e a infraestrutura dessas cidades. Águas Claras é um exemplo disso, com diversas áreas de lazer e comércio e novidades imobiliárias que oferecem ótimas alternativas por um valor inferior ao praticado no Plano Piloto. O Lumini, novo empreendimento da Brookfield Incorporações, apresenta essas características. Localizado em um ponto privilegiado de Águas Claras, o residencial está e possui uma única torre de 20 andares, com apartamentos de dois e três quartos, que variam de 78 metros quadrados a 103 metros quadrados. “O Lumini é ideal para quem procura a primeira moradia, uma vez que possui um ótimo custo benefício. Para quem mora em uma quitinete e quer fazer um upgrade, por exemplo, esse empreendimento é uma excelente opção”, considera Rubens Oseki, gerente comercial da Unidade Centro-Oeste. O imóvel está situado em uma área de quase três mil metros quadrados e conta com uma ampla área de lazer, além de cinco elevadores e duas vagas de garagem por apartamento. De acordo com Oseki, outro atrativo do Lumini, é a possibilidade do cliente poder escolher opções diferenciadas de acabamento.   
BSB, 15/7- Os corretores de imóveis do DF vão eleger, quinta-feira (16), a nova diretoria do Creci para os próximos três anos. Duas chapas concorrem à presidência, a 1 – Tradição, Modernidade e Ação, presidida por Saulo Côrtes, e a 2 – Renovação, encabeçada por Hermes Alcântara. Quem vencer terá o desafio de administrar uma categoria que cresce muito no DF. Com o objetivo de renovar a direção do Creci e acabar com a hegemonia da atual direção e apoiadora da Chapa 1, no comando da entidade há 17 anos, a Chapa Renovação acredita na vitória com larga vantagem de votos. “Vamos entrar e mudar a casa”, declara Alberto Fernandes, da Chapa 2. Os representantes da Renovação propõem uma administração clara e transparente, de modo que os 12 mil corretores inscritos no Creci-DF tenham a chance de opinar e participar e com autoridade das atividades do conselho. Dentre as principais propostas estão a eleição do presidente do Creci por apenas dois mandatos; o resgate, respeito e valorização do profissional; a divulgação na mídia sobre a importância do corretor de imóveis nas transações imobiliárias; a construção da sede social e a definição de relatório mensal de receitas e despesas divulgado no site. A fiscalização da administração anterior do Creci será peça-chave para que as propostas sejam concretizadas. “Todas as nossas propostas têm condições de ser viabilizadas. Primeiro temos que entrar na casa, verificar a situação e ver como iremos fazer. Também vamos pedir uma auditoria independente dos 17 anos de presidência para poder dar uma resposta clara aos nossos colegas”, diz Fernandes.   
BSB, 14/7- A Soltec Engenharia, Silco Engenharia, Milênio Empreendimentos e Bandeira Construtora levam para o Guará II seu mais recente lançamento, o Dolce Vitta Residencial. Localizado na Avenida do Contorno, a apenas 700 metros da nova estação do metrô, em região com infraestrutura de comércio e serviços consolidados. O clima pacato da cidade torna a região um excelente lugar para se viver e morar. O empreendimento possui quatro torres onde estão distribuídas 568 unidades de dois quartos que variam de 55m2 a 66m2, de três quartos com 82,5m2 e coberturas lineares com 142m2. Além da segurança de viver em um condomínio fechado, os moradores contam com mais de 20 opções de lazer para todas as idades, que vão de churrasqueiras com forno de pizza, brinquedoteca, piscinas adulto e infantil, salões de festas, salão de jogos, fitness, até radical skate, entre outras. O Dolce Vitta se tornou um grande sucesso de vendas, com mais de 150 unidades comercializadas. Agora estão abertas as vendas da torre A. Vendas com a Cygnus. Os interessados nas unidades podem entrar em contato no telefone 3381-4321.   
BSB, 14/7- Tão grande quanto as dependências do Residencial Elegance é a comodidade de estar perto de tudo. Todas as opções de comércio e de serviço encontram-se aqui: escolas, academias, restaurantes, bancos, papelarias e farmácias. A construtora Caenge S.A é a responsável por este empreendimento na Avenida Araucárias – Rua 4 Sul – lote 11. O prédio será construído em terreno de 1.800m2 de esquina, com apenas um bloco de 20 pavimentos com a seguinte descrição: 3 subsolos de garagens, térreo com hall social e duas lojas, pilotis de lazer completo, do primeiro ao 14 º pavimento, unidades tipos, e unidades duplex. Serão ao todo 147 unidades, sendo 120 apartamentos duas lojas, 25 vagas autônomas, oito por andar, três elevadores, fachada revestida em cerâmica, granito, textura e detalhes em aloco bonde, vidros verdes. Magnífica unidade decorada poderá ser visitada, bastando agendamento por um dos consultores da INVEST-DF pelo telefone: 3435-0708 ou www.investdf.com.br   
BSB, 14/7- A Brasal Incorporações lança novo empreendimento: o City Offices Jornalista Carlos Castello Branco. Localizado no SIG e projetado pelo arquiteto Oscar Ferreira, contará com 119 salas comerciais, 44 lojas, auditório para 100 pessoas e 438 vagas de garagem, totalizando 20 mil metros de área construída. O City Offices recebeu seu nome em homenagem ao falecido jornalista político e sediará a futura sede do Sindicato dos Jornalistas do DF, parceiro da Brasal Incorporações no empreendimento. As salas e lojas serão comercializadas pela própria Brasal Incorporações e pela Cygnus Imóveis. “A expectativa é de um grande sucesso de vendas em decorrência da excelente localização do empreendimento, muito próximo ao Sudoeste, Tribunal de Justiça, Ministério Público do DF, Palácio do Buriti e a futura sede da Câmara Legislativa do DF”, explica Dilton Junqueira, diretor da Brasal Incorporações.   
BSB, 13/7- Segundo o Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon-DF), O Custo Unitário Básico no Distrito Federal , referente ao mês de junho de 2009, apresentou variação positiva de 0,15% em relação a maio. Com esse resultado, o custo do metro quadrado de construção referencial no Distrito Federal (R8-residência multifamiliar padrão normal) passou para R$ 750,78. Ainda segundo análise do sindicato, no, primeiro semestre deste ano, o CUB-DF apresentou variação negativa, com redução de R$ 6,71 em seu valor (1,66%). Em janeiro deste ano, o preço do metro padrão normal era de R$ 757,49, passando para R$ 750,78 seis meses depois. A redução deve-se principalmente a redução do IPI para os materiais de construção.   
BSB, 13/7- A Câmara Legislativa aprovou, no dia 25 de junho, por unanimidade, o projeto de lei 985/08, que amplia por mais cinco anos o prazo para que os edifícios e condomínios residenciais instalem os hidrômetros individuais. Os condomínios utilizam a individualização convencional, canos e hidrômetros para a implantação da leitura individualizada. O sistema foi projetado para que o hidrômetro seja instalado por unidade e de preferência fora do apartamento, para que a Caesb efetue a leitura do consumo, evitando que o leiturista tenha de entrar no apartamento. Esse processo passa por canos da entrada de água que fica dentro do apartamento até a parte externa, onde fica o hidrômetro. E depois volta para o cano até a entrada de água (dentro do apartamento) para que o produto seja utilizado. Com o uso de tubulações, o hidrômetro pode ser colocado em qualquer lugar. Entre os benefícios da individualização dos hidrômetros está o pagamento justo da conta de água, ou seja, cada morador paga o equivalente a seu consumo mensal. Outro aspecto positivo está na redução do desperdício e na conscientização do uso. Antes da individualização dos hidrômetros a medição era feita em um só hidrômetro do condomínio, ou seja, a conta de água era dividida igualmente entre os condôminos. Por exemplo, um apartamento ocupado por uma família de duas pessoas pagava o mesmo valor da conta de água pago por uma família composta por quatro pessoas. É o que diz André L. Moura, da Superintendência de Fiscalização dos Serviços de Saneamento (SFSS). “Com a individualização vigente, o morador vai pagar por aquilo que usa. O hidrômetro incentiva a utilizar menos água e preservar o meio ambiente, pois o hábito de consumir menos água gera automaticamente queda de gastos e de desperdícios”, afirma.   
BSB, 9/7- Cuidado redobrado na hora de comprar lotes e imóveis em áreas de interesse social do Distrito Federal. Essa é a orientação do secretário de Habitação, Paulo Roriz, após tomar conhecimento da prisão em flagrante na noite de terça-feira (08) de uma mulher de 34 anos no Riacho Fundo. Ela é acusada de vender lotes vazios de propriedade do GDF. De acordo com a Secretaria de Habitação (Sehab), os lotes oriundos dos programas do governo só podem ser vendidos se tiverem escritura emitida pelo órgão local. “Aumentamos a fiscalização para combater essa prática ilegal, mas é fundamental que a população nos ajude. Antes de comprar, é preciso conhecer detalhadamente a origem e o histórico da área negociada”, aconselhou Paulo Roriz. Segundo ele, após o negócio ser fechado, não há como a secretaria agir. “Vira caso de polícia”, completa. Segundo a Sehab, outros quatro casos semelhantes foram denunciados ao órgão. As vítimas contam que os criminosos anunciavam imóveis fantasmas nos jornais e atraíam a atenção dos possíveis compradores para conhecer o suposto local. Ao fechar negócio, os estelionatários entregavam documentação falsificada e uma procuração sem validade para receber parte do valor acordado. “Temos em mãos um Termo de Concessão de Uso que nem o timbre do GDF possui. É uma imitação grosseira e que pode ser identificada facilmente”, disse Paulo Roriz.   
BSB, 8/7- Pela quarta vez consecutiva, a Emplavi participa do prêmio Construir Brasília. Criado pelo Jornal de Brasília, em parceria com o Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon-DF), o projeto homenageia as melhores empresas dos ramos de construção civil e imobiliário do Distrito Federal. A construtora concorre com outras empresas que possuem faturamento acima de 40 milhões por ano. Em 2009, dois empreendimentos criados pelo arquiteto Aloísio Ribeiro representam a Emplavi na competição. O Riviera, localizado em Águas Claras, é condomínio residencial fechado. Já o Garden Park, na Asa Norte, é formado por salas comerciais. A divulgação do ranking das melhores construtoras e a entrega dos troféus e certificados acontecerão no dia 22 de outubro.   
BSB,6/7- A construtora e incorporadora Ipe-Omni e a Paulo Baeta Empreendimentos Imobiliários lançam em Águas Claras o residencial Piazza di Italia. Com uma privilegiada localização, o residencial é próximo dos principais comércios da cidade e protegido do movimento das avenidas. O Piazza di Italia possui duas torres, a Torre Lucca e Torre Livorno. O projeto moderno e diferenciado tem uma área de 2.000 m2, com fachadas totalmente revestidas em cerâmica, vidros espelhados, detalhes em granito e alucobond. As torres dão personalidade e forte visual para o empreendimento. Os apartamentos são de três e quatro quartos com uma ou duas vagas na garagem. Também há quatro coberturas top-líneas com três ou quatro quartos, com três vagas na garagem. O empreendimento conta também com uma completa e exclusiva área de lazer: praça central, quadra poliesportiva, churrasqueiras com banheiro, pista de cooper, playground infantil, fitness center, sauna com ducha e descanso, vestuários masculino e feminino, salão de jogos, casa de bonecas, espaço gourmet e muitas outras opções. Vendas com a Paulo Baeta Empreendimentos Imobiliários pelo telefone: 3322-555 ou pelo site: www.paulobaeta.com.br.   
BSB, 6/7- A Graúna Incorporações Imobiliárias e a Dinâmica Engenharia lançam o Residencial Vivian Valois. Com uma ótima localização, o residencial tem várias opções de acesso rodoviário. Próximo à Estação do Metrô Concessionárias, tem fácil acesso ao parque de Águas Claras. O Vivian Valois é equipado e decorado com mais de 40 componentes de lazer, entre eles home cinema, game station, salão de jogos, brinquedoteca, baby care, fitness center, salão de festas, espaço de expressão e arte, estúdio musical, jardineira, churrasqueira, lavabo, espaço gourmet, gazebo zen, playground, casa do tarzan, estação de ginástica, sauna com ducha, piscina, piscina infantil, piscina com raia. O diferencial do empreendimento são os itens de sustentabilidade: hidrômetros individuais, medidores de gás individuais, medidores de energia individuais, lampadas econômicas e sensores de presença e previsão de sistema de automação para os apartamentos. Planejamento e Vendas: Lopes Royal pelos telefones: 3435-6666 ou 9936- 2233   
BSB, 3/7- Uma solução moderna e criativa para melhorar a qualidade dos serviços prestados ao cidadão e à população com eficiência e redução de custos. Essa é a descrição que a Companhia de Planejamento do DF (Codeplan) faz da modalidade de concessão parceria público-privada, a PPP, que está sendo utilizada em sete grandes obras do GDF. A legislação que rege a modalidade é a Lei nº 11.079, de 30 de dezembro de 2004 e institui as normas gerais para licitação e contratação de parceria público-privada no âmbito da administração pública. A PPP consiste em o setor privado trabalhar em parceria com o serviço público no gerenciamento de serviços que são ofertados à população. Depois de adotar medidas de contenção de gastos, ajuste fiscal e empréstimos internacionais, o governador José Roberto Arruda resolveu apostar na nova alternativa, inédita no Distrito Federal e na região Centro-Oeste. A PPP permite desenvolver projetos e realizar obras em áreas essenciais sem dispor de grandes volumes de recursos públicos. A primeira delas e a maior da história do GDF é a construção do novo complexo administrativo em Taguatinga. Outras 6 parcerias já estão em andamento, como a dos estacionamentos subterrâneos, dos hospitais em São Sebastião e Recanto das Emas, do metrô, do sistema penitenciário e do Setor Habitacional Mangueiral.   
BSB, 2/7- A Companhia de Desenvolvimento Habitacional (Codhab) mapeou as invasões do Distrito Federal. No total, o órgão encontrou 162 zonas de ocupações. De acordo com o presidente da companhia, José Luís Naves foram identificadas 6 mil famílias morando nestas invasões. Cerca de 2500 famílias já receberam um lote ou retornaram para sua terra natal. O mapeamento tem como objetivo acabar com todas as invasões do Distrito Federal até o final do ano. As pessoas de baixa renda terão direito a um lote caso façam parte do cadastro único habitacional. Para fazer parte do cadastro, é necessário ter renda familiar de até 12 salários mínimos, morar no Distrito Federal há pelo menos cinco anos e nunca ter tido imóvel em nome do beneficiário ou do cônjuge.   
BSB, 1/7- O governo aprovou o primeiro projeto de edificação residencial da região do Jardim Botânico III. O projeto da Arrivare Engenharia e Empreendimentos ltda, associada do Sinduscon-DF, é o primeiro do novo setor. “Nosso cliente assim como nossa empresa acreditou na região e na iniciativa do GDF para a criação do novo bairro. Desenvolvemos um projeto sustentável com possibilidade de reservação das aguas pluviais e recarga do aquífero. Esta será provavelmente uma obra com a concientização ambiental que a atual realidade exige”, explicou o diretor executivo de projetos da empresa, Stefan Kossobudzki.   
BSB, 30/6- A Via Engenharia encontrou em Samambaia um excelente canteiro para a construção de mais um empreendimento da empresa. O Via Tropical, localizado na quadra 301, em frente ao fórum e próximo ao metrô, está a poucos minutos do futuro Centro Administrativo do GDF, complexo que trará forte valorização para a região. Além da proximidade com faculdades e shoppings, a localização também se destaca pela facilidade de acessos, que ficará ainda melhor com a construção da Via Interbairros, pista expressa que ligará Samambaia ao Plano Piloto. Segundo o presidente do grupo, Fernando Queiroz, o Via Tropical se tornou um sucesso de vendas e muito procurado pela população da região. “Oferecemos uma excelente oportunidade para as famílias do Distrito Federal adquirirem um imóvel completo, com diferenciais de lazer a preços acessíveis. Além da valorização, as parcelas mensais são menores que um aluguel na região”, afirma Fernando. Entre os diferenciais, o lazer do Via Tropical merece destaque. São quadras de esportes, piscinas, churrasqueira, salão de festas, sala de jogos, fitness center, brinquedoteca, salão gourmet, cinema e espaço-mulher. Os ambientes são totalmente equipados e decorados, sem taxas adicionais e com baixo custo de conservação O crescimento do mercado local e potencial de desenvolvimento da cidade foram os principais fatores que animaram a empresa a migrar para Samambaia. “Todos os empreendimentos lançados pela Via nessas cidades foram bem-sucedidos. Em menos de 60 dias vendemos 50% dos apartamentos do Via Tropical”, avalia Fernando.   
BSB, 30/6- O Atol das Rocas é um empreendimento marcado pela beleza, tranquilidade, segurança e novidades. Localizado na Avenida das Castanheiras, conta com um maravilhoso street shopping conjugado, apartamentos estúdios, dois quartos e duplex. Além dessas vantagens, possui complexo de lazer com cinema, espaço gourmet, salão de festa, piscina semi-olímpica, lan house, sauna, academia, brinquedoteca entre outras opções de lazer e serviços. A construtora Supera Engenharia, que lançou o empreendimento, assume as vendas. Mais informações pelo telefone 3436-1550.   
BSB, 30/6- A Via Engenharia acaba de lançar mais um empreendimento residencial em Águas Claras, o Via Naturale. O empreendimento tem localização privilegiada, no alto da cidade, com vista permanente e próximo a pontos da região, como shopping, metrô, parques e comércio. Com um conceito inédito de morar no Distrito Federal, o Via Naturale conta com varandas gourmet integradas à sala e à cozinha. O Via Naturale será entregue em dezembro de 2011. Os interessados podem entrar em contato no telefone 3039-2793, com Azimute Comunicação.   
BSB, 30/6- A Construtora Barcelos tem novidade em Taguatinga Norte: O Residencial Trindade. É o primeiro condomínio fechado com garagem e área de lazer da região. Localizado na QNG, área especial 38, ao lado do Buritinga, é composto por 36 apartamentos de três quartos e 18 apartamentos de dois quartos, totalizando 54 apartamentos. Uma das vantagens de morar no Residencial Trindade é a área de lazer com piscina com raia, piscina infantil, deck molhado, solarium, sauna, churrasqueira, salão de festa, fitness e muito mais. As vendas são da Beiramar Imóveis.   
BSB, 28/6- A Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap) realizou, na quinta-feira (25), sua sexta licitação este ano. Foram vendidos terrenos residenciais e comerciais. Dos 230 lotes ofertados, 11 foram excluídos, restando 219. A licitação aconteceu pela manhã no auditório do edifício-sede da empresa. Com o auditório lotado, 168 propostas foram lançadas. Dessas, 85 foram aprovadas (os candidatos às demais propostas estão sujeitos a serem desclassificados por descumprimento do edital), dando um total de vendas de 39% dos itens ofertados. Os números superaram a expectativa da licitação. As propostas oferecidas pelos licitantes estavam 40% maiores do que o valor dado pela Terracap. “Estávamos prevendo de 12 a 14 milhões de reais e chegamos a mais de 19 milhões de reais”, comemorou o gerente de comercialização, Luiz Flávio. Segundo a empresa, parte do dinheiro arrecadado será investida em obras de vias e rodovias. Nas últimas cinco licitações foram arrecadados cerca de R$ 840 milhões em lotes, um recorde. Os lotes que restaram serão vendidos nas próximas licitações. Os lotes estão distribuídos em 11 cidades do Distrito Federal. O maior número deles está localizado no Jardim Botânico III. O restante está distribuído em Águas Claras, Brasília, Ceilândia, Guará, Taquari, Recanto das Emas, Riacho Fundo, Sobradinho, Taguatinga e Samambaia.   
BSB, 28/6- Os terrenos do Jardim Botânico III, bairro nobre na região do Lago Sul, foram os que mais tiveram opções de venda. As ruas abertas recentemente e a chegada de infraestrutura pública valorizaram ainda mais os terrenos no local. O maior número de lotes vendidos, na licitação, foi no bairro. Em apenas oito meses a Terracap já vendeu 207 lotes, que renderam R$ 40,8 milhões. A valorização no Jardim Botânico chegou a tanto que a média de preços passou de R$ 160 mil, em outubro de 2008, para R$ 207 mil, em abril deste ano. A região é a terceira no ranking de vendas da companhia, atrás somente do Noroeste e Samambaia. Hoje, 773 m2 no setor estão avaliados em R$ 176,9 mil; os de 910 m2 custam R$ 206,9 mil e os de 1.400 m2 têm preço mínimo de R$ 294,5 mil. Manuel Batista dos Santos, também elogiava a licitação, que considera a maneira mais segura de adquirir um lote. “Moro em um imóvel cedido pelo meu pai e agora posso dizer que tenho um”, festejava Rosângela.   
BSB, 28/6- Um projeto de lei que isenta os prédios construídos antes de 2005 da obrigação de instalar hidrômetros individuais em seus apartamentos foi aprovado na noite de quinta-feira pela Câmara Legislativa. O PL 985/2008, que aguarda sanção do governador José Roberto Arruda para começar a valer, também estende para 2015 o prazo para que os condomínios informem à Agência Reguladora de Águas e Saneamento do DF (Adasa) se querem ou não realizar a hidrometração individual. Até então, apenas os condomínios que comprovassem inviabilidade técnica ou financeira estavam livres de instalar os medidores individuais de água. Até agora, cerca de 600 dos estimados 5 mil do Distrito Federal fizeram a individualização dos hidrômetros. De acordo com a Adasa, 49 pedidos de isenção foram deferidos. Nove foram negados e 15 continuam em análise. Com a alteração na lei, mesmo quem não conseguiu provar que seria melhor manter apenas um hidrômetro poderá solicitar a isenção. “O laudo também é uma despesa para o condomínio”, lembra Eliete Ribeiro Bastos, conselheira comunitária da Asa Sul. “Tem gente cobrando até R$ 180 por apartamento para expedir o documento. E ainda havia a possibilidade de o laudo ser contestado”, completa.   
BSB, 27/6- O Consórcio João Fortes MB Engenharia entregou mais um empreendimento, o bloco B, do Residencial Imprensa III, localizado em Águas Claras. Fruto de uma parceria entre MB Engenharia, agora Brookfield Incorporações; e João Fortes Engenharia, o prédio, cem por cento comercializado, conta com apartamentos de dois e três quartos, além de área de lazer com fitness, piscina adulto e infantil.   
BSB, 25/6- A sustentabilidade na construção das obras do Setor Noroeste é tema da palestra a ser realizada no edifício sede do CREA-DF no próximo dia 1º de julho, às 9h. O encontro é iniciativa da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente – Seduma e da Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal – Terracap. Participarão como palestrantes o secretário da Seduma, Cássio Taniguchi, o diretor Técnico da Terracap, Luís Antônio Reis, o professor do Departamento de Arquitetura e Urbanismo da Unb, Otto Ribas, o especialista em construções sustentáveis, Newton Figueiredo e o gerente de desenvolvimento da Área Central do DF (Seduma), Maurício Goulart. Informações pelo telefone 3961-2800.   
BSB, 24/6- A partir de hoje, Brookfield Incorporações é o novo nome da Brascan Residential Properties. A mudança da marca está alinhada à estratégia de consolidação da Companhia. Desde a compra da MB Engenharia e a fusão com a Company S/A, em 2008, a antiga Brascan Residential Properties vem identificando as vantagens competitivas de cada uma das empresas para otimizar os negócios. A iniciativa faz parte da estratégia da Brookfield Asset Management, gestora global com uma carteira de US$ 80 bilhões sob sua administração e principal acionista da incorporadora, de alinhar suas marcas mundialmente. “A mudança fortalece nossa imagem, já que a Brookfield é uma das maiores gestoras de ativos no mundo e tem vasta experiência no mercado imobiliário. A Brookfield Incorporações é uma marca que já nasce forte e com tradição, aliando três incorporadoras de renome que são Brascan, Company S/A e MB Engenharia”, afirma Nicholas Reade, diretor-presidente da empresa. Para garantir ao máximo a transferência de valores das marcas Brascan, Company e MB Engenharia para a Brookfield Incorporações, uma fase de transição irá facilitar a comunicação e o entendimento da atuação da nova marca. “Nessa etapa, Brookfield Incorporações começa a ser endossada pelas histórias e atributos das marcas Brascan, Company e MB Engenharia, como solidez financeira, porte e abrangência”, explica o executivo.   
BSB, 24/6- Empresa de capital aberto listada no Novo Mercado, segmento da Bovespa que exige as melhores práticas de transparência e de governança corporativa, a Brookfield Incorporações manterá o símbolo de negociação BISA3. “Continuaremos focados na geração de valor para nossos acionistas e investidores. Com nossa posição de mercado alinhada ao atual cenário do setor imobiliário brasileiro, forte estrutura operacional e sólida posição financeira, estamos preparados para atender aos nossos clientes, continuar desenvolvendo projetos inovadores e de alta qualidade, além de maximizar a lucratividade de nossos investimentos, visando ao crescimento sustentável e à preservação do nosso caixa”, completa Reade. Ao adotar a sua marca mundial localmente, a Brookfield confirma a confiança no mercado brasileiro. “Com a economia fortalecida, o Brasil é um destaque no cenário mundial. Além disso, iniciativas como o pacote habitacional do governo federal Minha Casa, Minha Vida beneficiarão as empresas do setor imobiliário em geral”, finaliza Nicholas Reade.   
BSB, 22/6- O primeiro life style business de Brasília vem aí. Além de um conceito mundialmente consagrado nas grandes capitais, a cidade vai ganhar um complexo empresarial nunca antes visto no DF, o The Union. Um endereço para trabalhar, fazer compras ou se hospedar, a reunião perfeita e absoluta de cinco mundos (union mall, 42 m2 a 1.350 m2 composto por lojas, restaurantes, conveniências e serviços; union office, 30m2 a 98 m2 destinados a profissionais liberais, consultórios médicos, advogados, ateliês; union hotel, 23 m2 a 43 m2 para executivos com o desejo de se hospedar em um lugar tranquilo, muito próximo ao aeroporto; union hotel suítes, 39 m2 a 53 m2 para executivos que necessitam de hospedagem long stay; e union corporate,– 469 m2 a 571 m2 de espaços destinados a empresas) integrados por uma praça central de 5.700 m2 com estilo, tecnologia, comodidade e bem-estar. Sem dúvida, a proposta imobiliária mais inovadora e completa dos últimos tempos. The Union ainda oferece academias de ginástica com piscinas, espaços para eventos corporativos, entre outras vantagens. Um serviço com comodidade e o paisagismo como mote principal são o novo conceito que a Construtora Luner pensou ao lançar a proposta de construir o complexo. A proposta maior do The Union é modificar a imagem que se tem de escritório. A seriedade que ele impõe precisava ser dosada, dando um ar contemporâneo, daí a idealização de prédios cercados por muito verde, praças, cascatas, entre outros elementos que agregarão a qualidade de vida dos interessados. O diretor da Construtora Luner, Lutfallah Farah, acredita que esse empreendimento marcará uma nova era para o mercado imobiliário de Brasília. Para ele, além do modo de as pessoas trabalharem ser modificado, haverá o cumprimento da demanda exigida para 2014, quando o Brasil sediará a primeira Copa do Mundo.   
BSB, 19/6- Quem aguardava a chance de comprar um apartamento no mais verde e moderno bairro de Brasília, o Noroeste, não precisará esperar muito tempo. Os três primeiros prédios residenciais do setor, localizado na Asa Norte, serão vendidos aos futuros moradores a partir do próximo mês. Os projetos urbanísticos das unidades foram aprovados ontem pela Administração de Brasília. Os edifícios são “inteligentes” (com sistema de funcionamento ecologicamente corretos), têm seis andares mais cobertura, salão de festa, churrasqueira, piscina e academia. Ao todo, são198 apartamentos, com tamanhos que variam de 120 a 200 metros quadrados, que deverão ser ofertados, na planta, pelo preço mínimo de R$ 840 mil. Os primeiros prédios do aguardado bairro são os das SQNW — como serão chamadas as quadras —110 e 111, e tiveram os projetos aprovados em tempo recorde pela administração: 15 dias. Os três edifícios são da construtora Via Engenharia, que comprou quatro dos 54 lotes residenciais já licitados pela Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap). A expectativa do presidente da Via Engenharia, Fernando Queiroz, é que a venda dos imóveis seja esgotada em dois meses após seu lançamento. O metro quadrado das unidades custará, inicialmente, de R$ 7 mil a R$ 8 mil . Apartamentos com cobertura privativa serão, pelo menos, R$ 700 mil mais caros do que as unidades sem o sétimo pavimento particular. A previsão é que os apartamentos sejam entregues aos moradores em dois anos e meio. Mas, para começar a construção dos prédios, é preciso que haja o mínimo de infraestrutura básica no local, como rede de água e esgoto, asfalto e calçadas. As obras são pagas pela Terracap e contratadas pela Secretaria de Obras. Segundo Dalmo Alexandre Costa, diretor de Desenvolvimento e Comercialização da Terracap, a licitação para contratação das obras será aberta em duas semanas. o presidente da Via aposta que as obras de construção dos prédios poderão ser tocadas com as de infraestrutura do local.   
BSB, 18/6- O Setor Noroeste está finalmente saindo do papel. A administradora de Brasília, Ivelise Longhi, assina nesta quinta-feira, 18 de junho, às 11 horas, na sede da Administração, os primeiros projetos do Setor Noroeste, que serão construídos pela Via Engenharia. A incorporadora inicia, já no segundo semestre deste ano, as obras dos três primeiros residenciais do bairro, que serão construídos com diferenciais inovadores de segurança, tecnologia, conforto e lazer para a melhoria da qualidade de vida dos moradores. “Estamos muito satisfeitos em iniciar oficialmente nossa atuação no Setor Noroeste e, mais uma vez, de forma pioneira”, afirma o presidente da Via, Fernando Queiroz. “A implantação do bairro beneficia a população de Brasília, principalmente as classes A e B, que passam a ter mais opções de moradia. É gratificante participar desse momento histórico para Brasília, a construção do primeiro bairro ecológico do Brasil”, destaca. Para a administradora de Brasília, o Noroeste é um projeto de governo que nasce para completar Brasília. “A aprovação dos primeiros projetos representa um marco, um momento importante dentro de um bairro que nós queremos que seja diferenciado, ecológico e racional. Contar com o apoio de empresários que acreditam na cidade é determinante para o êxito deste grandioso projeto”, afirma Ivelise. Os primeiros residenciais da Via no Noroeste serão construídos com a proposta de sustentabilidade ambiental. A empresa utilizará conceitos ecologicamente corretos que já são aplicados em seus recentes lançamentos.   
BSB, 18/6- O dinheiro será utilizado em obras de infraestrutura e construção de moradias para a população de baixa renda como as casas da Estrutural entregues na segunda-feira (15). Até 2010 DF receberá R$ 7,2 bilhões do PA O Distrito Federal e o Entorno ganharam mais R$ 412 milhões do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) do governo federal. O reforço para obras de infraestrutura e construção de moradias foi anunciado nesta segunda-feira (15) pela ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, durante encontro com o governador José Roberto Arruda no Palácio do Buriti. Até 2010, DF e Entorno devem receber R$ 9,4 bilhões para obras do PAC, sendo R$ 7,2 bilhões para o Distrito Federal e R$ 2,2 para o Entorno. Do total recebido, R$ 311 milhões serão destinados ao Pró Moradia, programa de construção de casas para a população de baixa renda que beneficiará 40 mil famílias. O GDF entrou com a contrapartida de R$ 15,5 milhões. O restante do dinheiro vai para o programa Saneamento Para Todos, que conta com R$ 10 milhões de contrapartida do DF e que irá beneficiar cem mil famílias.   
BSB, 17/6- O Distrito Federal poderá pegar mais R$ 900 milhões emprestados em bancos oficiais e organismos internacionais para financiar obras de infraestrutura para a Copa de 2014. O ministro da Fazenda, Guido Mantega, e o governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda, assinaram hoje (16) termo de cooperação que amplia a capacidade de endividamento do DF. Com o acordo, o montante total dos empréstimos que o DF pode contrair ficou em R$ 2,5 bilhões. Segundo Arruda, o dinheiro será usado em projetos de melhoria no transporte local para a Copa do Mundo. Os principais empreendimentos serão a ampliação do aeroporto, do metrô e a construção de um veículo leve sobre trilhos numa das principais avenidas da capital federal. Por ter aderido ao Programa de Ajuda Fiscal (PAF), o Distrito Federal pode ampliar o limite de endividamento em troca do cumprimento de metas fiscais. Para poder pegar mais dinheiro emprestado, o DF tem de se ajustar a parâmetros de arrecadação, pagamento de dívidas e desempenho fiscal.   
BSB, 15/6- A MRV Engenharia concretizou o sonho de muitos moradores de Taguatinga: a casa própria. O lançamento do primeiro empreendimento na cidade, que acontecerá na primeira quinzena de julho, conta com as vantagens do programa Minha Casa, Minha Vida: menores taxas de juros do mercado e financiamento facilitado pela Caixa. O Spazio Boulevard Taguatinga é um condomínio fechado com infraestrutura de qualidade aliada a segurança, conforto, lazer e o mais atrativo: o preço baixo. O empreendimento atenderá as necessidades de famílias com renda de até dez salários mínimos, que se enquadram nas exigências do plano habitacional do governo federal. O condomínio fechado contará com 96 apartamentos de dois quartos sem suíte e de três quartos com suíte, além de vaga de garagem e coberturas duplex. O projeto do Spazio Boulevard Taguatinga foi pensado para proporcionar ao morador todo o conforto que deseja em ambientes funcionais. A JGM Imóveis é a empresa responsável pelas vendas das unidades do empreendimento.   
BSB, 15/6- A Silco Engenharia tem novidade em Águas Claras: o Residencial Ilha de Sardenha. É um condomínio fechado com guarita e central de portaria sendo monitoradas 24 horas, garantindo conforto e segurança aos moradores. Outra característica do empreendimento é a área de lazer, com sala de ginástica equipada, piscina com deck e mobiliário, churrasqueira, pista de cooper e outros espaços de convivência para toda família. As vendas das unidades são de responsabilidade da Lopes Royal.   
BSB, 13/6- Em menos de dois meses de lançamento, a Via Engenharia comemora a venda de 50% dos apartamentos do Via Tropical, mais novo empreendimento da empresa, localizado em Samambaia, em um condomínio fechado com cerca de sete mil metros quadrados de área. O residencial tem apartamentos de dois e três quartos com suíte, varanda, vaga de garagem e área de lazer diversificada, totalmente planejada para famílias que buscam conforto com economia. Localizado na quadra 301, em frente ao Fórum e próximo ao metrô, o Via Tropical está a poucos minutos do futuro Centro Administrativo do GDF, complexo que trará forte valorização para a região. Além da proximidade com faculdades e shoppings, a localização também se destaca pela facilidade de acessos, que ficará ainda melhor com a construção da Via Interbairros – pista expressa que ligará Samambaia ao Plano Piloto. “O Via Tropical se tornou um sucesso de vendas. Oferecemos uma excelente oportunidade para as famílias do Distrito Federal adquirirem um imóvel completo, com diferenciais de lazer a preços acessíveis. Além da valorização, as parcelas mensais são menores que um aluguel na região", afirma Fernando Márcio Queiroz, presidente da Via. Entre os diferenciais de lazer do Via Tropical estão quadra de esportes, piscinas, churrasqueira, salão de festas, sala de jogos, fitness center, brinquedoteca, salão gourmet, cinema e espaço-mulher. Os ambientes são totalmente equipados e decorados, sem taxas adicionais e com baixo custo de conservação. Os conceitos de qualidade e bem estar do Via Tropical podem ser conferidos de perto. Réplicas de dois apartamentos do residencial estão abertos à visitação. Decorados pela designer May Moura, os apartamentos – um de dois quartos (com 61 m²) e outro de três quartos (com 71 m²) – dão um aperitivo a quem não conhece o imóvel.   
BSB, 11/5- A Via Engenharia escolheu 5 de junho, Dia Mundial do Meio Ambiente, para dar início a uma importante ação de foco ambiental. A construtora iniciou nesse dia o projeto Recicle a Vida, com o objetivo de estabelecer uma rotina de coleta seletiva na matriz e em todas as obras da empresa no Distrito Federal, além de uma em São Paulo. Na mesma data, a empresa, em parceira com a OAS, realizou, no canteiro de obras da nova sede do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), evento em homenagem à Semana do Meio Ambiente. “A coleta seletiva é muito importante. É preciso separar, em todos os canteiros de obras, os materiais de uso contínuo, colocando-os em espaços devidamente identificados. Com isso, estimulamos sua reutilização, evitando acúmulo de resíduos e, consequentemente, reduzindo os impactos ambientais causados pelo setor”, afirma o presidente da Via, Fernando Queiroz. “Por isso, investiremos forte nesse trabalho. Queremos a empresa trabalhando segundo as regras da certificação ISO 14000, da mesma maneira que fazemos em relação à ISO 9000, que já temos há alguns anos”, completa. O marco inicial do projeto será a realização, na sede da empresa, de uma palestra de conscientização ministrada pela mestra em educação ambiental Ivanete dos Santos. Inicialmente, o trabalho será realizado na sede e no canteiro de obras do Via Naturale, em Águas Claras.   
BSB, 10/6- Dois meses depois da regulamentação da Lei dos Puxadinhos, os problemas nos fundos das quadras comerciais da Asa Sul ainda persistem. Poucos empresários buscaram a regularização das ocupações de áreas públicas. Até agora, a Administração de Brasília recebeu apenas 10 projetos, a maioria deles com erros. A principal justificativa para a lentidão no processo de legalização é o desconhecimento com relação à Lei 766/08. Diante dessa situação, a Federação do Comércio do Distrito Federal e o GDF elaboraram uma cartilha ilustrada detalhando as novas regras. O lançamento será hoje à noite, em uma cerimônia no Centro de Convenções. Até o fim do mês, todos os 2,3 mil comerciantes da Asa Sul receberão o livreto. A cartilha traz todas as normas em linguagem fácil e com desenhos que mostram como devem ser os projetos nas quadras comerciais. As informações são separadas por capítulos, cada um com um classificador de diferentes cores. O governo alerta que os empresários que não se adequarem à legislação sofrerão sanções que vão desde a notificação do estabelecimento comercial até a demolição de todas as ocupações irregulares de áreas públicas. A partir de abril do ano que vem, os comerciantes que mantiverem os puxadinhos fora das normas também terão que pagar multas de até R$ 1 mil por dia. A Secretaria de Ordem Pública conclui a notificação de todos os empresários que ocuparam o espaço das quadras comerciais até o fim de junho. A cartilha esclarece que a única ocupação definitiva permitida é a dos fundos da loja. O limite máximo para essa construção é de 6m a partir dos fundos da loja original. A calçada não poderá ser ocupada a partir desse limite. Os comerciantes ficarão responsáveis pela urbanização dessa área posterior. A taxa anual pela ocupação varia de R$ 2.380,37 a R$ 22.005,77.   
BSB, 8/6- Conforto, sossego e funcionalidade são algumas vantagens oferecidas pelo Bella Fiore Residence, mais novo empreendimento da 3L Engenharia em Águas Claras. Com exclusividade de vendas da Lopes Royal, o condomínio tem tranquilidade garantida por estar situado em uma quadra 100% residencial. Porém, conta com a comodidade de estar próximo ao shopping, supermercado, estação do metrô e parque ecológico. O condomínio tem fachada revestida em cerâmica e oferece opções de apartamentos com três e quatro quartos nas metragens de 124m2 e 132m2. A beleza e o acabamento se mostram no paisagismo, nas bancadas em granito com cuba em aço inox na cozinha, varanda gourmet, luminárias tipo spot, piso em porcelanato polido e área de serviço independente com tanque em louça. O Bella Fiore possui estacionamento para moradores e visitantes, central de gás e preparação para individualização de hidrômetros. Tem ainda um amplo e diversificado espaço de lazer e serviços com salão de jogos, playground, brinquedoteca, salão de festas teen, home cinema, área fitness, sala de massagem, churrasqueiras, piscina adulto, piscina infantil e quadra poliesportiva. No subsolo do edifício os moradores poderão contar com bicicletário e car wash. Mais informações pelo telefone 3435-6666 ou pelo site www.lopesroyal.com.br.   
BSB, 8/6- Localizado no Guará, o Residencial Dolce Vitta oferece apartamentos de dois e três quartos com várias opções de planta. O condomínio fechado conta com quatro blocos e fica a 700 metros da estação do metrô. O local conta com várias opções de lazer, como quadra, aconchego, redário, radical skate, praça babá, piscina infantil e adulto com deck molhado, churrasqueiras com forno de pizza, fitness, parquinho, salão de festas infantil e adulto, brinquedoteca, salão de jogos, salão de estudos, pista de cooper; lan house, louge teen, louge estar adulto e kids. O empreendimento é da Soltec Engenharia e as vendas são feitas pela Marcos Koenigkan Imóveis: 3349- 1000.   
BSB, 5/6- As condições de expansão do Setor Noroeste serão debatidas na próxima terça-feira (9), em um encontro promovido pela 4ª Promotoria de Justiça de Defesa da Ordem Urbanística (Prourb). Entre os itens da pauta, estão a captação de água da chuva, a ventilação e iluminação natural para reduzir o gasto de energia elétrica, o uso de energia solar nas projeções do bairro, a coleta de lixo e a utilização de gás natural. Também será analisada a possibilidade de venda de unidades imobiliárias no local antes da implantação do Parque Burle Marx. O parque deveria estar interligado ao Parque Nacional de Brasília por corredor ecológico, criado pela implementação de Área de Relevante Interesse Ecológico (Arie Cruls).   
BSB, 3/6- Os apartamentos no Setor Noroeste começarão a ser vendidos no início do segundo semestre deste ano. Todos os imóveis do primeiro lançamento serão ofertados na planta. Eles terão três e quatro quartos, com tamanhos que variam entre 120 e 240 metros quadrados. A empresa responsável pela construção das unidades confirmou o valor especulado pelo mercado imobiliário nos últimos dois anos. O metro quadrado no bairro nobre custará, inicialmente, entre R$ 7 mil e R$ 8 mil. Assim, quem quiser morar nas SQNW (como serão chamadas as quadras do novo setor) terá que desembolsar de R$ 840 mil a R$ 960 mil para comprar o menor apartamento disponível. As coberturas terão preço entre R$ 1,7 milhão e R$ 1,9 milhão. O início da comercialização dos imóveis no Noroeste movimenta o mercado imobiliário do DF. As construtoras correm contra o tempo para sair na frente nos lançamentos. Por enquanto, a primeira a anunciar vendas é a Via Engenharia, que adquiriu quatro das 54 projeções residenciais licitadas pela Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap) e já espalhou outdoors pela cidade anunciando o lançamento. Até agora, a empresa apresentou três projetos para a Administração de Brasília, que estão sob análise. O órgão também examina outras sete propostas de construtoras diferentes. Apesar de ainda não ter recebido o aval do governo para iniciar as obras, a Via espera lançar o empreendimento no começo de agosto, quando o projeto for aprovado e o material de publicidade estiver pronto. O Correio apurou que a análise dos estudos da construtora está adiantada na administração e os empreendimentos devem ser liberados em cerca de duas semanas. “Não temos porque segurar esse lançamento. Fixamos um preço que achamos que o mercado está disposto a pagar. Ele (o preço) será compatível com o produto ofertado”, afirmou o presidente da Via, Fernando Queiroz.   
BSB, 2/6- Conhecido como o melhor quatro quartos do Sudoeste, o Residencial Diamantina chega com muito luxo e sofisticação. O empreendimento, localizado na SQSW 300, oferece apartamentos vazados de quatro quartos com espaços bem planejados. O imóvel conta com sala para três ambientes, lavabo, varanda em mármore, dce, piso em porcelanato, cozinha, área de serviço em granito, duas ou três vagas de garagem, duas semi-suítes e duas suítes, sendo a master com hidromassagem. Os apartamentos de meio contam com uma área de 181,50 m2 e os de canto com 198,40 m2. O empreendimento oferece ainda exclusivas coberturas individuais duplex com piscina integrada à sauna a vapor, solarium, fitness by Reebok, espaço gourmet, quatro vagas de garagem e vagas avulsas. A área dos imóveis equivale a dois apartamentos e têm 340,40m2 os de meio e 405,06m2 os de canto. A fachada do empreendimento é voltada para o nascente, 100% revestida em granito com pastilhas porcelanizadas e vidros laminados reflexivos. A laje maciça e as paredes em bloco cerâmico proporcionam uma melhor acústica e durabilidade. O edifício conta ainda com salão de festas no térreo. A construção ficou por conta da Vagon Engenharia. Vendas: Paulo Baeta Empreendimentos Imobiliários: Contatos no 3322-5555 e na MGarzon Eugênio Inteligência Imobiliária: 3442 5000   
BSB, 2/6- Localizado em Águas Claras, o Residencial Rosely Gonçalves se encontra em um dos pontos mais altos da cidade. O local fica próximo à estação do metrô e do parque ecológico. O empreendimento tem fácil acesso à EPTG e ao Pistão Sul de Taguatinga, onde têm bancos, hipermercados, shoppings, colégios, universidades, restaurantes, concessionárias e comércio variado. O residencial conta com espaço gourmet com copa e forno de pizza, churrasqueira, espaço para fitness, sauna com ducha, bicicletário e paisagismo implantado. O condomínio fechado é feito com esquadrias em alumínio anodizado e tem portão eletrônico, antena coletiva, central de gás, preparação para medição individual de água, guarita com central de portaria com interfone, sistema de segurança com câmeras de circuito interno de TV para o térreo e garagens, central de alarme de incêndio e pânico, elevadores com cabine em aço inox. No local os moradores também podem encontrar tubulação seca para TV a cabo, instalação de luz de emergência para a escadaria do prédio, instalação de iluminação com sensores de presença nos halls dos pavimentos tipo e piso dos apartamentos em cerâmica com rodapés. A construção do empreendimento ficou por conta da M.Gonçalves Incorporações e as vendas são feitas pela Lopes Royal Empreendimentos Imobiliários: 3326 2233   
BSB, 2/6- O Sinfonia Prime Residence chega a Águas Claras levando muito conforto. O empreendimento conta com praça de chegada, praça de apoio com espelho d’água, playground, casa do Tarzan, praça mirante, solarium, bar de apoio a piscinas, deck molhado, piscina infantil, piscina adulto, biribol, mesa d’água, spa na água, piscina coberta e aquecida, praça das jaboticabeiras, praça de apoio fitness, quadra poliesportiva, cascata com banho, praça de alongamento, praça xadrez e trilha, praça relax e wireless, bar de apoio com copa, wc da quadra, churrasqueiras e gramado para tai chi chuan. O edifício oferece apartamentos de três quartos com 98 m2, 101 m2 ou 103 m2. Os imóveis de quatro quartos têm área de 129 m2 ou 144 m2. A entrega do bloco B está prevista para março de 2011; o bloco C, para setembro de 2011 e o bloco D para julho de 2012. A MB Engenharia construiu o empreendimento e a MGarzon Eugênio Inteligência Imobiliária assumiu as vendas.: 3442 5000   
BSB, 1/6- A Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap) remarcou para o dia 4 de junho a licitação de lotes que seria realizada no dia 28 de maio. Essa licitação, com 170 lotes, foi suspensa por causa da greve dos vigilantes, que prejudicou o funcionamento das agências bancárias. Muitas pessoas interessadas em comprar lote da Terracap não puderam depositar nas agências do Banco de Brasília (BRB) a caução exigida para participar da licitação. Como um grande número de cauções foi depositado e diante do fim da greve, a diretoria da Terracap decidiu remarcar a licitação. Agora, a caução para a licitação nº 05, referente ao mês de maio, pode ser depositada até o dia 3 de junho em qualquer agência do BRB. Já a licitação nº 06 está mantida para o dia 25 de junho.   
BSB, 31/5- MO Ministério Público Federal no Distrito Federal (MPF/DF) e o Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT) ingressaram com ação civil pública para suspender imediatamente o processo de licenciamento ambiental do Complexo Administrativo do Governo do Distrito Federal (GDF), que será construído na região administrativa de Taguatinga. A ação, entregue à Justiça na última segunda-feira, é contra o GDF e o Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Distrito Federal – Brasília Ambiental (Ibram). A ação é assinada pela procuradora da República Ana Paula Mantovani Siqueira e pela promotora de Justiça Marisa Isar. Elas alegam que a licença prévia, expedida pelo Ibram em dezembro do ano passado, não cumpre os requisitos necessários para atestar a viabilidade ambiental do empreendimento. Primeiro porque não houve consulta prévia ao Instituto de Biodiversidade Chico Mendes (ICMBio) e segundo porque o diagnóstico arqueológico apresentado pelo GDF está incompleto. A construção também não foi prevista no plano diretor da cidade de Taguatinga. O Ministério Público afirma que a consulta ao ICMBio é obrigatória, já que o complexo administrativo está em área vizinha a três unidades de conservação federais: APA do Planalto Central, APA do Rio Descoberto e Floresta Nacional de Brasília. A exigência está prevista em resolução do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) e em instrução normativa do próprio Instituto Chico Mendes. Já o diagnóstico arqueológico, analisado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), deve abranger não somente o local onde o empreendimento será edificado, mas toda a área de implementação da rede de infra-estrutura, especialmente as redes de esgotamento sanitário e drenagem pluvial. O complexo administrativo do GDF abrigará toda a estrutura administrativa do Poder Executivo local e receberá cerca de 15 mil servidores do Distrito Federal, além do público visitante.   
BSB, 29/5- Em 2009, apesar da inflação em queda, os inquilinos do DF continuam arcando com mensalidades elevadas. A deflação não vem sendo repassada para o consumidor final. Em média, o aluguel residencial está 10,06% mais caro no Distrito Federal do que em maio de 2008 (veja quadro). O percentual é maior que a inflação e que o reajuste médio do país, de 7,57% — média levantada pela FGV para compor o Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S), com dados de Brasília, São Paulo, Porto Alegre, Salvador, Belo Horizonte, Recife e Rio de Janeiro. Os especialistas em mercado imobiliário creditam os preços altos à demanda elevada por imóveis na capital federal. “O valor real está subindo acima do IGP-M porque a demanda é bem maior que a oferta. Nos últimos anos, aumentou o número de servidores e interessados em concursos públicos. A população cresceu muito e, com isso, a demanda”, afirma o presidente da Comissão de Valores Imobiliários (CVI), Frederico Attié. Os imóveis mais solicitados são os menores, de acordo com o empresário Romeu Carvalho, dono de uma imobiliária localizada na Asa Norte e com 37 anos de experiência no mercado. O reajuste no Plano acaba puxando o preço em todo o DF: quem não consegue pagar para morar perto do trabalho, vai para as cidades satélites. Quanto mais difícil ficar o acesso ao trabalho, com trânsito maior, mais altos ficarão os preços no DF”, afirma.   
BSB, 29/5- A Wimoveis.com completa este mês 11 anos, e mostra que o serviço de excelência que oferecem ao público, só tem melhorado. Atualmente ela é considerada o 2º maior portal exclusivo de imóveis do Brasil em páginas acessadas e o 1° em acesso per capita. E Brasília foi a primeira cidade do país a ter acesso a este site especializado em imóveis. Augusto Abdala o precursor, teve a idéia de fazer um site que facilitasse a vida das pessoas que despendiam tempo e dinheiro a procura de um imóvel para comprar. No começo a criação do portal Wimoveis.com era vista com cautela pelos corretores e seus clientes, mas com o tempo as pessoas foram se acostumando e admirando a praticidade que o portal oferece.   
BSB, 29/5- Além de prestar um excelente serviço ao público, a Wimoveis.com destaca-se pelo pioneirismo, pois foi o primeiro portal de imóveis do Brasil e uma das poucas empresas que fez o caminho inverso: Nasceu on-line, www.wimoveis.com.br, e também tornou-se off-line com o Salão WImoveis e a Revista WImóveis. É importante destacar o Salão WImoveis, que é sinônimo de sucesso, e este ano estará na sua 4° edição, conta com o apoio e a efetiva participação das principais instituições do mercado imobiliário e é aguardado com entusiasmo pela população, expositores, montadoras, etc. E para comemorar 11 anos de muita batalha, dedicação e parceria, a Wimoveis.com aprimora ainda mais os seus serviços e neste ano deseja expandir o mercado e investir em novas tecnologias. O portal será reformulado e ficará ainda mais veloz, o que proporcionará maior agilidade e leveza para o público que acessa o site usando a tecnologia Smart Phone. Em breve, será possível também que o consumidor final cadastre no site o perfil do imóvel procurado, e logo após este cadastro, o consumidor receberá um email toda vez que um imóvel for adicionado e estiver dentro do perfil estabelecido anteriormente pelo consumidor. Será implementado aqui em Brasília, pela Wimoveis.com, um sistema online de gestão imobiliária em vendas. Este sistema já funciona em Belo Horizonte e tem trazido bons retornos para corretores, imobiliárias e para o público em geral.   
BSB, 26/5- Brasília recebeu de sexta-feira (22) a domingo (24) o 5º Feirão CAIXA da Casa Própria. O evento contabilizou mais de 5.200 negócios, que resultaram no total de R$ 539 milhões em investimento no setor habitacional do DF, contra R$ 422 milhões no ano passado. Mais de 37 mil pessoas compareceram ao Pavilhão da ExpoBrasília este ano, contra 23 mil em 2008. Construtoras, imobiliárias e incorporadoras ofereceram mais de 12 mil imóveis, com financiamento garantido pela CAIXA. Todas as faixas de renda foram contempladas no Feirão e os valores dos imóveis variaram, este ano, de R$ 50 mil a R$ 1,5 milhão. A região do DF e entorno com mais unidades habitacionais negociadas foi Valparaizo, seguida de Águas Lindas e Águas Claras. A vice-presidente da CAIXA, Clarice Coppetti, comentou na abertura do evento a mudança ocorrida na distribuição dos imóveis no Feirão de 2009. “Nas primeiras edições, as construtoras ofereciam imóveis localizados nas regiões centrais da cidade. Hoje o Feirão reúne unidades de todo o DF, refletindo a melhoria de infraestrutura das cidades do entorno de Brasília, bem como o crescimento da renda das famílias”, analisou. De acordo com o superintendente da CAIXA no DF, Edalmo Porto Rangel, “este Feirão em Brasília cumpriu a missão de manter o crescente desempenho do crédito habitacional na CAIXA em 2009”. Em todo o país, até o final de abril, mais de R$ 10 bilhões foram destinados a habitação, mais do que o dobro investido no mesmo período de 2008.   
BSB, 24/5- Esta notícia é para os estudiosos do mercado imobiliário candango e do novo mapa de ofertas de imóveis que se confirgura a partir da 5ª edição do Feirão da Caixa. Dos 12. 856 imóveis ofertados no evento, a esmagadora maioria partiu de duas cidades do entorno: Valparaíso, com 2.873 unidades (22%) e Águas Lindas, com 2.594 unidades (20%). A 1ª cidade do DF a chegar perto das campeãs foi Águas Claras, onde foram ofertadas 1.989 unidades (15%). Uma grata surpresa entre as cidades do DF foi a presença de Samambaia que desponta como novo polo imobiliário com a oferta de 1.469 unidades (11%). Outra cidade em destaque foi o Guará, que compareceu com 938 unidades (7%), muito próximo da Ceilândia, que com sua tendência expansionista ofertou 953 unidades (7%). Outra cidade que chamou a atenção foi o Gama 324 unidades (3%), assim como Sobradinho, que compareceu com 239 unidades (2%). Este Feirão serviu para comprovar a força da moradia de viés mais popular. O Plano Piloto, que nas edições anteriores comparecia com muita força ao evento, nesta edição ficou apenas em 9º lugar no número de unidades ofertadas, 255 (2%). Em seguida, e pela ordem, vieram Riacho Fundo, 238 unidades (2%); Planaltina, 235 unidades (2%); Taguatinga, 187 unidades (1%); Núcleo Bandeirante, 142 unidades (1%); Novo Gama, 85 unidades (1%); Cruzeiro, 84 unidades (1%); Candangolândia, 79 unidades (1%); Recanto das Emas,74 unidades (1%); e finalmente mais duas cidades do Entorno, Formosa e Brazlândia com, 63 unidades e 35 unidades, respectivamente (0%). Os dados foram fornecidos pela Superintendência de Marketing e Comunicação da Caixa Econômica Federal.   
BSB, 23/5- Na abertura do Feirão em Brasília, a vice-presidente da instituição, Clarisse Coppetti, afirmou que a 5ª edição do evento, realizado por todo o Brasil veio reafirmar o espetacular momento pelo qual passa a indústria imobiliária nacional, quando vem sendo batidos recordes de concessão de crédito para a compra da casa própria, especialmente para o setor de baixa renda. No caso específico do Feirão de Brasília, a executiva se mostrou animada com o incremento no número de participantes, principalmente com o de construtores que neste ano atingiram a marca de quase cem empresas presentes ao evento. “Ao contrário das edições anteriores onde a maioria de ofertas de imóveis acontecia no Plano Piloto e lagos, atualmente temos imóveis disponíveis em todas as regiões administrativas do DF, além de inúmeras ofertas no Entorno. Isso prova que estamos no caminho certo da democratização habitacional, reflexo da política do governo impulsionada, principalmente, pelo projeto Minha Casa, Minha Vida”.   
BSB, 23/5- Começou ontem e vai até domingo (24) em Brasília o Feirão da Casa Própria, organizado pela Caixa Econômica Federal. Mais de 12 mil imóveis serão oferecidos à população no Pavilhão da ExpoBrasília, no Parque da Cidade, com valores que variam entre R$ 50 mil e R$ 1,5 milhão. As regiões do Distrito Federal com mais ofertas são Valparaizo, Águas Lindas e Águas Claras. Cidadãos de todas as faixas de renda podem participar do feirão. No ano passado, 23 mil pessoas visitaram o evento que resultou em 4.901 negócios, somando mais de R$ 420 milhões em financiamentos. Na sexta e no sábado o funcionamento da feira vai das 10h às 20h. No domingo (24), o funcionamento será das 10h às 18h. No primeiro dia de funcionamento, cerca de 5,5 mil brasilienses foram conferir as oportunidades oferecidas. Segundo dados preliminares, foram firmados cerca de R$ 20 milhões em negócios. Até amanhã, último dia do feirão, a Caixa espera receber cerca de 40 mil pessoas e atingir a marca de R$ 600 milhões em contratos firmados.   
BSB, 23/5- Neste sábado (23), às 10h, o primeiro condomínio de baixa renda do Brasil será regularizado no Distrito Federal. O condomínio Porto Rico é uma comunidade que reúne sete mil pessoas, que vivem em 1.118 lotes individuais e outros 52 de habitação coletiva (com 18 unidades em cada um), além de área para comércio, serviços e indústrias leves. A regularização está sendo possível por causa da aprovação do projeto urbanístico do Setor Habitacional Ribeirão. A partir da regularização, o condomínio Porto Rico passará a fazer parte oficialmente da região administrativa de Santa Maria. 72 famílias que moram no local, mas em área de risco, e outras 11 que vivem em área de proteção ambiental, serão transferidas para outros lotes, dentro do mesmo condomínio. A regularização do Porto Rico é a primeira de baixa renda no DF e a primeira do Brasil conforme a Medida Provisória 459, de 25/03/09, enviada ao Congresso Nacional pelo Presidente Lula. Após a aprovação do projeto urbanístico, os moradores já poderão construir regularmente, com alvará de construção emitido pela administração regional. A questão fundiária será resolvida pela desapropriação da área, que hoje pertence a mais de 350 herdeiros.   
BSB, 23/5- Uma reestruturação promete modernizar o projeto urbanístico de Sobradinho, no Distrito Federal. Aprovado na última terça-feira, na Comissão de Assuntos Fundiários (CAF) da Câmara Legislativa do DF, o Projeto de Lei Complementar 91/2008 permite a criação de novas unidades imobiliárias e comerciais, além de um novo sistema viário na zona central da cidade. A proposta muda a destinação de terrenos nas quadras Central e 12, onde áreas do governo subutilizadas darão lugar a empreendimentos de habitação coletiva e comércios, e áreas particulares serão transformadas em vias de acesso para carros e pedestres. O relator do projeto, o deputado distrital Batista das Cooperativas (PRP) explica que as mudanças estão previstas pelo Plano Diretor de Ordenamento Territorial e Urbano (PDOT) local. O novo sistema viário afetará as ruas 2, 5 e 7. Para elas estão previstas a criação de rotatórias, baias de ônibus e até a abertura de um via complementar, que fará a ligação entre as ruas 2 e 7. Ao todo, serão comercializados 12.170 metros quadrados de terras públicas e 2.852,80 metros quadrados de áreas particulares serão transformadas ‘bens de uso comum’. Também está previsto as instalações de praças e estacionamentos. .   
BSB, 23/5- A região afetada consiste em um dos principais centros de atividades de Sobradinho. No local estão a rodoviária, a sede da administração, a feira modelo e o setor hoteleiro. Nela há também grande concentração de comércio. O objetivo do projeto, segundo Batista, é dinamizar e ordenar o crescimento da cidade. ”Essas intervenções têm o mérido de possibilitar o crescimento da zona central, sem ferir o ar acolhedor característico da cidade”, diz o morador de Sobradinho, Paulo Valério. Ele não é o único membro da comunidade a gostar da proposta. De autoria do poder Executivo, ela foi aprovada pelos habitantes da cidade em uma audiência pública, realizado em 2007. O PLC 91/2008 será submetido agora a avaliação da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Em seguida, encaminhado ao Plenário da Câmara Legislativa, ou seja, a proposta está sujeita a alterações. A administração regional de Sobradinho foi procurada pela reportagem para falar sobre o impacto do projeto na cidade, mas não deu retorno.   
BSB, 23/5-Terminou com sugestão de tombamento da Ponte JK a audiência pública realizada na manhã de hoje (21) para discutir a destinação de lote no Lago Sul para a construção de um shopping. O debate foi uma iniciativa da deputada Erika Kokay (PT) e contou com a participação da deputada Jaqueline Roriz (PSDB), presidente da Comissão de Meio Ambiente da Câmara, de representantes do GDF e da comunidade local. O que os moradores querem, e para isso tiveram o apoio das duas parlamentares, é que seja preservada, como parque ecológico, a área que compreende os lotes B da QL-24 e F da QI-25. De acordo com documento da Prefeitura Comunitária do Lago Sul entregue à Comissão por Edilamar Batista, os dois lotes formam uma unidade ambiental, cortada pelos córregos Sagui e Rasgado com respectivas matas ciliares. A venda do lote B da QL-24 já foi deflagrada pela Terracap, mas a licitação foi suspensa por conta de uma pendência judicial. Para a preservação seria necessária mudança na destinação do lote, tornando-o "área de uso comum do povo". Natanry Osório, da Associação Moradores Lindeiros Amigos Cangerana (Amlac) - do Lago Sul, lembrou que a Ponte JK é o terceiro ponto mais visitado por turistas em Brasília. Do lote em questão, lembrou outra moradora, é que se tem a vista mais bonita da ponte, cartão postal premiado internacionalmente.   
BSB, 23/5- A arquiteta Tânia Batela, da seção brasiliense do Instituto de Arquitetura do Brasil (IAB), alegou que o GDF descumpre a Lei Orgânica do DF e a legislação federal que determinam a realização de audiências públicas para alterações de uso em área residencial. "É uma área muito nobre para ser usada comercialmente" frisou Carlos Lombardi, da Associação dos Moradores da QI-25 do Lago Sul, que fez coro aos pedidos para que o local seja usado para entretenimento, lazer e contemplação da ponte e da natureza. A arquiteta Rosemay Pimentel, representante da Terracap, esclareceu que a empresa apenas executa a venda, não sendo responsável pelo planejamento do uso. O coronel Aurélio Mattos Filho, representando o vice-governador Paulo Octávio, prometeu marcar uma reunião do vice com representantes dos moradores do Lago Sul, ganhando adesão da assessora da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo do DF, Kelen Cristina Stuckert, garantindo a presença da Secretaria na reunião. Partiu da deputada Erika Kokay a idéia de se trabalhar com a perspectiva de tombamento da Ponte JK. Acatando sugestão de uma moradora, ela disse que iria solicitar a inclusão não só do tombamento, mas também a criação do pretenso parque ecológico no calendário do 50º aniversário de Brasília, em abril de 2010. "Essa é uma luta supra-partidária", confirmou Jaqueline Roriz.   
BSB, 23/5- O deputado distrital Geraldo Naves (DEM) criticou hoje (21) a atuação do Instituto Brasília Ambiental (Ibram) na análise de licenças ambientais requeridas para a execução de obras no Distrito Federal. O parlamentar centrou suas críticas no presidente do órgão, Gustavo Souto Maior. "O senhor Gustavo Souto Maior está prejudicando o trabalho do GDF. As licenças ambientais para o Setor Mangueiral e para as obras do Veículo Leve sobre Trilhos. Vários projetos do GDF e do Governo Federal estão parados na gaveta do presidente. Infelizmente o Ibram dá mais atenção ao Ministério Público do que ao Governo do Distrito Federal", criticou.   
BSB, 23/5- Brasília é a cidade com a melhor qualidade de vida no País. A mais recente pesquisa sobre o tema, divulgada pela Mercer, apontou a capital como a cidade brasileira mais bem colocada no ranking mundial, no 105º lugar. A primeira é Viena, na Áustria, seguida de Zurique e Genebra, ambas na Suíça. Neste contexto, o Instituto Brasileiro de Qualidade de Vida (IBQV) realiza, entre os dias 27 e 29 de maio, a 11ª Jornada Brasileira de Qualidade de Vida que, este ano, traz o tema "Interfaces da Qualidade de Vida: Cenários para a Sustentabilidade", em evento realizado no auditório Parlamundi (LBV). A proposta do encontro é chamar a atenção para o conceito de sustentabilidade, que pode ser compreendido como a capacidade de atender às necessidades do nosso presente, sem comprometer as possibilidades de sobrevivência das gerações futuras. Neste contexto, o Instituto Brasileiro de Qualidade de Vida (IBQV), idealizador e promotor do evento, traz convidados renomados no assunto para palestras, debates e painéis, no intuito de aprofundar as questões fundamentais para o alcance da sustentabilidade, observando condições básicas como "ser ecologicamente correta"; "ecologicamente viável"; "socialmente justa" e "culturalmente aceita".   
BSB, 21/5- A PaulOOctavio participa com unidades nas áreas mais privilegiadas da cidade. Sempre em busca de inovações, oferta residenciais ecologicamente corretos, com princípios ambientalmente responsáveis, como sistema de redução do consumo de água, racionalização do uso da energia, coleta seletiva de lixo, dentre outros componentes. Na quinta edição do evento, a PaulOOctavio realiza cadastramento para futuros lançamentos de apartamentos de dois, três e quatro quartos no Noroeste, Águas Claras e Samambaia. “O feirão se consolida como um dos mais importantes eventos do setor imobiliário da capital e um grande facilitador de vendas”, declara o diretor da empresa, Marcelo Carvalho.   
BSB, 21/5- A partir da próxima sexta-feira, 22, os brasilienses terão uma ótima oportunidade para realizar o sonho de ter o seu próprio imóvel, com o Feirão da Caixa, que oferecerá mais de 100 mil imóveis, cujos valores podem ser financiados em 100%. O evento, que vai até 24 de maio no pavilhão de exposições do Parque da Cidade, ExpoBrasília, reunirá todos os agentes da cadeia da habitação, para facilitar a realização de negócios. Construtoras, corretores, cartórios e técnicos da Caixa, responsáveis por analisar e liberar o crédito para os financiamentos, estarão no local para esclarecer dúvidas e ajudar o consumidor a sair do Feirão com o sonho realizado. A MB Engenharia-Empresa Brascan já confirmou a sua presença e vai disponibilizar aos visitantes cinco opções diversificadas de empreendimentos, que se adéquam a diferentes orçamentos: Première, Soneto, Sinfonia, Lumini e Allegro. Para Rubens Oseki, gerente comercial da MB Engenharia-Empresa Brascan, este é um momento único para a pessoa interessada em comprar um imóvel. “Os visitantes do Feirão terão condições mais favoráveis para fechar um bom negócio. Pelo fato de o evento reunir, em único lugar, diversas empresas do ramo e oferecer um ambiente propício para a realização de negócios, nós levaremos ao Feirão ótimas opções de empreendimentos, com características que atendam a população de baixa, média e alta renda”, considera. Esta é a primeira vez que a construtora participa do Feirão da Caixa e a expectativa não poderia ser melhor. “Este ano, o evento ganha uma força maior. Além de já estar consolidado em todo o país e ser respeitado, a visitação deve ser maior que a do ano passado, motivada pela busca de informação pelo programa habitacional lançado pelo governo, Minha Casa, Minha Vida. A expectativa é de que nossos produtos movimentem entre R$ 20 milhões e R$ 25 milhões, nos três dias de evento”, diz.   
BSB, 21/5- Para o evento da Caixa a empresa vai disponibilizar para o público os seguintes empreendimentos: Allegro - Localizado em Ceilândia, o Allegro é um conjunto residencial que ocupa 50 mil metros quadrados de área e é constituído de 11 blocos e 12 torres, todos com 19 pavimentos. O residencial tem cinco modalidades de apartamento, sendo que quatro possuem suíte. As opções variam em tamanho e no número de quartos: dois quartos, com 51 metros quadrados, dois quartos, com 60 metros quadrados, três quartos, com 69 metros quadrados, três quartos, com 77 metros quadrados e três quartos, com 88 metros quadrados. Sinfonia Prime Residence – Trata-se de mais um grande empreendimento que a empresa lançou em Águas Claras. Ele empreendimento será erguido em frente à Praça Irerê, na quadra 202, lotes 7 e 9. Composto por quatro blocos com 17 pavimentos e 238 unidades, o Sinfonia oferece apartamentos de três e quatro quartos, entre 98 e 144 metros quadrados Premiére - O residencial Premiére Private Life está sendo construído próximo ao Águas Claras Shopping, à estação de metrô Águas Claras e ao lado do futuro Parque Sul. O residencial é composto por 78 unidades, ocupando três mil metros quadrados Lumini Play Life - Também localizado em Águas Claras, o Lumini está em uma área de 2.986,59 metros quadrados. Oferece apartamentos de dois e três quartos, com área privativa que varia de 74 metros quadrados a 103 metros quadrados. Soneto – O Soneto é outra aposta da empresa em empreendimentos de luxo. Localizado em Águas Claras, serão construídas quatro torres, em uma área de 9.500 metros quadrados. O residencial conta com apartamentos duplex e de quatro quartos, com área privativa que vai de 159 metros quadrados a 316 metros quadrados.   
BSB, 20/5- A lentidão do governo em definir as poligonais de 11 Regiões Administrativas (RAs) do Distrito Federal está prestes a provocar uma distorção no Censo 2010, feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Oficialmente, o instituto de pesquisa só reconhece 19, das 30 cidades existentes, porque só elas têm os limites fixados por lei. O lançamento da Comissão Censitária do Distrito Federal da pesquisa de 2010 será hoje, às 15h, no auditório do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Os parlamentares do DF têm até 31 de julho para legalizar as poligonais das 11 regiões. Se isso não ocorrer, o DF aparecerá nas estatísticas nacionais exatamente como era há 10 anos, data do último censo. E vai continuar assim pelos próximos 10 anos, uma vez que a população volta a ser pesquisada pelo IBGE somente em 2020. A indefinição sobre onde começam e terminam as cidades criadas nos últimos seis anos — a mais recente foi Vicente Pires — vai provocar dois problemas. Primeiro, distorcerá o levantamento sobre as características da população de áreas oficialmente definidas e, segundo, vai mascarar informações sobre os moradores de regiões cuja área não existe perante a lei. Para mostrar a importância do assunto, a coordenadora operacional do Censo 2010 no DF, Verônica Santos, do IBGE, cita o exemplo de Águas Claras e Vicente Pires, duas regiões administrativas sem poligonal estipulada em lei. “Os moradores serão ouvidos. Mas todos os dados relativos a escolaridade, profissão, se tem deficiente e qual o tipo de deficiência, ficarão diluídos com as informações dos moradores de Taguatinga. É como se fosse uma coisa só”, explicou. Na Câmara Legislativa, os deputados começaram a se mexer na última semana. “É uma tragédia o DF aparecer num censo com uma configuração totalmente desatualizada. Isso invalida pesquisas e dificulta o planejamento estratégico. O efeito para a administração pública é terrível”, avaliou a líder do governo na Câmara, depu   
BSB, 20/5- Existe um projeto de lei do Executivo sobre o tema engavetado desde 2007. Ficou parado porque um dos artigos retira da Câmara a competência para votar poligonais, deixando a responsabilidade exclusivamente para o Poder Executivo. A deputada Eurides Brito disse ter elaborado ontem uma emenda à proposta revogando o artigo em questão e está em negociação com o governo. Caso haja um consenso, o projeto é votado e o Executivo encaminha a proposta com as poligonais das 11 cidades, para que os parlamentares aprovem. “Está tudo prontinho na Seduma (Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente). Temos tempo hábil de votar”, ressalta a parlamentar. A não ser que seja costurado um grande acordo entre os parlamentares, a votação das poligonais não será assim tão fácil. Os deputados com influência nessas cidades costumam incluir ou excluir áreas das respectivas regiões. É o que tende a acontecer, por exemplo, na definição da poligonal de Vicente Pires, a mais nova região administrativa do DF, aprovada em 24 de abril. Conforme antecipou o Correio à época, nos bastidores há uma disputa pelos núcleos rurais Colônia Agrícola Samambaia, 26 de Setembro e Cana do Reino. Eles são colados a Vicente Pires, mas reivindicados por Taguatinga. Na ocasião, o secretário de Governo, José Humberto Pires, avisou que o governo levaria em conta as características de cada área para que sejam agrupadas aquelas que têm características afins. Por meio da assessoria de imprensa, a Companhia de Desenvolvimento do Planalto Central (Codeplan) amenizou os prejuízos que as distorções no Censo 2010 podem provocar. O órgão destacou que realiza a Pesquisa Distrital por Amostragem de Domicílio, mais completa e com maior número de entrevistados que a do IBGE. A última é de 2004. O novo estudo está em fase de coleta de dados e deve ser divulgado até o fim do ano. Ainda segundo a Codeplan, uma pesquisa inédita está sendo realizada.   
BSB, 20/5- A ampliação do Setor Sudoeste, com a construção de mais duas quadras perto do Eixo Monumental, está prestes a receber sinal verde do governo para sair do papel. Os estudos ambientais e urbanísticos apresentados pela Antares Engenharia, dona da área, estão em análise adiantada pelos órgãos responsáveis por aprovar o parcelamento. O projeto urbanístico recebeu parecer favorável do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Além disso, a primeira etapa do licenciamento, a Licença Prévia, deve ser emitida ainda neste semestre pelo Instituto Brasília Ambiental (Ibram). A construtora espera começar as obras em um ano e os corretores imobiliários já especulam que os valores cobrados serão semelhantes aos dos apartamentos do Setor Noroeste e o metro quadrado na região não sairá por menos de R$ 7 mil. As duas novas quadras, as SQSW 500 e 501, terão 22 prédios residenciais e seis comerciais. A expansão será feita na última área vazia do bairro nobre: um terreno de 140 mil metros quadrados que pertencia à Marinha, mas foi permutado com a Antares em 2007. A área fica entre o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) e o Parque das Sucupiras, praticamente às margens do Eixo Monumental. Hoje, a média de preço do metro quadrado no Sudoeste é R$ 6 mil. De acordo com os projetos apresentados ao governo, as duas quadras, construídas lado a lado, serão interligadas. Uma área institucional - que provavelmente será ocupada por uma escola - está reservada entre elas. Todos os prédios terão garagem no subsolo, e quem comprar um apartamento no local não precisará passar pela avenida principal do Sudoeste, mas também não sairá diretamente no Eixo. As saídas (uma por quadra) darão na pista que passa pelo Sudoeste Econômico. Ao lado delas, estará o Parque das Sucupiras, uma faixa verde de 250m de largura que será preservada.   
BSB, 20/5- Os blocos comerciais terão quatro andares e ficarão no fundo das quadras, virados para a rua em frente ao Setor de Oficinas. O comércio local ocupará uma área de 9 mil metros quadrados e as lojas serão mais espaçosas que as do Plano Piloto. O empreendimento será cercado de verde. Além do parque vizinho, as quadras serão bem arborizadas - apenas 15% do terreno será ocupado pelas edificações. Os edifícios seguem as mesmas características do restante da área tombada de Brasília: seis andares com pilotis. Ainda não há previsão de quantos apartamentos cada prédio terá. A densidade estipulada para a área é de 250 habitantes por hectare - há 14ha ao todo. Assim, no máximo, 3,5 mil pessoas poderão habitar o local. Pelo que foi apresentado até agora, a Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente (Seduma) acredita que a ocupação pode ser até menor, de cerca de 1,6 mil pessoas. A Antares prefere não dar detalhes sobre o projeto. "A quantidade de apartamentos vai depender dos projetos de arquitetura de cada edifício, respeitados os limites de área construída já determinados", diz o presidente da construtora, Roberto Morhy. Mas a Seduma estima que a empresa fará prédios com quatro apartamentos por andar, o que daria 24 moradias com cerca de 280 metros quadrados em cada prédio e apenas 528 nas duas quadras. Mas, pela densidade estabelecida para a área, a empresa pode optar por prédios com oito apartamentos em cada andar, o que daria 48 unidades de cerca de 140 metros quadrados em cada edifício e 1.056 novas moradias nas quadras.   
BSB, 20/5- De acordo com a subsecretária de Controle Urbano da Seduma, Eliana Bermudes, o impacto da nova ocupação no trânsito do Sudoeste será "mínimo". A construtora já fez um estudo de tráfego, que foi analisado em conjunto pelo Departamento de Trânsito (Detran) e pela secretaria. Os órgãos pediram uma ampliação do estudo, entregue na semana passada. "Pedimos para eles incluírem outras vias no estudo, pois pretendemos aproveitá-lo no futuro para propor melhorias no restante da cidade", afirma Eliana. Morhy garante que a questão do tráfego está sendo observada com cautela pela construtora. Segundo o Iphan, o projeto atende os requisitos do tombamento. O superintendente do órgão no DF, Alfredo Gastal, elogiou as plantas das quadras e deu o aval para a construção. "A densidade da ocupação é baixa (250 habitantes por hectare) se comparada ao resto do Plano Piloto (que chega a 380 hab/ha). Eles preservaram o conceito da superquadra pensado por Lucio Costa. Na verdade, essa área sempre foi parte do Sudoeste e estava prevista para ser ocupada desde o Brasília Revisitada (documento elaborado por Lucio Costa em 1987)", explica. "As pessoas se acostumaram com a área vazia, mas um terreno baldio é a pior coisa que uma cidade pode ter", defende Gastal.   
BSB, 20/5- Sob avaliação do Instituto Brasília Ambiental (Ibram) desde abril do ano passado, o processo do licenciamento ambiental da área reservada para a expansão do Sudoeste está praticamente pronto para a emissão da Licença Prévia. Na última sexta-feira, os técnicos do órgão se reuniram com representantes da construtora para discutir como será feita a compensação ambiental do novo empreendimento. Novas reuniões ainda devem ser feitas. A pedido do Ibram, a Antares Engenharia elaborou um Relatório de Impacto de Vizinhança (Rivi), os projetos de captação e drenagem de águas pluviais, os de esgotamento sanitário e o inventário florístico (que detalha as espécies existentes no local) da área onde serão erguidas as edificações. Os técnicos do órgão avaliaram os estudos e encaminharam o processo ao Instituto Chico Mendes elaborar um parecer, pois a ocupação está a 6km do Parque Nacional de Brasília. "Só estamos esperando o processo voltar para a gente. Quando chegar à mesa do técnico, ele emite a licença em uma semana", disse o superintendente de Licenciamento e Fiscalização do Ibram, Eduardo Freire. A Licença Prévia é a primeira etapa do licenciamento e autoriza os estudos para a construção das quadras. Mas o documento depende de uma audiência pública. O Instituto Chico Mendes enviou a proposta para análise do Parque Nacional de Brasília. A diretora do parque, Maria Helena Reinhardt, disse que o parecer será dado em breve: "Pela análise que já fizemos, o empreendimento não terá impacto significativo no parque".   
BSB, 19/5- Com planejamento e vendas da Lopes Royal, o residencial Rivoli possui uma localização privilegiada em Águas Claras por ser em um dos pontos mais altos da cidade. Localizado próximo à estação do metrô “Concessionárias” e ao Shopping Quê, tem acesso fácil e rápido à EPTG e ao Parque Ecológico de Águas Claras. Com uma área total de 1.890 m2, as fachadas são totalmente revestidas em cerâmica 10x10 cm, com esquadrias em alumínio natural fosco e vidros incolores. O empreendimento conta com dois subsolos com vagas de garagem cobertas vinculadas aos apartamentos, exceto as vagas de garagem numeradas, por se tratar de vagas de uso comum, destinadas a estacionamento de veículos cujos usuários sejam portadores de deficiências de locomoção. O Rivoli traz um área de lazer equipada e decorada com piscina adulto e infantil, deck das piscinas com ducha e lava-pés, fitness, sauna, salão de jogos, espaço gourmet com forno de pizza e churrasqueira, praça de convívio, playground, salão de festas com copa e banheiros. Incorporação e Construção: JRF Empreendimentos Imobiliários Ltda.   
BSB, 19/5- A Incorporadora e Construtora João Fortes Engenharia S.A. lança o Le Quartier. Localizado na primeira quadra voltada para o Eixo Monumental ao lado do Conjunto Nacional, no Setor Hoteleiro Norte (SHN), é uma mistura de hotel e comercial. Com uma área de 4.196 m2, o empreendimento, inovador e exclusivo, é composto de quatro subsolos, um térreo e 16 pavimentos. O projeto é da STA Arquitetura S.A e o autor do paisagismo é Benedito Abbud, o mesmo do Shopping Pátio Brasil. A fachada do hotel foi toda projetada em pele de vidro na cor cinza reflexivo e revestida de metálico em alucobond. Já a fachada dos prédios comercias, de pele de vidro na cor verde semi-reflexivo, é revestida em emboço paulista, pintura e cerâmica. O hotel conta com 150 apartamentos, 10 unidades por andar do 2º pavimento ao 16º pavimento e 75 vagas de garagem. O comercial conta com uma loja com mezanino, 375 salas e 391 vagas de garagem. Vendas com a Lopes Royal.   
BSB, 19/5- A redução da taxa do Imposto sobre Produto Industrializados (IPI), anunciada há um mês pelo Ministério da Fazenda, já mostra resultados. A nova medida que incentivou o consumidor a reformar seus imóveis também contribuiu para a movimentação da economia. De acordo com a Pesquisa Conjuntural do Comércio Varejista do Distrito Federal, realizada pelo Instituto Fecomércio, as vendas de materiais de construção subiram 6,8% em março. Com as novas regras, 30 itens da construção civil passam a pagar menos imposto. Na lista de produtos com redução na taxa estão incluídos materiais de acabamento como porcelanas, lavatórios, vasos, banheiras, pias, louças de banheiros, revestimentos, cimento, tintas, vernizes, chuveiro, fechaduras, dobradiças, rede e grade de aço, entre outros. Além disso, o regime de tributação para a construção civil, que congrega os impostos como IR, CSLL, PIS e Cofins aplicado às construtoras, foi modificado. Com a redução, a taxa cai de 7% para 6%. Nos casos em que a construtora esteja no programa de habitação do governo, a redução chega a 1%. O presidente do Sindicato da Habitação no Distrito Federal (Secovi/DF), Miguel Setembrino, acredita que a redução da taxa é a grande responsável pelo aumento nas vendas de materiais de construção. Ele conta que em março houve um aumento considerável nas vendas destes produtos. “Se comparado com dezembro do ano passado, o mercado melhorou bastante”, afirma Setembrino. “Nossa expectativa é que estes dados melhorem ainda mais em maio”, relata o presidente. O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Materiais de Construção no DF (Sindimac/DF), Cecin Sarkis, acredita que em junho o aumento deve chegar a 30%. Para Sarkis, a decisão do governo colaborou muito no aumento das vendas no setor mas a redução do imposto não está só. Segundo o presidente do Sinduscon-DF, Élson e Povoa, serão mais beneficiadas as construções de pequeno porte e os empregos nessa área.   
BSB, 16/5- O Lago Norte faz 49 anos neste mês de maio. E a comemoração contará com várias atividades de lazer e melhorias para a cidade. Entre as atividades estão: campeonato de mountain bike, operação cidade limpa, inauguração de praças, entrega do Prêmio Cidadão Honorário do Lago Norte entre outros. Para o dia 22 de maio, está prevista a entrega da praça do Flamboyant e, dia 28, os moradores receberão a praça do Deck. Aos praticantes de esportes, foi reservado passeio ciclístico do Colégio do Sol e da Península Norte, neste sábado (16/5). Está marcado para domingo (17/5) o campeonato de mountain bike (Shopping Deck Norte, Faro Brasil, Crocs e Administração do Lago Norte). Os festejos religiosos também fazem parte da programação. Nesta sexta-feira (15/5) e sábado (16/5), a Paróquia Nossa Senhora do Lago realizará as comemorações tradicionais. A Paróquia Pai Nosso também não ficará de fora. Nos dias 29 e 30 de maio, acontece a festa junina com muita comida típica e diversão para a criançada. Para os Núcleos Rurais, a Administração reservou uma atividade com o intuito de transmitir informações sobre a preservação do meio ambiente, cuidados com a saúde, limpeza e queimadas em áreas rurais. Haverá limpeza dos córregos Bananal, Torto, Urubu, Palha, Jerivá e Tamanduá.   
BSB, 15/5- As grandes empresas de Brasília foram homenageadas no último dia 13 de maio, em um super evento no Hotel Kubitschek Plaza, com o Prêmio Top de Vendas e Marketing 2009, entregue pela Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil (ADVB-DF). Os vencedores foram Brasília Shopping, Cygnus Imóveis, Lopes Royal, Ministério do Turismo e Wimóveis. Este prêmio busca reconhecer empresas que superam suas metas e transformam-se em casos de sucesso, com grandes exemplos para o mercado. O objetivo é estimular a produção de casos brasilienses, por meio de ação e divulgação daqueles que demonstraram ter utilizado, com maior propriedade, o ferramental de marketing e vendas. De todos os premiados somente o Ministério do Turismo, não está diretamente envolvido com o ramo imobiliário, todos os outros, ou são grandes empresas da área ou é um grande empreendimento, como é o caso do Brasília Shopping. Os cases inscritos foram analisados na 1º quinzena do mês de abril, por renomados profissionais da área de marketing e vendas, que avaliaram e concederam o prêmio a essas cinco empresas por se tratarem dos melhores desempenhos de metas do ano. Os laureados receberam o merecido troféu, que este ano foi confeccionado pelo artista plástico Omar Franco, e depois puderam degustar um maravilhoso jantar do Chef Donizete da Silva.   
BSB, 15/5- Os premiados nesta edição do prêmio foram: Brasília Shopping – Responsável: Superintendente - Geraldo Cardoso de Mello Neto Case Tênis Atitude do Bem – Com uma campanha arrojada o Brasília Shopping fez uma campanha pautada por um símbolo urbano, fashionista e acessível a todos, e em uma ação de compre e ganhe, trocou pares de tênis de lona com solado emborrachado por responsabilidade social. Case Movimento Eco Fashion – Preocupados com o uso indiscriminado do plástico e a agressão que este material causa à natureza, o shopping lançou a campanha Natal com Atitude para incentivar o uso de sacolas ecológicas – Eco Bags. As sacolas foram produzidas em puro algodão por costureiras e artesãs de comunidades menos favorecidas do Distrito Federal. A mecânica de troca-notas com complementação de valores por parte dos clientes garantiu renda inteiramente revertida às cooperativas envolvidas na campanha natalina. Cygnus Imóveis – Responsável: Presidente Alexandre Matias Case Boulevard dos Ipês – Uma mudança de paradigma na Ceilândia A Cygnus investiu em um projeto ousado localizado na Ceilândia, que demonstrou a grande capacidade aquisitiva de investidores e compradores para novos espaços existentes nas cidades satélites, usando critérios para investimentos com alto padrão de qualidade e requinte, provando assim o crescimento do mercado estratificado como classe C, na pirâmide de consumo. Lopes Royal – Responsável: Diretor/Presidente Marco Antônio Demartine Case Saint Moritz Saint Moritz é um bom exemplo de que trabalho e dedicação vencem qualquer obstáculo. Do começo do projeto à sua comercialização, problemas surgiam e eram superados com a mesma disposição e vontade de vencer. O resultado, por fim, representou todo esse esforço: empreendimento 100% vendido no primeiro fim de semana de lançamento e com valor superior ao praticado à época.   
BSB, 15/5- Na sequência da premiação foram laureados também: Ministério do Turismo – Responsável: Diretor de Promoção e Marketing Nacional Ministério do Turismo - Márcio Nascimento Case Está na hora de conhecer o Brasil Para movimentar o mercado interno e estimular os brasileiros a se interessarem pelos destinos domésticos, o Ministério do Turismo criou uma campanha para que o público se interessasse não somente pelos momentos de lazer que os destinos daqui proporcionam, mas também pelo aprendizado cultural. Aproveitando o estopim da crise econômica mundial, juntamente com essa campanha a temporada de 2009 apresentou um crescimento de 20% com relação ao mesmo período do ano anterior. Wimóveis – Responsável: Diretor Comercial - Antonio Marcelo Ramos Case Wimóveis.com - Pionerismo, inovação, promoção e resultados Foi o primeiro portal de imóveis nacional e apresenta uma série de resultados fantásticos. É atualmente o 2º maior portal exclusivo de imóveis do Brasil em páginas acessadas, dentre todos os veículos de imóveis é o líder absoluto do DF e uns dos 1ºs no mundo em acesso per capita de páginas acessadas, além de ser uma empresa a fazer o caminho contrário das tradicionais, passando de uma empresa offline, para online, ou seja primeiro foi feito o site para depois a empresa tomar forma. É importante destacar também o Salão Wimóveis, que é bastante reconhecido na cidade e este ano vai para sua 4° edição.   
BSB, 14/5- Nesta sexta-feira, 15 de maio, o Sinduscon-DF realiza a eleição da nova diretoria, conselho fiscal e delegação federativa para o período de 1º de junho de 2009 a 31 de maio de 2011. Os representantes das empresas associadas ao sindicato são convidados a votar. A participação de todos é fundamental para demonstrar a união e o fortalecimento do setor. A votação será na sede do Sinduscon-DF, de 8h às 18h.   
BSB, 12/5- Depois do sucesso em Samambaia, a cidade de Ceilândia torna-se palco do novo empreendimento do show de morar da MB Engenharia, Empresa Brascan e MGarzon Eugenio. Na melhor área de Ceilândia, próximo ao Sesc e ao Metrô, o Allegro é um empreendimento inédito com 50.000 m2 de terreno, sendo mais da metade dele dedicada exclusivamente ao verde, à diversão e ao bem-estar dos moradores. O Allegro será um conjunto composto por doze edifícios de 19 pavimentos, 1292 unidades de dois e três quartos com áreas que variam de 51 m2 a 88m2. O empreendimento conta com uma grande praça central com piscina adulto e infantil, deck molhado, spa, deck sob palmeiras, bar da piscina, piscina com raia de 25 metros, churrasqueiras, quadras poliesportivas, quadra de futebol, biribol, play radical, play kids, play aventura, praça da babá, espaço pet e espaço para leitura. Possui a maior e mais completa área de lazer da cidade. Vendas com M Garzon Eugênio.   
BSB, 10/5- A Caixa Econômica Federal promove de 22 a 24 de maio a quinta edição do Feirão Caixa da Casa Própria no Distrito Federal. Considerada a maior feira do setor do País, o evento promete impulsionar o segmento habitacional e será realizado este ano em dez cidades brasileiras. Mais de cem mil imóveis serão comercializados em todo o Brasil, sendo dez mil no DF, entre novos, usados e na planta. Além de Brasília, a feira passará por Rio de Janeiro, Salvador, Curitiba, Uberlândia, Belo Horizonte, São Paulo, Recife, Porto Alegre e Fortaleza. O feirão reúne num único espaço todos os agentes da cadeia da habitação como construtoras, corretores, cartórios e técnicos da Caixa, responsáveis por analisar e liberar os financiamentos. “Durante o evento, é possível fechar o negócio, conhecer o imóvel e dar entrada nos papéis do financiamento”, explica Hereda. O feirão também será uma excelente oportunidade para conhecer projetos enquadrados dentro do Programa Minha Casa, Minha Vida, voltado para famílias com renda entre zero e dez salários mínimos. Até o momento, o banco registra 268 propostas de empreendimentos habitacionais entregues, sendo 156 propostas de empreendimentos destinados para o público de menor renda (zero a três). Já foram assinados dez contratos, o que corresponde a 1.730 unidades, num montante de R$ 90,7 milhões em investimento. O plano nacional 340 municípios parceiros.   
BSB, 10/5- Nos feirões da casa própria os interessados na compra de uma moradia vão encontrar oportunidades de negócios para a aquisição imóveis na planta, novos, e usados. As unidades oferecidas pela própria Caixa (imóveis adjudicados, ou seja, que foram retomados de antigos mutuários por falta de pagamento), pelas construtoras e incorporadoras, além de corretoras têm a garantia de financiamento, que pode chegar a até 100% do valor do imóvel. As linhas de financiamento para a casa própria atendem a todas as faixas de renda familiar, possuem prazo de pagamento de até 30 anos e prestações decrescentes. Os juros variam entre 4,5% e 11,4% ao ano, mais TR. Além dos feirões, os interessados podem obter informações em todas as agências da Caixa, ou pela Central de Telemarketing, que atende entre 7h e 20h, pelo telefone 0800-726-0101. Para quem tem acesso à internet, nem precisa sair de casa para fazer o orçamento. Por meio do simulador habitacional, disponível no portal do banco (www.caixa.gov.br), é possível calcular e visualizar vários cenários e valores, podendo escolher a opção que mais se encaixa no rendimento familiar. Desde a criação da ferramenta, em julho do ano passado, mais de 73 milhões de simulações foram realizadas, sendo 17,3 milhões somente entre abril e maio de 2009.   
BSB, 10/5- A Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap) e a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo (SDET) assinaram, nesta sexta-feira (8), cinco novos contratos com empresas inscritas no Programa de Apoio ao Empreendimento Produtivo do Distrito Federal (Pró-DF II). No total, são 95 contratos assinados em 2009, com entrega de 421 lotes desde janeiro de 2007. O resultado dessa iniciativa é a geração de 3.739 novos empregos. A solenidade de entrega dos lotes reuniu o presidente da Terracap, Antônio Gomes, o secretário adjunto da SDET, Adriano Amaral, o presidente do Serviço Social do DF (Seconci) João Carlos de Siqueira Filho, empresários e os diretores da Terracap Dalmo Alexandre Costa e Elme Tanus. Além de fornecer os 421 lotes aos empresários, a Terracap investiu R$ 60,4 milhões em obras de infraestrutura e urbanização nas Áreas de Desenvolvimento Econômico (ADEs) do DF. As cinco novas empresas estão localizadas no Riacho Fundo, Samambaia, Recanto das Emas e Águas Claras. .Os empresários se comprometeram a investir R$ 2,5 milhões nos empreendimentos e gerar mais 49 novos postos de trabalho, além dos atuais 124. O secretário-adjunto, Adriano Amaral, lembrou que o GDF quer dar condições para que as empresas possam gerar emprego e renda e cobrou a contrapartida: “O Pró-DF dá as condições de sobrevida aos empresários, mas nós cobramos o retorno com o cumprimento das metas como geração de emprego, de renda.” Adriano Amaral reforçou que o GDF não admite o desvirtuamento das áreas fornecidas pela Terracap.   
BSB, 8/5- Cercas de lotes do condomínio Estância Quintas Alvorada, no Lago Sul, são derrubadas na manhã desta sexta-feira (8/5). Ao todo, são 15 mil metros da construção irregular. Além disso, postes de energia não cadastrados pela Companhia Energética de Brasília (CEB) também serão retirados. De acordo com o coordenador da operação, Tenente Freires, da subsecretaria de Defesa do Solo e da Água (Sudesa), nenhuma casa será derrubada hoje. “Vamos retirar apenas as cercas e alguns postes de iluminação”. Ele explica, ainda, que a ação acontece porque o parcelamento irregular está em área da Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap). Desde janeiro de 2007, uma determinação do Governo do Distrito Federal (GDF) proíbe a construção de novos lotes em condomínios em áreas particulares e públicos, até que estes sejam regularizados. A Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap), afirma que após essa determinação do GDF, 26 casas foram construídas. Na portaria do condomínio há uma placa informando que todos os lotes já possuem dono. No entanto, a Terracap destaca que lotes do condomínio são vendidos durante os fins de semana, quando a fiscalização é menor. Freires conta que, na última quinta-feira (30/4), houve outra operação que derrubou 4.800 metros de cerca de 50 loteamentos. Participam da ação duas equipes da Terracap, duas da Sudesa e cinco da CEB. A Agência de Fiscalização do Distrito Federal (Agefis) também apóia as operações de derrubada.   
BSB, 7/5- As primeiras casas financiadas pelo Programa de Aceleração de Crescimento (PAC) da Vila Estrutural ficam prontas até o fim do mês de maio. Serão construídas ao todo 1.360 unidades que serão distribuidas aos moradores da cidade por causa das relocações necessárias para a implementação do projeto urbanístico da Vila. A primeira entrega será de 32 casas, que ficam perto do Setor de Oficinas da cidade. Essas unidades serão sorteadas entre os moradores que saíram dos locais próximos ao anel viário — obra já concluída. O projeto da casa inclui uma área construída de mais de 50m² com dois quartos, banheiro, cozinha e sala. Todas as unidades serão entregues já pintadas e com todo o acabamento necessário, a custo zero para os moradores. Outras 70 casas próximo à Fazenda Monjolo e mais 400 perto do Córrego do Valo e atual aterro já estão com as obras iniciadas e devem ser entregues neste ano. A distribuição será feita seguindo os critérios do governo, como não ter outro imóvel, ser morador do DF há mais de cinco anos, entre outros. O projeto de urbanização da Vila beneficiará mais de 35 mil moradores e tem três fontes de investimento. Serão aplicadas verbas do Governo Federal, pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), Banco Mundial (BIRD) e GDF. As transformações na Estrutural incluem toda a infra-estrutura — com saneamento, pavimentação, melhorias no sistema viário e implantação de equipamentos públicos. O projeto inclui ainda a instalação de escolas, posto policial, posto de saúde, hospital e centro de atendimento ao idoso. Ao total, serão mais de R$ 300 milhões investidos em melhorias. Desse valor, cerca de US$ 115 milhões são do banco internacional, com contrapartida da metade do GDF, mais R$ 72,9 milhões — sendo R$ 58 milhões do PAC e R$ 14,9 milhões do governo local.   
BSB, 5/5- Os passageiros que embarcam e desembarcam no Aeroporto Internacional de Brasília estão tendo a oportunidade de conhecer um dos mais importantes empreendimentos da Terracap – o Setor Noroeste. No saguão do aeroporto está montada a exposição itinerante "Noroeste-Burle Marx: o primeiro bairro ecológico do Brasil". O destaque é a maquete do novo setor. A exposição faz parte da estratégia montada pela Terracap para ampliar a divulgação do Noroeste e mostrar os benefícios que as cidades podem ganhar com a adoção de tecnologia limpas. Antes de ser instalada no aeroporto, a exposição esteve no Teatro Nacional (Fashion Week), no Parque Shopping (Park Fashion), na churrascaria Porção e no estande da Terracap na Esplanada dos Ministérios, durante a festa dos 49 anos de Brasília. A exposição permanece no aeroporto por mais uma semana.   
BSB, 3/5- Nos próximos anos, o crescimento urbano do Distrito Federal será direcionado para o sul do território. Mais especificamente para uma região já tomada por condomínios irregulares, mas que ainda guarda extensos terrenos planos e vazios. A área às margens da DF-140, entre o Jardim Botânico e Santa Maria, começa a se tornar o novo alvo do mercado imobiliário. O Plano Diretor de Ordenamento Territorial (Pdot) — sancionado no último sábado — transformou a região inteira em zona urbana. Com isso, os condomínios já existentes poderão ser regularizados e as áreas vagas darão lugar a parcelamentos de luxo. A região é privilegiada do ponto de vista da proximidade com a natureza. A poucos quilômetros, está a Cachoeira do Tororó, uma queda d’água de 25m. Apesar de ficar um pouco distante do centro da cidade — a quase 30km da Esplanada dos Ministérios — a área da DF-140 começa a ser procurada por brasilienses de classe média que querem fugir dos problemas típicos de grandes metrópoles que atingem a capital federal, como o trânsito complicado e a falta de segurança. Grandes empresas do DF e de outros estados têm terrenos na região e já apresentaram ao governo projetos de parcelamento urbano para ocupar a área. Entre as construtoras locais, a JC Gontijo lançou, em parceria com uma empreiteira de Minas Gerais, o Condomínio Santa Mônica — um dos únicos já regularizados da região. Outra gigante que vai investir é a Alphaville Urbanismo, empresa paulista consagrada pela construção de parcelamentos fechados e de luxo. A empreendedora tem um extenso lote às margens da DF-140 e já encaminhou o projeto de ocupação ao GDF. Os processos estão sendo analisados por técnicos do governo e todos os empreendimentos têm perfil semelhante: são voltados às classes média e alta, oferecem casas de luxo em terrenos amplos e muito contato com a natureza. Outro destaque que atrai empresas é que as propriedades da região são privadas.   
BSB, 1/5- No dia 6 de maio, os empresários da construção civil têm a oportunidade de participar do curso Gestão do Sistema de Qualidade: do Estratégico ao Operacional. O objetivo da capacitação é que os empresários tenham condições de melhorar continuamente a Gestão do Sistema da Qualidade, com uma visão sistêmica e prática dos requisitos normativos do PBQP-SIAC e ISSO 9001:2008, com foco na busca de melhores resultados organizacionais. O curso será promovido pelo Sindicato das Indústrias da Construção Civil (Sinduscon-DF), no auditório Arino Oton de Lima, com início às 8h. Informações e inscrições pelo telefone 3234-8310, ramais 207 e 220.   
BSB, 1/5- No dia 15 de maio deste ano, serão eleitos integrantes da Diretoria, do Conselho Fiscal e Delegação Federativa para o período de 1º de junho de 2009 a 31 de maio de 2011. A votação poderá ser feita das 8h às 18h, no Sinduscon-DF. Os representantes de todas as 327 empresas associadas ao sindicato são convidados a votar.   
BSB, 1/5- Decreto publicado ontem no Diário Oficial da União determina que o governo local retome todos os processos ambientais relacionados à APA. Agora, a Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente (Seduma) vai discutir a transferência dos processos com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), antigo responsável pela APA. A expectativa do GDF é de que a medida acelere a regularização de condomínios irregulares. Isso porque o Grupo de Análise de Parcelamentos (Grupar) realiza de forma conjunta o licenciamento ambiental e a análise dos projetos urbanísticos. No Ibama, tramitam hoje processos de grandes regiões como Vicente Pires e o Grande Colorado. Juntas, essas duas áreas têm quase 100 mil moradores. O decreto publicado ontem encerra uma polêmica que se arrasta desde 2002, quando a APA do Planalto Central foi criada. Na época, o governo federal estava preocupado com o total descontrole sobre as ocupações urbanas no Distrito Federal. Condomínios irregulares surgiram sem nenhum tipo de licenciamento ou autorização do poder público. De acordo com o texto do decreto de FHC, a APA foi criada “com a finalidade de proteger os mananciais, regular a utilização dos recursos hídricos e o parcelamento do solo, garantindo o uso racional dos recursos naturais e protegendo o patrimônio ambiental e cultural da região”. Desde a criação da APA do Planalto Central, o GDF luta para retomar o controle sobre os licenciamentos na região. Um mês depois de assumir o Executivo, Arruda enviou uma minuta de decreto ao presidente Lula, propondo a transferência do controle da Área de Preservação Ambiental. O governador travou batalhas — algumas públicas, outras de bastidores — contra o Ibama e reclamou muito da lentidão na emissão de licenças ambientais. O principal argumento usado pelo GDF para retomar o poder de licenciar é que a época de invasões e ocupações irregulares de terras ficou no passado.   
BSB, 29/4- Com a finalidade de padronizar os estabelecimentos localizados no comércio local da Asa Sul, o Governo do Distrito Federal (GDF) publicou o decreto que regulamenta a Lei nº 766/08, que trata da ocupação da área pública na região. O Decreto nº 30.254/09 estipula metragem máxima para ampliação da loja, definida em seis metros lineares, além de fixar o valor do metro quadrado, cuja taxa anual varia de R$ 2.380,37 a R$ 22.005,77. O governo tenta enfrentar um dos principais problemas ocorridos hoje no Plano Piloto, sobretudo na Asa Sul. A falta de espaço para atender a demanda cada vez maior leva, muitas vezes, os comerciantes a ocuparem áreas irregulares, construindo de forma desorganizada. O Decreto pretende resolver essa situação. Para isso, o documento também prevê que um único projeto arquitetônico seja apresentado para todas as lojas de cada bloco comercial. Um dos grandes desafios a serem enfrentados será conseguir o consenso entre os comerciantes para se chegar a um projeto padrão. Mesmo porque a administração apenas vai avaliar as propostas que contemplem as adequações da quadra inteira. De acordo com o desembargador Valter Xavier, presidente do Instituto dos Magistrados do Distrito Federal (IMAG-DF), o consenso é sempre difícil, mas deve ser buscado sempre. Partindo do pressuposto que a lei foi objeto de prévio estudo por parte dos órgãos competententes, ele afirma que deve-se acreditar que o decreto pode surtir efeito positivo.   
BSB, 28/4- A sanção do Plano Diretor de Ordenamento Territorial e os 56 vetos do governador José Roberto Arruda ao projeto vão abrir caminho para a criação de um novo bairro próximo a Sobradinho, perto do Grande Colorado. A área de 800 hectares às margens da DF-425 está no centro de uma polêmica que envolve moradores da região, parlamentares e representantes do governo. O Pdot previa originalmente transformar a região rural em uma zona urbana. Mas uma emenda apresentada pelo deputado distrital Raad Massouh determinou que o espaço continuasse vazio, como uma área rural. Agora, o governador vetou a emenda, o que autoriza a ocupação do imóvel com prédios comerciais e residenciais, escolas e equipamentos públicos. O terreno vago faz parte da antiga fazenda Paranoazinho. Grande parte da propriedade rural foi parcelada irregularmente ao longo das últimas décadas. Hoje, são 56 condomínios de baixa, média e alta renda, onde vivem 38 mil pessoas. Mas uma área equivalente a 800 campos de futebol permaneceu intacta, mesmo com a onda de invasões e especulação imobiliária. Os herdeiros da fazenda se uniram a um grupo empresarial — a construtora paulista Birmann — e criaram a Urbanizadora Paranoazinho S.A. O objetivo era regularizar os parcelamentos ocupados irregularmente e fazer projetos imobiliários para a área vazia. Mas o grupo foi surpreendido pela aprovação da emenda na Câmara Legislativa. Na época, o distrital argumentou que o adensamento urbano da região traria impactos ambientais e transtornos para a comunidade. O governo decidiu vetar o artigo que mantinha a região como rural por critérios técnicos, de acordo com o diretor técnico da Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap), Luís Antônio Reis. Ele explica que a área vazia faz parte de um enorme aglomerado urbano consolidado e não há possibilidade de manter a classificação do espaço como rural.   
BSB, 28/4- O Residencial Innovatore traz muito requinte. Localizado na Asa Norte e com apartamentos de quatro quartos, o empreendimento promete atrair os clientes mais exigentes. A fachada do edifício em granito, cerâmica e vidro verde laminado não-reflexivo destaca o prédio dos demais localizados na mesma quadra. O empreendimento conta ainda com central de gás, elevadores inteligentes com interfone conectado à portaria, iluminação de emergência das escadas, salão de festas, espaço para fitness Reebok equipado, sauna equipada, piscina adulto e infantil com deck montado, terraço descoberto com móveis, ofurô, sala de descanso, churrasqueira e cozinha gourmet. Os apartamentos são vazados e contam com bancadas nos banheiros em mármore e bancada na cozinha em granito. O banheiro da suíte máster conta com duas cubas. O piso das salas, banheiros e lavabo é todo em mármore. Os quartos são revestidos por porcelanato e a cozinha e área de serviço em granito. A dependência de empregada é espaçosa e revestida em cerâmica. Para dar ainda mais charme, a banheira de hidromassagem em todos apartamentos é separada do box e a cozinha separada da área de serviço. A comodidade fica por conta da proximidade do prédio a supermercados, escolas particulares, comércio variado e bancos. De acesso fácil aos pontos mais importantes e movimentados da capital, o empreendimento já é sucesso. O residencial oferece apartamentos de canto com 186,70 m2 ou 192,70 m2. Os de meio tem 169,00 m2 e 173,00 m2. O empreendimento conta ainda com coberturas individuais duplex de canto com 378 m2 e coberturas individuais duplex de meio com 339,40 m2. A entrega está programada para dezembro deste ano. A construção ficou por conta da Vagon Engenharia. Vendas: Lopes Royal Empreendimentos Imobiliários: Fone: 3326-2233   
BSB, 28/4- A Paulo Baeta Empreendimentos Imobiliários lançou o Residencial VIASOL. O condomínio inaugura um novo estilo de morar bem e em completa harmonia com a natureza. Tudo planejado cuidadosamente para que você viva com a paz, a tranquilidade e a segurança que sempre quis. O VIASOL representa o que há de mais moderno em condomínio horizontal residencial. São apenas sete unidades exclusivas projetadas para atender todas as necessidades do mundo moderno. O empreendimento tem a praticidade das tecnologias de ponta em arquitetura e urbanismo aliadas ao conceito sustentável que permite a utilização consciente dos recursos naturais tão necessários para o equilíbrio ambiental. No VIASOL cada unidade tem sua privacidade garantida pelo moderno projeto, que permite a utilização total do espaço sem que uma unidade interfira na outra. Se você quer privacidade, no VIASOL você encontra. O empreendimento conta com varandas, deck, espaço gourmet, salão de estar, sala de jantar, mezanino, escritório nas unidades A, C e G, suíte master, área de serviço, dependências de empregada e garagem. São 35.000 m2 de área verde com 2.000 m2 de espaço privativo por unidade, além de bosques e alamedas para utilização conjunta. Vendas na Paulo Baeta Empreendimentos Imobiliários e AS Incorporadora: Fone: 3322-5555.   
BSB, 26/4- O governador José Roberto Arruda sancionou neste sábado (25/04) a lei que instituí um novo Plano Diretor de Ordenamento Territorial (Pdot) para o Distrito Federal. A cerimônia de sanção ocorreu no Ginásio Nilson Nelson. Das 152 emendas acrescidas pela Câmara Legislativa à proposta original, o governador vetou 56. Os vetos foram principalmente às alterações pontuais de gabarito feitas pelos distritais. Permanece no projeto um ponto polêmico e que havia sido questionado pelo Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT): a criação de um setor habitacional na área da Novacap, como parte de projeto de urbanização da Estrada Parque Indústria e Abastecimento (Epia), segundo o governo. A criação do setor habitacional Catetinho também foi mantida, mas Arruda destacou que esta só acontecerá após obtenção de licenciamento ambiental. Várias áreas rurais foram convertidas em urbanas, para construção de 150 mil moradias. .   
BSB, 24/4- A Câmara Legislativa aprovou nesta quinta-feira (23), em segundo turno e redação final, o projeto de lei nº 814/2008, que cria a Região Administrativa de Vicente Pires. O projeto, de autoria do Executivo, tem como objetivo promover a descentralização administrativa e a utilização racional de recursos para o desenvolvimento socioeconômico da cidade, de acordo com a justificativa enviada pelo Governo. Dezenas de moradores de Vicente Pires acompanharam a votação da matéria das Galerias da Câmara Legislativa e festejaram a aprovação. Após a sanção do governador, Vicente Pires passará a ser a trigésima região administrativa do Distrito Federal. O projeto agora segue para sanção ou veto do governador.   
BSB, 23/4- A partir deste ano, Brasília contará com um empreendimento projetado para atender às necessidades de empresários e futuros empreendedores de forma diferenciada, além de atender a uma necessidade urgente dos brasilienses por estacionamentos. Trata-se do Parque Cidade Corporate, concebido pela MB Engenharia / Empresa Brascan, que possui três torres e uma infraestrutura completa para receber diversos tipos de eventos. Localizado em uma área privilegiada da capital federal - próximo ao setor de hotéis, ao Centro de Convenções Ulysses Guimarães e a órgãos governamentais -, o empreendimento disponibiliza estacionamento subterrâneo para atender a grande demanda de veículos que circulam pela região. Cada andar, com cerca de dois mil metros quadrados, poderão ser divididos em até cinco conjuntos, com áreas de 210 metros quadrados a 545 metros quadrados, o que oferece mais flexibilidade de uso do espaço aos locatários. O Parque Cidade foi concebido para receber reuniões de grande porte, apresentações e palestras, encontros profissionais mais reservados, entre outros acontecimentos. Além disso, oferece auditório, três salas de reuniões, dois camarins, copa e banheiros. A MB também se preocupou em disponibilizar um sistema de automação e supervisão predial moderno, que garante a segurança de quem vai circular pelos prédios e permite o controle dos equipamentos e das instalações de todo o empreendimento. O Parque Cidade também se destaca pela praticidade. Para carga e descarga de mercadorias, os distribuidores terão uma área de doca e elevadores exclusivos. O empreendimento ainda possui passagens comuns para as três torres e quatro acessos independentes aos sete subsolos para os veículos. Ao todo, serão 18 elevadores, que ligarão os subsolos ao térreo, e 24 elevadores, três de serviço e 21 sociais, que farão a conexão entre o pavimento térreo e os pavimentos superiores.   
BSB, 21/4- A construção sustentável e o respeito ao meio ambiente estarão entre os temas I Jornada Brasileira sobre Mudanças Climáticas e Consumo Sustentável. A jornada, que será realizada em Brasília de 18 a 20 de maio, é promovida pelo ICLEI – Governos Locais pela Sustentabilidade e tratará também sobre as políticas públicas e suas relações com as mudanças climáticas e o consumo consciente. A jornada incluirá a realização do encontro Políticas Públicas pelo Clima: Rumo a Copenhague (dia 18/5) e do seminário internacional Construções Sustentáveis para uma Nova Economia (19/5), além de oficinas temáticas (20/5). O encontro sobre políticas públicas e clima tratará das principais questões relacionadas ao aquecimento global, enfatizando o papel de estados e municípios na mitigação dos efeitos das mudanças climáticas. No evento, serão discutidos os casos de políticas públicas locais pela diminuição das emissões de gases causadores do efeito estufa (GEE), seus resultados e metas, bem como as opções para o apoio dos governos estaduais e municipais aos compromissos de redução do país a partir de 2012. Segundo a diretora do ICLEI, Laura Valente, essa primeira parte da jornada deverá reunir representantes de governos de oito estados e de 50 municípios brasileiros que já participam das discussões do ICLEI. O segundo dia da jornada será para a realização do seminário internacional Construções Sustentáveis para uma Nova Economia. Destinado à cadeia produtiva do o setor de construção civil, o seminário servirá para discussões de relacionadas às construções sustentáveis. O seminário ajudará na disseminação de conceitos e práticas para eficiência energética, uso de fontes renováveis e outras medidas de redução de emissões de gases de efeito estufa no setor As inscrições estão abertas e podem ser feitas gratuitamente pelo site www.iclei.org , pelo telefone (11) 5082 2793 ou pelo e-mail inscricoes_jornada@iclei.orgde construção civil na América do Sul.   
BSB, 20/4- Até o início de maio, a Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap) vai lançar o edital de licitação das primeiras 25 fazendas. Os contratos de arrendamento das terras, assinados desde a inauguração de Brasília, estão vencidos e os produtores rurais não conseguem obter financiamento bancário por causa da falta de documentação. Depois de um acordo com o Ministério Público e o Tribunal de Contas do DF, o governo optou por fazer a licitação com direito de preferência para os atuais ocupantes. Eles firmarão contrato com a Companhia Imobiliária e terão a concessão do direito de uso das terras por 30 anos, renováveis por igual período. Com esse título em mãos, os produtores já poderão pedir empréstimos bancários, dando a propriedade como garantia. No ano passado, a Terracap chegou a publicar o edital de concorrência pública dessas áreas, mas o documento foi questionado por promotores e conselheiros do Tribunal de Contas e, logo em seguida, suspenso por decisão do próprio GDF. O grande empecilho à licitação era a transmissão intervivos. Os produtores exigiam o direito de poder negociar as terras e vendê-las, mas o Ministério Público e o TCDF não aceitavam essa cláusula. Agora, o edital proibirá a transferência enquanto o cessionário for vivo. As propriedades só poderão ficar como herança para a família em caso de morte. Os produtores questionaram muito esse ponto, já que reivindicavam o direito de ter total liberdade sobre o imóvel rural. Mas eles acabaram cedendo e aceitaram a nova determinação, que vale já para o primeiro edital. Os ocupantes de terras rurais, entretanto, foram beneficiados por uma decisão do governo, que aceitou reduzir a taxa paga anualmente O valor foi considerado alto pelos produtores. Atualmente, eles pagam cerca de R$ 12 por cada hectare ocupado. Agora, com a avaliação da terra nua realizada pela Terracap, a expectativa do setor rural é de que esse valor fique em torno de R$ 18.   
BSB, 19/4- Em um terreno de 6.600m2, as duas torres do Residencial Art Life Bem-Ti-Vi contam com 152 apartamentos, todos vazados e de canto, com vista livre para a praça e próximos ao metrô, Parque Águas Claras, Shopping Águas Claras e campi da Uniplam e do Unieuro. Além de fácil acesso para o Pistão Sul e EPTG. Cada morador terá direito a de duas a três vagas e cada uma delas conta com escaninhos privativos. As varandas gourmet contam com churrasqueiras e forno de pizza. Além disso, cada morador terá à disposição SPA, pomar, fitness, sauna descanso, piscinas adulto, aquecida e coberta com raia de 25m e infantil e mais 24 itens de lazer. Uma verdadeira ilha de tranquilidade rodeada de muita facilidade e segurança. O empreendimento é da João Fortes Engenharia e as vendas exclusivas da Lopes Royal.   
BSB, 19/4- O empreendimento Bella Fiore Residence, da 3L Engenharia, é um quatro quartos com fachada 100% revestida em cerâmica, esquadrias em alumínio anodizado natural e guarda-corpo em vidro em algumas varandas. Situado em Águas Claras, está em uma quadra destinada exclusivamente a edifícios residenciais, com todo o conforto de estar próximo a shoppings, supermercados, faculdades, metrô, restaurantes, academias e um parque ecológico. Em um condomínio fechado, o empreendimento conta com paisagismo implantado, estacionamento para visitantes, vagas de garagem autônomas, preparação para hidrômetros individuais, iluminação de emergência para a escadaria do prédio. O lazer dos moradores está garantido no Bella Fiore Residence. Entre os atrativos estão uma praça de palmeiras, playground, salão de festas teen, espaço gourmet, sala de massagens, churrasqueiras, entre outros atrativos. Vendas: Lopes Royal.   
BSB, 17/4- Representantes da cooperativas que ficaram de fora da lista para ganhar um terreno do governo querem se reunir, na manhã desta sexta-feira (17/4), com o secretário de Habitação do DF, Paulo Roriz. O movimento vai pedir a abertura de um novo edital de credenciamento, com prazo terminativo de 30 dias, para dar às famílias cadastradas nas mais de 440 entidades desabilitadas última oportunidade, segundo Leo Rezende, da Coalizão pela Moradia Popular. Além do prazo, eles querem pedir a Paulo Roriz um edital único de chamamento para as áreas disponibilizadas pelo GDF. Outra proposta a ser apresentada é que cada entidade possa concorrer a três empreendimentos distintos. Caso seja contemplado em mais de uma, faça uma única opção. No entanto, a secretaria de Habitação informou que ainda não recebeu nenhum requerimento formal de reunião com o secretário. A lista oficial das cooperativas habilitadas a concorrer a lotes dos programas de moradia do GDF foi publicada ontem pelo Correio e pelo Diário Oficial do Distrito Federal (DODF). Das 634 que se inscreveram, apenas 241 atenderam todas as exigências legais. As entidades que tiveram o pedido recusado poderão tentar reverter a situação. Os representantes devem se apresentar no Setor Comercial Sul (SCS), Quadra 6, lote A, primeiro andar, entre as 8h e as 18h. O atendimento é por senha entregue pela ordem de chegada. O resultado do processo só sai daqui a 40 dias. Serão 10 dias para a apresentação do recurso e mais 30 para a análise do mesmo.   
BSB, 16/4- O Instituto Brasília Ambiental (Ibram) suspendeu a licença do novo setor habitacional Mangueiral, cujas obras foram lançadas há cerca de vinte dias. O Ibram teria seguido uma recomendação do Ministério Público Federal. A situação deve ser logo contornada, porque é uma questão de ajuste técnico. Mas vai atrasar o calendário de obras, que já eram para estar a todo vapor.   
BSB, 16/4- Os deputados distritais aprovaram em primeiro turno o projeto de regularização dos terrenos ocupados por entidades religiosas. Foram 16 votos a favor e um contra. Sete deputados estavam ausentes. A votação em segundo turno está marcada para esta quinta-feira. O GDF, autor do projeto, conseguiu impedir a apresentação de emendas. Apesar da chiadeira de alguns parlamentares, o texto acabou aprovado conforme o original. Uma forma de evitar que se repetisse o episódio da primeira tentativa de aprovar o projeto, no ano passado. A votação acabou anulada devido a irregularidades na emendas. O governo teve de fazer uma nova versão do projeto. O deputado Reguffe manteve a posição. Votou contra novamente. A lei aprovada permitirá o uso institucional e religioso dos terrenos dando à Terracap permissão para vender as áreas por licitação ou transferi-las por meio de direito real de uso. Quem já ocupar o local terá direito de preferência e poderá comprar os terrenos por um preço até 80% abaixo do valor do mercado.   
BSB, 15/4- Nesta quarta-feira (15), a Secretaria de Habitação (Sehab), por meio da Companhia de Desenvolvimento Habitacional do DF (Codhab-DF), entregou 541 lotes em Samambaia a candidatos com mais de trinta anos de Brasília que foram convocados em 16 de maio de 2008. Na época foram chamadas 1.700 pessoas, das quais cerca de 800 se habilitaram, sendo que 541 estão com os processos em ordem. Os demais candidatos ainda devem cumprir exigências ou estão com os documentos sendo analisados. A solenidade será na praça localizada na QR 1.031, Conjunto 07 (Samambaia Norte), e terá a presença do governador Arruda. Os lotes preparados para serem entregues localizam-se nas quadras 1.029, 1.031 e 1.033 de Samambaia e medem 7,5x15m2, com área total de 113m2. Os beneficiários, todos com mais de 30 anos de residência no DF, já que esse foi o principal critério de convocação (além da pontuação), devem comparecer munidos de Carteira de Identidade e CPF. A entrega dos terrenos é uma etapa do programa habitacional implementado pelo GDF com o propósito de garantir moradia às pessoas que estão inscritas há muitos anos, mas que nunca foram contempladas. Ainda na quarta, a Sehab entregou 906 escrituras a moradores do Riacho Fundo (95), Samambaia (332) e Recanto das Emas (479), durante evento na praça central da QR 215, também em Samambaia. Na oportunidade, os presentes puderam esclarecer suas dúvidas relacionadas a moradia na Tenda da Habitação, que estará montada no local. A equipe da Tenda , formada por técnicos da Sehab, se instala a cada sábado em uma cidade do DF para atender a população.   
BSB, 15/4- O governador José Roberto Arruda assinou nesta terça-feira (14) ordens de serviço que irão estimular o crescimento habitacional do Distrito Federal. De acordo com os documentos, 30 associações e cooperativas ligadas à moradia serão beneficiadas com 60 projeções. Com isso, 1,6 mil pessoas serão agraciadas com a casa própria em Samambaia. “Quando abrimos os editais, 768 cooperativas se inscreveram. Destas, muitas são realmente organizadas e legalizadas. Porém, outras não”, contou Arruda. Coube a Secretaria de Habitação fazer o trabalho de verificar quais podiam conduzir as obras. “Após esta peneira, concluímos que apenas 241 estavam habilitadas”, afirmou. De acordo com o governador, as obras devem durar de oito a 12 meses. Para Arruda, são inúmeras as vantagens da parceria com as cooperativas e associações. “Aqueles que forem beneficiados são pessoas que além de não terem a casa própria, não possuem condições para comprar uma moradia de acordo com os preços do mercado imobiliário. Além disso, com todos os projetos e construções, novos empregos serão gerados”, garantiu. O governador ainda relembrou os tempos em que era secretário de Obras do DF e como a experiência com as cooperativas foi positiva. “Quando trabalhamos em Águas Claras, fizemos a mesma coisa com as cooperativas. Acredito neste movimento”, assegurou. Segundo o secretário de Habitação, Paulo Roriz, a assinatura das ordens de serviço é início de uma parceria entre o GDF, as cooperativas e as associações. “Agradecemos a todas as cooperativas habitacionais do DF. Esta política habitacional não iria para frente sem o apoio delas”, certificou. O secretário aproveitou para ressaltar que quem foi contemplado agora, não será agraciado novamente.   
BSB, 12/4- Com uma queda de 1,26% em relação ao mês de fevereiro, o custo unitário básico (CUB) no Distrito Federal atingiu o menor valor dos últimos 12 meses: R$ 749,90. Segundo Frederico Guelber, presidente da Comissão de Economia e Estatística do Sinduscon-DF, o valor deverá cair ainda mais nos próximos meses por causa da redução do IPI de alguns dos materiais de construção. Dos 25 materiais que compõem o CUB, nove também estão na lista dos 41 produtos que tiveram redução anunciada pelo governo no fim de março. Dos 25 materiais pesquisados para calcular o custo unitário básico, 18 apresentaram redução de preços e sete registraram elevação.   
BSB, 12/4- A SolTec Engenharia e a Cygnus Imóveis levam para o Guará II seu mais recente lançamento, o Dolce Vitta. Fica localizado na Avenida do Contorno, a apenas 700 metros do metrô, com infraestrutura de comércio e serviços consolidada. O clima pacato da cidade torna a região um excelente lugar para se viver e morar. O empreendimento possui quatro torres onde estão distribuídas 568 unidades de dois quartos que variam de 58m2 a 63m2, e de três quartos que vão de 82m2 a 142m2. Além da segurança de viver em um condomínio fechado, os moradores contam com mais de 20 opções de lazer para todas as idades que vão da churrasqueira com forno de pizza, brinquedoteca, piscinas adulto e infantil até radical skate, entre outros. As condições de pagamento são especiais e os preços estão com desconto de 5% para os primeiros clientes que visitarem o estande de vendas montado no local.   
BSB, 12/4- Águas Claras ganha um empreendimento diferenciado, cosmopolita e contemporâneo, o Metrópole Shopping & Residência. Projetado pela Multicon e comercializado pela Cygnus Imóveis, o edifício é um espaço destinado a moradia, compras e lazer. Localizado no centro da cidade, na Avenida Araucárias, o empreendimento tem 96 apartamentos de um e dois quartos, dois pisos com 81 lojas, 13 quiosques e duas praças de alimentação. Além dos pavimentos de shopping com opções para compras e entretenimento independentes, o Metrópole traz para os futuros moradores uma diversificada área de lazer privativa completamente equipada, com piscina infantil, piscina com raia, academia de ginástica, pista de cooper, salão de jogos, espaço gourmet, salão de festas, churrasqueiras e playground.   
BSB, 10/4- Começa na segunda-feira (13/04) em Planaltina o cadastramento do Cheque-Moradia para os moradores da Vila Buritis (II, III e IV). Segundo informações da Secretaria de Desenvolvimento Social e Transferência de Renda (Sedest), o cadastramento vai até o dia 24 e será realizado no Centro de Referência de Assistência Social (Cras). As famílias interessadas devem comparecer ao Cras e apresentar carteira de identidade, CPF, comprovante de estado civil, cópia da última conta de luz ou de água, comprovantes de renda familiar e de propriedade do imóvel, certidão de nascimento dos filhos, comprovante de matrícula das crianças em idade escolar e comprovante de vacina das crianças em idade de 0 a 6 anos. Após o cadastro, técnicos visitam a casa da família interessada para verificar a necessidade da obra. Em seguida, orçamentos são apresentados para que o valor do Cheque possa ser avaliado. O Cheque-Moradia será emitido, de preferência, no nome da mulher (mãe, esposa, companheira). A família terá então 90 dias para comprar o material solicitado para a reforma. A mão-de-obra fica por conta da família beneficiada.   
BSB, 10/4- Nesta quinta-feira (9/4) mais 10 empresas foram beneficiadas pelo Pró DF II. Os empresários receberam terrenos a preços subsidiados para montar os empreendimentos. Em contrapartida aos terrenos recebidos, as empresas se comprometeram a investir R$1,9 milhões e gerar 67 empregos diretos.Os contratos foram assinados pela Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap) e a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo (Sdet). Os empreendimentos serão instalados em Santa Maria, Samambaia, Recanto das Emas, Águas Claras e Ceilândia. As empresas atuam nas áreas de comércio de alimentos, construção civil, confecções, tecnologia e informática.   
BSB, 10/4- A revista Isto É Dinheiro acaba de publicar uma edição especial, que traz a seleção de 50 histórias de organizações empresariais que buscam agregar ao seu negócio ações de responsabilidade social. A Emplavi foi contemplada pelo veículo com o projeto Emplavi Social, no qual a empresa usa toda a sua experiência no ramo de construção civil para dar conforto e infra-estrutura para instituições voltadas para atender a crianças e idosos. A construtora apenas atende instituições que sejam indicadas pelos funcionários da empresa e clientes (pessoa física ou jurídica que tenha adquirido um imóvel da Emplavi). O projeto consiste em reformar a estrutura da instituição ou até mesmo realizar a construção de outra. Não há limites de indicação. Um comitê técnico de avaliação, formado pela Diretoria Executiva e Gerência de Engenharia, fará uma pré-seleção. Esse grupo de profissionais verifica se a documentação para o pleno funcionamento da instituição está em dia, além da urgência e importância da reforma ou construção. Após essa fase, as instituições pré-selecionadas recebem a visita do comitê. No fim do ano passado, a Emplavi Social reformou a creche Ponto de Luz, de Santa Maria, e beneficiou 64 crianças carentes. De acordo com Daniela Santos, com o recurso investido foi possível reformar os equipamentos, fazer a cobertura e pintura do parquinho da creche. Os próprios profissionais da área de engenharia da construtora cuidaram da obra. Em março deste ano, a constutora revitalizou a fachada do Centro de Ensino Fundamental 07 de Brasília, localizado na 912 Norte. O projeto continua. Outras instituições já estão inscritas e o departamento de Marketing da Emplavi continua a avaliar cada uma delas. As entidades que tiverem maior necessidade de atendimento serão beneficiadas.   
BSB, 9/4- O governo do Distrito Federal (GDF) e o Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT) ainda não conseguiram chegar a um consenso sobre o Plano Diretor de Ordenamento Territorial (Pdot), redigido na forma de proposta de lei complementar do Executivo e aprovado em fevereiro deste ano pela Câmara Legislativa com 152 emendas. Em reunião nesta terça-feira (7/04), representantes do governo comprometeram-se a enviar aos deputados mapas com escala de 1:25000, acompanhados de memoriais descritivos das áreas geográficas – uma das exigências do MP, já que o projeto que os distritais votaram não continha demarcação com coordenadas geográficas das poligonais, apenas figuras ilustrativas das áreas – mas ainda há uma extensa lista de divergências entre o governo local e o Ministério Público do DF. Já houve duas reuniões entre representantes do governo e MP e um novo encontro está previsto para esta segunda-feira (15/04). Um dos pontos que dificuldam um acordo é a criação do Setor Catetinho – um dos trunfos da política habitacional do GDF, mas que está encravado em Áreas de Proteção de Mananciais (APMs). Além dessas questões, o MP questiona ainda o fato de as emendas parlamentares feitas ao projeto de lei do Pdot terem alterado em excesso a proposta - o que exigiria novas discussões com a comunidade sobre o plano - e vício de iniciativa na grande maioria delas, com distritais legislando sobre assuntos de competência exclusiva do executivo. O MPDFT recomendou veto a 71 itens do projeto, enfatizando que há irregularidades na proposta que ensejariam a sua invalidação definitiva. Uma recomendação de veto foi encaminhada ao governador do DF, José Roberto Arruda no último dia 24 de março, antes mesmo de o governador receber o substitutivo aprovado pelos distritais.   
BSB, 8/4- Os comerciantes da Asa Sul têm até 6 de abril do próximo ano para regularizar e padronizar as invasões de áreas públicas. O governo publicou no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) um decreto regulamentando a Lei nº 766/08, que trata do uso e da ocupação da área pública no comércio local da Asa Sul. O documento (Decreto nº 30.254/09) limita em seis metros lineares a ampliação máxima permitida aos fundos do estabelecimento. E também fixa o valor do metro quadrado. A taxa anual varia de R$ 2.380,37 a R$ 22.005,77 (veja tabela). O preço leva em conta a valorização da quadra, a base de cálculo do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) e a metragem ocupada. Para garantir a padronização dos puxadinhos, o governo exige que seja apresentado um projeto arquitetônico único para todas as lojas de cada bloco comercial. Com isso, só serão analisadas pela Administração Regional de Brasília as propostas que contemplem as adequações para a quadra inteira. Essa exigência preocupa os representantes do setor. Eles preveem dificuldade em conseguir consenso entre os comerciantes. A taxa de ocupação da área pública poderá ser paga de uma única vez ou parcelada em seis prestações. Os blocos que quiserem padronizar a calçada frontal tornando-a acessível aos idosos, às pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida e aos deficientes visuais terão um incentivo a mais. Não pagarão a taxa de ocupação da área pública durante um ano. Para isso, deverão executar a obra conforme as regras especificadas no decreto e concluir a construção em até 120 dias após a assinatura do contrato de concessão de uso.   
BSB, 8/4- A Comissão de Economia, Orçamento e Finanças (CEOF) da Câmara Legislativa promoveu na tarde desta sexta-feira (3) uma audiência pública para debater o projeto de lei nº 1.102/2008, que cria a política habitacional do DF, beneficiando as pessoas que nasceram em Brasília. A atividade foi presidida pelo presidente da CEOF, deputado Cristiano Araújo (PTB), e contou com a presença do senador Gim Argello (PTB-DF), que elogiou a proposta em discussão. O PL 1.102/08 é o primeiro projeto de iniciativa popular em tramitação na Câmara. O Instituto Geração Brasília foi quem colheu cerca de 27 mil assinaturas de eleitores do DF para a apresentação do projeto. Os debates foram acompanhados por dezenas de pessoas que lotaram as galerias e o Plenário da Casa. Todos estavam vestidos com camisetas amarelas defendendo o direito à moradia para quem nasceu na cidade. De acordo com o projeto, serão beneficiadas as pessoas nascidas e registradas no DF. Os contemplados serão divididos em duas categorias: aqueles com renda até cinco salários mínimos e outro grupo com renda entre cinco e quinze salários mínimos. Pela proposta, nas áreas já disponíveis e existentes para os programas habitacionais elaborados pelo GDF, visando atender pessoas de baixa renda, será destinado um percentual minimo de 50% para os brasilienses natos. Nas áreas com fins econômicos, o percentual destinado será de 10%, sendo permitido o comprometimento de 20% da renda dos beneficiados.   
BSB, 8/4- No próximo sábado (11), a Secretaria de Habitação (Sehab), por meio da Companhia de Desenvolvimento Habitacional do DF (Codhab-DF), entregará 388 lotes em Planaltina a professores, bombeiros e policiais militares. Os contemplados foram convocados em maio de 2008, mas aguardavam a regularização da área que integra a expansão de Planaltina. Dos 388 lotes, 155 serão entregues a professores, 193 a policiais e 40 a bombeiros. O sorteio dos endereços será realizado durante solenidade às 10 horas, na Avenida Independência (entre a Vila de Fátima e o Setor Norte). O critério utilizado para a seleção, no caso dos militares, além da pontuação, foi trabalhar em Planaltina, em primeiro lugar. Depois, foram chamados aqueles que no cadastro optaram por receber lote naquela localidade. Quanto aos professores, foram chamados tanto os que trabalham quanto os que optaram por morar lá. A criação de novas áreas em Planaltina tem o objetivo de aumentar a oferta de lotes residenciais que atendam ao Programa Habitacional do governo. A ampliação da oferta de moradias em áreas urbanas consolidadas vão otimizar os serviços de infra-estrutura já existentes.   
BSB, 7/4- Ação Imobiliária e Dall’Oca Imóveis fecharam no dia 30 de março passado uma parceria para aumentar suas vendas e ampliar o leque de atuação tanto no mercado de imóveis novos como no de terceiros, também chamados de usados. A parceria já nasce com um potencial de 170 milhões de reais em imóveis semi-novos disponíveis para venda. O objetivo desta parceria é unir as expertises e tradições dessas duas renomadas empresas do mercado imobiliário local, para formar um novo conceito em compra e venda de imóveis em Brasília e em outras cidades. O acordo foi assinado pelos seus diretores executivos Tarik Faraj e Daniel Dall’Oca sob o acompanhamento de seus diretores gerais João do Carmo Vieira Neto e Esmeraldo Dall’Oca.   
BSB, 5/4- Moradores de condomínios irregulares instalados na antiga Fazenda Paranoazinho, em Sobradinho, assinaram ontem um Termo de Ajustamento de Conduta com representantes do GDF e da empresa Birmann, que detém os direitos hereditários sobre as terras. Pelo acordo, o governo local vai acompanhar o processo de regularização dos 84 parcelamentos que existem na área. Assinaram o TAC o gerente de Regularização de Condomínios do GDF, Paulo Serejo, a presidente da União dos Condomínios Horizontais, Júnia Bittencourt, e o representante da empresa, Ricardo Birmann. O presidente da Companhia Imobiliária de Brasília, Antônio Gomes, também integrou a reunião. “Queremos participar do processo e exigimos um preço justo para a venda dos lotes”, explicou Júnia Bittencourt.   
BSB, 5/4- Representantes do Governo do Distrito Federal abriram o diálogo com o Ministério Público para evitar uma ação judicial que possa inviabilizar o Plano Diretor de Ordenamento Territorial (Pdot). O governador José Roberto Arruda (DEM) pretende sancionar o projeto, apesar da recomendação de veto integral feita pelo procurador-geral de Justiça do DF, Leonardo Bandarra. Mas vai acatar boa parte das sugestões feitas pelos promotores em documento com 147 páginas. Na última quinta-feira, Bandarra esteve com o chefe da Casa Civil, José Geraldo Maciel, com o consultor jurídico do governo, Eduardo Roriz, e com o procurador-geral do DF, Marcelo Galvão. Também participaram da reunião promotores de Justiça que atuam na área do Meio Ambiente e Controle de Constitucionalidade, além do secretário de Desenvolvimento Urbano, Cássio Taniguchi, o secretário-adjunto da pasta, Danilo Aucélio, e o diretor da Terracap Luiz Antônio Reis. A equipe do GDF esteve no Ministério Público para tentar mostrar que um dos pontos exigidos pelos promotores — a inclusão dos memoriais descritivos no Pdot — já está atendido. O governo afirma que os mapas anexados ao projeto aprovado pelos deputados distritais são detalhados e delimitam as poligonais das áreas que sofreram alteração de destinação. O receio do Ministério Público é que a falta de detalhamento e das coordenadas possibilitem no futuro fraudes quanto à real localização dessas áreas. Os representantes do GDF também afirmaram que muitas das emendas parlamentares serão vetadas por Arruda. Na recomendação encaminhada ao governador, Bandarra e sua equipe apontam que Câmara Legislativa desfigurou o projeto do Executivo.   
BSB, 4/4 A superintendência do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Renováveis (Ibama) entregou, na manhã de ontem, a Licença Prévia para a construção de uma área habitacional no Setor Residencial Leste, em Planaltina. A licença se refere a uma área de 23,5 hectares e irá beneficiar 800 pessoas. No local, serão construídos 238 lotes sendo que o menor terá 150 metros quadrados. Apenas professores, policiais e bombeiros terão direito a moradia no setor. Os servidores devem ganhar, no máximo, dez salários mínimos, o equivalente a R$ 4.650,00. Nas próximas duas semanas, o Ibama deverá analisar todos os projetos de urbanismo e infraestrutura entregues pela Terracap para a concessão da licença ambiental definitiva. O documento representa a última etapa para o processo de implantação do empreendimento pela Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap). Nos próximos dias, a autorização deverá ser publicada no Diário Oficial do DF. A partir da licença ambiental, o órgão já pode entrar com pedido do registro de imóveis em cartório. O prazo para impugnação do pedido é de 30 dias. Após esse período, se a Justiça entender que não há impedimento para implantação da área habitacional devido a algum possível pedido de cancelamento do registro, a Terracap dará início ao processo de licitação da área e realização de benfeitorias no setor. No Setor Residencial Leste também foram criados lotes para uso coletivo ou institucional, como escolas e hospitais, bem como para o lazer e serviço social. Antes da liberação do novo setor habitacional, o Conselho de Meio Ambiente do Distrito Federal (Conam) determinou que o governo faça a limpeza do Ribeirão Pipiripau, que se encarregue de revegetar as áreas de Preservação Permanente (APPs) e recupere as áreas degradadas às margens do ribeirão. O governo também terá a responsabilidade de monitorar as atividades rurais e promover a consciência ambiental entre os moradores.   
BSB, 4/4- Neste sábado (4) a Companhia de Desenvolvimento Habitacional do Distrito Federal (Codhab) fará um mutirão para orientar os moradores das novas áreas do Guará. O atendimento será feito no estacionamento da Paróquia Santíssima Trindade (QE 42/44), das 9h às 17h. Os moradores vão receber informações sobre imóveis compartilhados, escrituras, legislação e tramitações jurídicas. O objetivo é auxiliar os moradores a resolverem suas pendências quanto a regularização de lotes e escrituras de imóveis. A expectativa é de que cerca de 700 pessoas sejam atendidas. Mais informações pelo telefone 3325-1836   
BSB, 2/4- Todos prédios residenciais do DF terão de receber adaptaçãop ara hidrômetos individuais até janeiro de 2010. A mudança está prevista na Lei Distrital 3.557, de 2005. Até agora, apenas 483 dos 5 mil edifícios existentes no DF implantaram o novo sistema. Plano Piloto, Águas Claras e Taguatinga são as regiões administrativas com maior números de apartamentos adaptados ao sistema. A Agência Reguladora de Águas e Saneamento do DF (Adasa) defende a individualização dos hidrômetros como forma de diminuir o desperdício de água. O superintendente de regulação técnica de serviços públicos da Adasa, André Luiz Moura, destaca a importância do novo sistema para a economia de água. "O objetivo principal é que as pessoas se conscientizem para o uso racional da água. Como cada um só paga pelo que consome, é uma forma de praticar justiça social, além de facilitar a indentificação de vazamentos". Moura esclarece que edifícios de uso misto — aqueles que possuem estabelecimentos comerciais e apartamentos residencais — também estão incluídos na lei. Mas existem exceções à lei, como prédios muito antigos sem planta hidráulica ou que possuam alguma impossibilidade técnica comprovada para a instalação dos hidrômetros. Nesse caso, os condôminos podem pedir à Adasa a liberação da obrigatoriedade. O tempo médio para a instalação do sistema individual de hidrômetros é de três meses. Os prédios que não se adequarem à lei até janeiro de 2010 estarão sujeitos a uma penalidade ainda não definida pela agência reguladora.   
BSB, 1/4- Quatro anos depois do início da cobrança de Imposto Predial e Territorial Urbano em condomínios irregulares, ainda há resistência entre os moradores e problemas na emissão dos carnês. Na semana passada, os boletos do IPTU 2009 começaram a chegar e suscitaram nova polêmica. A comunidade reclama de documentos emitidos em nome de associações de moradores, da cobrança de imposto sobre áreas verdes e de erros na avaliação e metragem dos terrenos. A Secretaria de Fazenda explica que os carnês com problemas podem ser corrigidos, mas destaca que todos devem pagar o tributo. O argumento do governo para cobrar IPTU de parcelamentos irregulares é de que os moradores dessas regiões usufruem da infraestrutura pública de toda a cidade, como as vias pavimentadas, hospitais e escolas. Por isso, devem contribuir para os cofres públicos, como todos os cidadãos. A comunidade reclama de pagar o imposto sem ter benefícios como obras públicas dentro dos parcelamentos ou mesmo o direito de construir ou reformar casas em lotes irregulares. Atualmente, 134 mil imóveis de 221 condomínios devem pagar o imposto.   
BSB, 31/3- O Living – Superquadra Park Sul, lançamento da JCGontijo, é um condomínio resort, completo, com tudo que se precisa para viver bem, com qualidade de vida. Planejado para atender todas as necessidades, o Living possui uma excelente localização, a poucos passos do ParkShopping, ao lado do CasaPark e do Carrefour, próximo do metrô. Com modelos de apartamento de dois, três e quatro quartos, o resort oferece mais de 50 itens de lazer, esporte e convivência. Entre eles quatro piscinas, fitness center, quadras de futebol e poliesportiva, pista de cooper e SPA. O Living, além de proporcionar conforto e qualidade de vida, também visou contribuir com o desenvolvimento sustentável. Introduziu dispositivos que favorecem o uso racional da água, o aproveitamento dos recursos naturais e o equilíbrio ambiental, como o sistema de aquecimento solar de água com compensação a gás e melhor aproveitamento da luz natural com janelas e projeto arquitetônico que favorecem a circulação de ar. Vendas JCGontijo e Lopes Royal.   
BSB, 31/3- O Residencial Rivoli, lançamento da Lopes Royal em conjunto com a JFR Empreendimentos Imobiliários em Águas Claras, é um condomínio fechado que busca atender às necessidades da família brasiliense, proporcionando segurança, conforto e muito lazer. Com localização privilegiada, ao lado da Avenida Araucárias, o empreendimento conta com apartamentos de dois e três quartos, disponíveis em quatro tamanhos. As variações possuem suíte e podem ter a opção de cozinha americana ou tradicional. Algumas unidades têm varanda gourmet com bancada em granito. A área de lazer tem sete lojas, sauna, salão de jogos, piscina adulto e infantil, praça de convívio, playground e salão de festas. Além de espaço gourmet com forno de pizza e churrasqueira. Vendas: Lopes Royal.   
BSB, 30/3- O Portal WImóveis registrou um crescimento no número de visitantes em busca de imóveis em torno de 17% em relação ao mesmo período de 2008. Marcelo Ramos, diretor comercial do portal, conta que, a partir do crescimento da procura de imóveis no portal e da preocupação com rumores de queda no setor no Brasil, a empresa resolveu verificar junto a outras instituições a quantas anda o mercado do Distrito Federal. Os resultados foram animadores e o empresário diz que Brasília continua colhendo os louros do bom momento que o mercado apresentou nos últimos anos com o boom imobiliário. “Brasília é um mercado atípico, diferente do restante do Brasil. Temos aqui a maior renda per capita do país, além de grande número de servidores públicos, o que dá estabilidade ao mercado. As mudanças nas regras para concessão de crédito e a alienação fiduciária também contribuem para o crescimento nas vendas de imóveis”, explica Ramos. A valorização dos imóveis no DF é outro fator que mantém o mercado local aquecido. De acordo com Ramos, as pessoas estão mais cautelosas na hora de comprar, mas nem por isso deixam de investir. Para o empresário, o imóvel continua sendo um bom investimento. “Desde 2006, regiões como Plano Piloto e Águas Claras vêm apresentando valorização constante e crescente. A expectativa é de que o setor continue crescendo e com as primeiras projeções do Noroeste, previstas para o segundo semestre de 2009, e as projeções do Park Sul, que já estão em construção, o setor mantém o otimismo”, frisa Ramos.   
BSB, 28/3- O pacote habitacional do governo federal prevê a construção de 16.538 casas próprias no Distrito Federal para diminuir o déficit habitacional entre a população com renda mensal de até 10 salários mínimos. Durante discurso de lançamento do programa “Minha Casa, Minha Vida”, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, quando do lançamento do pacote, brincou com o governador do DF, José Roberto Arruda, dizendo que ele é um dos que pode contribuir com maior rapidez para o programa porque não precisa negociar com as prefeituras. O presidente Lula cobrou dos estados e município a liberação de terrenos e redução de impostos para baratear o custo da moradia para a população mais pobre. “O governador que tem mais sorte aqui é o Arruda porque ele não tem prefeito. Ele não tem que cuidar dos prefeitos mas dos administradores que são menos desaforados”, brincou o presidente Lula. Arruda afirmou que vai contribuir liberando terrenos e reduzindo impostos para conseguir diminuir o déficit habitacional da cidade que chega a 100 mil de moradias. Para ele, o sucesso do programa está diretamente atrelado à maior rapidez na liberação de recursos pela Caixa Econômica Federal e de licenças ambientais pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). “O grande mérito desse projeto é acelerar as análises de financiamentos, das licenças ambientais e da regularização fundiária”, ressaltou Arruda. “Nós faremos as doações de terrenos e isenções fiscais. Nós queremos fazer habitação de baixa renda. Alguém pode perguntar por que não fez antes? A crise é que nos levou a isso”, acrescentou. O governador do DF também elogiou o anúncio do governo de que será encaminhado ao Congresso Nacional uma Medida Provisória, que cria o marco legal para regularização fundiária de áreas urbanas.   
BSB, 26/3- O Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) decidiu manter as licenças ambientais já concedidas ao Setor Noroeste. O órgão ambiental decidiu não acatar a recomendação do Ministério Público Federal. Na semana passada, a procuradora Luciana Loureiro recomendou que o Ibama suspendesse o licenciamento do futuro bairro porque segundo a procuradora a Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap) não cumpriu a condição imposta pelo Ibama para o licenciamento, que era encontrar a solução fundiária para a comunidade indígena que vive no local há mais de 30 anos. "Vamos explicar ao Ministério Público que não cabe a nós resolver a questão indígena e sim à Funai. Não podemos suspender as licenças", explicou a superintendente regional do Ibama, Maria Silvia Rossi. Ontem pela manhã a Terracap realizou a segunda licitação de lotes do novo setor. Foram disponibilizados 20 projeções residenciais. Destas 11 foram vendidas, arrecadando R$ 137,67 milhões. Segundo informações da assessoria da Terracap o ágio médio foi de 64,52% com relação ao preço inicial. Na venda dos 20 lotes a companhia esperava arrecadar R$ 230 milhões. Em janeiro, durante a primeira licitação, a Terracap vendeu 53 lotes e arrecadou mais de R$ 500 milhões.   
BSB,25/3- Ao contrário de outras grandes capitais do país, no Distrito Federal, a presença de áreas livres e arborizadas é algo notável em uma região de extensas áreas urbanas. O brasiliense, apesar de viver e meio ao concreto, não costuma dispensar fins de semana relaxantes em parques e boas caminhadas sob o frescor das árvores. Na região administrativa de Águas Claras, que já possui um grande parque urbano, será construído o Parque Sul, com localização próxima à Avenida Jacarandá. O parque não tem previsão de conclusão, pois ainda está no estágio de aprovação do plano de ocupação, segundo informações da Administração Regional de Águas Claras. Pela localização próxima a estabelecimentos de saúde, a utilização dos espaços do parque será também voltada para atividades de relaxamento. O espaço livre também será direcionado para a prática de esportes e oficinas culturais. Tudo pensando na qualidade de vida da população local.   
BSB, 25/3- Hoje, dia 25, a MB Engenharia reabrirá a unidade decorada do residencial Première Private Life, em coquetel no estande MB Home Gallery. O evento começará a partir das 19h. O apartamento decorado é mobiliado e possui as medidas reais dos apartamentos do residencial. Com visual renovado, o apartamento é uma oportunidade para quem deseja conhecer em primeira mão um empreendimento de primeira classe em Águas Claras. “A reabertura apresenta visual diferenciado, completamente remodelado”, relata Angélica Diano, gerente de marketing da MB Engenharia. Empreendimentos como o Première representam uma mudança no padrão residencial de Brasília. A cidade de Águas Claras tem atraído gente de todas as partes do DF, especialmente, pelas recentes melhorias na estrutura da cidade e pelas novidades imobiliárias, que oferecem ótimas alternativas por um valor menor do que no Plano Piloto.   
BSB, 23/3- A segunda edição do Seminário Nacional Construção Civil no Brasil: Desafios e Oportunidades, realizado nos dias 17 e 18 de março, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, reuniu mais de 300 pessoas, entre empresários da construção civil, profissionais do setor, técnicos de instituições públicas e privadas, pesquisadores e estudantes, entre outros interessados. O evento, realizado pela Fecomércio/DF e o Secovi/DF (Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Residenciais e Comerciais do Distrito Federal), a organização da MG Brasil, a co-promoção do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior e com apoio de diversas entidades ligadas ao setor. O objetivo foi reunir diversos segmentos da sociedade interessados em debater os caminhos da construção civil. Nesta edição o seminário proporcionou abordagem ampla da construção civil: processos construtivos e perspectivas das cadeias produtivas; gestão do conhecimento como elemento de inovação, que permite acompanhar as transformações em curso; e o papel da construção civil na inserção social, com a construção de habitações para população de baixa renda.   
BSB, 22/3- De 27 de março a 5 de abril mais de 3 mil imóveis das maiores construtoras do DF estarão à venda na praça central do ParkShopping. A iniciativa inédita é da MGarzon, Eugenio, que promete oferecer diariamente uma agenda de lançamentos e ofertas, com preços diferenciados para o evento. Durante os 10 dias de evento, os consumidores terão acesso a variedade de imóveis residenciais e comerciais. Serão apresentados desde lofts, apartamentos de um, dois e três quartos, até coberturas de 300 metros quadrados, salas comerciais, andares corporativos e flats, entre outros. “Vamos levar nossos melhores empreendimentos, localizados em Águas Claras, Asa Sul, Guará, Ceilândia, Gama e até o pré-lançamento de um residencial de alto-padrão no Sudoeste”, explica Fabrício Garzon, diretor da empresa. Mais de 100 corretores da MGarzon, Eugenio irão se revezar no período para atender a um público estimado em 500 mil pessoas nos 10 dias. A MGarzon Eugenio é uma empresa que nasceu da fusão da MGarzon Empreendimentos Imobiliários com a Eugenio, maior agência de marketing imobiliário do país. A empresa apresenta o conceito de “imobiliária total”: participa de todas as etapas de um empreendimento, desde a escolha do terreno, planejamento, conceito do empreendimento, desenvolvimento, estratégias de marketing, até a venda direta ao cliente.   
BSB, 21/3- A região industrial mais valorizada da cidade se transformou em território livre para a invasão de áreas públicas. O Setor de Indústrias e Abastecimento (SIA), que concentra cerca de 60% do PIB (Produto Interno Bruto) de Brasília, tem hoje pelo menos 1 milhão de metros quadrados de terras ocupadas irregularmente. São áreas verdes tomadas por barracos e quiosques ilegais, empresas construídas sobre parques e reservas ecológicas ou galpões erguidos em terrenos destinados a equipamentos públicos. O tamanho dos lotes invadidos equivale a 16 superquadras do Plano Piloto ou cinco parques como o Olhos d’Água, na Asa Norte. A dimensão da irregularidade no SIA foi medida por um levantamento realizado pela administração regional do setor, ao qual o Correio teve acesso. Há vários tipos de ilegalidade na região: invasores que indevidamente conseguiram obter a documentação relativa a terrenos públicos e empresas regularmente instaladas que cercam uma área maior do que a propriedade. O administrador do setor, Miguel Lunardi, assumiu o cargo há três meses e detectou que, nos últimos 10 anos, foram liberadas concessões de direito real de uso em desacordo com a lei. Em alguns trechos do SIA há lotes que estão sobre redes de serviços públicos, como cabos de energia, água e esgoto. Nesses casos, a administração regional pode autorizar o uso desses espaços como estacionamentos, por exemplo, desde que não haja qualquer edificação. O presidente da Associação das Empresas do Setor de Indústria e Abastecimento, Hélio Aveiro, defende a remoção de todas as construções em áreas públicas. Ele lembra que a omissão do governo diante das ocupações irregulares provoca prejuízos à economia da cidade. O SIA tem hoje 4.854 empresas de pequeno, médio e grande portes. O metro quadrado no Setor de Indústrias custa, em média, R$ 1,5 mil. Quem ocupa área pública e consegue licenciar o empreendimento junto ao governo paga apenas R$ 95,63 por metro ocupado a cada ano.   
BSB, 21/3- A Agência de Fiscalização do Distrito Federal (Agefis) realizou, na manhã desta sexta-feira (20/3), uma derrubada no Condomínio Parque do Gama, na entrada da cidade. Ao todo seis muros e uma casa em construção foram derrubados. A operação foi suspensa por conta de um morador que ficou em cima do sétimo muro que seria demolido e realizou um discurso em protesto. No momento em que o primeiro muro veio abaixo, três moradores causaram tumulto. Eles foram algemados, retirados do local, mas liberados em seguida. Os residentes do condomínio reclamam e dizem que foram agredidos. A Polícia Militar acompanha a operação e nega as acusações. Cerca de seis fiscais da agência fiscalizadora participam das derrubadas. Mais oito aopiam a operação. Além disso, 15 PM estão no local para garantir a segurança. De acordo com a Agefis, serão derrubadas apenas estruturas construídas após a proibição de que novas edificações fossem erguidas no condomínio. O impedimento existe desde o ano passado, porque o condomínio é irregular e está em processo de regularização. Até que os trâmites sejam concluídos, nenhuma nova casa ou muro poderia ser construído.   
BSB, 21/3- Neste sábado, dia 21, serão entregues 154 escrituras públicas de doação de lotes a moradores das quadras 100, 200 e 300 de Santa Maria. Os beneficiários vão receber o documento de sua casa já registrado em cartório durante solenidade realizada às 10h no Ginásio de Esportes, na Quadra Central (ao lado da Administração Regional). Para isso, devem levar Carteira de Identidade, CPF e procuração, se for o caso. Os interessados esperam o documento há mais de dez anos. Além da entrega das escrituras, o sábado reserva outra novidade para a região: Santa Maria será a primeira cidade a receber a visita do grupo Tenda da Habitação, criado no último dia 11 com o objetivo de informar a população sobre o passo-a-passo necessário para a regularização dos imóveis. Formado por integrantes da Companhia de Desenvolvimento Habitacional (Codhab-DF), o grupo é resultado da determinação do secretário de Habitação, Paulo Roriz, de dar mais transparência ao processo de emissão de escrituras. Além de esclarecer dúvidas, a equipe da Tenda da Habitação poderá encaminhar os proprietários, em casos especiais, para os cartórios de cada região. De acordo com a Lei Orgânica do Distrito Federal, demora 10 anos da data da assinatura da Concessão de Uso do lote já doado até o recebimento da escritura definitiva. No entanto, segundo o secretário, muitas dessas escrituras precisam passar por um processo burocrático, mas às vezes ficam paradas por falta de iniciativa do interessado. "É isso que se pretende mudar", afirma.   
BSB, 19/3- Mesmo após aprovado na Câmara Legislativa, no último dia 17, O Ministério Público (MPDFT) vai encaminhar ao governo do Distrito Federal cerca de 80 recomendações de veto ao texto final do Plano Diretor de Ordenamento Territorial (Pdot),. Caso as alterações não sejam atendidas, o MPDFT promete ajuizar ações diretas de inconstitucionalidade (Adins) quanto aos assuntos tratados pelas sugestões a serem encaminhadas ao Executivo. O texto final do Pdot aprovado pelos deputados não apresenta os mapas técnicos, bem como os memoriais descritivos do novo ordenamento territorial proposto. Além disso, a oposição e o Ministério Público questionam as 152 emendas incluídas pelo Legislativo ao texto final, tudo isso depois que um substitutivo da CLDF já havia modificado a proposta inicial do Executivo Diante das excessivas modificações sofridas pelo projeto inicial encaminhado à Câmara, a promotora não descarta um pedido de inconstitucionalidade do Pdot como um todo. Entre os vetos sugeridos pelo MPDFT que devem chegar às mãos do governador José Roberto Arruda na próxima semana, está o que versa sobre o artigo do projeto que cria o Setor Habitacional Catetinho. Segundo a promotora, o local é uma Área de Proteção de Mananciais (APM), que deveria ter sido parcialmente liberada de sua função ambiental, mediante consulta pública, para que posteriormente fosse destinada para construções. O Ministério Público também critica o fato de as emendas dos distritais terem aumentado a área destinada à expansão urbana para um percentual acima do que era previsto na proposta que chegou à Casa Legislativa. A promotora destaca que o governador Arruda é livre para acatar ou não as sugestões de veto, e faz questão de ressaltar que o MPDFT não é contra o Pdot.   
BSB, 18/3- O MPF-DF (Ministério Público Federal) no Distrito Federal recomendou ao Ibama (Instituto Brasileiro dos Recursos Naturais e Renováveis) a suspensão imediata da licença prévia para construção do Setor Habitacional Noroeste --novo bairro de alto padrão de Brasília. A licença foi emitida em maio de 2007. Segundo o MPF, a Terracap (Companhia Imobiliária de Brasília) não cumpriu a condição imposta pelo Ibama para o licenciamento, que era encontrar uma solução fundiária para a comunidade indígena que vive no local há mais de 30 anos. O MPF recomenda ainda à Funai (Fundação Nacional do Índio) que constitua grupo de trabalho técnico para concluir os estudos de identificação, delimitação e demarcação da área ocupada pelos índios. O plano urbanístico do novo bairro prevê a construção de 20 quadras residenciais para cerca de 40 mil moradores. De acordo com a Funai, 32 indígenas de nove famílias estão no local, vindos do Nordeste do país. O órgão não reconhece a área como território indígena. O governo do Distrito Federal também não. "Há uma comunidade indígena que tem que ser rebocada, que na verdade não é autóctone [nativa], é uma ocupação indevida", disse em fevereiro o secretário de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente, Cássio Taniguchi. A segunda licitação de lotes do setor está marcada para o dia 26 de março, quando serão leiloadas 20 projeções residenciais.   
BSB, 18/3- Na última semana, uma ação promovida pela MB Engenharia, em parceria com o Força Tarefa, grupo de grafiteiros de Ceilândia, promoveu o embelezamento de um muro que fica ao lado do conjunto residencial Show de Morar. O intuito da construtora, que fez contato com os grafiteiros, foi evitar futuras pichações e restaurar o muro da faculdade Unisaber, vizinha do empreendimento imobiliário. Rodrigo Pocchini, um dos engenheiros responsáveis pelo Show de Morar Ceilândia, destaca a importância do graffiti para a identificação do residencial com a comunidade. “É importante que a obra esteja integrada com a comunidade e a identidade local”, explica. O engenheiro foi quem procurou o Força Tarefa para propor uma ação que contemplasse o empreendimento. “Rodrigo viu o nosso trabalho e nos procurou para grafitar o muro. Tivemos liberdade no desenho e fizemos algo relacionando a comunidade ao Show de Morar”, relata Fernando Cordeiro, o “Elon”, integrante do grupo de grafiteiros. Atuante na comunidade de Ceilândia há cinco anos, o Força Tarefa desenvolve atividades relacionadas à cultura do hip hop, como break, graffiti e rap. Angélica Diano, analista de marketing da MB, relata que a arte dos grafiteiros também foi importante para o embelezamento do local. “Fizemos contato com o Força Tarefa para pintarmos o muro, que estava muito feio. O graffiti deixou o lugar bonito e é respeitado na cidade, inclusive pelos pichadores, que não interferem nas pinturas dos grafiteiros”, analisa.   
BSB, 16/3- A pressa Do governo federal em viabilizar obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) em todo o país pode ser uma parceira do governo do Distrito Federal na pretensão de retomar o poder de conceder os licenciamentos dos empreendimentos localizados na Área de Proteção Ambiental (APA) do Planalto Central. O assunto vem sendo amadurecido em reuniões do governador José Roberto Arruda (DEM) com a ministra e voltou a ser tratado na manhã de ontem em encontro do vice-governador Paulo Octávio (DEM) com o subchefe de Assuntos Federativos da Casa Civil, Alexandre Padilha. A dificuldade para iniciar obras por falta da licença ambiental prévia por parte do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Ibama) foi apontada como o principal obstáculo a ser vencido. O Ministério das Cidades já sinalizou com a possibilidade de liberar R$ 1,1 bilhão para obras de saneamento e habitação no Distrito Federal, mas as três principais obras dependem de autorização ambiental. São elas: os sistemas de abastecimento de água de Corumbá IV e do Paranoá e as obras de infraestrutura do Sol Nascente, loteamento de baixa renda em Ceilândia. Mais de 70% do território do Distrito Federal estão sob a jurisdição do Ibama desde o fim de 2002, quando o então presidente Fernando Henrique Cardoso editou um decreto criando a APA do Planalto Central. Arruda tem tentado reverter essa situação e transferir novamente ao governo do Distrito Federal essa prerrogativa. No início da semana, ele voltou a discutir o assunto com Dilma. Na tarde de ontem, o secretário-adjunto de Governo do DF, Flávio Giussani, esteve na Casa Civil para discutir um formato legal para o assunto — por projeto encaminhado ao Congresso, Medida Provisória ou decreto presidencial. O argumento do GDF é de que em todos os estados o licenciamento é feito por órgão local.   
BSB, 16/3- Após reunião técnica na quinta-feira (12), com técnicos da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente (Seduma) e da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), para dirimir dúvidas com relação à redação final do Plano Diretor de Ordenamento Teritorial (PDOT), os deputados Milton Barbosa (PSDB) e Eurides Brito (PMDB) disseram que esperam a votação da redação final do Plano na próxima semana. No encontro, a principal questão analisada foi a demarcação do Núcleo Rural Capoeira do Bálsamo, próximo ao Taquari. Durante a votação do PDOT, em dezembro de 2008, foram aprovadas algumas emendas conflitantes relativas à demarcação de uma área urbana dentro do setor. "Uma emenda de redação de plenário vai corrigir a situação", explicou Milton Barbosa.   
BSB, 15/3- Depois de Sobradinho II, Samambaia começa na próxima segunda-feira (16) o cadastramento para o programa Cheque-Moradia. Criado no mês passado por meio de um decreto, o programa destina-se à construção, reforma, ampliação ou conclusão de habitações de famílias com renda de até três salários mínimos. Para participar é necessário ser proprietário do imóvel, morar no Distrito Federal há cinco anos, não possuir outro imóvel, ter família composta de duas ou mais pessoas. Ao fazer o cadastro, o interessado precisa apresentar carteira de identidade, CPF, comprovante de estado civil, cópia da última conta de luz ou de água, comprovantes de renda familiar e de propriedade do imóvel, certidão de nascimento dos filhos, comprovante de matrícula das crianças em idade escolar, assim como o cartão de vacina das crianças em idade de 0 a 6 anos. Em seguida, técnicos da Secretaria de Desenvolvimento Social e Transferência de Renda (Sedest) e da Companhia de Desenvolvimento Habitacional (Codhab) visitam a residência para verificar a necessidade da obra e, posteriormente, os interessados apresentam orçamentos que poderão ser cobertos pelo Cheque-Moradia. A mão-de-obra será contrapartida da família. O Cheque-Moradia será nominal preferencialmente à mulher (mãe, esposa, companheira), intransferível e terá prazo de validade de 90 dias após sua emissão.   
BSB, 14/3- O governo federal deve liberar R$ 1,1 bilhão para obras nas áreas de habitação e saneamento no Distrito Federal dentro do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). O vice-governador Paulo Octávio — secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo — participou nesta manhã de uma reunião no Palácio do Planalto para discutir os projetos que o Executivo local pretende desenvolver para captar os recursos. Uma das principais obras listadas é a de transferência de água de Corumbá IV para o abastecimento da capital do país e da região do Entorno do Distrito Federal. Participaram da reunião o subchefe de Assuntos Federativos da Casa Civil, Alexandre Padilha, representantes do Ministério das Cidades, o secretário de Obras do DF, Márcio Machado, e o presidente da Companhia de Saneamento de Brasília (Caesb), Fernando Leite. O objetivo foi buscar formas de simplificar a ação conjunta entre governos local e federal. "O governo federal quer investir e quem mostrar capacidade de trabalho e agilidade não terá dificuldades para obter recursos do PAC", disse Paulo Octávio. "Podemos sair na frente se cumprirmos o dever de casa e vamos cumprir", explicou. O governo do DF tem 22 projetos para o PAC, sendo R$ 746 milhões para a área de saneamento e R$ 446 milhões para a área de habitação. Segundo Paulo Octávio, esses recursos deverão ser liberados até o final do ano.   
BSB, 13/3- A redação final do Plano Diretor de Ordenamento Territorial (PDOT) estará disponível a partir desta quinta-feira (12/3) no site da Câmara Legislativa – www.cl.df.gov.br – no link Processo Legislativo, na pasta PDOT. O conteúdo de todas as emendas aprovadas em 1º e 2º turno está em fase de digitalização. A previsão é de os documentos constem no portal da CLDF até a próxima terça-feira (17/3). O vice-presidente da Casa, deputado Patrício (PT) coordenou a ação de tornar público o texto, já que a Coordenadoria de Modernização de Informática (CMI) está subordinada à vice-presidência. De acordo com o deputado, além da redação final do PDOT, todos os anexos do projeto estarão disponibilizados.   
BSB, 13/3- O debate sobre a votação da redação final do projeto de lei complementar que institui mudanças no Plano Diretor de Ordenamento Territorial (PDOT) movimentou a Câmara Legislativa na sessão ordinária da tarde do dia 11. Dezenas de moradores, ligados a movimentos sociais e cooperativas habitacionais, lotaram as galerias para reivindicar dos deputados distritais a apreciação final do projeto, a fim de permitir futuras ocupações urbanas, como o setor Catetinho. O deputado Milton Barbosa (PSDDB) abriu a discussão sobre o PDOT, ao defender da tribuna a inclusão, no projeto, da regularização fundiária de uma área da localidade de Capoeira do Bálsamo, na área do Paranoá, que teria sido excluída da votação do projeto, em segundo turno, motivada pelo extravio de um anexo, com um mapa topográfico do local. A deputada Erika Kokay, líder do PT, rebateu a proposta de Barbosa, justificando que não se pode mais fazer alterações no teor do PDOT, pois a redação final só admite correções e revisões ortográficas. Na mesma linha, outro parlamentar do PT, o deputado Patrício, afirmou que o seu partido só está esperando a votação da redação final do PDOT para pedir na Justiça a sua ilegalidade. Patrício comentou que também o Ministério Público poderá se manifestar contra as "irregularidades" que foram cometidas na votação do PDOT, como a "falta dos memoriais descritivos e mapas das poligonais". Já o líder do DEM, Geraldo Naves, defendeu a votação imediata do PDOT e a legitimidade do projeto. Em aparte, o deputado Batista das Cooperativas (PRP) disse aos moradores presentes nas galerias que o PT está contra o PDOT porque não admite que aquelas pessoas pobres sejam vizinhas dos moradores do Park Way e dos Lagos Sul e Norte. "O Catetinho é legal sim", exortou.   
BSB, 13/3- A segunda licitação do Setor Noroeste já tem data e hora marcada. A concorrência por 20 projeções – todas residenciais –, está marcada para o dia 26 de março, a partir das 9h, no edifício sede da Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap). Os lotes serão licitados individualmente e o pagamento pode ser parcelado em até 36 meses, com caução de 20% do valor do imóvel pretendido. Leva quem oferecer o maior preço. Em janeiro, a Terracap colocou à venda 63 projeções, 11 comerciais e 52 residenciais. Houve 183 propostas para 54 projeções alienadas. Foram vendidos todos os 11 terrenos comerciais e mais 43 residenciais, com arrecadação de R$ 537,8 milhões. O ágil das projeções residenciais foi de 64,11% em relação ao preço mínimo. Para o mês de março, o preço médio das projeções é de R$ 10,6 milhões. Os lotes com 1.000 metros quadrados são ofertados por R$ 10,57 milhões e os terrenos com 1.024 metros quadrados têm preço mínimo de R$ 10,79 milhões. A Terracap projeta arrecadar R$ 213 milhões com as vendas do Noroeste e mais R$ 25 milhões com a comercialização dos demais lotes. O presidente da Terracap, Antonio Gomes, está otimista. Para ele, a empresa terá um excelente ano de vendas ancorada justamente pelo Noroeste. “A crise não chegou nem vai chegar a Brasília. O Noroeste será o maior boom imobiliário do Brasil, pois além de movimentar toda a cadeia produtiva do Distrito Federal, ainda vai gerar 30 mil empregos diretos, 7 e 8 mil nesse primeiro momento”, prevê.   
BSB, 13/3- A Secretaria de Habitação, em conjunto com a Companhia de Desenvolvimento Habitacional (Codhab) criou a Tenda da Habitação. Trata-se de um grupo de trabalho formado por integrantes da Codhab com o objetivo de percorrer as cidades do DF para informar os interessados sobre o passo a passo da esperada regularização do imóvel. A primeira região a ser visitada pelo grupo será Santa Maria, que receberá a Tenda da Habitação no próximo dia 21 de março, quando cerca de 200 escrituras serão entregues aos moradores da cidade. “Sabemos que muitas escrituras precisam passar por um processo burocrático, mas detectamos vários casos em que o processo está parado, simplesmente por falta de conhecimento do interessado. É isso que queremos mudar”, explicou o secretário de Habitação, Paulo Roriz. Em alguns casos, de acordo com a Codhab, as escrituras chegam demorar até 15 anos para serem emitidas. A escritura é um documento feito por oficial público, que dá o título de propriedade do imóvel ao seu dono. É com ela que se consegue fazer transações com o lote, como venda e troca. No caso da Secretaria de Habitação, a emissão é feita a pessoas que tenham recebido lotes do GDF no passado, pelo Programa Habitacional. “A determinação do governador Arruda é que sejam entregues 70 mil escrituras até abril do ano que vem”, informa Paulo Roriz. Além de esclarecer dúvidas, a equipe da Tenda da Habitação poderá encaminhar os proprietários, em casos especiais, para os cartórios de cada região. A partir do fim do mês de março, todos os sábados, uma cidade diferente do DF receberá a equipe técnica da Secretaria de Habitação. A expectativa é que esse serviço atenda a cerca de 500 pessoas dia de atendimento.   
BSB, 11/3- O Governo do Distrito Federal vai disponibilizar áreas para a construção de casas populares do Plano Nacional de Habitação do Governo Federal. Com a aprovação, no ano passado, do Plano Diretor de Ordenamento Territorial (Pdot), a intenção é ceder terrenos em Ceilândia, Samambaia e Santa Maria. A garantia foi dada pelo governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda, nesta segunda-feira (9), no encontro dos chefes de executivo do Centro-Oeste com a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Roussef, e os ministros da Fazenda, Guido Mantega, e das Cidades, Márcio Fortes, para tratar do programa. A intenção do Governo Federal é construir 1 milhão de casas até 2010, das quais metade devem ser erguidas ainda neste ano. Para Arruda, além da diminuição do déficit habitacional no Distrito Federal – que chega a 100 mil moradias –, será possível o fortalecimento da construção civil, um setor tradicionalmente forte na oferta de emprego. De acordo com Arruda, caberá aos estados e municípios a liberação de terrenos para que o programa seja iniciado de fato. “Também é fundamental a desburocratização das licenças ambientais, liberação de escrituras e facilidades de financimentos”, completou o governador. “Nós, do GDF, vamos considerar a redução de impostos e carga tributária para a população de baixa renda”, garantiu. Além do governador José Roberto Arruda, participaram do encontro Blário Maggi (Mato Grosso), André Puccinelli (Mato Grosso do Sul) e o vice-governador Paulo Sidnei (Tocantins). Goiás não enviou representante.   
BSB, 10/3- Os 80 mil moradores dos condomínios Pôr-do-Sol e Sol Nascente,em Ceilândia, aguardam por avanços na regularização da região. No entanto, as notícias não são boas: o licenciamento ambiental da área não tem prazo para ser liberado pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente dos Recursos Naturais Renováveis no DF (Ibama-DF). Isso porque a análise técnica do órgão aponta incompatibilidades entre a legislação e o Plano Diretor de Ordenamento Territorial (PDOT), de 1997, que ainda está em vigor. De acordo com o coordenador de Licenciamento Ambiental do Ibama-DF, Guilherme de Almeida, os problemas são muitos. Entre eles, existe a Área de Relevante Interesse Ecológico (Arie) JK, que fica dentro do Condomínio Pôr-do-Sol. Ele explica que o plano de manejo da Arie impede que o local seja ocupado por moradias. No entanto, a Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap) garante que a situação está sendo resolvida com apoio do Instituto Brasília Sustentável (Ibram). Porém, a situação vai exigir tempo. O novo plano ainda não está em vigor porque aguarda a aprovação de emendas na Câmara Legislativa. A expectativa é que o projeto entre na pauta de votação do plenário ainda nesta semana. Segundo o coordenador de licenciamento do Ibama-DF, a situação não poderá ser resolvida em sua totalidade com a revisão do PDOT. A Secretaria de Habitação informou que contratou uma empresa para elaborar o Plano Integrado de Regularização da área e que até o final do mês conclui a primeira etapa de estudos. Os técnicos da pasta estão empenhados em concluir o Plano Integrado de Regularização da área, disse o secretário de Habitação, Paulo Roriz.   
BSB, 8/3- O Metrópole Shopping e Residência é um mix de lojas e apartamentos. Situado na Avenida Araucárias, em Águas Claras, é uma excelente oportunidade para quem deseja investir. São 81 lojas, 96 apartamentos e 13 quiosques. O empreendimento permite que o proprietário alcance uma boa rentabilidade tanto na abertura de franquias como na loja própria. O investimento em salas comerciais, atualmente gera muito lucro, pois esses imóveis dificilmente ficam sem alugar e são alugados com um percentual de retorno maior que 1%. A construtora responsável é a Multicon. As vendas das salas são de responsabilidade da Cygnus.   
BSB, 8/3- Localizado em uma região privilegiada de Samambaia Sul, o Residencial Évora é o empreendimento que todos gostariam de adquirir, tanto para moradia como para investimento. Situado dentro de um condomínio fechado, o prédio oferece 48 apartamentos de três quartos com suíte e área privativa. São quatro apartamentos por pavimento, uma área de lazer no mezanino, com piscina descoberta, churrasqueira e sauna com ducha. As unidades estão com a entrega prevista para este ano. A construtora responsável é a Habitar Empreendimentos Imobiliários. A vendas das unidades é de responsabilidade da JGM Imóveis.   
BSB, 8/3-Prezando pela segurança e a qualidade de vida dos moradores de Samambaia, as construtoras estão adotando uma postura muito atuante na cidade. Uma prova disso é o empreendimento Residencial Sintra, na Estação Samambaia Sul. O imóvel conta com 56 apartamentos de dois quartos com semi-suíte. Serão quatro apartamentos por andar garantindo conforto para os moradores. Com uma área de lazer diferenciada, com piscina descoberta, churrasqueira, sauna com ducha, salão de festas com copa, academia, o condomínio fechado será um sucesso de vendas. A construtora Habitar Empreendimentos é a responsável pela obra. Os interessados devem procurar a JGM Imóveis, responsável pelas vendas.   
BSB, 7/3- O GDF homologou a primeira Parceria Público Privada (PPP) do Distrito Federal, ao reconhecer a licitação feita para a construção do Setor Mangueiral. Na área, localizada na região administrativa de São Sebastião, está prevista a construção de 8 mil residências, entre casas e apartamentos, para trabalhadores cadastrados na Companhia de Desenvolvimento Urbano (Codhab). Em outra frente, representantes do GDF assinaram, no início da tarde, um Termo de Compromisso e Ajustamento de Conduta (TAC) com a União e o Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT). O documento prevê a implementação da quarta etapa do Riacho Fundo II, empreendimento que beneficiará 5.089 famílias das associações e cooperativas habitacionais do DF. O consórcio Vida Nova Mangueiral, formado pelas empresas Zaurak Empreendimentos Imobiliários, Silco Engenharia e Cidade Jardins Incorporação, será o responsável pela construção do Setor Mangueiral. A homologação da PPP foi assinada no Centro Administrativo, em Taguatinga, pelo secretário de Habitação e presidente da Companhia de Desenvolvimento Habitacional do DF, Paulo Roriz. A assinatura de contrato com as empresas, última etapa do processo para liberar o início da construção, está prevista para 19 de março. O futuro complexo fica a pouco mais de 10 minutos do Lago Sul e ocupará uma área de aproximadamente 200 hectares, ao longo da DF-463, e equivale a 30 quadras residenciais do Plano Piloto. A previsão é de que a primeira etapa do novo bairro seja entregue em dezembro. O programa é direcionado aos servidores do GDF que ganham até 12 salários mínimos, inscritos na lista da Codhab, em sua maioria servidores públicos, como professores, policiais e bombeiros. O governo local buscará convênio com Caixa Econômica para que os servidores façam empréstimos a juros baixos. Os beneficiados poderão ocupar casas e apartamentos que variam de 51 a 65 metros quadrados. Os valores dos imóveis vão de R$ 89 mil a R$ 120 mil.   
BSB ,B, 7/3- Deputados de oposição e da base do governo divergiram nesta quinta-feira (5) sobre a ausência dos mapas detalhados no anexo da redação final do Plano de Diretor de Ordenamento Territorial (PDOT). De acordo com a deputada Erika Kokay (PT) a redação final "não está precisa", devido à presença apenas de mapas em escala reduzida. Já o relator do PDOT na Comissão De Assuntos Fundiários (CAF), Benício Tavares (PMDB), garantiu que o projeto tem todas as "amarras para ser um trabalho de que a Câmara vai se orgulhar". O debate ocorreu durante a apresentação dos mapas do Distrito Federal por técnicos da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente (Seduma). A líder do Partido dos Trabalhadores, Erika Kokay, reclamou que o texto do PDOT traz referências vagas - sem as delimitações das poligonais - e que os mapas trazem apenas "manchas". A petista criticou o fato de as imagens detalhadas estarem disponíveis somente em Defendendo a redação final elaborada por servidores da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), Benício Tavares observou que, após a publicação da lei, o GDF tem 90 dias para encaminhar as coordenadas dos mapas. O distrital salientou que os deputados poderão sugerir correções, em caso de equívocos nos dados enviados pelo Executivo. Tavares também disse acreditar que o governo não vai alterar as áreas aprovadas no PDOT. A líder do PT, no entanto, criticou o fato de que os parlamentares só possam intervir após a publicação da lei. "Para mim está claro que este projeto foi construído no Executivo, que vai enviar as coordenadas para que analisemos só depois da lei ter sido publicada", ironizou.   
BSB, 7/3- O GDF assinou um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o Ministério Público Federal, Ibama, Governo Federal e cooperativas habitacionais nesta sexta-feira (6) que irá garantir o início da instalação da etapa 4 do Riacho Fundo II. A área vai contemplar cerca de cinco mil famílias inscritas no Plano Nacional de Habitação Social com a construção de três mil apartamentos e duas mil casas. O documento assegura que todo o processo será feito dentro da legalidade, sem invasão de terras nem degradação do meio ambiente. O Governo Federal pretende liberar cerca de R$ 70 bilhões em todo o país para o Plano Nacional de Habitação. A previsão é que, deste montante, R$ 150 milhões serão destinados às cooperativas habitacionais, que serão responsáveis pela construção das casas e apartamentos da etapa 4 do Riacho Fundo II. A infraestrutura será realizada pelo GDF, que vai arcar com os custos. Osestudos para implantação de infraestrutura começam na semana que vem. O governo federal doará o terreno, pertencente à União, que possui cerca de 33 mil hectares e dará lugar às quadras 18 a 34 do Riacho Fundo II. O TAC garante a liberação da licença ambiental prévia para o início dos estudos e projetos de construção do novo setor habitacional. Com o termo também será possível licitar as obras de infraestrutura. A autorização foi expedida pelo Ibama, que só dará a licença definitiva se todas as partes envolvidas seguirem as orientações legais. O procurador da República no DF, Carlos Henrique Martins Lima, disse que o MP estará atento ao cumprimento das exigências.   
BSB, 6/3- Os condomínios Quintas da Alvorada I, II e III foram registrados nesta quarta-feira (5/3), às 15h, no 2° Cartório de Ofícios no Venâncio 2000, após uma luta por regulamentação de 24 anos de processo, tornando-se, assim, os primeiros condomínios horizontais do Distrito Federal. No Quintas da Alvorada, que existe há 34 anos, vivem cerca de 300 famílias, que, agora, poderão regularizar a situação de seus imóveis. Com o registro lavrado em cartório, o prazo para os moradores receberem a sonhada escritura das casas é de 90 dias. Uma festa já está sendo programada para a entrega dos documentos. O processo do Quintas da Alvorada se arrastava desde 1985 e foi agilizado após a criação do Grupo de Análise e Aprovação de Parcelamentos do Solo e Projetos Habitacionais (Grupar). O grupo é responsável por agilizar os processos de regularização de parcelamentos já existentes e também de projetos habitacionais a serem implantados.   
BSB, 4/3 – A coluna “Do Alto da Torre" (Jornal de Brasília), do colega Eduardo Brito, noticiou hoje (4), que está suspensa a venda do terreno da QL 24, no Lago Sul, aquele em que a PauloOctávio pretendia construir um shopping. A Terracap decidiu não homologar a venda do lote, que tinha sido arrematado por R$ 66 mi, porque não haveria tempo hábil para a finalização de um acordo judicial que devolveu a posse do terreno à empresa estatal. Desta forma, o terreno, que fica ao lado da ponte JK e na margem do lago Paranoá será licitado em outra oportunidade. Dada a notícia, fica a pergunta que não quer calar; se havia o imbróglio, porque resolveram licitar justo agora, logo após a licitação do Noroeste e em pleno canarval?   
BSB, 4/3 - Moradia de qualidade no Distrito Federal não é mais sinônimo apenas de Plano Piloto há algum tempo. Uma prova disso é o empreendimento Show de Morar, promovido pela MB Engenharia-Empresa Brascan desde dezembro 2007, e que tem feito sucesso nas regiões administrativas. O diferencial do empreendimento imobiliário reside nos preços e condições de financiamento acessíveis, na localização privilegiada (próxima ao metrô e a centros comerciais) e na qualidade dos imóveis. O projeto começou em Samambaia, com os residenciais Ventura e Panorama (áreas de 5 mil m² e 13 mil m², respectivamente). Rubens Oseki, gerente comercial da MB Engenharia, reforça uma mudança de foco das incorporadoras imobiliárias, que agora têm observado com mais atenção as regiões administrativas do DF. O sucesso imediato expandiu o empreendimento para Goiânia, com a instalação do clube residencial Vivaz, e voltou para o DF para alcançar Ceilândia. Rubens explica que a proposta principal do Show de Morar é levar às regiões administrativas opções de morar que ofereçam segurança, acessibilidade e qualidade de vida. Os apartamentos do Show de Morar possuem área útil entre 50 e 90 m² e são planejados com ênfase no aproveitamento dos espaços. O layout compacto e moderno também são características que reforçam a excelência dos residenciais. Os terrenos são ocupados por um número razoável de torres, o que permite a existência de áreas de lazer e convivência. “O modelo de imóvel é inédito nas regiões administrativas e acredito que pode ser inserido em qualquer cidade no DF”, afirma Oseki. Segundo Oseki, a popularidade e os excelentes resultados do empreendimento também se dão pelo belo trabalho de apresentação dos apartamentos. Os decorados encontram-se nos estandes de vendas dos residenciais.   
BSB, 4/3 - Localizada a 24 quilômetros do Plano Piloto, a cidade se destaca pelo grande número de estabelecimentos comerciais (4,5 mil) e indústrias (1,6 mil). A chegada do Metrô à região, distribuído em quatro estações, trouxe facilidades de locomoção e acesso à cidade e ajudou a integrar Ceilândia ao DF. As linhas do Metrô também possuem importância para a expansão econômica da cidade. A facilidade e a rapidez do acesso atraem empreendimentos comerciais, residenciais e indústrias. Pensando nas questões de localização, acesso e conforto, é que a MB Engenharia Empresa Brascan lançou o empreendimento Show de Morar em Ceilândia, que recebeu o nome de Allegro. O conjunto residencial ocupa 50 mil metros quadrados de área, localizados na QNN 27, e é constituído de 11 blocos e 12 torres, todos com 19 pavimentos. “Não há esse tipo de moradia de qualidade na cidade, que oferece tanto conforto e lazer. O Show de Morar tem a maior área de lazer do DF”, afirma Rubens Oseki. O residencial tem cinco modalidades de apartamento, sendo que quatro possuem suíte. As opções variam em tamanho e no número de quartos: dois quartos, com 51 metros quadrados, dois quartos, com 60 metros quadrados, três quartos, com 69 metros quadrados, três quartos, com 77 metros quadrados e três quartos, com 88 metros quadrados. Boa parte dos 50 mil metros quadrados de área é dedicada ao bem-estar dos habitantes, com dezenas de atrações e opções de lazer.   
BSB, 2/3- Quem deseja morar em uma casa nova mas não quer ter dor de cabeça deve aproveitar o mais novo lançamento da Cygnus Imóveis. A empresa está lançando um conjunto de casas no Joquey Clube, novo setor habitacional localizado entre Valparaíso e Jardim Ingá. Não se trata de um condomínio fechado, portanto não há área de lazer e outras características de condomínio. No total, são 96, quatro casas serão de três quartos e as demais terão dois dormitórios. Os terrenos medem 150m2 e 300m2.   
BSB, 2/3- Os que moram sozinhos e não abrem mão de conforto devem procurar a Lopes Royal, que tem exclusividade de vendas do Residencial Real Panoramic, construído pela Real Engenharia. O empreendimento possui 22 andares, sendo que dois deles serão destinados a lojas comerciais. Já o 22º andar é destinado ao lazer, com espaço gourmet, duas churrasqueiras, sauna, piscina e academia. Os apartamentos são conjugados, ou seja, não há divisão entre sala, cozinha e quarto. No entanto, o tamanho deles varia de acordo com o andar em que se encontra e alguns também têm área de serviço. A localização é privilegiada, na entrada de Águas Claras, próximo ao metrô e ao Parque Ecológico de Águas Claras.   
BSB, 2/3- Samambaia será agraciada com mais um lançamento do mercado imobiliário. A FMA Empreendimentos Imobiliários, juntamente com a Lopes Royal, vendedora exclusiva, estão lançando o Residencial Sublime. Localizado no centro de Samambaia, o prédio terá 13 andares, totalizando 52 apartamentos, e área de lazer. Os moradores poderão desfrutar de piscina com deck molhado, sauna, academia, espaço gourmet e churrasqueira. Cada apartamento é composto de sala de estar/ jantar, varanda, dois quartos, sendo uma suíte, e cozinha conjugada com a área de serviço.   
BSB, 2/3- A partir de março, os moradores do DF começam a receber as notificações para o pagamento do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) de 2009. A expectativa é de que no máximo em 20 dias os mais de 700 mil carnês sejam entregues. A Secretaria da Fazenda efetuou a avaliação dos imóveis e a pauta de valores foi encaminhada à Câmara Legislativa em setembro de 2008, conforme prevê a Lei Orgânica do DF, contendo a avaliação efetuada pela Secretaria de Estado da Fazenda do DF com o preço de mercado de todos os imóveis do Distrito Federal. Este ano o tributo poderá ser acrescido até 7,15% em comparação ao ano passado. A CLDF limitou possíveis aumentos do imposto quando aprovou a pauta em dezembro passado. O reajuste seguiu a inflação medida pelo Índice Nacional de Preço ao Consumidor (INPC) verificada em 2008. O subsecretário da Receita do DF, Adriano Sanches, conta que aqueles que optarem pelo pagamento em uma única parcela terão desconto de 5%.   
BSB, 28/2- A Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap) comemorou mais uma licitação de sucesso. Na última quarta-feira,a estatal vendeu 73 terrenos, de 192 lotes ofertados, e arrecadou R$ 83,5 milhões. O que chamou a atenção é que com apenas a venda de um terreno de 65 mil metros quadrados, na QL 24 do Lago Sul, a Terracap vai embolsar R$ 66,8 milhões. O preço da oferta inicial do lote foi de R$ 62,4 milhões, porém o único lance para pagamento à vista do imóvel foi dado pela empresa Principal Construções Ltda, que faz parte das Organizações PaulOOctavio. O projeto do novo empreendimento ainda vai passar pela análise da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente (Seduma), mas a destinação do lote prevê a construção de um centro comercial de médio porte, nos moldes do Pontão do Lago Sul. No local, poderão ser construídos bares, restaurantes, lojas, espaço para eventos e marina, desde que tudo esteja integrado à natureza. O diretor técnico da Terracap, Luis Antônio Reis, informou que o resultado definitivo da licitação deve ser homologado em até três semanas. Até lá, a estatal vai verificar toda a documentação e adimplência das empresas que ofereceram os maiores preços para os terrenos da licitação.   
BSB, 28/2- A venda do lote destinado ao novo shopping no Lago Sul causou estranheza no mercado mobiliário. Segundo um corretor, que pediu para não ser identificado, o terreno foi vendido de forma muito estranha. "Colocaram a primeira etapa do Noroeste em licitação para tirar o foco do mercado. Isso enxugou os capitais nas mãos dos investidores e construtoras. Agora, depois do Carnaval, quando a cidade está vazia, fazem esta licitação, oferecendo este lote,que é um brinco, uma jóia rara. E, para piorar, com exigência de pagamento à vista. Assim, sobrou pouca gente capitalizada no mercado", disse ele, mostrando insatisfação com a vitória da Principal Construções Ltda. O diretor da Terracap, no entanto, destaca que o projeto arquitetônico tem que ser aprovado pela Administração do Lago Sul. "Eles certamente vão exigir que a empresa construtora preserve o padrão das edificações e a qualidade de vida da região", ressaltou o diretor. Ele enfatizou ainda que as empresas do Grupo PaulOOctávio são clientes da Terracap como quaisquer outras empreendedoras do ramo imobiliário. "A licitação é aberta e o processo é transparente. As empresas vêm, oferecem o melhor preço e arrematam o imóvel", afirmou.   
BSB, 27/2- O governo decidiu criar um manual de regularização para facilitar a legalização de terras e esclarecer a comunidade sobre todo o trâmite a ser seguido. O documento, publicado no Diário Oficial do DF, será distribuído em todos os condomínios irregulares da cidade. A cartilha, chamada de Manual de orientação para regularização de parcelamentos do solo para fins urbanos no Distrito Federal, traz desde os passos mais elementares até as exigências mais complexas. De acordo com as orientações, a primeira medida é apresentar um requerimento ao Grupar. O documento deve determinar qual é o objetivo do parcelamento, qual a população prevista e precisa incluir, ainda, a poligonal do condomínio. Além de facilitar os procedimentos para a comunidade, a criação do manual também vai representar um ganho de tempo para o governo. A cartilha começa a ser distribuída a todos os condomínios no mês que vem. O governo também vai promover cursos gratuitos voltados aos arquitetos, para ensinar quais são as exigências do GDF na elaboração dos projetos urbanísticos. O DF tem 513 condomínios e, na maioria dos casos, a regularização sequer começou. Nas áreas de baixa renda, onde a comunidade não tem condições de arcar com os custos dos projetos ambientais e urbanísticos, o processo costuma ser lento. Duas grandes regiões de baixa renda terão atenção especial do governo em 2009. A meta do GDF é acelerar a regularização de Arapoanga e do Itapoã. As duas áreas juntas têm mais de 150 mil moradores. As obras de infraestrutura, como pavimentação, água e esgoto, já estão em andamento. O Grupo de Análise e Aprovação de Parcelamentos do Solo (Grupar) começou a fazer um levantamento da situação das duas áreas para saber quais documentos estão pendentes.   
BSB, 26/2- Com uma população de mais de 160 mil habitantes, Samambaia, a décima segunda região administrativa a ser criada no Distrito Federal (DF), passa pelo melhor momento de seus 19 anos de existência. O crescimento e a valorização do comércio local e a melhoria do acesso e integração à cidade, com a criação do metrô, melhoraram a qualidade de vida da população e tornaram a cidade uma alternativa interessante para o mercado imobiliário do DF. O Ventura, primeiro empreendimento do Show de Morar Samambaia, da MB Engenharia, Empresa Brascan, está sendo erguido na mesma velocidade em que a economia da cidade cresce e evidencia a atenção que as construtoras têm dado às regiões administrativas. Em 2008, Samambaia teve um crescimento de 60% no número de concessão de alvarás, em comparação com 2007. Um valor muito acima da taxa de crescimento de todo o DF, que ficou em 25%. As principais características do residencial Ventura, segundo a engenheira residente da obra, Cristina Barros, serão o espaço dedicado para o lazer e a localização privilegiada do residencial. Os blocos, que terão 22 pavimentos (um pavimento térreo e dois de subsolo) e oito apartamentos por andar (no total, 608 unidades), estão sendo erguidos na Quadra 102, Avenida Sul, lugar próximo ao metrô e a avenidas importantes. “Na semana que vem, vamos concluir a laje do sétimo pavimento de apartamentos do bloco A. E estamos perto de completar o primeiro pavimento de apartamentos do bloco B”, ela pontua. O cronograma da construção prevê a entrega do primeiro prédio, o bloco A, em dezembro deste ano, e do bloco B, em abril de 2010. O Ventura ocupará uma área de 14 mil metros quadrados e terá apartamentos de dois (59 metros quadrados) e três quartos (70 metros quadrados), ambos com uma suíte.   
BSB, 25/2- A despeito da grande onda de demissões que assola o País, já tendo degolado mais de 102 mil postos de trabalho, existe um oásis de tranqüilidade quando o assunto é emprego: o setor da construção civil que já contratou 11,3 mil pessoas no mês passado em todo o Brasil. No Distrito Federal, a situação não é diferente. Os lançamentos de 2008 foram um sucesso. Com dinheiro em caixa, as empresas iniciam as obras. Para isso, profissionais estão sendo contratados em diversas empresas da região. Passado o susto maior da crise, entre outubro e dezembro de 2008, quando as vendas caíram 40% , o setor já se recuperou bem e apresenta agora em janeiro um acréscimo de 10% em relação ao mesmo período do ano passado, que foi considerado muito bom. Este pode sder o sinal de que a tal da crise no setor passou meio que ao largo de Brasília, afirmam os agentes do mercado imobiliário na capital. Para os empresários do setor, o total de contratações poderá aumentar, se o governo realmente botar na rua o prometido pacote para a construção de 500 mil imóveis neste ano e 500 mil em 2010. A medida beneficiará as famílias com renda até 10 salários mínimos mensais (R$ 4.650).   
BSB, 25/2- O GDF acaba de anunciar a publicação da relação das cooperativas habilitadas a participar dos programas habitacionais do Distrito Federal. A medida, segundo o deputado Chico Leite (PT), é muito bem-vinda, apesar de ter demorado a chegar. A luta por transparência na política habitacional é antiga. Desde 2003, Chico Leite lembra que vem trabalhando para que os programas habitacionais sejam tratados com a transparência que deve nortear a gestão pública. Nesse período, o parlamentar aprovou dois projetos de lei determinando a abertura do cadastro de inscritos nos programas habitacionais à consulta pública. Assim, os interessados poderiam acompanhar, pela internet, quem está sendo contemplado, a ordem de classificação e a expectativa de atendimento. Quanto às cooperativas habitacionais, o parlamentar defende a atuação dos movimentos sociais pró-moradia, que, inclusive, estão vinculados ao Movimento Nacional pela Reforma Urbana para inclusão do capítulo da política urbana na Constituição. Entretanto, defende que o “joio seja separado do trigo”, para evitar que entidades irregulares atuem no setor, prejudicando a política habitacional e comprometendo a imagem das entidades que atuam dentro da lei. O distrital fez um requerimento de informação ao secretário de Habitação cobrando a divulgação da relação das cooperativas e associações habilitadas a contratar com o GDF, com a identificação dos diretores, cooperados e associados, para permitir o controle social sobre a atuação das entidades. Depois, questionou a legitimidade de parlamentares da casa atestarem o funcionamento regular de tais entidades, por entender que os deputados não dispõem de condições para tanto.   
BSB, 24/2- A Caixa Econômica Federal (CEF) anunciou, recentemente, a terceira baixa consecutiva na taxa de juros de 20 linhas de crédito para pessoa física e jurídica. A notícia é boa para quem pretende adquirir um imóvel e ainda melhor para quem pensa em investir no Show de Morar Ceilândia, empreendimento financiado pela CEF e desenvolvido pela MB Engenharia, Empresa Brascan. O conjunto residencial Show de Morar Ceilândia destaca-se por ser um imóvel que possibilita um financiamento acessível para o mercado consumidor da cidade e pela área de ocupação de 50 mil metros quadrados (na QNN 27), que possibilitará aos moradores aproveitar o espaço do empreendimento para lazer e entretenimento. “Não há esse tipo de moradia de qualidade na cidade, que oferece tanto conforto e lazer. O Show de Morar tem a maior área de lazer do DF”, afirma Rubens Oseki, gerente comercial da MB Engenharia. O tamanho dos apartamentos varia entre 50 e 90 metros quadrados de área útil. Serão cinco modalidades de apartamento e quatro possuirão suíte. O residencial terá 12 torres, todas com 19 pavimentos. O modelo dos residenciais Show de Morar, que foi lançado inicialmente em Samambaia e depois expandido para a Ceilândia, é inédito no Distrito Federal e demonstra a confiança das construtoras no mercado das regiões administrativas do DF. A valorização das linhas de crédito pela Caixa, banco que financia o Show de Morar Ceilândia, aliada às condições acessíveis de pagamento oferecidas pelo empreendimento, sinaliza um crescimento do mercado imobiliário em regiões periféricas da capital federal.   
BSB, 22/2- O Ministério Público, por intermédio do Procurador-Geral de Justiça e das Promotorias de Defesa do Meio Ambiente e da Ordem Urbanística, recomendou à Câmara Legislativa que promova a divulgação das emendas ao Plano Diretor de Ordenamento Territorial do Distrito Federal – PDOT/DF, aprovadas em dezembro de 2008, e de sua redação final ainda não publicada. A Recomendação nº 1/2009 busca dar ampla publicidade ao Plano Diretor e garantir a participação popular na gestão do território, inclusive com a realização de audiência pública antes da aprovação do texto final. O MPDFT sugere, ainda, a divulgação no sitio da CLDF dos mapas e documentos técnicos, a serem nele mantidos até a realização da audiência pública correspondente à aprovação do PDOT, a ser convocada com prazo mínimo de 15 dias após a divulgação do texto final. A Recomendação solicita, por fim, que o presidente da Câmara Legislativa dê ciência do documento aos demais membros da CLDF, com o objetivo de evitar futuros questionamentos que possam retardar a efetividade da Lei Complementar destinada a ordenar a ocupação do Distrito Federal, fundamental para a regularização de situações desordenadas e danosas ao meio ambiente e ao ordenamento urbanístico.   
BSB, 20/2- Uma portaria conjunta de três secretarias do GDF determina a suspensão dos alvarás de construção para prédios com mais de 28 andares em Águas Claras. O documento, publicado hoje no Diário Oficial do Distrito Federal , é assinado pelo secretário de Ordem Pública e corregedor-geral do DF, Roberto Giffoni, pelo secretário de Governo, José Humberto Pires, e pelo secretário de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente, Cássio Taniguchi. Segundo Giffoni, em cerca de 30 empreendimentos da cidade foram detectados indícios de descumprimento da legislação. Os empresários serão notificados e terão as obras embargadas. Ele disse que nos próximos dias a Administração Regional de Águas Claras deve publicar no Diário Oficial do DF a lista com os nomes das empresas que terão as construções suspensas. O secretário de Ordem Pública esclareceu que a limitação da altura dos prédios depende do tamanho da área de edificação e do tipo de projeto. Entre as construções que serão embargadas está um arranha-ceú de 39 andares que começou a ser erguido em uma das principais avenidas de Águas Claras. As obras em ritmo acelerado e o crescimento desenfreado da cidade assustam os moradores que reivindicam que o investimento em infraestrutura acompanhe as mudanças. Eles reclamam que a malha viária não tem condições de suportar o aumento populacional e que as entradas e saídas da cidade ficam totalmente congestionadas nos horários de pico.   
BSB, 19/2- Prazo maior para as cooperativas e associações se credenciarem junto a Secretaria de Habitação. A decisão foi publicada no Diário Oficial do DF do dia 06 de fevereiro. Com o despacho, as entidades agora podem levar a documentação para a sede do órgão até o próximo dia 20 de fevereiro, sexta-feira. A previsão é que o prazo se encerre às 17 horas. O prazo anterior terminou no dia 30 de janeiro. De acordo com a Diretoria Imobiliária da Companhia de Desenvolvimento Habitacional do DF (Codhab), até agora 601 entidades, entre cooperativas e associações habitacionais, já se cadastraram na sede da Secretaria de Habitação em busca de um terreno. O próximo passo será analisar toda a documentação entregue para saber quantas e quais entidades estarão habilitadas a participarem do Programa Habitacional do GDF nos próximos cinco anos. A expectativa é que o resultado seja divulgado na primeira quinzena de março. A Secretaria de Habitação funciona no Setor Comercial Sul, Quadra 06, Edifício Seduma. O telefone para mais informações é: 61-3325.2543   
BSB, 19/2- Policiais e bombeiros militares habilitados para concorrer a um lote na Região Administrativa do Gama e que tiveram seus endereços sorteados, mas não puderam tomar posse do terreno, terão outra oportunidade nesta quinta-feira (19). É que será realizado um novo sorteio, de 195 lotes. A solenidade será às 10 horas, no 9º Batalhão de Polícia Militar do Gama, localizado na Área Especial 2 – Setor Sul. Todos os beneficiados já têm processos formalizados. No primeiro sorteio, realizado em outubro, foram entregues 556 lotes. No entanto, alguns dos contemplados não puderam tomar posse do terreno, devido a alguns empecilhos, dentre eles o de descobrir que pelo local passavam redes de escoamento de águas pluviais e de esgoto e, portanto, não poderia receber quaisquer tipos de construção. Os lotes em questão são referentes a áreas intersticiais (espaço que separa duas casas contíguas). São os chamados becos, que tiveram sua destinação aprovada na Câmara Legislativa. De acordo com o secretário de Habitação, Paulo Roriz, esses obstáculos não alteraram a proposta de se resolver o problema de moradia do pessoal da área de segurança pública por meio da distribuição dos becos. Segundo ele, já foram superados vários problemas nesse sentido, como a falta de licença do Ibama, aprovação do Plano Diretor e a autorização do projeto de desafetação da área. Surgiu, então, um outro impasse, que foi o grande número de liminares e ações judiciais, o que dificultou a ocupação definitiva das áreas cedidas pelo GDF, já que moradores da cidade contrários à doação dessas áreas se mobilizaram para impedir a construção nos becos.   
BSB, 18/2- Já estão abertas as inscrições para o II Seminário Nacional Construção Civil no Brasil. O seminário, que acontece nos dias 17 e 18 de março, reunirá em Brasília, empresários, instituições, pesquisadores e profissionais da construção civil para discutirem os problemas existentes e as soluções necessárias para o desenvolvimento do setor. Nas discussões agendadas serão abordados os processos construtivos e as dificuldades das cadeias produtivas, a gestão do conhecimento como elemento de inovação, a oferta de mão-de-obra e questões atuais que envolvem a construção civil, como a preparação da infraestrutura para a Copa do Mundo de 2014 e a perspectiva do mercado imobiliário.. II Seminário Nacional Construção Civil no Brasil Data:17 e 18 de março Local: Centro de Convenções Ulysses Guimarães Inscrições: até 28/02, R$ 600, após, R$ 700. Associados do Sinduscon-DF têm 10% de desconto. Informações e programação: www.snccb.com.br ou (61) 3443-4647   
BSB, 15/2- A Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap) fará uma nova rodada de licitações no dia 26 de fevereiro. Desta vez, a empresa colocará à venda 193 terrenos - 70 deles só no Jardim Botânico III. Os lotes na região são considerados um ótimo negócio pela proximidade com a área central de Brasília e a realização de obras de infraestrutura. Além deles, 52 terrenos serão vendidos em Samambaia, 31 na Ceilândia e 40 em outras cidades do DF. Já as vendas do Noroeste foram suspensas e só serão retomadas no dia 26 de março. Quem quiser entrar na disputa por um terreno neste início de ano terá facilidades. De acordo com Luiz Antônio Reis, diretor Técnico e Comercial da Terracap, a forma de pagamento é um atrativo: entrada de 5% e parcelas em até 240 meses. Os preços variam conforme o tamanho. No Jardim Botânico, por exemplo, o lote mais barato, de 800 m², é ofertado a R$ 179,1 mil. O lote mais caro, de 1.347 m², sai por, no mínimo, R$ 276,5 mil. O Jardim Botânico III ocupa 191 hectares, divididos em 695 lotes comerciais e residenciais, dos quais já foram vendidos 93 terrenos em quatro licitações. Pelo projeto urbanístico, nas áreas comerciais poderão ser construídas escolas, centros culturais, espaços para clubes esportivos, bares, restaurantes, lojas, farmácias e outros pequenos e médios empreendimentos. Para acelerar a ocupação, a Terracap já está levando asfalto, calçadas, energia elétrica e rede de água e esgoto para o bairro. Segundo Reis, as licitações são feitas a partir de análises sobre o comportamento do mercado imobiliário. Com a crise econômica mundial, a preocupação da empresa é não saturar o comércio com licitações seguidas de lotes no Noroeste. Em vez disso, a Terracap preferiu dar uma pausa nas licitações para que o mercado possa recuperar o fôlego financeiro e, assim, continuar investindo em grandes empreendimentos. Além disso, pesou na decisão da companhia o fato de fevereiro ser um mês em que as vendas não são tão boas.   
BSB, 14/2- Quem pode sair ganhando com o anúncio do novo pacote habitacional do governo é a classe média do Distrito Federal. O governo estuda permitir o uso do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) na compra de imóveis de até R$ 500 mil, além da ampliação, em pelo menos 10%, da parcela que pode ser financiada nos bancos, o que reduz o montante de recursos próprios que o comprador tem que colocar no negócio. Há, também, o objetivo de incentivar, via subsídio e fundo de aval, a compra da casa própria pelas famílias com renda de até 10 salários mínimos ( R$ 4.650), valor que atende parte da classe média brasiliense, algo que não acontece atualmente, com o teto de cinco mínimos. A possibilidade do uso do FGTS como parte do pagamento de imóveis de valor mais elevado é considerada a medida mais importante para o DF. Isso porque, segundo o vice-presidente do Conselho Regional de Corretores de Imóveis (Creci-DF), Saulo Cortes, o preço dos imóveis em Brasília praticamente inviabiliza a utilização do FGTS. Pelo acompanhamento que Cortes faz do mercado imobiliário da cidade, poucos imóveis do Plano Piloto se enquadram nas regras atuais do Sistema Financeiro da Habitação, que permitem a utilização do fundo de garantia como pagamento total ou parcial do preço de uma residência de valor até R$ 350 mil.   
BSB, 14/2- A segunda boa notícia do pacote é o aumento da parcela a ser financiada com recursos da caderneta de poupança, justamente os imóveis mais caros. A parcela financiável pode passar dos atuais 80% do valor do imóvel para 90%, o que significa um esforço menor para o adquirente em termos de entrada. É que todo financiamento pressupõe uma parcela de recursos próprios que o futuro mutuário coloca no negócio. Como o financiamento habitacional é de longo prazo, o que leva as famílias a comprometerem por 20 anos ou mais até 30% da renda com o pagamento da prestação, quanto menor a parcela a ser financiada melhor. No geral, na compra da casa própria, as famílias de classe média entram com poupança própria no valor de 25% do imóvel. O FGTS cobre outros 40%, ficando o financiamento responsável por cerca de 35% do valor da residência. A terceira decisão que beneficia parte dos brasilienses foi anunciada pela ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, na última quarta-feira no encontro com os prefeitos. O governo vai subsidiar a aquisição da casa própria pelas famílias com renda mensal de até 10 salários mínimos ( R$ 4.650). A ideia inicial era chegar a no máximo cinco salários (R$ 2.325). O novo valor favorece o morador do DF, que tem renda média acima da nacional. Para quem pretende comprar a tão sonhada casa própria em uma cidade próxima a Brasília, com financiamento do FGTS, o valor do empréstimo pode alcançar o do imóvel. O FGTS financia imóveis de valor até R$ 130 mil. Com prazo de financiamento em 30 anos, a parcela financiável é de 80%. Os 20% restantes devem sair do bolso do mutuário.   
BSB, 12/2- A Secretaria de Habitação vai divulgar até o fim do mês a lista das cooperativas habilitadas no programa de moradias populares. O governo deu início à análise de documentação entregue no recadastramento, que se encerrou em 30 de janeiro. Enquanto a secretaria tenta fazer um novo pente-fino nessas entidades, o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) investiga denúncias de irregularidades entre elas. Em outubro passado, a Secretaria de Habitação concluiu uma limpeza na lista de cooperativas cadastradas no órgão. Das 427, restaram 136 classificadas. As principais irregularidades eram: cooperativas em nome do mesmo presidente, diferentes entidades com a lista repetida de associados, endereços inexistentes e falta de documentação. A lista, porém, provocou reações. Representantes de cooperativas contestaram a divulgação, alegando que muitas nem tinham se apresentado para a inscrição, porque não se interessavam pela área que havia sido oferecida em Samambaia. A Secretaria de Habitação decidiu, então, abrir um amplo recadastramento das associações para elaborar nova lista. É essa que ficará pronta até o fim de fevereiro. As selecionadas poderão concorrer às 7 mil novas unidades habitacionais que serão ofertadas nos próximos dois anos. As áreas a serem destinadas às cooperativas ficam em Santa Maria, Guará, Riacho Fundo II e até na Cidade Ocidental (GO), onde o GDF também possui terrenos.   
BSB, 11/2- O Distrito Federal vai ganhar o seu primeiro arranha-céu residencial. Um prédio de 36 andares está em construção em Águas Claras. Quando ficar pronto, em dezembro de 2011, o edifício será o maior já erguido no DF. Terá 109,26 metros de altura. O espigão será mais alto que o Congresso Nacional e o Banco Central, as duas maiores construções do Plano Piloto, com 28 pavimentos e 92 metros e 23 pavimentos e 101 metros, respectivamente. O empreendimento, da Via Engenharia, chama-se Via Naturale. Está sendo construído em uma área privilegiada de Águas Claras, perto do shopping da cidade. Tem duas torres: uma, com 35 andares de apartamentos, um térreo e a cobertura —, mede 109 metros. Na outra serão 28 pavimentos, além da cobertura e do térreo, em um total de 89,10 metros. O condomínio é de luxo: terá área de lazer com complexo aquático, varanda gourmet integrada aos apartamentos, playground, saunas, academia, churrasqueira e spa. Os apartamentos, de três ou quatro quartos, custam entre R$ 350 mil e R$ 440 mil. O Via Naturale terá cerca de 250 apartamentos (quatro por andar) e recebeu alvará de construção em junho do ano passado. Quando for entregue, em 2011, trará pelo menos mais mil moradores para Águas Claras. Nos próximos meses, novos arranha-céus ainda podem surgir na cidade. Antônio Távora, administrador de Águas Claras, diz que há outros empreendimentos “do mesmo porte” que o Via Naturale com projetos já aprovados. O administrador não sabe informar quantos são, mas garante que todos foram estudados pelos técnicos.   
BSB, 10/2- A Emplavi acaba de entregar kits escolares para a equipe de colaboradores da construtora. Operários e equipe administrativa que tiverem filhos na idade escolar entre 1ª e 5ª série receberam o material. Segundo o gerente de Recursos Humanos da Emplavi, José Arruda, a proposta não é estimular somente o funcionário, desenvolvendo ações internas, como também toda a sua família. “Queremos incentivar os estudos dos filhos da nossa equipe. De certa forma, isso reflete nos próprios pais, que economizarão no orçamento do material escolar e terão o apoio da empresa onde trabalham para a educação de seus filhos”, enfatiza. A entrega do material foi realizada pela equipe de Recursos Humanos e da Qualidade da empresa e, ao todo, foram entregues mais de 310 kits. O kit contém caderno de capa dura, lápis de cor, canetinhas, caderno de desenho, três lápis, três canetas esferográficas, apontador, borracha e uma pasta.   
BSB, 8/2- O presidente Luiz Inácio Lula da Silva autorizou um financiamento de R$ 284 milhões da Caixa Econômica Federal para o Governo do Distrito Federal (GDF). A decisão foi acertada com o governador José Roberto Arruda em reunião, no fim da tarde, no Palácio do Planalto. Segundo o governador, a liberação dos recursos — que fazem parte do programa Pró-Moradia, mantido com dinheiro do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) — ocorrerá em, no máximo, duas semanas. Para tanto, resta apenas a assinatura do contrato entre o banco público e o GDF, considerada uma mera formalidade burocrática. A ideia de Arruda é usar R$ 208 milhões para levar o Pró-Moradia, que prevê obras de drenagem pluvial, saneamento básico e asfalto, a dois loteamentos na Ceilândia: Pôr-do-Sol e Sol Nascente. A verba restante será aplicada para concluir projetos em andamento em Arapoanga e Mestre D’Armas, em Planaltina. Nessas localidades, as obras começaram graças a recursos desembolsados pelo GDF, que reservou cerca de R$ 200 milhões do próprio caixa para o programa. Antes de fechar um acordo com o presidente, o governador teve de negociar com a Caixa, o Ministério das Cidades e a Casa Civil. Como a proposta avançou em tais órgãos, Arruda incluiu o valor do financiamento no Orçamento deste ano.   
BSB, 7/2-As empresas do segmento imobiliário devem ficar atentas, pois o prazo para a entrega da Dimob (Declaração de Informações sobre Atividades Imobiliárias) será no último dia útil de fevereiro, dia 27 (após o Carnaval). As informações que deverão constar na declaração são as operações ocorridas a partir de 1º/1/2008. A empresa que não entregar a Dimob ou que entregá-la após o prazo será penalizada em R$ 5 mil por mês-calendário. Para mais informações, acesse o site da Receita Federal: www.receita.fazenda.gov.br.   
BSB, 7/2– A MB Engenharia abriu mais um grande empreendimento residencial em Águas Claras. Na quinta-feira, dia 5 de fevereiro, foi lançado o Sinfonia Prime Residence, no estande da MB Home Gallery. O empreendimento será erguido em frente à Praça Irerê, na quadra 202, lotes 7 e 9. Composto por quatro blocos com 17 pavimentos e 238 unidades, ele oferece apartamentos de três e quatro quartos, entre 98 e 144 metros quadrados. Quem estiver no evento de abertura será agraciado com condições especiais. O imóvel tem previsão de entrega para julho de 2010. Quem fechar negócio com o empreendimento ainda na planta, especialmente na ocasião do lançamento, pode garantir um financiamento mais flexível e uma tabela promocional de preços. Além da localização privilegiada em Águas Claras, o Sinfonia vai dispor de uma enorme variedade de espaços de lazer e convivência, para todos os gostos e idades. O conforto e sofisticação do residencial também podem ser notados no espaço gourmet, na vinheria e no ateliê de arte Das 238 unidades, 136 serão de três quartos e 102 de quatro quartos. Apartamentos de três quartos terão tamanhos de 98,50, 101 e 103,60 metros quadrados (m²). Já as unidades de quatro quartos serão oferecidas em áreas de 129,10, 144 e 144,30 m². Os interessados em saber mais sobre o residencial Sinfonia podem visitar o estande da MB Home Gallery, localizado ao lado da estação Águas Claras.   
BSB, 6/2- A partir de 1° de março, os carnês do IPTU começam a chegar aos cerca de 700 mil imóveis do Distrito Federal. A primeira parcela ou a parcela única terá vencimento entre os dias 6 e 14 de abril. Proprietários (ou inquilinos) poderão quitar o imposto em até seis parcelas, mas quem pagar o valor à vista também terá desconto de 5%, como no IPVA. “A lei prevê que a base de cálculo é o valor do imóvel. Este ano o IPTU terá um reajuste de no máximo 7,15% independentemente do preço do imóvel. O valor será determinado de acordo com o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC)”, explica o subsecretário da Receita Federal, Adriano Sanches. A arrecadação prevista do IPTU em 2009 é de R$ 357 milhões. De acordo com Sanches, o imposto registra uma inadimplência média de 20%, bem superior à do IPVA que apresenta média de 5%. Os imóveis edificados considerados mistos, residenciais e comerciais, até 2008 eram tributados com alíquota de 1%. Este ano, todos os imóveis serão cobrados com taxa de 0,3%, valor referente aos residenciais. Ao longo de 2009, os proprietários de imóveis mistos deverão especificar à Secretaria de Fazenda qual o tamanho da área utilizada com finalidade comercial, para que   
BSB,5/2- Segundo notas publicadas na coluna No Alto da Torre (Jornal de Brasília, 3/2), da jornalista Paola Lima, pode sair agora em fevereiro o segundo lote de terrenos do Noroeste. De acordo com a coluna, a Terracap estuda qual alternativa é mais viável: incluir os terrenos não comercializados na primeira licitação já neste mês ou, por conta do carnaval e da provável baixa procura adiar a venda dos lotes para o mês de março. De certo é que os terrenos que não foram comercializados serão acrescidos aos poucos nas futuras licitações. E por falar em licitação, chama a atenção a jornalista, os números registrados na venda dos primeiros lotes do novo setor surpreenderam até mesmo a Terracap. Noventa e uma empresas participaram, do leilão que contou com 34 compradores ao final. Desses, apenas 12 eram de fora do DF (SP,RJ e GO). Os restantes 22 compradores eram empresas, cooperativas e fundos de assistência locais.   
BSB,5/2– A Emplavi entregou no dia 29 de janeiro, os blocos A e B do Garden Park, localizado na 911 Norte, próximo ao local onde será implantado o parque Burle Marx. A primeira etapa do empreendimento era para ser entregue em agosto deste ano, mas a obra foi concluída com sete meses de antecedência e entregue aos novos proprietários. Mais de 100 pessoas, entre moradores, familiares e equipe da construtora, estiveram reunidas nas instalações do Garden Park para um coquetel de entrega e eleição da comissão de condôminos. De acordo com o diretor-presidente da Emplavi, Gil Pereira, a política da construtora é sempre surpreender seus clientes. “Buscamos mecanismos diferenciados para atender e superar da melhor maneira a expectativa de nossos clientes. E a entrega antecipada é uma de nossas estratégias”, explica Pereira. Fruto de um investimento de R$ 68 milhões, o Garden Park conta com 660 unidades, distribuídas em dez prédios. O condomínio fechado tem área urbanizada com jardins e é composto por prédios de três andares, com elevadores, garagem privativa, e monitoramento de portaria 24 horas. As unidades possuem espaço para dois ambientes e copa.   
BSB, 3/2- O esforço dos deputados distritais para legalizar a concessão de alvará para estabelecimentos que funcionam em locais proibidos pela legislação urbanística vai ser questionado judicialmente pelo Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT). O assunto voltou a levantar polêmica após a publicação do artigo 35 da Lei Distrital nº 4.201/08, no Diário Oficial do DF de 22 de janeiro deste ano. Moradores das quadras residenciais 700 de Brasília estão indignados com a medida por temerem a reabertura das pensões, mesmo com um decreto do ano passado proibindo o alvará para lotes residenciais. O artigo 35 permite a emissão do Alvará de Localização e Funcionamento de Transição para atividades em “desconformidade com o uso previsto em legislação urbanística e para edificações que não têm carta de habite-se” (veja o que diz a lei). O artigo havia sido vetado pelo governador José Roberto Arruda. Em 3 de dezembro, por 18 votos a dois, os distritais derrubaram o veto. A Assessoria de Controle de Constitucionalidade do MPDFT prepara para esta semana um pedido para que o Tribunal de Justiça declare a inconstitucionalidade do artigo 35. O assunto só chamou a atenção dos moradores com a publicação do artigo 35, mas a verdade é que o artigo 10 da mesma legislação — também questionado pelo MPDFT — já tratava do assunto, com a diferença de não fixar o prazo da autorização. O receio dos moradores é que a medida abra brechas para que as pousadas das quadras 700 voltem a funcionar.   
BSB, 2/2- A Câmara Legislativa retoma nesta semana os trabalhos com nova direção e pauta antiga. Os próximos meses serão dedicados novamente à discussão da revisão do Plano Diretor de Ordenamento Territorial (Pdot) e de leis que o regulamentem. Na primeira semana, os deputados distritais terão de aprovar a redação final do projeto votado em primeiro e segundo turnos no fim do ano passado e encaminhar o texto à apreciação do governador José Roberto Arruda (DEM). Os parlamentares apresentaram 305 emendas ao Pdot. O texto votado já era um substitutivo ao projeto encaminhado pelo Executivo um ano e meio antes. Com tantas alterações, dificilmente o plano passará pelo governo sem cortes. Muitas emendas deverão ser vetadas pela forma como foram apresentadas. Outro problema que deverá ocorrer é o vício de iniciativa. A criação de novas áreas habitacionais e expansão urbana, por exemplo, é uma prerrogativa do Executivo e não pode partir dos parlamentares. Os vetos do governador Arruda, no entanto, serão analisados pelos distritais. Mesmo que alguns pontos de discordância entre Executivo e Legislativo sejam mantidos, o Ministério Público também vai agir. O procurador-geral de Justiça do DF, Leonardo Bandarra, deve encaminhar ao governador Arruda uma recomendação de vetos a alguns pontos considerados inconstitucionais ou prejudiciais ao meio ambiente, como é o caso, por exemplo, da criação do Setor Habitacional Catetinho. Neste semestre, assim que o Pdot estiver definido, o governo vai encaminhar à Câmara outro projeto complexo e controverso. É a Lei de Uso e Ocupação do Solo no Distrito Federal, que vai regulamentar em detalhes todas as diretrizes definidas no Pdot. Com o assunto em pauta, não é à toa que a presidência da Comissão de Assuntos Fundiários (CAF) está entre os cargos mais disputados na Câmara.   
BSB, 30/1- A primeira licitação dos lotes do Setor Noroeste aconteceu nesta segunda-feira (29), na sede da Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap). Após um começo conturbado, a Terracap vendeu 85% dos imóveis ofertados, no novo bairro, e arrecadou cerca de R$ 537 milhões, inferior aos 650 milhões esperados pela Terracap. Segundo o presidente da Terracap, Antônio Gomes, a licitação foi um sucesso de público e de venda. O processo, marcado para 10h desta quinta-feira, foi suspenso logo no início, por conta de uma liminar do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT). Por volta das 11h, o desembargador do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT), Nívio Geraldo Gonçalves, suspendeu a paralisação. Cerca de uma hora e meia foram suficientes para a venda de 85% dos 63 terrenos em oferta. Foram colocados a venda 52 lotes destinados a edifícios residenciais e outros 11 para prédios em quadras comerciais. Ao todo, foram registradas 163 propostas. O montante arrecadado nesta licitação foi maior que o total de vendas dos dois anos do governo atual. O valor também superou o arrecadado nos quatro anos do governo passado. Os cerca de R$ 500 milhões arrecadados com a licitação serão destinado à infraestrutura do Setor Noroeste, além de auxiliar na melhoria de Ceilândia, Recanto das Emas, Samambaia, entre outras regiões administrativas.   
BSB, 29/1- Esta marcado para hoje, (29), a primeira concorrência dos lotes do Setor de Habitações Coletivas Noroeste. Serão colocados à venda, a partir das 9h, 52 projeções residenciais e 11 comerciais. Cada lote será licitado individualmente. Arrematará o terreno aquele que oferecer maior preço. A licitação será na sede da Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap), que fica atrás do Palácio do Buriti. Segundo divulgou a Terracap o preço médio das projeções do novo bairro é de R$ 1,6 milhões. Os terrenos de 6,45 mil m² terão o preço mínimo de R$ 10,02 milhões e os com 9,45 mil m² , o valor de 14,9 milhões. A expectativa do governo é de arrecadar cerca de R$ 650 milhões, que de acordo com a estatal serão investidos em infra-estrutura para o bairro. O edital da licitação está disponível em qualquer agência do Banco de Brasília (BRB). Com o documento em mãos, os interessados têm informações sobre a localização, o tamanho, os preço e as condições de pagamento do terreno. Após escolher o lote, o interessado deve depositar a caução (que corresponde a 5% do valor do lote escolhido) em uma agência do BRB. O resultado é imediato. O ganhador deverá dar 20% de entrada e o restante poderá ser parcelado em até 12 meses. Para quem prefere investir em outras regiões do DF, a Terracap também colocou mais 146 terrenos à venda. São terrenos comerciais e residenciais em várias cidades, como Águas Claras, Brasília, Jardim Botânico 3, Ceilândia, Lago Norte, Núcleo Bandeirante, Recanto das Emas, Samambaia, Santa Maria, Sobradinho e Taguatinga. Os preços variam entre R$ 37 mil e R$ 955 mil.   
BS, 27/01- A polêmica envolvendo a construção da Praça da Soberania, projeto de Oscar Niemeyer para a Esplanada, já chegou ao Ministério Público Federal do Distrito Federal. Nesta segunda-feira (26/01), o procurador da República no DF Francisco Guilherme Bastos instaurou um inquérito civil público a fim de apurar a legalidade e regularidade do projeto apresentado pelo próprio arquiteto ao governador José Roberto Arruda, em janeiro. Segundo a assessoria de comunicação da Procuradoria da República do Distrito Federal, o objetivo do inquérito, além de preservar a área tombada, é “conhecer o posicionamento oficial do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e do Governo do Distrito Federal (GDF) sobre o projeto”. Com a publicação do inquérito, ofícios — que requisitam informações oficiais sobre o assunto — serão enviados ao superintendente do Iphan e ao governador José Roberto Arruda, que terão um prazo de dez dias úteis para prestar os esclarecimentos solicitados. A preservação das características do conjunto urbanístico de Brasília está prevista na Portaria do Iphan nº 314, de 8 de outubro de 1992. Anteriormente à decisão do Ministério Público Federal de analisar o caso, o superintendente do Iphan no DF, Alfredo Gastal, já havia afirmado que a construção é proibida pelas duas leis que tombaram a cidade, a federal e a distrital. Segundo ele afirmou, no último domingo, não se pode erguer nada no canteiro central do Eixo Monumental, entre a Rodoviária e a Praça dos Três Poderes. Gastal ameaçou recorrer à Justiça caso o GDF insistisse em fazer a praça. “Estamos abertos a conversar com o governador quando ele quiser e ele sabe disso. Mas aquela é uma área protegida contra construções.” Na ocasião, a assessoria do governador José Roberto Arruda informou que ele não desistiu do projeto, mas mantem a posição de não construir a praça imediatamente.   
BSB, 27/01- A Emplavi vai premiar hoje (27), seus melhores corretores do semestre passado. Na ocasião, serão entregues prêmios para os cinco mais bem colocados em número de imóveis vendidos. A cerimônia de premiação ocorre na sede da empresa, às 18h. Wilson Charles, gerente de vendas da Emplavi, acredita que a premiação serve de estimulo para os corretores. "A premiação tem o intuito de reconhecer o profissional destaque, bem como criar uma competitividade saudável entre os corretores, para que eles possam buscar melhores resultados no semestre", comenta o gerente. O primeiro colocado vai ganhar um Gol nova geração; o segundo também leva um Gol Special; o terceiro, uma viagem para Cancun; o quarto, um pacote para qualquer capital do Nordeste; e o quinto, três dias na Pousada do Rio Quente, em Caldas Novas (GO).   
BSB, 26/01- Tão aguardada pelo mercado imobiliário, vem aí, no próximo dia 29, a primeira licitação de lotes no novo Setor \Noroeste. A Comissão de Licitação abrirá todos os envelopes com propostas e será escolhida aquela que oferecer o maior valor pela projeção. Caso ocorra algum empate, será escolhido quem oferecer o pagamento à vista. Se ainda assim o empate persistir, ganhará o comprador que oferecer a maior entrada. Será feito sorteio se nenhum destes critérios desempatar a situação. O resultado da licitação será publicado no Diário Oficial do DF no dia 30 de janeiro. Os ganhadores devem pagar a entrada à vista até o dia 6 de fevereiro. Pessoas físicas que quiserem participar da licitação podem formar um grupo para fazer a proposta, já que os valores mínimos são consideráveis. Apesar de a Terracap estar dando esta oportunidade para pessoas físicas que querem comprar lotes, o presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Distrito Federal (Sinduscon), Elson Ribeiro Póvoa, acredita que não haverá a procura de pessoas, apenas de empresas. “Pessoas físicas não devem se interessar pela licitação, a não ser que se juntem para fechar um condomínio”, afirma Elson. O dirigente acredita que vai ser uma disputa acirrada, já que o Noroeste é uma área muito esperada pelas construtoras e bastante disputada por ser uma área nobre. “As pessoas físicas só devem participar se ocorrer uma junção entre elas, as construtoras e incorporadoras”, aconselha Elson.   
BSB, 24/01- O que vem sendo apontado como um verdadeiro transtorno tanto para moradores e visitantes pode estar perto de achar uma solução. A partir de hoje (24), o trânsito de Águas Claras vai mudar. A cidade passou nesta semana pelos retoques finais das obras que transformam a duas principais avenidas, a Araucárias e a Castanheiras, em vias de sentido único. Com as mudanças, o governo pretende acabar com os problemas de congestionamento na cidade. A Avenida Araucárias terá o sentido Taguatinga-Brasília, a Avenida Castanheiras, o sentido Brasília-Taguatinga, as duas com três faixas cada uma. O esquema montado na cidade é denominado Sistema Binário, ou seja, cada avenida principal terá uma pista paralela em sentido contrário para dar apoio aos motoristas, as chamadas Boulevards. O diretor-geral do Departamento de Trânsito do DF, Jair Tedeschi, visitou Águas Claras para acompanhar o término das obras. Para Tedeschi, tudo está dentro do prazo. Segundo ele, todas as placas de sinalização estão instaladas, a pintura das faixas das pistas estão praticamente concluídas e falta apenas a instalação de um, dos quatro conjuntos de semáforos que a obra prevê. O administrador de Águas Claras, Antônio Távora, acredita que as alterações são as melhores possíveis e resolverão o trânsito da cidade. Segundo Távora, o custo total da obra foi de cerca de R$ 16 milhões. Ele também lembrou que as melhorias resolverão o trânsito por agora. "Vamos verificar com o passar do tempo se o novo esquema suportará o aumento da população da cidade." A população de Águas Claras está em torno de 110 mil habitantes e as construções já prontas da cidade correspondem à metade do plano diretor, que prevê construções em mais 524 lotes, entre empreendimentos residenciais e comerciais.   
BSB, 22/01- Depois de sucessivas administrações e anos de abandono, o governo vai retomar o Projeto Orla, idealizado há 13 anos mas esquecido na última década. Até o fim deste mês, será lançado o edital de licitação das obras de revitalização da Concha Acústica, que terá uma enorme marina pública, além de quiosques, bares e restaurantes. Outros dois pontos de lazer também ficarão prontos este ano e novos estudos estão em andamento para a ocupação de mais áreas à beira-lago. A Concha Acústica, no Setor de Clubes Norte, foi escolhida como modelo para a retomada do Projeto Orla porque a área recebeu o piloto da iniciativa em 1996. Para dar nova vida à área da Concha Acústica, o governo local vai investir R$ 11 milhões na revitalização e urbanização do local, que terá 1,3km de pista de cooper, seis restaurantes e cinco quiosques. Uma marina pública será construída no formato da base onde está localizada a estátua de Juscelino Kubitschek no Memorial JK. Os lotes dos restaurantes já foram todos vendidos pela Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap), em 1997, e os quiosques serão licitados pelo governo com base na nova legislação. O GDF vai investir R$ 2,4 milhões para tirar do papel o Projeto Beira Lago. Ao todo, 43 lotes na região já foram vendidos e alguns restaurantes já funcionam no local, usando como atrativo a vista para o lago. Haverá lojas, com foco nas atividades náuticas, e uma grande marquise à beira-lago. Democratizar o acesso ao Lago Paranoá e urbanizar as suas margens, preservando o espelho d’água e a natureza. Esse é o desafio do governo com a retomada do Projeto Orla. Até o final do ano, três polos serão inaugurados. Mas o GDF estuda a viabilidade ambiental de outros seis pontos, que poderão receber obras. A Ponte do Bragueto, entre a Asa Norte e o Lago Norte, e a área próxima à Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), no fim da Asa Sul, estão entre as prioridades.   
BSB, 19/01- Até o final do mês o Ibama vai concluir a análise do estudo de impacto ambiental da região de Vicente Pires. Se aprovado, o instrumento vai permitir o licenciamento ambiental da nova cidade, que faz limite com Taguatinga e tem cerca de 60 mil moradores. Segundo a superintendente do Ibama, Maria Sílvia Rossi, dos 180 pedidos de licenciamento de áreas ocupadas feitos pelo governo, que aguardam na lista de espera do órgão, 49 foram selecionados pelo próprio GDF como prioritários. Entre eles, os cinco mais complexos são: Vicente Pires, Varjão, Mestre D'Armas, Colônia Agrícola Arniqueiras e Ceilândia (condomínios Pôr-do-Sol e Sol Nascente). Enquanto de um lado, o Grupo de Análise de Parcelamentos (Grupar) reclama da morosidade do Ibama, de outro, o órgão licenciador alega que os estudos elaborados por empresas contratadas são mal feitos e incompletos. O estudo ambiental de Vicente Pires, por exemplo, foi entregue há dois anos e já está na sétima complementação exigida pelo Ibama   
BSB, 17/01- A construção do primeiro “bairro verde” de Brasília deve gerar 30 mil empregos diretos, além de arrecadar cerca de R$ 4 bilhões para os cofres do GDF. Lançado na sexta-feira (16), o Setor Noroeste tem o apoio do setor produtivo local. “Além de gerar ocupação de mão-de-obra, ele atende à necessidade de habitação no Plano Piloto de forma preocupada com o meio ambiente”, destacou o vice-presidente da Fecomércio/DF, Alberto Vilardo O novo setor habitacional vai abrigar 40 mil habitantes, com 220 projeções residenciais e 198 prédios comerciais. “Vamos construir o Noroeste dentro da lei. Aqui, vai comprar terreno e construir o empresário que paga imposto, que gera emprego e obedece às leis”, ressaltou o governador José Roberto Arruda. “Vivemos hoje um novo capítulo histórico na história de Brasília. Encerramos agora uma luta de mais de 20 anos”, concluiu o presidente da Terracap, Antônio Gomes (no centro). A licitação para venda dos primeiros lotes do Noroeste será no dia 29 de janeiro, quando serão vendidos 73 terrenos. Os empresários interessados devem pagar a caução na Terracap até o dia 28.   
BSB, 16/01- Nem mesmo as incertezas do cenário internacional atrapalharam o bom desempenho nas vendas de 2008 da Emplavi. O resultado obtido superou o de 2007, com crescimento significativo de 55% em relação ao ano anterior. Para o diretor-presidente da Emplavi, Gil Pereira, o mercado esteve receptivo durante todo ano. Além disso, ele destaca que alguns lançamentos ajudaram na boa atuação da construtora. “Somente nos dois últimos meses do ano passado, quando muitas pessoas deixam a cidade e o ritmo das vendas desacelera, vendemos 100 unidades, o que é bastante significativo para a receita da empresa”, exemplifica Pereira, lembrando que o imóvel é um ativo real muito seguro. Gil ainda pontua que os números positivos refletem a credibilidade e a liquidez dos empreendimentos lançados pela construtora. A soma de quase mil unidades vendidas, sem dúvida, foi uma grande realização para a construtora em 2008. A empresa colocou a venda três empreendimentos ao longo do ano: o Park Studios, laçado em agosto e que já está com 70% das unidades vendidas; Paladium, situado em Águas Claras; Park Ville e o Garden Park, localizados na Asa Norte. No ano passado, também inclui-se a entrega do Riviera, condomínio fechado em Águas Claras, bem como seis blocos do Green Park e quatro prédios do Gran Ville, ambos no Plano Piloto. Gil destaca que 2008 foi o ano do setor, mas, para ele, o cenário deste ano pode ser ainda melhor. Tanto o lançamento de um novo empreendimento, previsto para o próximo mês, quanto a criação do setor Noroeste serão coadjuvantes para impulsionar as vendas. garante o diretor-presidente, acrescentando que o perfil dos imóveis da construtora na região serão unidades compactas de um e dois quartos.   
BSB, 15/01- As cooperativas e associações habitacionais do Distrito Federal ganharam um prazo maior para para apresentarem a documentação exigida pelo GDF para o credenciamento nos programas habitacionais. A nova data é 30 de janeiro, conforme publicação no Diário Oficial do Distrito Federal desta quarta-feira (14/01). As entidades encontraram dificuldade para recolher os documentos no prazo estipulado anteriormente. No fim de novembro do ano passado, das 400 cooperativas que participaram do edital, apenas 200 apresentaram toda a documentação. Segundo a Secretaria de Habitação, quase todas as associações conseguiram recolher os documentos. Mas a estimativa é de que quatro ainda têm pendências. Há uma semana, 50 representantes do movimento foram ao gabinete da secretaria e pediram a prorrogação do prazo, já que, com o período de recesso muitos órgãos demoram a entregar a documentação necessária. O secretário interino de Habitação, Luiz Bandeira, recebeu nesta quarta-feira mais de 100 representas que foram agradecer pela prorrogação do prazo e, ao mesmo tempo, apoiaram a documentação rigorosa para provar a idoneidade do movimento. Com a aprovação do Plano Diretor de Ordenamento Territorial (PDOT), no fim do ano passado, diversos setores novos foram aprovados no DF, e cerca de 20 mil unidades habitacionais poderão ser criadas para atender as famílias de baixa renda da região.   
BSB, 15/01- Com o lançamento do edital de licitação de terrenos no Setor Noroeste e a divulgação dos preços mínimos das projeções, as empresas de construção civil já organizam as finanças para comprar lotes e começam a fazer os cálculos de quanto custará o metro quadrado no novo bairro. Especialistas e corretores estimam que um imóvel de 100 metros quadrados no Noroeste, ainda na planta, poderá valer R$ 800 mil. A tendência de mercado é que a maioria dos apartamentos tenha dois ou três quartos. Mas haverá também imóveis de luxo, amplos e com grandes varandas — que poderão ultrapassar os R$ 3 milhões. A licitação de 63 terrenos no setor — 52 lotes para prédios residenciais e 11 para edifícios comerciais — será em 29 de janeiro. Representantes do setor imobiliário e da construção estimam que seja registrado um ágio de até 10%. Assim, a projeção que tem preço mínimo de R$ 10,3 milhões pode ser vendida por R$ 11,3 milhões. A tendência é que, com a valorização dos lotes para prédios, o metro quadrado dos apartamentos fique ainda mais alto. O preço mínimo dos lotes estabelecido pelo governo varia entre R$ 10 milhões e R$ 14,9 milhões. O Setor Noroeste segue as mesmas diretrizes do Plano Piloto, com prédios de seis andares e comércios locais. Mas a ideia é que o novo bairro não repita o que deu errado nas primeiras quadras e no Setor Sudoeste. Por isso, os edifícios comerciais ficarão mais afastados das residências, para que o vaivém nas lojas não atrapalhe os moradores. O novo bairro brasiliense terá 20 superquadras, com 220 prédios residenciais e 198 edifícios comerciais. Os projetos de engenharia de cada um dos prédios terão que ser aprovados pela Administração de Brasília, pois caso não tenham sistema de energia solar, reuso da água da chuva ou captação de lixo a vácuo, não serão aprovados.   
BSB,13/01- O setor Noroeste será oficialmente lançado nesta sexta-feira (16/01). Inicialmente serão licitados 52 projeções residênciais, de valores que variam de R$ 10,3 milhões a R$ 14,9 milhões, além de 12 lotes comerciais. Serão 11 projeções comerciais no valor de R$ 2,011 milhões, com 900 metros quadrados, e uma de 750 metros quadrados no valor de R$ 1,75 milhões. A venda ocorre no dia 29 de janeiro. Para participar da licitação a construtora terá que depositar 20% do valor como caução. Caso ganhe a compra esse valor servirá como entrada e o restante do valor poderá ser pago em até 12 meses A companhia pretende fazer uma nova licitação do Noroeste a cada mês de 50 a 55 lotes. O novo setor foi dividido em 220 projeções residenciais e 198 de comércio e serviço. A expectativa é que as primeiras construções comecem em seis meses, prazo necessário para a apresentação e aprovação dos projetos na administração de Brasília e para a liberação do alvará para construção. Os prédios residenciais terão que ter pilotis, podem ter até seis pavimentos e obrigatoriamente devem ter garagem. O governo vai investir aproximadamente R$ 400 milhões em infraestrutura, A Secretaria de Obras está licitando as obras em janeiro e o objetivo é que elas fiquem prontas junto com os primeiros prédios entregues.   
BSB, 11/01- Está em estudo no governo do Distrito Federal a proposta de criação de um fundo de investimentos, estruturado pelo Banco de Brasília (BRB), para comprar os contratos de financiamentos da Terracap. A intenção do Executivo é antecipar os créditos futuros da empresa decorrentes da venda a prazo de terrenos e reverter esse dinheiro já em 2009 nas obras de infraestrutura urbana dos novos setores habitacionais. Ainda faltam alguns ajustes, mas o acordo está em fase final. Estruturador do fundo, o BRB venderá as cotas no mercado e o investidor terá um rendimento praticamente garantido que pode chegar perto do percentual de 1% ao mês, mais o IGPM. Esse valor é o que a Terracap cobra de seus clientes, em contratos de financiamento que podem chegar a parcelas de até 240 meses. O BRB lucra com a taxa de administração do fundo. Para vender as cotas com mais facilidade, o banco e a Terracap podem acertar algumas regras para dar mais garantia ao investidor, como o GDF arcar com grande parte das eventuais inadimplências dos compradores de terrenos. Para o comprador as regras de financiamento hoje em vigor mudam. A vantagem é a agilidade do governo em promover obras de urbanização, principalmente em bairros recém-criados ou em vias de serem implantados, como o Setor Noroeste.   
BSB, 9/01- A forte chuva que caiu na tarde desta quinta-feira (8) no Distrito Federal causou transtornos no trânsito, deixou algumas regiões sem energia e derrubou árvores pela cidade. O centro da Brasília, o Setor Sudoeste e a cidade de Sobradinho foram os pontos mais atingidos pelo temporal. De acordo com o Corpo de Bombeiros, as tesourinhas das quadras 402 Norte, 102 Norte e Sul, 303 e 304 Sul foram alagadas. O Buraco do Tatu e as vias próximas à Galeria dos Estados também ficaram inundadas. Cruzeiro, Sudoeste, Setor de Indústrias Gráficas, parte da Asa Norte, Lago Sul e Condomínio Jardim Botânico sofreram com a queda de energia elétrica. A linha do Metrô que liga Águas Claras ao Plano Piloto ficou interditada por quase uma hora. No momento, todos os trechos do Metrô funcionam normalmente. Durante meia hora ventos fortes foram registrados e causaram a queda de árvores em alguns locais da cidade. Uma árvore caiu na 703 Sul, perto da Igreja Dom Bosco. Outra, na Universidade de Brasília (UnB) e uma terceira, na Fundação Darcy Ribeiro. O elevador do Conjunto Nacional, da Galeria dos Estados e do bloco H da 307 Norte ficaram parados.   
BSB, 9/01- Tudo bem que as condições climáticas representadas pelas fortes chuvas tiveram sua parcela de culpa, mas é inadmissível que uma cidade que paga um dos mais altos IPTU’s do país ainda tenha que conviver com transtornos desta natureza. A incúria do poder público em se antecipar aos problemas é notória e acompanha administração após administração restando ao pobre contribuinte chorar sobre os prejuízos que poderiam ser muito bem evitados. Desentupimento de bueiros, poda de árvores, melhor manutenção e mais investimentos nos equipamentos da CEB, bem como a imediata construção de galerias pluviais eficientes são medidas que não podem mais ser postergadas. O contribuinte agradece.   
BSB, 6/01- A revisão do Plano Diretor de Ordenamento Territorial (Pdot) vai permitir a legalização da maior ocupação irregular do Distrito Federal. Antiga região agrícola, Vicente Pires tem hoje 314 parcelamentos e mais de 55 mil moradores. Os lotes, de propriedade da União, já foram avaliados e os projetos urbanísticos devem ser aprovados até o fim de janeiro. Entre as ocupações ilegais de propriedade do governo federal, a região é hoje a mais próxima da regularização. Os condomínios de classe média, como Bela Vista e Lago Azul, e as áreas de baixa renda, como Vila Basevi e Nova Colina, ainda têm pendências urbanísticas, ambientais e fundiárias. A Secretaria de Patrimônio da União promete avançar na regularização definitiva dessas regiões em 2009. Cerca de 100 mil pessoas vivem hoje em terras irregulares de propriedade do governo federal. Dos 415 mil hectares do DF, cerca de 41 mil hectares pertencem à União, o que corresponde a 10% de todo o território da capital federal. Vicente Pires é uma das prioridades do governo federal e também do GDF, responsável pela análise dos projetos da região. O Pdot, que transforma a área rural em zona urbana, era o principal empecilho à regularização do setor. Depois que a Câmara Legislativa aprovou a revisão do plano, no último dia 13, legalmente as terras já são classificadas como urbanas. O Grupo de Análise de Parcelamentos do GDF (Grupar) recebeu o projeto urbanístico de Vicente Pires e 120 plantas da região. Todo o material já foi analisado e falta apenas a empresa responsável pelo levantamento fazer as correções exigidas para que o projeto vire um decreto assinado pelo governador José Roberto Arruda. O processo de licenciamento ambiental também está adiantado. Falta apenas a definição das condicionantes para a liberação da licença, além da realização de uma grande audiência pública para discutir a proposta. A expectativa é que a regularização de Vicente Pires seja concluída ainda em janeiro.   
BSB, 4/01- O Distrito Federal perde R$ 100 milhões todos os anos com a inadimplência dos proprietários de imóveis. Cerca de 20% dos brasilienses não pagam em dia o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), o que desfalca os cofres públicos. A meta do GDF é reduzir a inadimplência em 2009 e aumentar a arrecadação. As mudanças realizadas pela Secretaria de Fazenda no calendário de cobrança dos impostos devem ter efeitos positivos para mudar esse quadro já no primeiro semestre. Este ano, os contribuintes só terão que pagar o IPTU a partir de abril. Quem optar pelo parcelamento em seis vezes vai pagar o tributo até setembro. Normalmente, o imposto era cobrado de fevereiro a julho Esses percentuais de inadimplência valem para o primeiro ano da cobrança. Depois que os contribuintes são incluídos na dívida ativa, o governo consegue receber boa parte desses débitos nos anos seguintes. De acordo com o secretário, o principal objetivo da mudança é facilitar a vida para os contribuintes e aquecer a economia da capital federal. "Assim, evitamos um acúmulo de carnês no início do ano, quando muitas pessoas estão voltando de férias. Outra razão para a alteração do calendário é movimentar a economia. Se os brasilienses tiverem mais fluxo de caixa no início do ano, a economia de Brasília ficará mais imune à crise", acrescenta o secretário de Fazenda. A expectativa do GDF é arrecadar R$ 500 milhões com a cobrança do IPTU este ano, e R$ 450 milhões com os carnês de IPVA.   
BSB, 3/12- Novas regras e prazos para o pagamento de tributos em 2009. A cobrança do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) será antecipada para todos os carros, independente do final das placas. Os carnês devem chegar aos contribuintes até o final de janeiro e a cobrança será feita em três parcelas a partir de março. As mudanças nas arrecadações foram anunciadas ontem pela Secretaria de Fazenda do GDF. Outra novidade é que o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) e a Taxa de Limpeza Pública (TLP), que costumavam ser cobrados em fevereiro, terão o prazo do primeiro vencimento estendido para abril. Ambas as taxas poderão ser quitadas em até seis vezes, ou seja, até setembro. Aqueles que optarem pelo pagamento da cota única, tanto do IPTU quanto do IPVA, terão desconto de 5%. O secretário de Fazenda, Valdivino Oliveira, disse que as novas alterações no calendário fiscal do DF foram acertadas para não sobrecarregar os contribuintes logo no começo do ano e para desafogar o fluxo de cobranças. "O IPVA vai chegar antes e o vencimento do IPTU será só em abril. Esperamos que dessa forma não haja problemas para os contribuintes", apostou o secretário. Os dois impostos sofreram reajustes aprovados no início do mês pela Câmara Legislativa. O IPTU teve um acréscimo de 7,15%, levando em consideração a variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). Já o IPVA, deve variar de acordo com o ano e modelo dos veículos e o reajuste pode chegar até 7,3%.   
BSB, 3/12- O avanço da regularização de condomínios em terras do GDF depende da Justiça. Depois da venda direta dos quatro parcelamentos da etapa 1 do Setor Jardim Botânico, em agosto de 2007, a Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap) aguarda autorização da Vara de Registros Públicos para obter a liberação da escritura dos 1.226 imóveis da etapa 2 da região. Sem registrar os terrenos, a venda direta fica paralisada. Em 2008, nenhuma área de propriedade da companhia foi comercializada por causa das pendências judiciais. A expectativa do governo é retomar a venda dos condomínios no ano que vem, para entregar a escritura definitiva aos ocupantes. A resistência da comunidade e as batalhas judiciais marcaram as tentativas de regularização dos condomínios do GDF em 2008. O atraso na venda direta dos lotes do governo pode prejudicar os moradores. No primeiro processo de regularização conduzido pela Terracap, em 2007, o preço médio dos terrenos ficou em R$ 79 mil. O valor foi calculado com base nos índices de mercado e com o desconto dos investimentos em infra-estrutura realizados pela população. Os preços foram considerados altos pela comunidade, mas ainda assim a venda direta foi concluída, com financiamentos em até 240 meses. A alienação pelo valor de mercado foi determinação do Ministério Público do DF. A avaliação das próximas áreas a serem regularizadas será feita em função da nova realidade do mercado imobiliário. A etapa 2 do Jardim Botânico, que deve ser a próxima beneficiada com a venda direta, fica ao lado da etapa 3, cujos lotes foram licitados pelo GDF nos últimos três meses. Os terrenos foram arrematados por R$ 200 mil, em média. Alguns imóveis alcançaram R$ 330 mil durante a concorrência pública e foram muito disputados pelos participantes do certame. O presidente da Terracap, Antônio Gomes, diz que vai buscar um acordo rápido com a comunidade para tentar extinguir a ação de impugnação do registro da etapa 2.   
BSB, 1/01- As obras de infraestrutura e urbanização realizadas no último ano no Varjão tiveram efeito contrário ao esperado. Em vez de fixar os moradores na antiga invasão, abriram brechas para o crescimento da especulação imobiliária. Em uma visita ao local, é possível ver dezenas de terrenos e casas com faixas de “vende-se” penduradas em muros e grades. Com localização privilegiada – a cerca de 10km do centro de Brasília – o Varjão virou ponto disputado por pessoas de fora da cidade. Os terrenos têm em média 160 metros quadrados e, apesar de não possuir escritura, estão sendo negociados por preços entre R$ 70 mil e R$ 150 mil. O valor depende do tamanho e da qualidade das casas construídas. Os interessados na compra são pessoas de classe média e alta de outras cidades, inclusive do vizinho Lago Norte. De acordo com pessoas que agem como corretores informais, até moradores de Anapólis e Luziânia, em Goiás, estão visitando o Varjão para realizar possíveis investimentos. O Varjão tem cerca de 9 mil habitantes. De acordo com o presidente da Associação de Moradores, José Maria Martins dos Santos, 33 anos, cerca de 40% deles não pertencem à comunidade original que brigou pela fixação no local. São pessoas que chegaram nos últimos cinco anos por conta da valorização do lugar. A cidade nasceu no início dos anos 80 como uma pequena invasão. A maioria dos moradores trabalhava em funções domésticas em casas do Lago Norte. De lá para cá, a população conseguiu asfalto, escola, polícia, posto de saúde e praças. As escrituras são esperadas ainda este ano. Dona Dilva de Sousa, 60 anos, chegou quando o Varjão ainda era cerrado. “Estou aqui há 32 anos, vi esta cidade nascer”, afirma a baiana. Ela recorda as constantes retiradas que afligiram a população no período. Os moradores do Varjão possuem apenas termos de concessão de uso, portanto a venda de lotes e casas na região é irregular.   
BSB, 30/12- O reajuste de quase 10% do IGP-M, juntamente com a alta valorização dos imóveis no Distrito Federal, promete um começo de ano nada animador para quem paga aluguel na capital, principalmente àqueles que tem contrato firmado há menos de dois anos. Isso porque, de 2006 para cá, enquanto o valor dos imóveis subiu no mínimo 30%, os aluguéis, em alguns casos, apresentaram até mesmo deflação. Para o presidente do Sindicato da Habitação (Secovi-DF), Miguel Setembrino, esta valorização depende da localização do imóvel. No Plano Piloto e Sudoeste, por exemplo, os preços aumentaram entre 30% e 35% nos últimos dois anos. Enquanto isso, em Águas Claras, onde a oferta é bem maior, a valorização ficou em torno de 15%. Por último, recomenda Setembrino. “A melhor arma contra a alta dos aluguéis é uma boa negociação com o proprietário ou a imobiliária. Quando o inquilino é bom pagador, sempre há a possibilidade de um reajuste menor”, recomenda.   
BSB, 30/12- As normas para a cobrança dos principais tributos locais foram definidas ontem pelo governo. Todos os detalhes para a elaboração dos carnês do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) e do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotivos (IPVA) de 2009 foram publicados no Diário Oficial do Distrito Federal desta segunda-feira. O IPVA ficará, em média, 3,23% mais barato do que o cobrado este ano. Já o IPTU vai subir 7,15% para todos os 700 mil proprietários de imóveis da cidade. Em janeiro, a Secretaria de Fazenda vai enviar todos os boletos de cobrança do IPTU. No caso do IPVA, os carnês são impressos ao longo do ano, de acordo com o final da placa do carro. A novidade para 2009 é que o GDF não elaborou uma pauta de valores para o cálculo do IPTU, como fazia todos os anos. Em vez de avaliar um a um todos os apartamentos, casas, lojas e indústrias, o governo decidiu usar a planilha aprovada em 2007 e apenas aplicar um percentual linear de reajuste, no caso, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) - que ficou em 7,15%. Para calcular quanto pagará em 2009, basta o consumidor multiplicar a quantia paga este ano por 1,0715.   
BSB, 27/12- O setor da construção civil local cresceu quase o dobro da média nacional. Enquanto dados divulgados pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) indicam crescimento nacional de 9,5%, o segmento brasiliense avançou mais de 15%, estima Elson Ribeiro e Póvoa, presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil do DF (Sinduscon-DF). A principal razão para a diferenciação está nas características do mercado consumidor local, onde predominam os servidores. “São pessoas com renda fixa, estável, e que ganham bem acima da média nacional. Elas vêem no imóvel um bom investimento”, explica Póvoa. Essa fatia do mercado fará com que a construção civil da capital do país mantenha o crescimento em 2009, cujas projeções anotam o mesmo incremento deste ano – 15%. “As obras que estavam em andamento continuam. Não tivemos obras canceladas, apenas adiadas”, esclarece o presidente do Sinduscon-DF. Tal adiamento deverá impulsionar o setor em 2009, mesmo diante das incertezas da crise econômica. E o crescimento poderá ser ainda maior, chegando a 25%, caso as obras do Setor Noroeste comecem já no primeiro semestre do ano que se inicia.   
BSB, 27/12- Foi de R$ 627.122.744,77 o total de recursos que Secretaria de Obras do DF gastou, em 2008, nos empreendimentos públicos. Destaque para obras de infra-estrutura, como reformas de vias da Epia e construção de redes de esgoto e pluviais. Desse montante, Brasília foi a cidade que recebeu a maior quantidade em investimentos em 48 obras – R$ 111.212.525,21. Ceilândia foi a segunda agraciada por essas aplicações: 39 obras, com um custo total de R$ 64.436.448,02. O segmento de obras públicas é o motor da construção civil do DF por representar cerca de 60% do setor. Em 2009 estão previstos novos investimentos no total de R$ 1,2 bilhão em empreendimentos como o da nova rodoviária de Brasília, vilas olímpicas, projetos Pró-Moradia I e II e construção de 100 postos policiais. Durante o ano de 2008, os empregos na construção civil permaneceram estáveis. Segundo o levantamento da Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED), feita pelo Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese) em janeiro de 2008, a estimativa era de 51 mil pessoas empregadas na construção civil, volume que chegou a 50 mil em outubro deste ano (última pesquisa divulgada pelo órgão).   
BSB, 23/12- A sanha regulatória do governo chegou agora às entidades religiosas. Um importante projeto de lei aguarda, na Câmara Legislativa, a volta do deputados distritais do recesso. O Governo do Distrito Federal (GDF) espera aprovar em regime de urgência, logo no início de 2009, o texto que regulariza a ocupação de entidades religiosas em áreas públicas. A nova versão do projeto chegou à Câmara em 10 de dezembro e ainda é desconhecida pela maioria dos parlamentares Dos 2,3 mil pedidos iniciais, apenas 389 estão na relação oficial de lotes que satisfazem todas as condições, o equivalente a 17% do total. Há outras 86 igrejas que ainda podem obter a regularização, desde que os distritais aprovem a alteração para destinação de uso do lote. O projeto é dividido em 10 anexos. No primeiro e no terceiro constam os que poderão ser beneficiados de imediato. A maioria das igrejas e templos se encontra em Samambaia (187), Recanto das Emas e Santa Maria. O Projeto de Lei Complementar 108/2008 vem substituir o 65/2008, que foi alvo de diversas irregularidades. A inclusão de centenas de emendas dos distritais à proposta do GDF fez com que o texto retornasse ao Executivo. A Terracap teve que peneirar as emendas para identificar o que poderia ser regularizado. A diferença é que o novo projeto, além de retirar propostas impossíveis de serem realizadas, separa em grupos 1.571 endereços ocupados por entidades religiosas. Os lotes são classificados em três situações: a destinação de uso que já admite atividade religiosa e satisfaz as condições exigidas; a destinação da área atual que não permite tal uso, mas com audiências públicas já realizadas, podendo ser alterada dependendo apenas de laudo de viabilidade urbanística; e o que não há existência de registro imobiliário, situação mais difícil para regularizar porque depende de mais análises.   
BSB, 22/12- Mais quatro loteamentos do Setor Habitacional Jardim Botânico estão prontos para serem registrados em cartório. Com a regularização dos parcelamentos, ocorrida ontem, os síndicos dos condomínios Jardins do Lago Quadra 1, Jardins do Lago Quadra 2, Quintas Bela Vista e Lago Sul 1 podem dar entrada no processo para obter as escrituras definitivas dos lotes a partir de hoje. Os estudos ambientais e urbanísticos do Ecológico Villages III também foram aprovados, mas o registro do condomínio ainda depende da remoção de quatro construções que estão em Área de Preservação Permanente (APP). Cerca de 2 mil pessoas moram nos cinco condomínios, que têm, juntos, 524 lotes. Na manhã de ontem, o governador José Roberto Arruda assinou o decreto que aprovou o projeto urbanístico dos loteamentos. Na mesma cerimônia, o Instituto Brasília Ambiental (Ibram) concedeu a licença de instalação dos empreendimentos. Como eles estão em terras particulares, as duas etapas são suficientes para regularizá-los. “Agora, cada morador poderá ter a escritura do terreno e o habite-se da casa. Serão, assim, donos de fato dos imóveis”, ressaltou Arruda. O Ecológico Villages III tem 104 lotes, mas quatro deles estão a menos de 50 metros de nascentes, área definida como APP pela legislação ambiental. A licença concedida pelo Ibram exige que o registro do parcelamento em cartório só seja feito depois que as edificações forem derrubadas. Além disso, o projeto urbanístico aprovado não inclui os terrenos dentro da poligonal do condomínio. Assim, duas casas que estão totalmente dentro da APP deverão ser desconstituídas e outras duas terão que ter partes derrubadas. “O condomínio só vai ficar de fato regular quando tirarem as construções em APP”, ressaltou o presidente do Ibram, Gustavo Souto Maior.   
BSB, 21/12- O Governo do Distrito Federal (GDF) e a União estão prestes a assinar um acordo que finalmente vai permitir a regularização de Vicente Pires, onde moram 70 mil pessoas. A parceria agilizará o processo e definirá as regras para que os moradores possam ter as escrituras de suas casas. O terreno é da União, mas a administração local está conseguindo entendimento para que o governo federal transfira a propriedade da área para a Terracap. A secretária de Patrimônio da União, Lúcia Carvalho, e o secretário de Desenvolvimento Urbano do DF, Cássio Taniguchi, discutem os detalhes do acerto. Os parâmetros de regularização serão os mesmos tanto para os moradores instalados em terras da União quanto para os que estão na parte pertencente ao GDF. Os de baixa renda terão o título de propriedade sem custo. Aos de classe média e média alta, será oferecida a compra pelo preço avaliado em comum acordo pela Caixa Econômica Federal e pela Terracap. O pagamento poderá ser dividido em até 10 anos (120 meses).   
BSB, 21/12- A regularização do condomínio Villages Alvorada, marcada para amanhã, foi suspensa por determinação do Ministério Público do Distrito Federal e dos Territórios (MPDFT). O MP recomendou que o GDF não aprove os projetos do parcelamento antes da remoção de todas as construções em áreas de preservação permanente (APP). Há 10 residências com edificações a menos de 30m do lago Paranoá, classificadas como APPs, no Villages Alvorada. O governo vai paralisar o processo de legalização urbanística e ambiental para discutir uma saída para o problema. A cerimônia de regularização dos cinco condomínios em terras particulares, também marcada para este domingo, está mantida. Coordenador da Comissão de Regularização de Condomínios do Ministério Público, o promotor de Justiça Libânio Rodrigues garante que o MP tem um posicionamento firme contra a ocupação de áreas de preservação permanente. No Villages Alvorada, há casas inteiras a menos de 30m do lago Paranoá. Mas alguns lotes têm apenas construções como churrasqueiras ou quadras de esporte na beira do espelho d’água. Entre os moradores do Villages Alvorada, há receio de que casas sejam demolidas, mas também de que o processo de legalização atrase ainda mais. Para a líder comunitária Tatiana Montezuma, é preciso resolver o impasse sem prejudicar nenhuma das partes.   
BSB, 20/12- Mesmo com os recursos contrários à decisão da Justiça que autorizou o registro do Setor Noroeste, a Vara de Registro Públicos do DF determinou a liberação imediata da escritura da área. A juíza Gildete Silva Balieiro decidiu encaminhar as apelações à 2ª instância do Tribunal de Justiça e ordenou que o Cartório do 2º Ofício de Registro de Imóveis “efetive o registro da área e dê prosseguimento a implantação do loteamento”. Inicialmente, a Terracap vai vender 55 projeções residenciais e 10 comerciais do novo bairro destinado para a classe média alta brasiliense. Com o edital publicado nos próximos 10 dias, a concorrência já tem data marcada para ocorrer: 2 de fevereiro. O edital de licitação está pronto. A idéia da Terracap é vender quadras fechadas para uma mesma construtora, que ficaria responsável por fazer a infra-estrutura da quadra. Mas as primeiras projeções serão vendidas individualmente. “Faremos do jeito tradicional primeiro porque, para vender quadras fechadas, precisamos do aval da Procuradoria do DF e do Tribunal de Contas. E não queremos esperar. Quero acelerar a implantação do bairro”, afirmou o presidente da Terracap, Antônio Gomes. O Setor Noroeste terá 220 prédios residenciais, distribuídos em 20 quadras, além de 140 edifícios comerciais. Em setembro deste ano, após obter a licença ambiental do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), a Terracap deu entrada no 2º Ofício de Registro de Imóveis para pedir a escritura da área do Noroeste. Mas três manifestações contra o registro foram enviadas ao cartório: uma em nome da índia Ivanice Pires Tanoné, uma das indígenas que vivem na área, outra da Fatto Incorporadora e Corretora de Imóveis e uma terceira do Grupo OK Construções e Incorporações.   
BSB, 20/12- Um dos condomínios mais nobres do Distrito Federal, à beira do Lago Paranoá e com vista para a Ponte JK, será regularizado neste domingo. O Villages Alvorada faz parte de um grupo de seis parcelamentos que receberão a licença ambiental, além da aprovação do projeto urbanístico. O evento de entrega da documentação à comunidade, com a presença do governador José Roberto Arruda, será às 10h. Com isso, os condomínios poderão ser registrados em cartório e os moradores, depois de pagarem pelos lotes, receberão as escrituras individualizadas dos terrenos. Mais de 2,8 mil pessoas serão beneficiadas com o fim do processo de regularização. O Villages Alvorada, no Setor Dom Bosco, está em terras de propriedade da Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap) e a legalização será feita por meio da venda direta. A expectativa do governo é dar entrada no pedido do registro em cartório na próxima segunda-feira e lançar em fevereiro o edital de convocação dos moradores. “A avaliação dos terrenos será feita enquanto aguardamos a liberação do registro. Faremos a venda no mesmo modelo aplicado na etapa 1 do Setor Jardim Botânico, com pagamentos em até 20 anos”, ex-plica o presidente da Terracap, Antônio Gomes. Já os condomínios Lago Sul 1, Jardins do Lago 1 e 2, Ecológico Village 3 e Quintas Bela Vista — todos no Setor Jardim Botânico — estão em área particular, onde a fixação dos preços não sofre fiscalização do Ministério Público, e o valor é negociado livremente entre os proprietários originais dos terrenos e os ocupantes. A cerimônia de entrega do licenciamento ambiental e a assinatura do decreto aprovando o projeto urbanístico dos seis parcelamentos ocorrerão na Administração Regional do Jardim Botânico.   
BSB, 20/12- A Companhia Imobiliária de Brasília realizou ontem a última licitação de imóveis do ano e bateu recordes na negociação. A empresa arrecadou R$ 74 milhões com a venda de 71 terrenos, o melhor resultado da sua história. Em apenas dois anos, a Terracap alcançou valores superiores aos arrecadados entre 2003 e 2006. Em 2007 e 2008, a empresa já soma R$ 754 milhões em vendas, R$ 33 milhões a mais do que os R$ 721 milhões angariados nos quatro anos anteriores. A expectativa de ganhos é ainda maior em 2009, em razão, entre outros pontos, da concorrência pública para a venda dos lotes do futuro Setor Noroeste. No primeiro edital, serão incluídos 55 terrenos e cada um pode chegar a R$ 12 milhões. “O que nos ajudou com o bom resultado foi uma mudança na política da empresa. Antes, cada licitação tinha cerca de 30 participantes. Hoje, registramos mais de mil pessoas no auditório nos dias de abertura das propostas”, explica o diretor comercial da Terracap, Anselmo Leite. A Terracap também vai continuar a vender terrenos na etapa 3 do Setor Jardim Botânico, um dos grandes sucessos do ano. Ontem, a empresa negociou 25 imóveis no novo bairro de classe média. “Em janeiro, vamos licitar cerca de 100 terrenos e faremos uma grande divulgação”, antecipa Leite.   
BSB, 18/12- A área de 800 hectares às margens da DF-425 na região de Sobradinho, cobiçada por empresários da construção civil, não poderá ser parcelada e terá que permanecer como zona rural. O projeto de revisão do Plano Diretor de Ordenamento Territorial (Pdot) previa a transformação do terreno em área urbana. Mas uma emenda apresentada antes da votação da proposta na Câmara Legislativa proíbe a construção de empreendimentos na região. O Pdot foi aprovado na madrugada do último sábado, juntamente com um adendo — apresentado pelo deputado distrital Raad Massouh (DEM). Com isso, os projetos para a edificação de prédios comerciais e residenciais na área serão definitivamente engavetados. O terreno vazio, com espaço equivalente a 800 campos de futebol, faz parte da antiga Fazenda Paranoazinho. A propriedade rural, que pertencia a José Cândido de Souza, foi ocupada irregularmente nas últimas duas décadas. O resultado da grilagem sistemática na região foi o surgimento de 56 condomínios, onde vivem hoje 38 mil pessoas. Mas a área que fica entre a DF-150 e a BR-020 permaneceu intocada diante da onda de invasões. O terreno vazio representa o equivalente a 45% dos 1,5 mil hectares da antiga propriedade rural. Este ano, os herdeiros da fazenda fecharam acordo com uma grande construtora de São Paulo, o grupo Birmann, formando a empresa Paranozinho Urbanizadora S.A. O objetivo da parceria era regularizar os parcelamentos já existentes e também construir novos empreendimentos na área vazia. O interesse em torno do imóvel era grande. Uma guarita foi instalada no terreno e seguranças faziam rondas em motos para evitar qualquer chance de invasão. A revisão do Pdot transformou os condomínios da região, que engloba os setores Grande Colorado, Contagem e Boa Vista, em urbanos. A emenda, portanto, atinge apenas as áreas vazias da Paranoazinho. Os parcelamentos já existentes poderão ser regularizados.   
BSB, 17/12Quem quiser comprar um lote regularizado ainda neste ano tem até esta quarta-feira (17), às 16h, para ir a uma agência do Banco de Brasília depositar a caução do imóvel pretendido para participar da última e maior licitação de lotes já realizada neste ano pela Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap). São 236 lotes residenciais e comerciais distribuídos em 13 cidades do Distrito Federal. Há oportunidades, por exemplo, na mais nova área nobre de Brasília, localizada a apenas 10 minutos da Esplanada dos Ministérios. A Terracap coloca à venda 115 lotes no Jardim Botânico 3. O setor oferece como atrativos a localização e a integração com a natureza. Todos os terrenos são residenciais. Os preços que variam de R$ 174 mil (700m²) a R$ 293 mil (terreno de 1.400m²), com financiamento em até 240 meses (20 anos). Para quem prefere investir em outras regiões do DF, a Terracap colocou mais 121 terrenos à venda. São espaços comerciais e residenciais em várias cidades, como Águas Claras (2), Brasília (4), Ceilândia (24), Gama (4), Guará (5), Setor Habitacional Taquari (2), Planaltina (1), Recanto das Emas (12), Samambaia (48), Sobradinho (2), Sobradinho (2) e Taguatinga (10). Os preços variam entre R$ 27 mil a R$ 4,26 milhões. Os destaques são para um lote comercial em Águas Claras, na Praça Bem-te-vi, ofertado por R$ 4,26 milhões; para um terreno na SHCGN 710, destinado para construção de uma creche; e para três lotes no Pólo de Modas do Guará. A Terracap também disponibiliza terrenos no Centro Urbano de Samambaia, área que tem atraído muitos investidores pela rápida valorização do local. Lá, os preços variam de R$ 3,3 milhões a R$ 4,3 milhões. Outra boa opção são os lotes comerciais do Recanto das Emas.   
BSB, 17/12- O Diário Oficial do Distrito Federal publicou nesta terça-feira (16/12) o decreto que define a altura máxima dos prédios em construção no Guará. Os prédios situados ao longo da Avenida Central, no Guará II, não poderão ultrapassar a altura de 36 metros. Já no Setor de Garagens e Concessionárias de Veículos – SGCV, nos lotes dos trechos 1 e 2 do Setor de Múltiplas Atividades Sul – SMAS, e nos lotes do Setor de Oficina Sul – SOF/Sul, nenhum edifício poderá ter mais que 34 metros de altura. A determinação tem a finalidade de garantir o bem estar da população local, implementar uma política de preservação de Brasília, preservar o patrimônio tombado de Brasília. Desde setembro, as obras no Guará próximo a Epia, avenida central e contorno estavam suspensas devido à inadequação da quantidade de andares construídos.   
BSB,15/12- Menina dos olhos da administração da dupla Arruda-PO, a legalidade fundiária no Distrito Federal pode ter dado o seu decisivo passo para ser implantada definitivamente no Distrito Federal com a aprovação do Plano Diretor de Ordenamento Territorial pela Câmara Legislativa. A medida deve acelerar o processo de legalização de condomínios e facilitar a criação de novas áreas, como o Setor Noroeste, no Plano Piloto A aprovação do projeto só transforma em lei a realidade urbanística do Distrito Federal. As ocupações irregulares que surgiram a partir da necessidade de moradia, onde residem 500 mil pessoas, poderão ser definitivamente legalizadas. As futuras demandas habitacionais passam a ser direcionadas para espaços com infra-estrutura e capacidade de abrigar a população. O desafio de resolver problemas do passado e organizar o futuro é o coração do novo Plano Diretor. A intenção do plano é legalizar 28 loteamentos irregulares erguidos no DF por força da pressão habitacional sem nenhum planejamento urbano. É o caso de condomínios de baixa renda, como Itapoã, Arapoanga, Pôr-do-Sol e Sol Nascente. Nessa realidade, estão incluídos ainda os parcelamentos da classe média. Entre eles, Vicente Pires, Jardim Botânico, Altiplano Leste e Grande Colorado.   
BSB 15/12- Para evitar que a desordem piore, a nova lei determina onde as ocupações podem começar e onde devem terminar. Levantamentos do governo indicam que o DF terá 4 milhões de habitantes em 2030, um crescimento inevitável e natural no processo de evolução demográfica. A ampliação da população exige um correspondente aumento da oferta com objetivo de impedir o déficit habitacional. A cidade vai crescer independentemente do gosto do urbanista. O que temos a fazer é planejar a forma como se dará a ocupação, analisa o diretor-técnico de fiscalização da Terracap, Luiz Antônio Reis, um dos responsáveis pela elaboração do Pdot. Por isso, o plano prevê a criação de 29 áreas habitacionais, como o Setor Noroeste, Catetinho, Jardim Botânico e Mangueiral. Luiz Antônio explica que o Pdot prevê os novos empreendimentos, mas isso não significa que eles serão implantados de uma hora para a outra e sem a análise dos órgãos ambientais e urbanísticos. O Catetinho, por exemplo, tem criado controvérsias ambientais, por ser próximo de áreas de nascentes. Mas o governo afirma que todos os trâmites legais serão respeitados. O Catetinho vai passar por todos os processos ambientais. Nenhuma etapa será suprimida, assegura Luiz Antônio. O Pdot se impôs como um dos pilares da atual administração. Tratado como fundamental pelo governador José Roberto Arruda, o plano sofreu críticas da oposição. Na avaliação do chefe do Executivo, a resistência foi pautada por interesses de toda ordem, políticos e econômicos. Grileiro só tem êxito na desordem e, a partir de agora, a cidade estará organizada, sustenta Arruda. Na avaliação do governador, as mudanças serão sentidas em breve: Todas as pessoas saberão onde podem ou não comprar imóveis, qualquer empreendimento sem a aprovação do governo será ilegal.   
BSB, 14/12- Brasília estendeu seus tapetes vermelhos para saudar um dos gênios de sua criação: Oscar Niemeyer. O arquiteto visitou a cidade para participar da abertura da Biblioteca Nacional, e fez questão de hospedar-se no Brasília Palace – o primeiro hotel da cidade, inaugurado antes mesmo da própria capital, em 1958. Para recebê-lo, a equipe preparou uma bela faixa de boas-vindas, um telão no lobby com cenas de Niemeyer atuando na época da construção da cidade, e dois presentes especiais: uma réplica do azulejo usado por Athos Bulcão no próprio hotel; e um livro sobre o trabalho de restauração do Brasília Palace, que conquistou em 2007 o Prêmio Master Imobiliário. Essa foi a primeira vez que o artista viu o estabelecimento totalmente recuperado e fez questão de elogiar a iniciativa da PaulOOctavio de fazê-lo ressurgir das cinzas. “O hotel está muito bem acabado, foi uma obra de alta qualidade”, elogiou. Ao chegar em seu apartamento – decorado tal e qual os quartos da década de 60 – disse que não merecia tais acomodações, "dignas de Fidel Castro e Madame Pompadour". Profissional inquieto, fez uma proposta de trabalho para a decoração do mezanino do Brasília Palace que, de pronto, foi aceita pelo superintendente de hotéis, Hélder Carneiro. “Vou ao Rio pessoalmente para buscar esse projeto”, diz Hélder.   
BSB, 13/12- Um dos maiores problemas de Águas Claras, o trânsito vai melhorar, segundo o governo. Até o final deste ano, será feita uma mudança radical no sistema viário da cidade, com as principais avenidas locais, a Castanheiras e Araucárias, tornando-se vias de mão única com três faixas cada (hoje são duas). A inauguração das vias Boulevards Norte e Sul, nas margens da linha do Metrô, também vai ajudar o motorista a trafegar melhor pela cidade. Quatro novos viadutos fazem as ligações entre as vias. A população aprova as mudanças e espera que sejam implementadas logo. Nas Boulevards, a sinalização das pistas já está sendo feita pelo Departamento de Trânsito (Detran). Elas também serão vias de mão única. O sentido será o oposto das avenidas principais, criando um sistema ziguezague (veja arte) que, para o administrador, vai diminuir, e muito, os pontos de contenção As obras de melhoria do trânsito estão em um pacote que está custando R$ 100 milhões aos cofres públicos. Nesse gasto também estão incluídas outras obras de infra-estrutura, como tubulação de esgoto e drenagem de águas pluviais, construção de asfalto, praças e iluminação pública.   
BSB, 13/12- a Câmara Legislativa autorizou a Secretaria de Fazenda a atualizar a tabela para cálculo do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA). O projeto de lei que regulamenta a cobrança do IPVA e do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) foi aprovado nesta sexta-feira (12/12) à noite pelos distritais. A única emenda acatada pelos parlamentares é a que obriga a revisão dos preços dos carros, apresentada pelo Partido dos Trabalhadores (PT). Já a proposta do IPTU passou da forma como foi enviada pelo Executivo, sem nenhuma emenda. Em 2009, os proprietários de imóveis pagarão um valor 7,15% superior ao cobrado este ano, o equivalente ao Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). Já o IPVA será calculado caso a caso, de acordo com o modelo, o ano e a marca do carro. O imposto é de 3% do valor de mercado apurado pelo GDF. Mas, em nenhuma hipótese, o imposto subirá acima da inflação. Segundo a proposta elaborada pela Secretaria de Fazenda e aprovada ontem, todos os 765 mil contribuintes do Distrito Federal receberão carnês de IPTU com reajuste de 7,15%, independentemente da valorização do imóvel no último ano. O GDF optou por essa fórmula de cálculo porque a Câmara Legislativa sempre derrubava a pauta de valores elaborada pelos técnicos da Secretaria de Fazenda com reajustes específicos para cada região. O projeto do GDF prevê ainda que os contribuintes que pagarem o IPTU e o IPVA em cota única, antes do vencimento, tenham direito a abatimento de 5% sobre o valor total. O objetivo é reduzir a inadimplência e aumentar a arrecadação no início do ano. Esta é a primeira vez que o governo concede o desconto para os dois tributos.   
BSB, 13/12- O Plano de Ordenamento Territorial (PDOT) foi aprovado na madrugada deste sábado (13/12) em segundo turno na Câmara Legislativa. Foram 18 votos a favor, 5 contra e uma abstenção. Assim como na aprovação em primeiro turno, os parlamentares da bancada do PT e o deputado Reguffe (PDT) votaram contra plano. Já a abstenção foi da deputada Eurides Britto (PMDB). Apesar da aprovação do Pdot, um trecho polêmico do plano foi desmembrado para que seja discutido na segunda-feira. Trata-se da parte que define a destinação da área onde está localizada a sede da Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap). A possível utilização residencial do terreno de 450 mil metros quadrados foi motivo de protesto nesta sexta-feira. Funcionários do órgão fizeram uma manifestação em frente a sede e seguiram para a Câmara, onde permaneceram durante a madrugada. Com a pressão, os deputados decidiram deixar a análise do caso para o início da próxima semana.   
BSB, 12/12- O Plano de Ordenamento Territorial (PDOT) foi aprovado na noite desta quinta-feira (11/12) em primeiro turno na Câmara Legislativa. Foram 19 votos a favor e cinco contra. O segundo turno do Pdot será votado nesta sexta-feira (12/12), ainda sem horário definido. Também amanhã, a Casa votará o primeiro e segundo turno do IPVA e do IPTU, o Orçamento de 2009 e alguns projetos de deputados. O Pdot é de autoria do Executivo e está na pauta da Casa desde a semana passada. Nesta quarta-feira, os parlamentares ainda não haviam chegado a um acordo se o projeto seria votado este ano ou não. Entre os que discordavam da votação imediata do plano, um dos argumentos era de que não houve tempo suficiente para analisar todos os componentes do projeto.   
BSB,11/12- O amadurecimento do setor imobiliário brasileiro abriu espaço para o advento da corretagem de imóveis, uma profissão antiga, mas que hoje tem características bem modernas. Segundo levantamento realizado pelo Conselho Federal dos Corretores Imobiliários (Cofeci), cerca de 60 mil brasileiros aderiram à profissão nos últimos dez anos. O aumento no contingente de profissionais contribuiu para a profissionalização da corretagem. Segundo o gerente comercial da construtora Emplavi, Wilson Charles, existe uma grande diferença entre os primeiros corretores, que surgiram no início do século XX, e os de hoje. “Antigamente, a profissão era uma atividade sem especialização. Hoje, os corretores são munidos de conhecimentos e informações que contribuem com o consumidor no ato da compra. Detém conhecimentos específicos sobre o mercado imobiliário, que aproximam o comprador do que ele quer comprar”, analisa. Charles explica que a corretagem é uma atividade profissional que requer conhecimento generalizado de alguns aspectos técnicos. Entretanto, ter habilidade para lidar com pessoas e formar opinião é mais importante ainda. “É válido compreender algumas questões de direito e economia para lidar com as operações imobiliárias. Todavia, para ser corretor é preciso gostar de gente, saber lidar com as pessoas e ter uma sensibilidade apurada. Saber vender é mais importante que ser técnico”, sugere o gerente comercial da Emplavi. No site da Emplavi, os interessados por esta área de trabalho, que tiverem os requisitos necessários para o exercício da profissão, podem cadastrar currículo. Basta acessar o site www.emplavi.com.br e preencher os dados.   
BSB, 10/12- A Universidade de Brasília (UnB) arrecadou R$ 7.274.460,00 com a negociação de 11 dos 27 apartamentos que foram colocados à venda pela instituição nesta quarta-feira (10/12). A licitação para a venda começou às 14h com a entrega dos envelopes, com 22 propostas. Os 16 imóveis que restaram devem voltar para o aluguel. No caso das coberturas, entre elas a que era usada pelo ex-reitor Timothy Mulholland — avaliada em R$ 2,040 milhões —, o presidente da comissão de licitação José Augusto Abreu informou que a decisão será do reitor da UnB. A cobertura que era usada por Timothy não recebeu nenhuma proposta. Abreu ainda informou que não há previsão de uma nova licitação. A comissão tem cinco dias para analisar a documentação dos aprovados e, no dia 17, a venda deve ser publicada no Diário Oficial e na internet. Na licitação desta quarta, a previsão era arrecadar de R$ 20 a R$ 25 milhões. Todo o dinheiro pago pelos imóveis será usado na reforma na própria universidade.   
BSB,7/12- A Caixa Econômica Federal bateu novo recorde de financiamentos habitacionais no Distrito Federal. Na contramão da crise internacional, até novembro o banco já havia concedido R$ 700 milhões em crédito para realizar o sonho da casa própria de 7,9 mil famílias. Em comparação com o investimento realizado no mesmo período de 2007 - R$ 426,8 milhões - a variação do crescimento chega a 64%, acima da média nacional de 60%. Até o fim de 2008, a CAIXA espera investir R$ 764 milhões e beneficiar 8,5 mil famílias na região. Com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) foram financiadas 2,8 mil unidades, totalizando R$ 250 milhões em crédito. Já com recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE), os brasilienses tomaram R$ 450 milhões para financiar 5,1 mil unidades. A população beneficiada com os recursos já chega a 32 mil pessoas e 65 mil empregos gerados. O valor médio de financiamento no Distrito Federal atingiu sua maior marca este ano - R$ 90 mil - quase o dobro da média nacional, que é de R$ 45,5 mil. Para se ter uma idéia, ao final de 2007 esse valor no DF estava em R$ 66 mil.   
BSB, 3/12- Na 3ª edição do Prêmio Construir Brasília, a Paulo Octávio Investimentos Imobiliários, por meio da SPE Orla Empreendimentos, conquistou cinco troféus da categoria empreendimentos acima de R$ 40 milhões. A empresa concorreu ao prêmio com os blocos A, B, C, D, E e G do hotel-residência Ilhas do Lago, empreendimento realizado em parceria com a Conbral e a JJPA. No quesito qualidade, foi a vencedora em apartamentos de 4 quartos ou mais. No de quantidade, conquistou a indicação em apartamentos de dois quartos e quatro quartos ou mais. No segmento de imobiliárias (comercialização de imóveis), venceu nos apartamentos de dois e quatro quartos. Além disso, também foram agraciados os arquitetos Ataliba Teixeira e Marina Fontana, como vencedores da categoria Prêmio Qualitativo Arquitetos, pela autoria dos projetos do complexo Ilhas do Lago. Promovido pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil do Distrito Federal (Sinduscon/DF) e pelo Jornal de Brasília, o prêmio homenageia as empresas que mais se destacaram no setor da construção civil brasiliense nos últimos 12 meses. Marcado pela isenção e absoluto sigilo, o Construir Brasília, tornou-se importante reconhecimento no mercado imobiliário da capital. Afinal, os resultados são fruto de pesquisas realizadas com os clientes que receberam imóveis no período em questão (1º de julho de 2007 a 30 de junho de 2008).   
BSB, 3/12- O 3º Prêmio Construir Brasília teve como grande premiada a construtora Emplavi. Ao todo, a empresa faturou cinco prêmios: Qualidade em apartamento de dois quartos; Qualidade em salas comerciais; Qualidade em kits studio; Quantidade em kits studio; e Quantidade em salas comerciais. Os prêmios de qualidade são concedidos às construtoras melhores avaliadas pelos seus próprios clientes, por meio de questionários de pesquisa. Já os prêmios de quantidade são definidos pelo reconhecimento tácito de mercado, pois é possível mensurar quantitativamente o que as construtoras colocaram no mercado. Neste ano, a Emplavi já recebeu o prêmio Melhores Práticas de Estágio do Instituto Euvaldo Lodi (IEL) e uma homenagem do Governo do Distrito Federal (GDF) por ser uma das empresas que mais contrataram mão-de-obra no primeiro semestre. Com isso, a empresa se fortalece como uma das construtoras mais reconhecidas do Distrito Federal. Segundo o diretor-presidente da Emplavi, Gil Pereira, além de se aplicar na concepção de projetos que correspondam à expectativa dos seus clientes, a Emplavi tem um compromisso com toda a sociedade na promoção de uma vida melhor.   
BSB, 2/12- Após colocar a venda 187 lotes, na maior licitação do ano, a Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap) arrecadou nesta quinta-feira (27/11) R$ 18,690 milhões com a venda de 62 lotes. O maior valor foi de um lote na Ceilândia, uma área comercial vendida por R$ 2,31 milhões. Inicialmente estavam previstas a venda de 200 lotes, mas 13 deles foram retirados da licitação. Entre os que foram retirados está de mais de 65 mil metros quadrados, que tinha um valor estimado de R$ 62 milhões. Segundo a Terracap o lote foi retirado da licitação porque há problemas jurídicos. O lote foi penhorado em uma ação trabalhista de funcionários contra a Terracap. O lote também é motivo de protesto entre os moradores do Lago Sul, que temem o impacto da construção de um shopping no local. A Terracap informou que o terreno é destinado a construção de shopping integrado com área verde. A intenção da companhia é resolver os problemas jurídicos e colocar o lote na licitação de dezembro. Os lotes vendidos nesta licitação tiveram uma valorização média de 19,24% com relação ao preço mínimo.   
BSB, 2/12- A vitória judicial na batalha para lançar o Setor Noroeste levou o governo a acelerar os projetos para consolidação do novo bairro. Já está pronto o orçamento do GDF para 2009, que reserva R$ 40 milhões para a infra-estrutura do setor, como obras de drenagem pluvial, pavimentação, instalação de meio-fio e calçadas. O edital da concorrência pública para a venda das projeções também está preparado. A Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap) aguarda apenas a liberação da Justiça para registrar os terrenos em cartório e licitar os primeiros imóveis. Mas os índios que vivem na área afirmam que vão recorrer da decisão da juíza Gildete Silva Balieiro na semana que vem. Em sentença publicada na última segunda-feira, a magistrada afirmou que as terra são públicas. Em 24 de novembro, a Vara de Registros Públicos do Tribunal de Justiça do DF e dos Territórios (TJDFT) rejeitou as impugnações e autorizou o 2º Ofício de Registro de Imóveis a liberar a documentação da área em nome da Terracap. Apesar das declarações dos representantes dos índios de que a comunidade vai recorrer, o presidente da companhia, Antônio Gomes, tem esperanças de que o imbróglio seja solucionado ainda este ano. “Se eles recorrerem da decisão vai se caracterizar uma ação de má fé, já que a juíza não deixou dúvidas de que a área é da Terracap”, afirma Gomes. Para o advogado que representa os índios, George Peixoto, a sentença não representa uma solução definitiva para o impasse. Ele disse que vai recorrer da decisão na próxima semana e, se precisar, levará o caso ao Supremo Tribunal Federal. Mas o governo ainda comemora a vitória. Diante da sentença de primeira instância, o planejamento em torno do setor virou prioridade dentro do GDF. O secretário de Obras, Márcio Machado, explica que os R$ 40 milhões reservados no orçamento do ano que vem serão suficientes para construir pelo menos a infra-estrutura de 25% do bairro.   

Home      O Editor      Mercado no DF      Economia      Construção Civil      Habitação      Imóvel Legal      Imóvel S/A      Fontes      Contatos      Busca no Site
Copyright © 2008-2013 Blog da Casa     Tecnologia ART LÓGICA